Resenha: X-MEN – FIRST CLASS – Henry Jackman (Trilha Sonora)


Música composta por Henry Jackman
Selo: Sony Masterworks
Catálogo: SK8697923202
Lançamento: 28/06/2011
Cotação***½

Pensem o que quiserem de Hans Zimmer, mas inegavelmente o alemão é o mais influente compositor de cinema na atualidade. Esse status foi atingido, senão pelo virtuosismo do compositor, principalmente por dois fatores: a extrema eficácia de seus scores nos filmes e o lançamento no mercado de vários colaboradores que, após iniciarem suas carreiras em sua equipe, partiram para projetos solo que via de regra trazem neles embutidos o “Zimmer Sound”. É o caso de Henry Jackman, que possui background similar ao de Zimmer (tecladista de origem pop) e cujo trabalho individual começou a ser notado em Kick-Ass – Quebrando Tudo, não por acaso o filme anterior do diretor de X-Men – Primeira Classe, Matthew Vaughn.

A música na franquia X-Men é eclética, já que cada um dos seus cinco filmes até agora lançados (aí incluída a aventura solo de Wolverine) teve scores escritos por diferentes compositores. Dentre todos os meus preferidos são X-Men 2 e X-Men 3, respectivamente de John Ottman e John Powell, nos quais os compositores escreveram temas principais chamativos. Já a trilha sonora original de X-Men: First Class, como ouvida no filme, pouco se sobressai, contudo em disco as coisas mudam sensivelmente para melhor. Continuar lendo “Resenha: X-MEN – FIRST CLASS – Henry Jackman (Trilha Sonora)”

Anúncios

Resenha: A ORIGEM (Blu-ray)


Produção: 2010
Duração: 148 min.
Direção: Christopher Nolan
Elenco: Leonardo DiCaprio, Ken Watanabe, Joseph Gordon-Levitt, Marion Cotillard, Ellen Page, Tom Hardy, Cillian Murphy
Vídeo: Widescreen Anamórfico 2.40:1 (1080p/VC-1)
Áudio: Inglês (DTS-HD Master Audio 5.1), Português, Francês, Espanhol (Dolby Digital 5.1)
Legendas: Português, Inglês, Espanhol, Francês
Região: A, B, C
Distribuidora: Warner
Discos: 2
Lançamento: 09/12/2010
Cotações: Som: ****½ Imagem: ****½ Filme: ***** Extras & Menus: **** Geral: ****½

SINOPSE
Cobb (Leonado DiCaprio) é um “extrator”, pessoa que utiliza ilegalmente uma tecnologia que permite a ele e sua equipe entrarem nos sonhos das pessoas, a fim de manipulá-los e extraírem informações confidenciais que serão vendidas a peso de ouro. Injustamente acusado nos EUA pela morte da esposa (Marion Cotillard) e desesperado para rever seus filhos, Cobb recebe a proposta de um último golpe, cuja recompensa será a retirada das acusações que pesam sobre ele: mas ao invés de extrair algo da mente de alguém, ele terá de fazer a inserção de uma ideia. Algo considerado impossível, exceto por Cobb – que sabe qual foi a verdadeira causa do suicídio de sua esposa, cuja presença é uma ameaça constante em seus sonhos e poderá inviabilizar a missão.

COMENTÁRIOS
Um sonho, dentro de um sonho que está dentro de um sonho… ou uma laranja com várias cascas. Creio que assim pode ser definido A ORIGEM (INCEPTION, 2010), o mais recente exemplar da consistente filmografia do diretor britânico Christopher Nolan, que vem conseguindo aliar o entretenimento à melhor arte cinematográfica – algo raro hoje em dia.  Continuar lendo “Resenha: A ORIGEM (Blu-ray)”

As Top 10 Trilhas Sonoras de 2010


Saiba quais foram, na opinião da “ScoreGirl” Viviana, as 10 novas trilhas sonoras que se destacaram em 2010. Quando disponível, clique no link para informações adicionais.

1. Clint MansellCisne Negro: Clint Mansell é um dos maiores compositores da atualidade, e seus melhores trabalhos são os feitos em parceria com Darren Aronofosky. Em Cisne Negro Mansell consegue o impossível – adaptar uma peça tão importante para a música clássica como “O Lago dos Cisnes”, e mesmo assim impor a sua própria marca, compondo um suspense carregado de nostalgia, lirismo e paixão. Na narrativa de Cisne Negro a trilha sonora não apenas ajuda a desenvolver os laços da historia, mas também é o olhar do espectador perante a obra que nos é exposta. Todos os sentimentos de Nina são transcritos pela melodia que chora e encanta, neste que é o principal trabalho ja feito por Mansell.

2. John AdamsI Am Love: O filme de Luca Guadagnino tem muitas qualidades, e uma delas com certeza é a trilha sonora poderosa de John Adams, o importantíssimo compositor americano, que trata este projeto cinematográfico como uma triste ópera que narra os acontecimentos da poderosa família Recchi, e principalmente da protagonista Emma (Tilda Swinton) – uma estranha dentro da sua própria família, zelosa como mãe e apaixonada como amante. O trabalho de Adams é tão primoroso que toda a trilha é impecável… um dos trabalhos mais bonitos do cinema dos últimos anos.

3. Alexandre DesplatO Escritor Fantasma: O que seria de O Escritor Fantasma sem a trilha sonora impactante de Alexandre Desplat? Seu trabalho no assustador longa de Roman Polanski é pura maestria, e sem ele, grande parte do efeito que o filme tem sobre seu público se perderia. Desplat traduz o olhar do protagonista em suas melodias, frio como o ambiente que se encontra, misterioso como as pessoas que o cercam. Um dos grandes trabalhos do compositor francês, que mais uma vez se consolida com o seu talento.

4. Herbert Gronemeyer – Um Homem Misterioso: Esta belíssima trilha sonora passou despercebida para muita gente, que ela é uma das melhores do ano, isso não há duvida. Composta pelo novato Gronemeyer, em um trabalho assustador, a trilha nos transporta para a quebra do silêncio sob o qual vive o personagem de George Clooney, transmitindo o classicismo de uma tragédia de modo único e soberbo. Uma trilha que consegue ser tão grande quanto seu filme, feita por um compositor que com certeza terá um futuro brilhante.

Continuar lendo “As Top 10 Trilhas Sonoras de 2010”

Resenha: A ORIGEM (Filme em Destaque)


A ORIGEM (Inception, EUA / Inglaterra, 2010)
Gênero: Ficção Científica
Duração: 148 min.
Elenco: Leonardo DiCaprio, Marion Cotillard, Joseph Gordon-Levitt, Ellen Page, Ken Watanabe, Cillian Murphy, Tom Hardy, Tom Berenger, Michael Caine, Lukas Haas
Compositor: Hans Zimmer
Roteirista: Christopher Nolan
Direção: Christopher Nolan
Cotação: *****

Um sonho, dentro de um sonho que está dentro de um sonho… ou uma laranja com várias cascas. Creio que assim pode ser definido A ORIGEM (INCEPTION, 2010), novo exemplar da consistente filmografia do diretor britânico Christopher Nolan, que vem conseguindo aliar o entretenimento à melhor arte cinematográfica – algo raro hoje em dia.

Cobb (Leonado DiCaprio) é um “extrator”, pessoa que utiliza ilegalmente uma tecnologia (não muito explicada) que permite a ele e sua equipe entrarem nos sonhos das pessoas, a fim de manipulá-los e extraírem informações confidenciais que serão vendidas a peso de ouro. Injustamente acusado nos EUA pela morte da esposa (Marion Cotillard) e desesperado para rever seus filhos, Cobb recebe a proposta de um último golpe, cuja recompensa será a retirada das acusações que pesam sobre ele: mas ao invés de extrair algo da mente de alguém, ele terá de fazer a inserção (a “inception” do título original) de uma idéia. Algo considerado impossível, exceto por Cobb – que sabe qual foi a verdadeira causa do suicídio de sua esposa, cuja presença é uma ameaça constante em seus sonhos e poderá inviabilizar a missão. Continuar lendo “Resenha: A ORIGEM (Filme em Destaque)”

Resenha: Inception – Hans Zimmer (Trilha Sonora)


Música composta por Hans Zimmer
Selo: WaterTower Music/Reprise
Catálogo: 524667-2
Lançamento: 13/07/2010
Cotação***** 

Hans Zimmer está com certeza na minha lista top 10 de compositores. Compositor inteligente e criativo, ele vem atravessando sua melhor fase, compondo trilhas cada vez mais elaboradas e de qualidade. Em Inception – que no Brasil se chamará A Origem – ele faz uma trilha que inicialmente é simples por não ter variações em termos de notas; mas que consegue nos passar o mistério e a fantasia necessários para a trama, tornando seu score inesquecível e já se pondo como a grande trilha do ano até o presente momento. Para a execução da trilha, Hans chamou o guitarrista e ex-membro do grupo The Smiths, Johnny Marr, o que dá um nível a mais na produção do score.

A trilha começa com a faixa “Half Remembered Dream”, que mistura o tema principal a violoncelos e instrumentos de sopro pesados, que após dão lugar à violinos em andamento pianinho com a trilha novamente em um crescente no final. Em “We Built Our Own World” as cordas aparecem em uma melodia tensa mais nostálgica, onde há um piano de fundo assim como suaves instrumentos eletrônicos para “pesar” um pouco mais a harmonia da faixa. Já em “Dream is Collapsing” há plena participação de Johnny Marr, onde através de sua guitarra misturada à orquestra e a sintetizadores eletrônicos, é criada uma atmosfera de mistério e apresentação do desconhecido através de suas notas. Continuar lendo “Resenha: Inception – Hans Zimmer (Trilha Sonora)”