Arquivo da tag: Compositores de trilhas sonoras

HUMOR: Homenagem a John Williams


Em uma bem-humorada homenagem ao grande maestro e compositor John Williams, que hoje, 08 de fevereiro de 2017, completa 85 anos, Tarso Ramos presenteia nossos leitores com a caricatura do Mestre, cuja trilha sonora para Star Wars: O Último Jedi chega no final do ano: Continuar lendo HUMOR: Homenagem a John Williams

Tarso Ramos lançará Livro de Caricaturas de Compositores do Cinema


philip-glass-tarso
Philip Glass por Tarso

Músico e colaborador do ScoreTrack, o santista Tarso Ramos recentemente começou a divulgar uma outra face do seu trabalho: a de desenhista e caricaturista, porém sempre mantendo a ligação com a Música do Cinema. Continuar lendo Tarso Ramos lançará Livro de Caricaturas de Compositores do Cinema

Perfil: ISAAC HAYES (1942 – 2008)


isaac-hayesIsaac Hayes, um dos maiores intérpretes da soul music a partir dos anos 1970, nasceu no dia 20 de agosto de 1942, em Covington, no Tennesse. Ele perdeu os pais ainda na infância e foi criado pelos avós. Hayes foi durante muitos anos compositor e arranjador da gravadora Stax Records, em Memphis. Ele também foi backing vocal de artistas como Otis Redding e Sam & Dave, nos anos 1960. Continuar lendo Perfil: ISAAC HAYES (1942 – 2008)

Falecimentos: GEORGE MARTIN, GATO BARBIERI


George_Martin
George Martin

George Martin (1926-2016)
O produtor musical, arranjador, compositor, engenheiro sonoro, músico e maestro londrino George Henry Martin, faleceu no último dia 8 de março em sua residência, aos 90 anos. Devido à sua importância em relação à produção musical dos discos da lendária banda britânica The Beatles, ele foi chamado de “o quinto Beatle”.  Martin compôs a trilha sonora do filme Com 007 Viva e Deixe Morrer (Live and Let Die, 1973), que teve a canção título “Live and Let Die” interpretada pelo ex-Beatle Paul McCartney e sua banda Wings. Continuar lendo Falecimentos: GEORGE MARTIN, GATO BARBIERI

Perfil: Quincy Jones


jon1072Combinando música pop, soul, hip-hip-hop, jazz, clássica, africana e até mesmo brasileira em fusões originais e extraordinárias, Quincy Jones pode ser classificado como “um mestre inventor de híbridos musicais”. Mas além  disso, este notável artista foi o pioneiro dos negros norte-americanos em muitas áreas do show business. A lista das atividades nas quais se consagrou é longa: showman, compositor de trilhas sonoras, arranjador, regente, instrumentista, ator, produtor de discos, editor de revistas, produtor de televisão, executivo de gravadora e ativista social. Continuar lendo Perfil: Quincy Jones

James Horner: Homenagem de um Fã


hornerPensei que nunca fosse escrever este texto. Em todos os anos em que fui um admirador e fã incondicional de James Horner, nunca imaginei que chegaria o dia em que ele não estaria mais entre nós. Para nós, meros mortais, nossos ídolos são eternos, figuras grandiosas que viverão eternamente. Porém, nesta segunda-feira, 22 de junho, Horner foi tirado de nós de forma abrupta e brutal. O homem cuja música embalou a trilha sonora da minha vida e a de milhões de scoretrackers espalhados pelo mundo afora não iria mais nos presentear com novos trabalhos. Porém, quem disse que ele não viverá para sempre? Continuar lendo James Horner: Homenagem de um Fã

James Horner morre em queda de avião


horner2James Horner, um dos mais importantes compositores contemporâneos do Cinema, faleceu ontem, 22 de junho, quando seu avião particular por ele mesmo pilotado, um Tucano para dois lugares, caiu a 90 quilômetros ao norte de Santa Barbara, Califórnia. Não havia outra pessoa a bordo. Horner compôs as trilhas sonoras de dois dos filmes com maior bilheteria da história, Titanic e Avatar. Ele recebeu dois Oscars (Melhor Trilha Sonora e Melhor Canção) por Titanic, além de ter sido indicado pelos filmes Aliens – O Resgate, Fievel – Um Conto Americano, Campo dos Sonhos, Coração ValenteApolo 13, Uma Mente Brilhante, Casa de Areia e NévoaAvatar. Outros trabalhos memoráveis de Horner foram Jornada nas Estrelas II: A Ira de Khan, Krull, Coccoon, Comando Para Matar, Rocketeer e Tróia, entre muitos. Ele já havia completado os scores dos dramas ainda inéditos Southpaw e The 33. Trágica e prematura perda de um profissional que, sem dúvida, ainda poderia enriquecer os filmes com a sua arte por muitos anos. Descanse em paz James.