Philip Glass em Porto Alegre no dia 1º de setembro


Compositor de óperas, concertos, rock, música eletrônica, trilhas sonoras de grandes filmes, Philip Glass é um icone da música minimalista do século XX
Compositor de óperas, concertos, rock, música eletrônica, trilhas sonoras de grandes filmes, Philip Glass é um ícone da música minimalista do século XX

Com fama de gênio musical, o compositor estadunidense Philip Glass já produziu inúmeros trabalhos entre óperas, sinfonias, concertos, trilhas sonoras para filmes e trabalhos em colaboração com outros compositores. Tem dois filhos e reside em Nova Iorque, nos Estados Unidos, e em Nova Escócia, no Canadá. Glass, sua música e seu estilo alternativo de encarar a vida estarão no dia 1º de setembro no Fronteiras do Pensamento Copesul Braskem, no Salão de Atos da UFRGS, em Porto Alegre.

Glass tem seu público dividido. De um lado estão os que gostam da sua música porque é clássica, e de outro os que gostam justamente porque não o é. Um paradoxo que agrada ao músico da Philip Glass Ensemble, porque tem a ver com sua história pessoal. “O meu pai tinha uma pequena loja de discos, muito diferente das que existem hoje. Trabalhei na loja a partir dos 12 anos, e então escutei toda a música que por lá havia, fosse música country, blues, fosse clássica, contemporânea ou jazz. Tudo me era familiar. O que me importava mais era a qualidade da invenção e a espontaneidade da expressão”, disse certa vez Glass em entrevista.

Philip Glass fez parte do movimento inicial da corrente minimalista repetitiva, a qual despontou no final dos anos 1960 como reação crítica ao serialismo de alguns compositores. No final da década Philip forma seu próprio grupo. O Philip Glass Ensemble começa a tocar principalmente em galerias de arte e outros ambientes underground. Foram tempos duros para o compositor. Ele teve que trabalhar como taxista e reparador de eletrodomésticos ao mesmo tempo em que continuava compondo e interpretando. Seu reconhecimento começou a partir de sua colaboração com o cenógrafo minimalista Robert Wilson, com quem realizou a ópera experimental Einstein on the Beach, um manifesto antinuclear com libreto escrito por um psicótico onde cada elemento clássico do gênero operístico é renovado e alterado de modo consciente. Contudo, a fama internacional e certo status de gênio musical chegariam pelo filme experimental Koyaanisqatsi, dirigido por Godfrey Reggio e produzido por Francis Ford Coppola.

Além de Einstein on the Beach, entre as óperas produzidas por Glass podemos citar Satyagraha (1980), baseada na vida de Mahatma Gandhi, que inclui diversos mantras. Compôs também a ópera Itaipu (1989), referindo-se a usina de mesmo nome, que possui texto em guarani. Também é dele Days and Nights in Rocinha (1997), que foi escrita após uma visita de Glass ao Brasil, na favela da Rocinha, no Rio de Janeiro. Além de trabalhos sinfônicos, o compositor também possui fortes ligações com rock e música eletrônica. Glass recebeu diversas premiações. Foi três vezes candidato ao Oscar na categoria de melhor trilha sonora com os filmes Kundun (1997), As Horas (2002) e Diário de um Escândalo (2006). Em 2002, ganhou o prêmio BAFTA na categoria melhor música (As Horas). Indicado diversas vezes ao Globo de Ouro, levou o prêmio em 1999 pela trilha do filme O Show de Truman (1998).

Os indicados ao WORLD SOUNDTRACK AWARDS 2008


Os indicados aos prêmios World Soundtrack Awards 2008 são:
 
FILM COMPOSER of the YEAR
 
o ALEXANDRE DESPLAT (THE GOLDEN COMPASS)
o JAMES NEWTON HOWARD (CHARLIE WILSON’S WAR, MICHAEL CLAYTON, I AM LEGEND)
o ALBERTO IGLESIAS (THE KITE RUNNER)
o DARIO MARIANELLI (ATONEMENT)
o JOHN POWELL (THE BOURNE ULTIMATUM)
 
BEST ORIGINAL SCORE of the YEAR
 
o 3:10 TO YUMA – MARCO BELTRAMI
o ATONEMENT – DARIO MARIANELLI
o THE KITE RUNNER – ALBERTO IGLESIAS
o THERE WILL BE BLOOD – JONNY GREENWOOD
o WALL-E – THOMAS NEWMAN
 
BEST ORIGINAL SONG WRITTEN DIRECTLY FOR FILM
 
o “DESPEDIDA’ – “Love in the time of cholera” (Antonio Pinto, Shakira) 
o “DOWN TO EARTH” – Wall-E” (Thomas Newman, Peter Gabriel) 
o “DO YOU FEEL ME” – “American Gangster” (Diane Warren) 
o “GUARANTEED” – “Into the Wild” (Eddie Vedder) 
o “A HERO COMES HOME” – “Beowulf” (Glen Ballard, Alan Silvestri)
 
Os prêmios serão entregues na 8ª edição do World Soundtrack Awards, no dia 18 de outubro de 2008. Os indicados na categoria World Soundtrack Discovery 2008 serão anunciados dia 02 de setembro.
 
Mais informações: www.worldsoundtrackacademy.com

Autobiografia de Lalo Schifrin lançada nos EUA


A editora Scarecrow Press está lançando a autobiografia do grande músico de jazz e compositor de trilhas sonoras Lalo Schifrin.  O livro “Mission Impossible: My Life in Music“, editado por Richard Palmer, cobre a jornada de Schifrin desde sua formação musical na Argentina, passando pelo período clássico e jazz na Paris dos anos 1950, a carreira na banda de Dizzy Gillespie e seu desenvolvimento como compositor de séries de TV e filmes.  Continuar lendo Autobiografia de Lalo Schifrin lançada nos EUA

Atualizações do site ScoreTrack.net – 15/08/2008


Confira as atualizações da semana no site ScoreTrack.net:

Lançamentos
As seguintes trilhas sonoras chegaram nas lojas online internacionais:
DEATH RACE – Paul Haslinger (Intrada MAF 7104) – 41:10
THE FOUR MUSKETEERS (Expandido) – Lalo Schifrin (Label X LXCD 16)
MGM SOUNDTRACK TREASURY – Vários (FSM BOX 03, 12 CDs)
NIGHT DIGGER (Relançamento) – Bernard Herrmann (Label X LXCD 1002)

DVDs/BDs Comentados
Adicionada a resenha de AKIRA – EDIÇÃO ESPECIAL 20 ANOS WIDESCREEN

Primeira Impressão
SHOW DE BOLA – Neste drama nacional que estréia dia 15 de agosto, como em várias outras crias do estilo “cinema de violência”, todos os personagens parecem inseridos em um mar de violência e corrupção do qual não há como escapar

CD NEWS: FSM, La-La Land, Rounder


Film Score Monthly
Agosto 2008:
THE MGM SOUNDTRACK TREASURY (Vários, 12 CDs, conforme listado)

  1. THE APARTMENT (Adolph Deutsch), THE FORTUNE COOKIE (Andre Previn)
  2. HOW TO MURDER YOUR WIFE, DUEL AT DIABLO (both by Neal Hefti)
  3. THE RUSSIANS ARE COMING, THE RUSSIANS ARE COMING (Johnny Mandel), THE FUGITIVE KIND (Kenyon Hopkins)
  4. A RAGE TO LIVE (Nelson Riddle), GOODBYE AGAIN (Georges Auric)
  5. THE HAPPY ENDING (Michel Legrand)
  6. THE HAPPY ENDING (Michel Legrand)
  7. BILLION DOLLAR BRAIN (Richard Rodney Bennett), SHAKE HANDS WITH THE DEVIL (William Alwyn)
  8. THE CHARGE OF THE LIGHT BRIGADE, THE HONEY POT (John Addison)
  9. PUSSYCAT, PUSSYCAT, I LOVE YOU (Lalo Schifrin)
  10. THE HILLS RUN RED, HORNETS’ NEST (Ennio Morricone)
  11. THE 7TH DAWN, THE GLORY GUYS (Riz Ortolani)
  12. HANNIBAL BROOKS (Francis Lai), THE FINAL OPTION (Roy Budd)

Setembro 2008:
SHAFT ANTHOLOGY: HIS BIG SCORE AND MORE! (Vários, 3 CDs, conforme listado)

  1. SHAFT (Isaac Hayes, score original)
  2. SHAFT’S BIG SCORE / SHAFT TV SERIES (Gordon Parks / Johnny Pate)
  3. SHAFT TV SERIES (Johnny Pate)

La-La Land Records – 19/08/2008: BLAZING SADDLES (John Morris), THE MESSENGERS (Joseph LoDuca), EUREKA (TV, Bear McCreary)

Rounder Records – BUFFY, THE VAMPIRE SLAYER -THE SCORE (TV, Christophe Beck, 09/09/2008)

Homenagem a Pedro Almodóvar em São Paulo


Pedro Almodóvar e a estrela de VOLVER, Penélope Cruz
Pedro Almodóvar e a estrela de VOLVER, Penélope Cruz

Para celebrar o aniversário do cineasta espanhol Pedro Almodóvar, a ser comemorado no dia 24 de setembro, o grupo Gran Gang apresentará,  nos dias 13 e 14, o show “Un Año de Amor – Nas Trilhas de Almodovar”, no qual interpreta músicas das trilhas sonoras de seus filmes.

O repertório reúne tangos, boleros e rancheras, como “Volver” (música-tema do filme homônimo), “Cucurrucucu, Paloma!” (de “Fale com Ela”), “Quizás, Quizás, Quizás” (de “Má Educação”) e “Espérame en el Cielo” (de “Matador”), entre outras canções que foram eternizadas nas vozes de Chavela vargas, Lucho Gatica, Bola de Nieve, Carlos Gardel, La Lupe e Los Panchos, ícones da música latina.

A Gran Gang é formada por Eloísa Leão (voz), Jose Cardoso (voz), Aloísio Oliver (acordeón), Andréa Salinas (violino) e Daniel Garroux (violão). As apresentações terão lugar no Teatro do Ator (Praça Roosevelt, 172 – Centro – fone 3257-2264), nos dias 13/9 (às 21h30) e 14/9 (às 21 horas), com ingressos a R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia).

Morre Isaac Hayes


Isaac Hayes recebe seu Oscar pelo tema do filme SHAFT
Isaac Hayes recebe seu Oscar pela canção-tema do filme SHAFT

Isaac Hayes, um dos maiores intérpretes da soul music norte-americana a partir dos anos 1970, morreu aos 65 anos na madrugada deste domingo em Memphis, no Tennesse. O cantor foi o primeiro artista afro-americano a ganhar um Oscar de melhor canção original pelo filme Shaft, de Gordon Parks. Hayes foi encontrado inconsciente próximo a uma esteira ergométrica em sua casa, segundo contou à polícia o porta-voz do artista, Steve Schular. Uma equipe de paramédicos tentou reanimá-lo, mas o cantor não resistiu e morreu a caminho do hospital. A causa da morte ainda não foi divulgada. Segundo a polícia, não há indícios de crime. Continuar lendo Morre Isaac Hayes

Cinema, DVD, Blu-ray, Trilhas Sonoras

%d blogueiros gostam disto: