Na Trilha: A Sinfonia de OS PÁSSAROS


Sobrevoando a poderosa indústria de Hollywood em 1963, surge uma obra marcante do mundo do suspense que ainda continua gerando discussões e fazendo florescer diferentes leituras: “Os Pássaros” (The Birds) de Alfred Hitchcock. Continuar lendo “Na Trilha: A Sinfonia de OS PÁSSAROS”

Anúncios

Hitchcock: Música para Matar


Aquela figura inconfundivelmente rechonchuda, vestindo um terno escuro, que semanalmente visitava nossas casas através da tela do televisor e nos saudava com um lacônico “Boa tarde”, era o homem que praticamente inventou o medo no cinema. Nos referimos, é claro, ao Mestre do Suspense Sir Alfred Hitchcock, que sempre fará jus às nossas homenagens. Este artigo pretende realizar um rápido passeio por sua filmografia, detendo-se especialmente naqueles músicos que acompanharam seu trabalho de forma destacada. Continuar lendo “Hitchcock: Música para Matar”

Na Trilha: A Música da Série VIAGEM AO FUNDO DO MAR


Aqueles que cresceram entre as décadas de 1960 a 1980 tem boas lembranças de muitas séries clássicas norte-americanas, que foram transmitidas e bastante reprisadas na televisão brasileira. Além de episódios e personagens inesquecíveis, muitas dessas séries também permanecem na memória … Continuar lendo Na Trilha: A Música da Série VIAGEM AO FUNDO DO MAR

Perfil: Alex North (1910-1991)


Alex North

O dia 8 de setembro de 2017 marcou o 26º aniversário da morte de Alex North, que apesar de não possuir a mesma popularidade de outros seus colegas contemporâneos, é considerado pelos críticos como um dos maiores compositores da moderna música para o cinema. North nasceu em Chester, Pennsylvania, EUA, em 4 de dezembro de 1910, filho de pais que emigraram da Rússia. Seus primeiros anos em Chester foram de muita dificuldade, principalmente após a morte do seu pai. Mesmo assim, os extraordinários e reconhecidos dotes musicais do jovem lhe garantiram convites para estudar no Curtis Institute e na Julliard School. De 1932 a 1940, North estudou com renomados compositores de todo o mundo, como Anton Weprik, Victor Bielyi, Silvestre Revueltas, Aaron Copland e Ernst Toch. Nessa época ele foi diretor musical do Latvian State Theatre e lecionou nas universidades de Bennington, Briarcliff e Finch. Além disso, compôs balés para Martha Graham, Hanya Holm, Agnes de Mille e Anna Sokolow. Continuar lendo “Perfil: Alex North (1910-1991)”

Na Trilha: Alguns Sagrados Ensinamentos dos Grandes Mestres


O processo de composição musical para cinema – seja longa, curta, publicitário, documentário, etc – é um exercício único de precisão, bom senso, versatilidade, paciência e talento. Em alguns casos, também é importante uma boa dose de bom humor, de experiência, e até de fé… Continuar lendo “Na Trilha: Alguns Sagrados Ensinamentos dos Grandes Mestres”

Perfil: DANNY ELFMAN


Square version of Danny Elfman.jpg.
Danny Elfman

Dentre todos os compositores atualmente trabalhando em Hollywood, o norte-americano Danny Elfman é um dos que possui o maior número de fãs. Graças ao seu estilo único, no qual diferentes gêneros musicais convivem em harmonia, ele também obteve o reconhecimento da crítica, tornando-se um compositor requisitado. Continuar lendo “Perfil: DANNY ELFMAN”

Na Trilha: Retrospectiva 2016 – Parte 3


As melhores ScoreTracks de 2016

Em todas as grandes trilhas, existem algumas composições em particular que se destacam. Seja por sua ótima qualidade musical, seja por acompanharem cenas marcantes, ou ainda por uma combinação de ambos, algumas faixas (como os Main Titles de Star Wars e a The Assassination de Psicose) acabam por entrar em nosso imaginário coletivo cinéfilo e se tornam as maiores representantes de suas respectivas trilhas. Continuar lendo “Na Trilha: Retrospectiva 2016 – Parte 3”

Na Trilha: Retrospectiva 2016 – Parte 2


Sete trilhas ao redor do mundo de 2016 que você precisa conhecer

Acha que a Música de Cinema só existe em Hollywood? Pense novamente: existem trilhas de excelente qualidade sendo produzidas em todos os cantos do planeta, que não deixam nada a dever aos scores para os grandes blockbusters norte-americanos. Assim, conheça algumas das melhores trilhas compostas fora do cinema hollywoodiano, lançadas ao longo do ano passado. E o melhor: todas disponíveis para serem ouvidas em serviços de streaming, como o Spotify, por exemplo. Continuar lendo “Na Trilha: Retrospectiva 2016 – Parte 2”

Na Trilha: Retrospectiva 2016 – Parte 1


As Melhores Trilhas Sonoras de 2016 

2016 foi um ano agitado, na política, no cinema, e também no mundo das trilhas sonoras. Tivemos grandes trilhas de compositores consagrados e de novatos, surpresas e decepções, a reafirmação de novos talentos e a confirmação de que os mais experientes ainda tem muitas surpresas guardadas na manga. Continuar lendo “Na Trilha: Retrospectiva 2016 – Parte 1”

Na Trilha: LEGEND – A História de um Score Lendário


legendposterAntes de Thelma & Louise, antes de 1492: A Conquista do Paraíso, e muito antes de Gladiator ou de Cruzada, o premiado diretor Ridley Scott teve sob sua lupa de realizador um filme fora do comum. Uma história sobre o Bem e o Mal, sobre a Luz e a Escuridão. Uma história de amor. Para ser exato, um conto de fadas. Essa fantástica aventura se chamou A Lenda (Legend). Continuar lendo “Na Trilha: LEGEND – A História de um Score Lendário”

Perfil: ISAAC HAYES (1942 – 2008)


isaac-hayesIsaac Hayes, um dos maiores intérpretes da soul music a partir dos anos 1970, nasceu no dia 20 de agosto de 1942, em Covington, no Tennesse. Ele perdeu os pais ainda na infância e foi criado pelos avós. Hayes foi durante muitos anos compositor e arranjador da gravadora Stax Records, em Memphis. Ele também foi backing vocal de artistas como Otis Redding e Sam & Dave, nos anos 1960. Continuar lendo “Perfil: ISAAC HAYES (1942 – 2008)”

Na Trilha: Retrospectiva 2015 – Parte 2


As melhores ScoreTracks de 2015

Tal como foi em 2013 e 2014, eis a playlist com as melhores faixas que o ano que passou teve a oferecer. Tem para todos os gostos: desde a acidental (porém gloriosa) despedida de um veterano, até as sensacionais reintroduções a franquias já estabelecidas, de temas heroicos e muita ação a um sofisticado tema para vilões. Em pleno 2015, é um alívio perceber que aventura no melhor estilo capa e espada e melodias capazes de arrancar lágrimas de uma pedra ainda sobrevivem bravamente, enquanto viagens pelas planícies nevadas dos EUA no pós-Guerra Civil, por Marte e pelo deserto de Jakku foram acompanhadas por música de ótima qualidade. Além disso, é interessante perceber como mesmo trilhas que não gostei tanto podem ser salvas por uma única faixa espetacular, enquanto outros bons scores do ano como O Destino de Júpiter (Jupiter Ascending, 2015), Terremoto: A Falha de San Andreas (San Andreas, 2015) e O Agente da U.N.C.L.E. (The Man from U.N.C.L.E., 2015), ainda que consistentes, não ofereceram nenhum cue tão especial que se destacasse aqui. Continuar lendo “Na Trilha: Retrospectiva 2015 – Parte 2”

Na Trilha: Retrospectiva 2015 – Parte 1


As Melhores Trilhas Sonoras de 2015

Serei sincero: uma das coisas de que menos gosto, mas que são extremamente populares nos meses de dezembro e janeiro, são as infames listas de “melhores do ano”. Por toda a internet, costumam pipocar listas de melhores para filmes, séries, livros, quadrinhos, games e… trilhas sonoras. Afinal, todo reviewer tem seus scores preferidos do ano, porém, justamente por causa de minha resistência com tais posts, me abstive de compilar as minhas preferidas dos anos anteriores. Este ano, porém, decidi reverter essa tendência pois, goste eu ou não, as listas podem ser também divertidos exercícios de comparação de gostos e de troca de experiências. Uma pessoa pode ter escutado uma trilha (ou lido um livro, assistido um filme, etc.) que a outra não conhece, e por aí vai. Continuar lendo “Na Trilha: Retrospectiva 2015 – Parte 1”

Na Trilha: Ouvindo 007 – DIE ANOTHER DAY, CASINO ROYALE, QUANTUM OF SOLACE (Parte 7)


Antecedendo à chegada, aos cinemas, do novo filme de James Bond, 007 Contra Spectre, na parte final desta série de resenhas concluímos a viagem pelo universo musical do agente secreto mais famoso – e longevo – da história do cinema. O ano primeiramente indicado refere-se à edição da trilha sonora comentada, e não ao lançamento do filme.

Leia a Parte 1 – Leia a Parte 2 – Leia a Parte 3 – Leia a Parte 4 – Leia a Parte 5 – Leia a Parte 6

dieanotherday007 – Um Novo Dia Para Morrer (Die Another Day, David Arnold, 2002, star_3_5) –   Em 2002, quatro décadas e vinte filmes depois, o agente secreto inglês com permissão para matar chegou com fôlego aos cinemas para atrair multidões e enfrentar a moderna concorrência. 007 – Um Novo Dia para Morrer mostrou que os produtores, ao longo dos anos, têm buscado preservar as características do personagem, ao mesmo tempo em que sutilmente adaptam Bond e suas aventuras às mudanças políticas e de costumes que vão ocorrendo. Continuar lendo “Na Trilha: Ouvindo 007 – DIE ANOTHER DAY, CASINO ROYALE, QUANTUM OF SOLACE (Parte 7)”

Na Trilha: Ouvindo 007 – TOMORROW NEVER DIES, THE WORLD IS NOT ENOUGH (Parte 6)


Antecedendo à chegada, aos cinemas, do novo filme de James Bond, 007 Contra Spectre, nesta série de resenhas iremos levá-lo a uma viagem pelo universo musical do agente secreto mais famoso – e longevo – da história do cinema. O ano primeiramente indicado refere-se à edição da trilha sonora comentada, e não ao lançamento do filme.

Leia a Parte 1 – Leia a Parte 2 – Leia a Parte 3 – Leia a Parte 4 – Leia a Parte 5

tnd007 – O Amanhã Nunca Morre (Tomorrow Never Dies, David Arnold, 1997, star_4) –   Depois das inovações de Eric Serra em Goldeneye, que não agradaram, os produtores da mais longa série do cinema resolveram retornar ao clássico “Bond Sound”,  celebrizado nos anos 1960 e 1970 por John Barry, e por conseqüência foi gerado um grande interesse a respeito do compositor que seria designado para compor a trilha sonora do filme seguinte, O Amanhã Nunca Morre. Definitivamente esta matéria se havia convertido em um elemento crítico. Também houve o temor (infundado) de que Serra continuaria na função, já que os produtores jamais se pronunciaram formalmente a respeito do decepcionante trabalho daquele compositor, situação que foi entendida como conformidade (um dos fatos que gerou este temor foi a musicalização do trailer de Tomorrow Never Dies). Continuar lendo “Na Trilha: Ouvindo 007 – TOMORROW NEVER DIES, THE WORLD IS NOT ENOUGH (Parte 6)”

Na Trilha: Ouvindo 007 – THE LIVING DAYLIGHTS, LICENCE TO KILL, GOLDENEYE (Parte 5)


Antecedendo à chegada, aos cinemas, do novo filme de James Bond, 007 Contra Spectre, nesta série de resenhas iremos levá-lo a uma viagem pelo universo musical do agente secreto mais famoso – e longevo – da história do cinema. O ano primeiramente indicado refere-se à edição da trilha sonora comentada, e não ao lançamento do filme.

Leia a Parte 1 – Leia a Parte 2 – Leia a Parte 3 – Leia a Parte 4


livingCD007 – Marcado Para a Morte 
(The Living Daylights, John Barry, 2003, star_4) – The Living Daylights foi a última trilha sonora que John Barry compôs para a famosa série, e há o consenso de que se trata de um de seus melhores trabalhos para Bond. Este filme marcou a estréia de Timothy Dalton no papel do agente secreto. Dalton, vinte anos mais jovem que Roger Moore, trouxe à série ares novos e dinâmicos, mas também um lado mais sombrio e realista. John Barry aproveitou este novo cenário para introduzir algumas modificações no estilo musical que havia utilizado durante todo o período de Roger Moore. Em Marcado Para a Morte tivemos sonoridades mais modernas e rápidas, com novos estilos de instrumentação, entre os quais se destacou fortemente a incorporação de sintetizadores. Dado o sucesso obtido pela canção principal de Na MIra dos Assassinos, os produtores novamente insistiram com uma banda da moda para interpretar a canção dos créditos iniciais. A escolha recaiu no grupo norueguês a-ha para interpretar o tema “The Living Daylights”, composto por John Barry e Paul Waaktaar (membro do grupo). Continuar lendo “Na Trilha: Ouvindo 007 – THE LIVING DAYLIGHTS, LICENCE TO KILL, GOLDENEYE (Parte 5)”

Na Trilha: Ouvindo 007 – FOR YOUR EYES ONLY, OCTOPUSSY, A VIEW TO A KILL (Parte 4)


Antecedendo à chegada, aos cinemas, do novo filme de James Bond, 007 Contra Spectre, nesta série de resenhas iremos levá-lo a uma viagem pelo universo musical do agente secreto mais famoso – e longevo – da história do cinema. O ano primeiramente indicado refere-se à edição da trilha sonora comentada, e não ao lançamento do filme.

Leia a Parte 1 – Leia a Parte 2 – Leia a Parte 3

fyeoCD007 – Somente Para os Seus Olhos (For Your Eyes Only, Bill Conti, 2003, star_3) – Em 1981 John Barry novamente não estava disponível para compor a música para 007 – Somente Para os Seus Olhos, e ele mesmo sugeriu como seu substituto o músico norte-americano Bill Conti. Na ocasião, Conti já se aproximava dos quarenta anos e sua carreira havia sido bastante irregular, tendo como trabalho mais destacado a trilha sonora do filme Rocky e três de suas continuações. Em 1983 Conti conquistou o Oscar por sua partitura para o filme Os Eleitos, e posteriormente compôs a música para películas como a trilogia Karatê Kid, Mestres do Universo, alguns filmes de Sylvester Stallone e algumas comédias de Leslie Nielsen. Possivelmente For Your Eyes Only tenha sido a grande chance de Conti para consolidar-se, porém isto não ocorreu, já que esta trilha sonora em hipótese nenhuma pode ser considerada uma das melhores da série. Continuar lendo “Na Trilha: Ouvindo 007 – FOR YOUR EYES ONLY, OCTOPUSSY, A VIEW TO A KILL (Parte 4)”