Resenha de Filme: ÀS CEGAS


Gênero: Ficção Científica, Suspense
Duração: 124 min.
Elenco: Sandra Bullock, Trevante Rhodes, John Malkovich, Sarah Paulson, Rosa Salazar, BD Wong
Trilha Sonora Original: Trent Reznor, Atticus Ross
Roteiro: Eric Heisserer, Josh Malerman
Direção: Susanne Bier
Cotação:

Dirigido por Susanne Bier, da ótima minissérie O GERENTE DA NOITE (The Night Manager, 2016), o longa original da Netflix ÀS CEGAS (Bird Box, 2018) mostra a personagem de Sandra Bullock em um futuro apocalíptico, tentando chegar a um lugar seguro, por rio, levando duas crianças de cinco anos.

Durante sua jornada de barco acompanhamos, inclusive através de muitos flashbacks, Malorie (Bullock) em meio a um inexplicável fenômeno mundial no qual as pessoas, após enxergarem entidades invisíveis ao espectador, são levadas ao suicídio. Os poucos sobreviventes logo descobrem que sua única chance de sobrevivência é usar vendas que os impeçam de ver as criaturas.

ÀS CEGAS, trazendo uma premissa instigante e momentos competentes de suspense, acaba sendo o melhor filme original no gênero da Netflix – que normalmente se sai bem melhor na produção de séries. O elenco é interessante, combinando os “pesos pesados” Bullock, John Malkovich e Sarah Paulson com bons coadjuvantes como Trevante Rhodes, Rosa Salazar e BD Wong.

Dito isto, chegamos ao final com a sensação de que faltou alguma coisa, uma resolução mais satisfatória. O fenômeno que está levando a humanidade à extinção nunca é claramente explicado, ficando apenas subentendido que se tratam de demônios que, de uma hora para a outra, surgiram em nossa realidade. Além disso, sentimos falta de um melhor desenvolvimento de alguns personagens, rapidamente descartados em prol de levar a trama à sua conclusão.

Porém, sem dúvida o maior problema de ÀS CEGAS é ser demasiadamente parecido com o bem-sucedido – e superior – UM LUGAR SILENCIOSO (A Quiet Place, 2018). Como naquele filme, temos uma protagonista que, para sobreviver e proteger dois filhos de criaturas de outro mundo, deve se privar de um sentido ou de uma capacidade. Há o atenuante de que ÀS CEGAS baseia-se no livro homônimo de Josh Malerman, publicado em 2014 – quatro anos antes do longa co-escrito e dirigido por John Krasinski. Portanto, a questão de quem “se inspirou” em quem fica em aberto.

Jorge Saldanha

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s