Na Trilha: A Música da Série VIAGEM AO FUNDO DO MAR


David Hedison (Capitão Crane) e Richard Basehart (Almirante Nelson) na série Viagem ao Fundo do Mar

Aqueles que cresceram entre as décadas de 1960 a 1980 tem boas lembranças de muitas séries clássicas norte-americanas, que foram transmitidas e bastante reprisadas na televisão brasileira. Além de episódios e personagens inesquecíveis, muitas dessas séries também permanecem na memória graças a temas de abertura e trilhas sonoras marcantes, e uma das minha preferidas é Viagem ao Fundo do Mar. A série acompanha as aventuras então futurísticas (era ambientada entre os anos 1970 e início da década seguinte) da tripulação do submarino nuclear Seaview, enfrentando espiões, sabotadores, alienígenas, cientistas loucos, monstros e criaturas sobrenaturais de vários tipos.

Paul Sawtell

A história da série, que durou quatro temporadas originalmente exibidas nos EUA de 1964 a 1968, começou em 1961, quando o produtor e diretor Irwin Allen (1916-1991) lançou o longa de alto orçamento Viagem ao Fundo do Mar. O filme teve ótima repercussão, e Allen, um grande adepto da reciclagem, resolveu capitalizar seu sucesso sem gastar muito: no lugar de uma continuação cinematográfica, criou uma série de televisão em preto e branco, utilizando cenários, miniaturas e cenas do longa, porém com outro elenco.

O compositor original, o experiente Paul Sawtell (cujo currículo inclui vários westerns, séries de TV e clássicos cult de ficção científica como A Mosca da Cabeça Branca), permaneceu na 1ª temporada, para a qual criou o novo tema de abertura e as trilhas incidentais de sete episódios: “Eleven Days to Zero” (1964), “The City Beneath the Sea” (1964), “The Village of Guilt” (1964), “Hot Line” (1964), “Submarine Sunk Here” (1964), “Long Live the King” (1964) e “The Exile” (1965)

Seu tema, “The Seaview Theme”, é simplesmente memorável. Sua vibrante fanfarra de metais, acompanhada de cordas e harpas (além do som característico do sonar do Seaview, ouvido na abertura dos episódios), representa as épicas aventuras do submarino e possui um tom definitivamente otimista. O tema fez sua estreia no episódio piloto da série, “Eleven Days to Zero”, para o qual Sawtell aproveitou trechos da trilha sonora original do filme de 1961 – como um motivo de perigo normalmente ouvido em cenas de perseguição submarina. Apesar do trabalho competente de Sawtell, sua maior contribuição musical para a série foi mesmo o tema do Seaview e suas variações ouvidas durante os episódios.

Lionel Newman

Eventualmente eram reutilizadas nos episódios trilhas sonoras retiradas dos arquivos da 20th Century Fox, como a composta por Bernard Herrmann para o clássico O Dia em que a Terra Parou (1951), mas a regra era empregar material original. Além de Sawtell, outros ótimos compositores criaram underscores especificamente para a série, como Lennie Hayton, Hugo FriedhoferAlexander CourageMorton Stevens, Leith Stevens e o grande Jerry Goldsmith, que na época já fazia sua transição da TV para tornar-se um dos grandes compositores do Cinema. O supervisor musical e regente, como na época era comum nos filmes e séries da Fox, foi Lionel Newman (irmão mais novo do lendário Alfred Newman), que também compôs transições musicais baseadas na música de Sawtell para acompanhar os créditos pós-tema de alguns episódios da 2ª temporada e até o início da 3ª.

Dentre todos os compositores que trabalharam na série, pinço três que, na minha opinião – tema de Sawtell à parte – forjaram o som típico de Viagem ao Fundo do Mar: Jerry Goldsmith, Alexander Courage e Leith Stevens.

Jerry Goldsmith

Jerry Goldsmith, cuja extensa obra cinematográfica inclui clássicos da ficção científica como Planeta dos Macacos, Alien e filmes da franquia Star Trek, é um caso literalmente singular: ele musicou apenas um episódio, “Jonah and the Whale” (1965), mas este trabalho foi marcante. Para este episódio de estreia da 2ª temporada, agora a cores, Goldsmith compôs um novo tema de abertura, mais lento e sério, com efeitos de teclados eletrônicos, totalmente oposto ao de Sawtell. Mas Irwin Allen achou que este tema sombrio não combinava com o colorido da nova temporada, e manteve o original nos episódios restantes da série.

O detalhe é que, apesar de rejeitado, o tema de três notas de Goldsmith não só é parte essencial da excelente trilha de ação e suspense do episódio, como também acabou sendo aproveitado por outros compositores em diversos episódios da 2ª temporada, como por exemplo Nelson Riddle em uma versão jazzística ouvida no início de “Escape From Venice”. E a própria música incidental de Goldsmith, especialmente a que acompanha a aproximação e os ataques do cachalote pré-histórico, foi bastante utilizada posteriormente, tornando-se uma das mais memoráveis e características “músicas de monstro” da série. Até hoje tenho arrepios ao ouvir uma faixa como “Collision Course I/Collision Course II/Diving Party/Going Down”. A cue “Home Free Part II”, onde o tema de Goldsmith ganha um tom mais épico, similar ao de Sawtell, acompanhou o encerramento de muitos episódios a partir daí.

Alexander Courage

Já Alexander Courage, que no mesmo período compôs o tema principal e a trilha do piloto original da Série Clássica de Star Trek, escreveu as trilhas de seis episódios, que incluem “The Fear-Makers” (1964), “The Price of Doom” (1964, o primeiro episódio de monstro da série), “The Lost Bomb” (1966) e “Flaming Ice (1968). Destes, há dois cuja força dramática da música se destaca, levando à sua reutilização em vários outros episódios: “The Cyborg” (1965) e “Leviathan” (1965). O primeiro, no qual um cientista insano que cria um exército de ciborgues capazes de replicar a aparência humana, traz um score memorável por sua fanfarra e sons eletrônicos que remetem aos filmes de ficção científica dos anos 1950. A fanfarra e o eletrizante trecho que acompanha a morte do vilão foi novamente empregado em momentos decisivos de vários outros episódios.

Por sua vez, “Leviathan” emprega acordes lentos e majestosos para acompanhar a criatura do título – um cientista que, em consequência de emanações radioativas de um vulcão submarino, adquire dimensões gigantescas e enfrenta o Seaview num combate mano a mano. A música é especialmente eficaz em transmitir o tamanho descomunal e a ameaça da criatura, e obviamente esta trilha serviu de acompanhamento para várias outras criaturas gigantes que viriam a surgir na série. Durante seu contrato com Allen, Courage também compôs trilhas incidentais para outras séries clássicas do produtor, como Perdidos no Espaço, Túnel do Tempo e Terra de Gigantes.

Leith Stevens

Por fim, Leith Stevens, cujo currículo, a exemplo de Paul Sawtell, também inclui séries de TV e cults de ficção científica como Destino à Lua Guerra dos Mundos, compôs as trilhas sonoras de nada menos que nove episódios distribuídos entre as quatro temporadas da série: “Time Bomb” (1965), “The Left-Handed Man” (1965), The “X Factor (1965)”, “Monster from the Inferno” (1966), “Death from the Past” (1967), “A Time to Die” (1967), “Blow Up” (1967), “Terrible Leprechaun” (1968) e “Man-Beast” (1968). Destes, considero “Monster from the Inferno” o mais marcante. É uma trilha cujo estilo também remete diretamente aos scores dos clássicos do gênero da década de 1950, com timbres eletrônicos “de outro mundo” usados para representar o cérebro alienígena que assume o controle do Seaview. Assim como Courage, Stevens também compôs trilhas para as séries Perdidos no Espaço, Túnel do Tempo e Terra de Gigantes.

Infelizmente, apenas uma pequena fração da música original da série foi lançada em disco. Em 1997 o selo GNP Crescendo lançou um box com seis CDs derivado do documentário The Fantasy Worlds Of Irwin Allen, dos quais apenas um foi dedicado a Viagem ao Fundo do Mar. Como você confere na lista de faixas abaixo, ele continha o tema de Sawtell e seu score para o piloto “Eleven Days To Zero”, bem como o tema de Goldsmith e sua trilha para o episódio “Jonah and the Whale”:

  1. Voyage to the Bottom of the Sea (Main Title) (:29)
  2. Murderous Pursuit (2:54)
  3. Ocean Floor Search/Squid Fight (5:34)
  4. Solid Ice (1:48)
  5. Lost/Job Well Done (3:35)
  6. End Title (The Seaview Theme) (:40)
  7. Jonah and the Whale (Main Title) (:30)
  8. A Whale of a Whale/Thar She Blows/A Whale of a Time/The Second Dive (4:23)
  9. A Meal Fit for a Whale/Crash Dive/Sub Narcotics (4:18)
  10. Collision Course I/Collision Course II/Diving Party/Going Down (4:44)
  11. Home Free Part I/Home Free Part II (3:58)
  12. Jonah and the Whale (End Credit) (:50)

Enquanto nenhuma gravadora se decide a vasculhar os arquivos da Fox em busca das masters originais destas joias musicais (se é que ainda existem) para lançá-las em disco ou formato digital, é possível pesquisar na internet e encontrar pelo menos parte deste material extraído diretamente dos episódios, como as suítes abaixo:

Jorge Saldanha

Anúncios

Um comentário sobre “Na Trilha: A Música da Série VIAGEM AO FUNDO DO MAR

  1. Tenho a honra de ter o cd de Viagem ao Fundo do Mar da Crescendo e Lost in Space. Maravilhosa resenha para os saudosistas que lembram o tempo em que , tanto na tv quanto no cinema, tínhamos verdadeiras trilhas sonoras…agora… Abraço a todos deste site que acompanho há muito tempo.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s