Na Trilha: A Música da Série VIAGEM AO FUNDO DO MAR


David Hedison (Capitão Crane) e Richard Basehart (Almirante Nelson) na série Viagem ao Fundo do Mar

Aqueles que cresceram entre as décadas de 1960 a 1980 tem boas lembranças de muitas séries clássicas norte-americanas, que foram transmitidas e bastante reprisadas na televisão brasileira. Além de episódios e personagens inesquecíveis, muitas dessas séries também permanecem na memória graças a temas de abertura e trilhas sonoras marcantes, e uma das minha preferidas é Viagem ao Fundo do Mar. A série acompanha as aventuras então futurísticas (era ambientada entre os anos 1970 e início da década seguinte) da tripulação do submarino nuclear Seaview, enfrentando espiões, sabotadores, alienígenas, cientistas loucos, monstros e criaturas sobrenaturais de vários tipos.

Paul Sawtell

A história da série, que durou quatro temporadas originalmente exibidas nos EUA de 1964 a 1968, começou em 1961, quando o produtor e diretor Irwin Allen (1916-1991) lançou o longa de alto orçamento Viagem ao Fundo do Mar. O filme teve ótima repercussão, e Allen, um grande adepto da reciclagem, resolveu capitalizar seu sucesso sem gastar muito: no lugar de uma continuação cinematográfica, criou uma série de televisão em preto e branco, utilizando cenários, miniaturas e cenas do longa, porém com outro elenco.

O compositor original, o experiente Paul Sawtell (cujo currículo inclui vários westerns, séries de TV e clássicos cult de ficção científica como A Mosca da Cabeça Branca), permaneceu na 1ª temporada, para a qual criou o novo tema de abertura e as trilhas incidentais de sete episódios: “Eleven Days to Zero” (1964), “The City Beneath the Sea” (1964), “The Village of Guilt” (1964), “Hot Line” (1964), “Submarine Sunk Here” (1964), “Long Live the King” (1964) e “The Exile” (1965)

Seu tema, “The Seaview Theme”, é simplesmente memorável. Sua vibrante fanfarra de metais, acompanhada de cordas e harpas (além do som característico do sonar do Seaview, ouvido na abertura dos episódios), representa as épicas aventuras do submarino e possui um tom definitivamente otimista. O tema fez sua estreia no episódio piloto da série, “Eleven Days to Zero”, para o qual Sawtell aproveitou trechos da trilha sonora original do filme de 1961 – como um motivo de perigo normalmente ouvido em cenas de perseguição submarina. Apesar do trabalho competente de Sawtell, sua maior contribuição musical para a série foi mesmo o tema do Seaview e suas variações ouvidas durante os episódios.

Lionel Newman

Eventualmente eram reutilizadas nos episódios trilhas sonoras retiradas dos arquivos da 20th Century Fox, como a composta por Bernard Herrmann para o clássico O Dia em que a Terra Parou (1951), mas a regra era empregar material original. Além de Sawtell, outros ótimos compositores criaram underscores especificamente para a série, como Lennie Hayton, Hugo FriedhoferAlexander CourageMorton Stevens, Leith Stevens, Robert Drasnin e o grande Jerry Goldsmith, que na época já fazia sua transição da TV para tornar-se um dos grandes compositores do Cinema. O supervisor musical e regente, como na época era comum nos filmes e séries da Fox, foi Lionel Newman (irmão mais novo do lendário Alfred Newman), que também compôs transições musicais baseadas na música de Sawtell para acompanhar os créditos pós-tema de alguns episódios da 2ª temporada e até o início da 3ª.

Dentre todos os compositores que trabalharam na série, pinço três que, na minha opinião – tema de Sawtell à parte – forjaram o som típico de Viagem ao Fundo do Mar: Jerry Goldsmith, Alexander Courage e Leith Stevens.

Jerry Goldsmith

Jerry Goldsmith, cuja extensa obra cinematográfica inclui clássicos da ficção científica como Planeta dos Macacos, Alien e filmes da franquia Star Trek, é um caso literalmente singular: ele musicou apenas um episódio, “Jonah and the Whale” (1965), mas este trabalho foi marcante. Para este episódio de estreia da 2ª temporada, agora a cores, Goldsmith compôs um novo tema de abertura, mais lento e sério, com efeitos de teclados eletrônicos, totalmente oposto ao de Sawtell. Mas Irwin Allen achou que este tema sombrio não combinava com o colorido da nova temporada, e manteve o original nos episódios restantes da série.

O detalhe é que, apesar de rejeitado, o tema de três notas de Goldsmith não só é parte essencial da excelente trilha de ação e suspense do episódio, como também acabou sendo aproveitado por outros compositores na 2ª temporada, como por exemplo Leith Stevens em “Time Bomb” e Nelson Riddle em “Escape From Venice”. E a própria música incidental de Goldsmith, especialmente a que acompanha a aproximação e os ataques do cachalote pré-histórico, foi bastante utilizada posteriormente, tornando-se uma das mais memoráveis e características “músicas de monstro” da série. Até hoje tenho arrepios ao ouvir uma faixa como “Collision Course I/Collision Course II/Diving Party/Going Down”. A cue “Home Free Part II”, onde o tema de Goldsmith ganha um tom mais épico, similar ao de Sawtell, acompanhou o encerramento de muitos episódios a partir daí.

Alexander Courage

Já Alexander Courage, que no mesmo período compôs o tema principal e a trilha do piloto original da Série Clássica de Star Trek, escreveu as trilhas de seis episódios, que incluem “The Fear-Makers” (1964), “The Price of Doom” (1964, o primeiro episódio de monstro da série), “The Lost Bomb” (1966) e “Flaming Ice (1968). Destes, há dois cuja força dramática da música se destaca, levando à sua reutilização em vários outros episódios: “The Cyborg” (1965) e “Leviathan” (1965). O primeiro, no qual um cientista insano que cria um exército de ciborgues capazes de replicar a aparência humana, traz um score memorável por sua fanfarra e sons eletrônicos que remetem aos filmes de ficção científica dos anos 1950. A fanfarra e o eletrizante trecho que acompanha a morte do vilão foi novamente empregado em momentos decisivos de vários outros episódios.

Por sua vez, “Leviathan” emprega acordes lentos e majestosos para acompanhar a criatura do título – um cientista que, em consequência de emanações radioativas de um vulcão submarino, adquire dimensões gigantescas e enfrenta o Seaview num combate mano a mano. A música é especialmente eficaz em transmitir o tamanho descomunal e a ameaça da criatura, e obviamente esta trilha serviu de acompanhamento para várias outras criaturas gigantes que viriam a surgir na série. Durante seu contrato com Allen, Courage também compôs trilhas incidentais para outras séries clássicas do produtor, como Perdidos no Espaço, Túnel do Tempo e Terra de Gigantes.

Leith Stevens

Por fim, Leith Stevens, cujo currículo, a exemplo de Paul Sawtell, também inclui séries de TV e cults de ficção científica como Destino à Lua Guerra dos Mundos, compôs as trilhas sonoras de nada menos que nove episódios distribuídos entre as quatro temporadas da série: “Time Bomb” (1965), “The Left-Handed Man” (1965), The “X Factor (1965)”, “Monster from the Inferno” (1966), “Death from the Past” (1967), “A Time to Die” (1967), “Blow Up” (1967), “Terrible Leprechaun” (1968) e “Man-Beast” (1968). Destes, considero “Monster from the Inferno” o mais marcante. É uma trilha cujo estilo também remete diretamente aos scores dos clássicos do gênero da década de 1950, com timbres eletrônicos “de outro mundo” usados para representar o cérebro alienígena que assume o controle do Seaview. Assim como Courage, Stevens também compôs trilhas para as séries Perdidos no Espaço, Túnel do Tempo e Terra de Gigantes.

Infelizmente, apenas uma pequena fração da música original da série foi lançada em disco. Em 1997 o selo GNP Crescendo lançou um box com seis CDs derivado do documentário The Fantasy Worlds Of Irwin Allen, dos quais apenas um foi dedicado a Viagem ao Fundo do Mar. Como você confere na lista de faixas abaixo, ele continha o tema de Sawtell e seu score para o piloto “Eleven Days To Zero”, bem como o tema de Goldsmith e sua trilha para o episódio “Jonah and the Whale”:

  1. Voyage to the Bottom of the Sea (Main Title) (:29)
  2. Murderous Pursuit (2:54)
  3. Ocean Floor Search/Squid Fight (5:34)
  4. Solid Ice (1:48)
  5. Lost/Job Well Done (3:35)
  6. End Title (The Seaview Theme) (:40)
  7. Jonah and the Whale (Main Title) (:30)
  8. A Whale of a Whale/Thar She Blows/A Whale of a Time/The Second Dive (4:23)
  9. A Meal Fit for a Whale/Crash Dive/Sub Narcotics (4:18)
  10. Collision Course I/Collision Course II/Diving Party/Going Down (4:44)
  11. Home Free Part I/Home Free Part II (3:58)
  12. Jonah and the Whale (End Credit) (:50)

Enquanto nenhuma gravadora se decide a vasculhar os arquivos da Fox em busca das masters originais destas joias musicais (se é que ainda existem) para lançá-las em disco ou formato digital, é possível pesquisar na internet e encontrar pelo menos parte deste material extraído diretamente dos episódios, como as suítes abaixo:

Jorge Saldanha

Anúncios

Um comentário sobre “Na Trilha: A Música da Série VIAGEM AO FUNDO DO MAR

  1. Tenho a honra de ter o cd de Viagem ao Fundo do Mar da Crescendo e Lost in Space. Maravilhosa resenha para os saudosistas que lembram o tempo em que , tanto na tv quanto no cinema, tínhamos verdadeiras trilhas sonoras…agora… Abraço a todos deste site que acompanho há muito tempo.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s