Star Trek: Discovery Episode 1×13 – “What’s Past Is Prologue” (2018)
Elenco: Sonequa Martin-Green, Jason Isaacs, Michelle Yeoh, Doug Jones, Anthony Rapp, Mary Wiseman, Rheka Sharma
Roteiro: Ted Sullivan
Direção: Olatunde Osunsanmi
Cotação:

ATENÇÃO: caso você ainda não tenha assistido ao décimo terceiro episódio da primeira temporada de Star Trek: Discovery, o texto a seguir contém Spoilers.

Faltando dois episódios para o encerramento da temporada, o ótimo arco do Universo Espelho se encerra com mais reviravoltas, uma morte inesperada (?) e um gancho que promete… viagem no tempo? E como Tyler (Shazad Latif) e L’Rell (Mary Chieffo) simplesmente não apareceram, persiste a incerteza sobre o que aconteceu com o Tenente, após a intervenção da klingon. Mas passemos ao episódio.

A bordo da ISS Charon, Lorca (Jason Isaacs) liberta os sobreviventes de sua antiga nave, a ISS Buran, e com a ajuda deles – incluindo a Comandante Landry (Rheka Sharma) – pretende tomar o poder da Imperatriz Georgiou (Michelle Yeoh). Ficamos sabendo que o plano de Lorca sempre foi esse. Inclusive a Buran foi destruída pela própria nau capitânia do Império, porém ao tentar fugir uma tempestade de íons afetou o teletransporte da nave, e o Capitão foi levado  para o universo da Federação. Como o Lorca federado morreu juntamente com sua tripulação no ataque klingon que destruiu a USS Buran, sua versão maligna tomou seu lugar e eventualmente conquistou o comando da Discovery, colocando em movimento seu plano para retornar ao Universo Espelho e dar seu Golpe de Estado.

Com a ajuda do Stamets Espelho (Anthony Rap), que desenvolvera um reator de esporos para fins bélicos (mas que, no processo, está exaurindo a rede micelial, o que levará à extinção dos esporos e da vida em todos os universos), Lorca e seus aliados, após várias escaramuças contra as forças da Imperatriz, toma conta da nave, porém não consegue capturar Georgiou. Burnham (Sonequa Martin-Green) encontra a Imperatriz em seu esconderijo a bordo da Charon e propõe a ela um plano ousado: fingindo aceitar ocupar ao lado de Lorca o lugar de sua versão Espelho, Burnham entregará a ele Georgiou, na esperança de surgir uma oportunidade para ambas pegarem o ex-Capitão e seus aliados desprevenidos.

A bordo da Discovery, graças a uma comunicação de Burnham, o Capitão interino Saru (Doug Jones) e sua tripulação finalmente tomam conhecimento da verdade sobre o manipulador Capitão Lorca. Após o encontro com sua versão Espelho na rede micelial, Stamets descobre que o gerador da Charon está matando os esporos em todos os universos, e a única opção é a Discovery destruí-lo quando da tentativa de resgate a Burnham. O problema é que a onda de choque resultante destruirá não só a Charon, mas também a Discovery. Com o auxílio da Cadete Tylly (Mary Wiseman) ele percebe que há a arriscada possibilidade de, usando os motores de dobra em conjunto com o motor de esporos, a Discovery “surfar” na onda de choque e retornar ao seu próprio universo. Após um brilhante discurso motivacional de Saru à tripulação, que resume os principais valores da Frota Estelar (de novo palmas para Doug Jones, por mais uma emocionante atuação mesmo sob pesada maquiagem), a Discovery parte de encontro à nau capitânia do Império.

Na Charon, Burnham entrega Georgiou a Lorca, e o convence que deseja ajudá-lo a construir seu Império. Embevecido pela ideia, Lorca baixa sua guarda, e este é o momento que ela e Georgiou esperavam para atacar ferozmente. A sequência da luta que se segue é uma rara oportunidade na série de Michelle Yeoh mostrar seus dotes de artista marcial. Quando Lorca finalmente confronta Burnham, esta afirma que irá matá-lo. Mas quem desfere o golpe fatal é Georgiou, e Lorca cai em uma abertura que leva ao núcleo do reator de esporos., sendo desintegrado completamente.

Neste momento a Discovery, já em aproximação para atacar a Charon, inicia o teletransporte de Burnham. Porém, ela se agarra à ex-Imperatriz e ambas são transportadas à bordo da Discovery, que no mesmo momento lança o ataque ao reator de esporos. A explosão, como se esperava, gera uma onda de choque destruidora, e a Discovery entra em dobra espacial e, logo em seguida, aciona seu motor de esporos. Stamets tem dificuldades para achar o caminho de volta ao universo da Federação, mas relembrando as palavras do Dr. Culber em seu derradeiro encontro, ele tem sucesso. Em parte…

De volta ao próprio universo, a tripulação descobre com preocupação que não é possível entrar em contato com o Comando da Frota Estelar. Saru ordena a atualização do mapa tático, e o que descobre é chocante: a Discovery retornou sim ao seu universo, porém nove meses no futuro. E parte considerável do espaço da Federação agora está dominado pelos klingons.

Ao final, achei que houve muitas pontas soltas para serem amarradas em um só episódio. Algumas soluções foram apressadas e situações foram meio que encaixadas à força, a fim de preparar o terreno para o desenlace da temporada. Possivelmente o motor de esporos será usado para voltar no tempo a fim de alterar os rumos da guerra entre a Federação e os klingons.

E a Georgiou do Universo Espelho, ex-sanguinária Imperatriz, achará seu lugar no universo federado e se redimirá? Veremos Lorca novamente? Enquanto estas e outras perguntas não forem respondidas, deixe seu comentário abaixo, dizendo o que achou deste episódio, e até a próxima semana!

Jorge Saldanha

Anúncios