Resenha de Série: STAR TREK: DISCOVERY – Episódio “The Wolf Inside”


Star Trek: Discovery Episode 1×11 – “The Wolf Inside” (2018)
Elenco: Sonequa Martin-Green, Jason Isaacs, Shazad Latif, Doug Jones, Anthony Rapp, Mary Wiseman, James Frain, Michelle Yeoh
Roteiro: Lisa Randolph
Direção: T.J. Scott
Cotação:

ATENÇÃO: caso você ainda não tenha assistido ao décimo primeiro episódio da primeira temporada de Star Trek: Discovery, o texto a seguir contém Spoilers

O episódio desta semana deu seguimento à odisseia da USS Discovery no Universo Espelho, e trouxe em seu final mais uma grande surpresa… porém, vamos por partes. A bordo da Shenzhou e após um intenso encontro amoroso com o Tenente Tyler (Shazad Latif), a Capitã Burnham (Sonequa Martin-Green) recebe um comunicado do Império Terráqueo, que localizou a base dos rebeldes que se opõem ao regime opressor do misterioso Imperador. O império localizou a base dos rebeldes, que são uma aliança formada por vulcanos, andorianos, tellaritas e klingons. O próprio líder rebelde, conhecido como Lobo de Fogo, é um klingon, e Burnham deverá destruir sua base.

Burnham convence sua tripulação a não fazer um ataque orbital imediato e, sob pretexto de obter informações estratégicas da rebelião, desce com Tyler até o planeta, onde são recebidos por um grupo armado de rebeldes. Ali temos o primeiro vislumbre das versões repaginadas de andorianos e tellaritas. Levados à presença do líder rebelde, a dupla tem um choque ao descobrir que ele é a versão espelho de Voq. Passada a surpresa, Burnham tenta convencê-lo de que ela e Tyler estão traindo o Império para salvar a rebelião, porém, em troca, quer saber dele o que levou suas raças a se unirem contra o regime opressor. Sua esperança é de que ali esteja a chave para a paz entre a Federação e os klingons em seu próprio universo.

A visão de Voq provoca uma reação violenta em Tyler, que ataca o Lobo de Fogo bradando, em seu idioma natal, que ele deve permanecer um klingon. Quem salva a situação é a versão Espelho de Sarek (James Frain, obviamente de cavanhaque), que após fazer uma união mental com Burnham, atesta a Voq suas boas intenções. Convencido a evacuar os rebeldes do planeta, Voq poupa a vida de Tyler e a dupla retorna à Shenzhou.

Em seus aposentos Burnham questiona duramente Tyler sobre seu ataque despropositado a Voq, e o Tenente finalmente se revela: ele recuperara totalmente a memória e agora sabe que, na realidade, é Voq, alterado cirurgicamente para infiltrar-se na Discovery. E mais, ele confessa ter matado o Dr. Culber (Wilson Cruz) após ele ter descoberto as alterações físicas às quais fora submetido.

Os dois começam a lutar, e quando Tyler / Voq está prestes a matar Burnham, é subjugado por Saru (Doug Jones), que no Universo Espelho é escravo pessoal da Capitã. Tyler é capturado pela tripulação e sentenciado à morte, no estilo do Império – o condenado é teletransportado para o vazio do espaço. A própria Burnham cumpre a sentença, porém ao invés de materializar Tyler no espaço ela o transporta para a Discovery, onde é recebido por Saru e preso pelo assassinato do médico. Como bônus, Tyler leva no bolso do uniforme os registros da Defiant, extraídos por Burnham da base de dados do Império.

Paralelamente a tudo isso, Tilly (Mary Wiseman) e Saru tentam, na Discovery, usar os esporos para restaurar a rede neural de Stamets. Apesar de aparentemente não terem tido sucesso, nós ficamos sabendo que durante este tempo todo Stamets está na rede micelial, entre universos, onde encontra ninguém menos que sua versão Espelho. E mais saberemos, sobre isso, apenas nos próximos episódios.

Na Shenzhou, Burnham conversa com o cativo Lorca (Jason Isaacs), e neste diálogo minhas suspeitas são reforçadas: ele tenta manipular Burnham, indicando que tem uma agenda no Universo Espelho, e provavelmente a ida da Discovery para lá não tenha sido por acidente. A conversa é interrompida pela chegada da nave capitânia do Império, que começa a bombardear a base dos rebeldes com torpedos fotônicos. Na ponte, Burnham recebe uma chamada holográfica do misterioso Imperador, e tem um novo choque: o tirânico líder do Império é na verdade uma Imperatriz… e ninguém menos que a versão Espelho da Capitã Georgiou (Michelle Yeoh)!

Como se vê, a Discovery e sua tripulação estão passando por poucas e boas no Universo Espelho, e espero que futuramente tenhamos pelo menos um vislumbre do que está ocorrendo com a Discovery Espelho no universo da Federação. Até lá, deixe seu comentário abaixo, dizendo o que achou deste episódio, e até a próxima semana!

Jorge Saldanha

Anúncios

Um comentário sobre “Resenha de Série: STAR TREK: DISCOVERY – Episódio “The Wolf Inside”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s