CLOSE ENCOUNTERS OF THE THIRD KIND
Produção: 1977
Duração: : 134 min. (Versão Original), 132 min. (Edição Especial), 137 min. (Versão do Diretor)
Direção: Steven Spielberg
Elenco: Richard Dreyfuss, François Truffaut, Melinda Dillon, Teri Garr, Cary Guffey, Lance Henricksen
Vídeo: 2.35:1 (1080p/AVC MPEG-4)
Áudio: Inglês (DTS-HD Master Audio 5.1, Dolby TrueHD 5,1), Francês (Dolby TrueHD 5,1), Espanhol (Dolby Digital 5.1)
Legendas: Português, Inglês, Espanhol, Francês, etc.
Região: A, B, C
Distribuidora: Sony
Discos: 2 (1 BD 50GB, 1 BD 25GB)
Lançamento: 06/03/2008
Cotações: Som: ****½ Imagem: **** Filme: ***** Extras & Menus: ***** Geral: ****½

SINOPSE
Roy Neary (Richard Dreyfuss) é uma das pessoas que vivenciam um contato imediato de primeiro grau, testemunhando a presença de extra-terrestres no céu. Após o evento que mudou a sua vida, a inexplicável visão de uma estranha montanha o perturba constantemente. Roy fica obcecado em descobrir o que aquela visão representa, e enquanto sua vida se desintegra, agentes do governo passam a ter contatos imediatos de segundo grau, descobrindo evidências físicas de visitas extra-terrestres. Roy descobre sua visão em uma área remota – um local mantido em segredo pelo governo, onde ocorrerão os contatos imediatos de terceiro grau – o encontro com os visitantes de outro mundo.

COMENTÁRIOS
Antes do remake de Guerra dos Mundos (2006) e até mesmo do terno E.T. – O Extraterrestre (1982), Steven Spielberg realizou o filme definitivo sobre alienígenas – Contatos Imediatos do Terceiro Grau (1977), que chegou logo após Star Wars para consolidar o renascimento da ficção científica no cinema. Portanto, além de ser o primeiro grande projeto pessoal do diretor, tornado possível graças ao grande sucesso de Tubarão (1975) – e de salvar a então Columbia Pictures da bancarrota, o filme abriu caminho para produções do mesmo gênero mas de temáticas diversas, como Alien – O Oitavo Passageiro (1979) e o clássico noir futurista Blade Runner (1982, que assim como Alien foi dirigido por Ridley Scott). Como em seus filmes anteriores Encurralado (1973), Tubarão e na maioria das produções subsequentes que dirigiu ou apenas produziu, em Contatos Imediatos do Terceiro Grau a trama é centrada numa pessoa comum que, de uma hora para a outra, vê-se face a uma situação extraordinária, que traz reflexos à sua família. É o caso de Roy Neary que, após ver OVNIS enquanto buscava a causa de um apagão, fica obcecado por discos voadores. Ele é despedido e sua esposa Ronnie (Teri Garr), não suportando as esquisitices do marido, o abandona levando as crianças. Roy conhece Gillian (Melinda Dillon), que também enfrenta um grande drama pessoal – seu filho pequeno, Barry (Gary Guffey), foi abduzido pelos alienígenas. Ambos têm visões de uma estranha montanha, para a qual são atraídos.

Além dos segmentos mais dramáticos ou intimistas de que tanto gosta, Spielberg dá um show na condução de cenas progressivamente mais arrebatadoras que levam à apoteose de som e imagem que vemos ao final do filme, utilizando para isso o que de mais avançado havia em efeitos visuais (supervisionados por Douglas Trumbull, de 2001 – Uma Odisseia no Espaço). Efeitos, aliás, que só não levaram o Oscar da categoria porque concorreram com a pirotecnia de Star Wars. Mas um filme extremamente humano como esse não se sustenta apenas nos efeitos, e o diretor contou com um elenco de primeira, e como de hábito foi especialmente feliz na escolha do principal ator infantil. Cary Guffey, no papel do garotinho Barry, foi um achado, assim como o foram Henry Thomas (que fez o Elliot de E.T.) e Heather O’Hourke (a Carol Anne de Poltergeist). Para interpretar o cientista francês Lacombe, Spielberg convidou um dos maiores diretores do cinema daquele país, o falecido François Truffaut – que entrega uma interpretação suave que contrasta com o ambiente repleto de militares e agentes do governo que o acompanham. Ele é, praticamente, um equivalente de Neary, Barry e os demais “escolhidos” que ainda mantém o deslumbramento da infância dentro de si – mas que é deixado pelos alienígenas. Ele é nosso porta-voz quando diz a Roy: “Sr. Neary, eu o invejo”. O toque final de emoção é dado ao filme pela antológica partitura de John Williams, à época no auge da fase mais criativa de sua carreira e que ajudou a estabelecer de vez a “marca” Spielberg de fazer cinema.

Com este filme, entre outras coisas, o cineasta lançou moda ao estabelecer o conceito da “conspiração governamental”, que anos depois seria utilizado em séries de TV como Arquivo X e outras produções do gênero. Mas aqui também temos um claro tom religioso que o diretor imprimiu à chegada dos alienígenas. Surgem os “escolhidos”, ou seguidores, que são levados por eles; testemunhamos um evento de fé na Índia, que como veremos mais tarde, será a chave para a comunicação com os visitantes das estrelas; e ao final, quando o “E.T. aranha” abre seus finos e compridos braços, sua semelhança com a figura de Cristo na cruz não é uma mera coincidência. Neste aspecto, aliás, um depoimento que dei ao jornal gaúcho Zero Hora na saída do cinema, quando o filme estreou no Brasil em 1978: “O universitário Jorge Saldanha declarou ser o filme um novo marco na história do cinema. Além disso tem um alto sentido religioso, pois a chegada dos seres extra-terrestres está se transformando numa nova religião, como se fosse uma nova vinda de Cristo”. Minha opinião mostrou ser um tanto quanto profética, pois milhares de pessoas assistiram ao filme e passaram a olhar para os céus, buscando lá a fé e a esperança que lhes faziam falta aqui embaixo.

SOBRE O BD

Contatos Imediatos do Terceiro Grau teve três versões, que são as seguintes:

  1. Versão Original (1977, 134 min.) – É o filme como foi lançado nos cinemas;
  2. Edição Especial (1980, 132 min.) – Nesta versão, Spielberg tentou melhorar a montagem da versão original do cinema, para isso inclusive rodando cenas que em 1977 não foram realizadas por falta de tempo ou de dinheiro. Assim, o estúdio deu chance para que o diretor retrabalhasse seu filme, rodando duas cenas principais: uma é a sequência final que mostra a nave-mãe por dentro, incluída por imposição da Columbia para que ele pudesse terminar a nova montagem; a outra é a cena em que a equipe de Lacombe encontra, em pleno deserto, um navio que havia desaparecido há décadas. Além disso, ele cortou algumas cenas da versão original, adicionou outras e lançou nos cinemas esta versão dois minutos mais curta, a mesma que a Columbia lançou em VHS e sempre enfatizando na publicidade a cena do interior da nave-mãe;
  3. Versão do Diretor (1998, 137 min.) – Já consagrado como um dos maiores diretores de Hollywood, Spielberg finalmente pôde realizar a que considera sua legítima “Versão Definitiva”, lançada inicialmente em laserdisc e depois em DVD. Nesta, foram colocadas quase todas as cenas das duas primeiras versões, inclusive a cena do navio, e eliminado o final dentro da nave-mãe que desgostou boa parte dos fãs do filme e a ele próprio. Esta é a versão que será relançada nos cinemas norte-americanos em setembro, em comemoração aos 40 anos do filme.

Em DVD, apenas a “Versão do Diretor” havia sido lançada. Mas com o lançamento desta Edição de Colecionador em Blu-ray, comemorativa dos 30 anos do filme (nos EUA em 2007, no Brasil em 2008), os fãs finalmente puderam ter as três versões para ver e comparar. São dois BDs: um de dupla camada (BD-50) com todas as versões do filme, e outro de camada simples (BD-25) com os vários extras, ambos acondicionados em um estojo Amaray HD com suporte central para acomodar o segundo disco. Os menus principais, em português, são animados com cenas do filme, e o menu pop-up pode ser acessado mesmo durante a reprodução.

Imagem

Contatos Imediatos do Terceiro Grau foi o primeiro filme de Spielberg lançado em alta definição, portanto esta edição comemorativa era bastante aguardada. As três versões do filme, que trazem legendas em português, inglês, espanhol, francês, coreano, chinês, tailandês e árabe, estão na proporção de tela original 2.35: 1, em widescreen anamórfico. Obviamente que não se pode esperar que um filme então com com 30 anos possa ter uma qualidade de imagem e som impecável. Em algumas cenas noturnas e aquelas com efeitos especiais de sobreposição de diversas camadas de imagens, percebe-se alguma perda de nitidez e maior granulação de película, limitações inerentes ao processo utilizado. Também se notam ao longo do filme flutuações nos tons de preto, provavelmente inerentes aos negativos empregados na remasterização e que não foram corrigidas digitalmente. Nada que comprometa, contudo, pois houve um grande esmero na transferência digital, para a qual foi usado o codec de vídeo 1080p/AVC MPEG-4. Embora as cores não sejam propriamente destacadas, pode-se notar que são fortes e sólidas, especialmente em cenas nas quais são mostrados com detalhes os OVNIs. De resto, não há danos notáveis na película, e os artefatos de compressão inexistem.

Som

Há duas opções de áudio lossless, Dolby TrueHD (inglês e francês) e DTS-HD Master Audio em 48kHz/24-bit (inglês), além de uma faixa de áudio standard Dolby Digital 5.1 (espanhol). Não há dublagem em português, portanto. O filme utiliza o som de várias formas: nas partes dominadas pelos diálogos, o clássico score de John Williams é um personagem à parte. Nas partes que se relacionam aos extra-terrestres, ele continua brilhando, porém tem que dividir as atenções com um sound design criativo e simplesmente brilhante. Na cena onde Roy primeiro encontra um OVNI, em sua caminhonete, temos um dos graves mais intensos que podem ser ouvidos num home theater. Isso se repete  nas sequências de abdução de Barry e na chegada da nave-mãe, verdadeiros testes para seu conjunto de caixas acústicas (especialmente para o subwoofer). Já os canais surround são bem ativos, principalmente nas aparições dos OVNIS. No entanto, não há como deixar de notar que, em comparação com as mixagens modernas, a do filme deixa um pouco a desejar na fidelidade de reprodução de diálogos e música, que apesar de ter uma ótima qualidade não soam tão bem como numa mixagem contemporânea.

EXTRAS
Esta edição de Contatos Imediatos do Terceiro Grau, hoje esgotada, pode ser com justiça considerada como “Definitiva” – pelo menos até o relançamento, em BD e UHD-BD, da edição comemorativa aos 40 anos, remasterizada em 4K. Além de trazer as três versões do filme na melhor qualidade de apresentação possível (pelo menos à época do seu lançamento), ela reúne todos os extras que foram lançados em home video ao longo dos anos a partir do laserdisc, além de trazer algumas exclusividades criadas para o lançamento. E tudo com a opção de legendas em português.

Disco 1
Temos aqui um recurso que nem é listado na embalagem do Blu-ray nacional. Ele se chama “Visão de Cima”, que é uma faixa de legendas que faz um comparativo entre as três versões do filme. Ao assistir uma das versões com este recurso ativado, ícones coloridos, imagens e textos surgirão, mostrando as mudanças feitas nesta montagem em particular. Por ser ativado como legenda, ele anula as demais.

Disco 2
Os abundantes extras deste disco estão divididos em quatro seções:

  • Contatos – Contém três documentários, pertencentes a diferentes períodos da história do filme. Em ordem cronológica, temos o featurette de 1977 “Olhe Para o Céu” (SD, 6 min.), lançado à época do lançamento da versão original nos cinemas. Em termos informativos não acrescenta muito, mas é uma preciosidade histórica. Em seguida vem o documentário “O Making of de  Contatos Imediatos do Terceiro Grau” (SD, 97 min.), produzido em 1997 para celebrar o 20º aniversário da produção. Lançado inicialmente em laserdisc e chegando ao DVD em 2001, nota-se claramente que ele não foi concebido para a interatividade das novas mídias. Produzido pelo colaborador de Spielberg Laurent Bouzereau, possui um formato linear e estático, contando a história da produção de forma simples e direta. Spielberg é uma presença eloquente, e não deixa dúvidas de que Contatos foi seu projeto mais pessoal até A Lista de Schindler, chegando a ser mesmo uma obsessão. Temos depoimentos de membros do elenco e da equipe, como Richard Dreyfuss, Melinda Dillon, Teri Garr, Bob Balaban e o diretor de fotografia Vilmos Zsigmond. Também há uma longa análise dos efeitos visuais (felizmente não excessivamente técnica, como tende a ser este assunto), que até hoje impressionam. O terceiro e último documentário desta seção é o inédito “Steven Spielberg: 30 Anos de Contatos Imediatos” (HD, 22 min.), que essencialmente se constitui num bate-papo com o diretor, que não adiciona muito em relação ao que já foi tratado nos documentários antigos;
  • Cenas Excluídas – Nove cenas, somando no total 10 minutos em resolução SD Algumas são extensões de material que já está no filme, enquanto outras são cenas que não aparecem em nenhuma das três três versões do filme. Infelizmente a qualidade de som é imagem é precária, e não há a opção de assisti-las em sequência.
  • Explorando – Nove subseções trazendo 90 minutos de material bônus que nunca havia sido disponibilizado, formando um belo e longo pacote de imagens em HD. “Comparação de Storyboard” traz storyboards e um clipe do resultado final (com áudio de produção) para cinco cenas essenciais do filme, com mais de 20 minutos de duração. “Galerias de Storyboards” está dividida em duas categorias, que somadas duram 34 minutos. As subseções restantes são montagens de imagens: “Fotos dos Locais” (8 min., 49 fotos), “Nave-Mãe Desenhada por Ralph McQuarrie” (2 min., 12 fotos), “Por Trás das Câmeras” (8 min., 52 fotos), “Equipe de Produção” (2 min., 15 fotos), “Galeria de Fotos” (3 min., 24 fotos), “Edição Especial” (4 min., 26 fotos) e “Marketing: Lançamento Mundial no Cinema” (14 min., 87 fotos), que traz montes de conceitos iniciais de pôsteres, fotos do lançamento e lobby cards (aquelas fotos que antigamente os cinemas exibiam no saguão) da versão original do cinema.
  • Trailers – Por fim, outra exclusividade deste lançamento são os três trailers de Contatos Imediatos do Terceiro Grau – “Versão do Cinema” (1977), “Edição Especial” (1980) e “Versão do Diretor” (1997), todos com ótima qualidade em vídeo HD.

Com relação à edição norte-americana, a nossa perdeu alguns itens – um mini-pôster e um encarte de 64 páginas que, além informações básicas sobre a produção e biografias do elenco, contém muitas fotos de produção inéditas.

Jorge Saldanha

Anúncios