findingdory

Resenha de Trilha Sonora: FINDING DORY – Thomas Newman


finding_doryCDMúsica composta por Thomas Newman
Selo: Walt Disney Records
Formato: CD
Lançamento: 17/06/2016
Cotação: star_3_5

Depois de alguns anos compondo para dramas adultos e filmes de James Bond, é interessante ver Thomas Newman fazendo novamente um filme para toda a família. Trata-se da animação Procurando Dory (Finding Dory, 2016), a sequência de Procurando Nemo (Finding Nemo, 2003), um dos longas mais queridos da Pixar – e também uma das trilhas mais festejadas pelos fãs do compositor.

Também dirigido por Andrew Stanton, o novo filme se foca em Dory (Ellen DeGeneres), a Cirurgião-Patela desmemoriada do original, que tenta encontrar os pais, há muito perdidos por conta de seu problema com amnésia. Ela é ajudada por Marlin (Albert Brooks) e Nemo (Hayden Rolence), os peixes palhaços protagonistas do anterior, além de figuras como o polvo Hank (Ed O’Neill) e as baleias Destiny (Kaitlin Olson) e Bailey (Ty Burrell), em uma corrida por um aquário na Califórnia para descobrir o que houve com seus pais. Atraindo tanto as famílias como os jovens adultos nostálgicos que cresceram com Procurando Nemo, o longa tem faturado horrores nas bilheterias desde sua estreia.

As colaborações entre Stanton e Newman, apesar de não ocorrerem com muita frequência, costumam ser interessantes: o compositor musicou tanto Nemo quanto Wall-E (idem, 2008) para o diretor, conquistando indicações ao Oscar por ambas e, apesar de ter sido preterido em favor de Michael Giacchino em John Carter: Entre Dois Mundos (John Carter, 2012), o único longa live action de Stanton, Newman está de volta em Procurando Dory.

Quando escreveu Procurando Nemo, Newman estava no final da melhor fase de sua carreira até agora, que havia durado cerca de uma década e abrangido clássicos como Um Sonho de Liberdade (The Shawshank Redemption, 1994), Encontro Marcado (Meet Joe Black, 1998), Beleza Americana (American Beauty, 1999) e Angels in America (idem, 2003). Assim, não admira que seu trabalho na animação da Pixar tenha se tornado um de seus scores mais queridos por seus fãs. Contando com um belíssimo tema principal e ação e aventura em doses que ainda não tínhamos visto nos trabalhos do músico, Nemo abriu o caminho do sujeito para trabalhar em blockbusters como Desventuras em Série (Lemony Snicket’s A Series of Unfortunate Events, 2004) o próprio Wall-E e seus dois trabalhos com James Bond.

O Newman que escreveu Procurando Dory, porém, é um pouco diferente do de antes. Aproveitando a experiência adquirida em cerca de treze anos adaptando seu estilo muito particular a filmes de aventura, o compositor aproveitou a oportunidade para dar um passo adiante: em Dory, ele conseguiu tornar sua música ainda mais agitada e cartunesca do que antes. Talvez você tenha imaginado que nunca veria uma trilha de Newman com mickeymousing e, no entanto, aqui está.

Temas e cues da trilha do primeiro longa não são ouvidos com muita frequência, em favor do novo material escrito por Newman. No filme, citações ao primeiro score ocorrem principalmente em sequências que conectam diretamente os dois longas. One Year Later começa com as orquestrações dissonantes e o piano sombrio da sequência em que Nemo era capturado por um mergulhador dentista, e depois se encerra com o memorável e inocente tema do jovem peixinho palhaço em cordas e harpa do primeiro filme. Em seguida, Gnarly Chop traz de volta o retorno do rock praiano para as tartarugas surfistas que viajavam nas correntes marítimas. Finalmente, Everything About You é a única aparição nesse score do belo tema do primeiro Nemo.

Do novo material escrito para Dory, destaca-se principalmente o tema principal, dedicado a retratar a peixinha do título e seu inabalável desejo de encontrar os pais. Mais abstrato e surrealista do que o tema de seu antecessor, ele pode não ser tão belo, mas ainda serve como uma perfeita representação musical da mente confusa, porém determinada, de Dory. Ele consiste principalmente em um motivo repetitivo no piano, acompanhado por texturas eletrônicas, com o acompanhamento ocasional de uma flauta, violino ou orquestra e é ouvido no disco inicialmente em Main Titles, e depois, mais adiante, numa versão mais sutil na metade de Nobody’s Fine. Algumas faixas depois, …Shells é um cue melancólico, que, apostando em texturas eletrônicas tristes combinadas a cordas, piano e um belo e solitário violino solo, lembrando um pouco no estilo de Newman em O Juiz (The Judge, 2014), traz uma interessante variação do tema principal. Tal faixa acompanha o clímax da busca de Dory pelos pais e responde por alguns dos momentos mais belos do disco. A melhor versão, porém, vem na emocionante Quite a View, que reprisa o tema de Dory de forma ligeiramente mais imponente e vitoriosa, representando a superação de suas dificuldades para vencer seus desafios.

O polvo Hank, que ajuda Dory em sua jornada pelo aquário, também ganha um motivo próprio. Ouvido em faixas como Nobody’s Fine, Almost Home e na climática Okay with Crazy, ele consiste em ostinatos de cordas, com acompanhamento eletrônico ou de guitarras e percussão, além de um ritmo para flauta acompanhando a ação, digno de thrillers de espionagem, lembrando as duas trilhas de Newman para o agente secreto inglês. É uma escolha interessante, uma vez que Hank, apesar de engenhoso, não chega a remeter no longa a personagens de filmes de espiões. Mesmo assim, não deixa de ser um motivo interessante e divertido do compositor.

Conforme dito, o restante da música no disco é incansável, quase uma adequação de um típico score de Newman ao mickeymousing. Assim, faixas como Hank, Rebecca Darling e Meet Destiny mostram um lado mais humorado da típica música do compositor. Por outro lado, representando a determinação de Dory em encontrar os pais, Newman acompanha o ritmo frenético da corrida dos personagens pelo aquário com sua já usual combinação entre orquestra, eletrônicos e uma grande variedade de solistas. Cues como Jewel of Morro Bay, Two Lefts and a Right, No Walls e All Alone tem um dinamismo que lembra um pouco o trabalho do músico em Os Agentes do Destino (The Adjustment Bureau, 2011).

Já as faixas de ação propriamente ditas seguem no estilo já estabelecido do compositor, como as rápidas e furiosas Squid Chase e Joker At Work, a enérgica Hands!, que traz uma ótima combinação entre metais, percussão e guitarra, e a citada Okay with Crazy. Assim, diante de tanta correria, é sempre bom ter alguns momentos de respiro. Sigourney Weaver e Open Ocean, são faixas evocativas da imensidão do oceano com piano, cordas e texturas eletrônicas, enquanto Migration Song e a citada Almost Home trazem algumas bonitas e calorosas escritas para orquestra, típicas do compositor.

Ao fim do disco, todas essas ideias e os temas da trilha são resumidos nas últimas quatro faixas, que funcionam como uma suíte de todo o score. Antes disso, porém, há a canção Unforgettable, clássico de Nat King Cole e aqui na bela voz da cantora Sia, com acompanhamento orquestral.

É improvável que a trilha de Newman para Procurando Dory faça o mesmo sucesso que seu trabalho em Nemo, ou que ela também lhe renda mais uma indicação ao Oscar. Por outro lado, ainda é um trabalho criativo do compositor, que se mostra disposto a readaptar seu estilo musical muito particular a um outro que pede quase o oposto, mas sem perder as características de um típico score de Thomas Newman. Assim, ainda que inferior ao primeiro, é um trabalho cujos méritos fazem com que valha a pena uma conferida.

Faixas:

1. Kelpcake 0:46
2. Finding Dory (Main Title) 0:55
3. Lost at Sea 1:36
4. One Year Later 2:24
5. Migration Song 0:35
6. O, We’re Going Home 1:38
7. Jewel of Morro Bay 2:00
8. Gnarly Chop 1:39
9. Squid Chase 1:28
10. Sigourney Weaver 1:21
11. Hank 3:19
12. Nobody’s Fine 3:29
13. Rebecca Darling 1:54
14. Meet Destiny 1:07
15. Joker at Work 1:16
16. Becky Flies 3:53
17. Hands! 2:24
18. Almost Home 2:01
19. Open Ocean 3:18
20. Two Lefts and a Right 0:35
21. Everything About You 1:41
22. Quarantine 2:41
23. Warp 1:03
24. All Alone 0:53
25. …Shells 4:47
26. No Walls 2:25
27. Okay with Crazy 1:50
28. Hide and Seek 1:51
29. Quite a View 1:25
30. Unforgettable – Sia 3:17
31. Three Hearts (End Title) 1:36
32. Loon Tune 1:20
33. Fish Who Wander 1:18
34. Release 1:13

Duração: 64:58

Tiago RangelEnhanced by Zemanta

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s