hayes

Perfil: ISAAC HAYES (1942 – 2008)


isaac-hayesIsaac Hayes, um dos maiores intérpretes da soul music a partir dos anos 1970, nasceu no dia 20 de agosto de 1942, em Covington, no Tennesse. Ele perdeu os pais ainda na infância e foi criado pelos avós. Hayes foi durante muitos anos compositor e arranjador da gravadora Stax Records, em Memphis. Ele também foi backing vocal de artistas como Otis Redding e Sam & Dave, nos anos 1960.

Seu primeiro álbum-solo foi lançado em 1967, Presenting Isaac Hayes, e o álbum Hot Buttered Soul o transformou em uma estrela musical em 1969. Mas sua fama mundial chegou apenas com sua trilha sonora para o filme Shaft (1971, dirigido por Gordon Parks), que popularizou o movimento musical-cinematográfico conhecido como Blaxploitation, e fez dele o primeiro artista afro-americano a ganhar um Oscar de melhor canção original. As vendas do álbum foram decisivas para tornar a gravadora Stax, ao lado da Motown, a mais importante da música negra.

Hayes no cult do diretor John Carpenter, Fuga de Nova York
Hayes como o vilão no cult do diretor John Carpenter, Fuga de Nova York

Hoje, poucos fazem ideia do impacto que Hayes e sua obra, seja como cantor ou arranjador, tiveram na música pop e nas trilhas sonoras. Para começar, provavelmente não teria surgido Barry White (também já falecido), cuja voz grave e estilo musical eram muito parecidos com os de Hayes – com a diferença de que a música do Black Moses (alcunha que, por si, já dá a devida grandeza ao artista) era menos açucarada. Claro, Hayes é responsável por alguns clássicos “melosos” da soul music, mas seu trabalho foi mais consistente e inovador do que o de seu colega.

shaftMesmo em seus álbuns mais comerciais Hayes gravava faixas que podiam exceder a 10 minutos, abrindo espaço não apenas para seu vozeirão característico, mas também para que os excelentes músicos e cantores de apoio que o acompanhavam – integrantes da “Hot Buttered Soul Orchestra” – demonstrassem todo o seu virtuosismo. Tomemos, apenas como dois exemplos entre tantos clássicos, a longa “Joy”, cujo ritmo transborda sensualidade, e a memorável “Do Your Thing” da trilha de Shaft, que em seus 19 minutos inicia como um soul comum (mas nem tanto!), mas logo Hayes vai dando lugar para seus músicos e o grupo de backing vocals The Bar-Kays, metamorfoseando a composição num longo delírio instrumental.

Não fosse Hayes, também dificilmente teríamos o chamado “Som da Filadélfia” (expoente: a banda/orquestra MFSB), que com timbres e arranjos de cordas e metais claramente inspirados em Hayes, no estilo chamado “Soul Sinfônico”, antecedeu a chegada da era disco. E falando em disco, o álbum instrumental de Hayes Disco Connection foi o empurrão decisivo para que o mundo fosse engolido pela era discothéque. Bons tempos aqueles, em que longas músicas instrumentais entravam nas paradas de sucesso e o pessoal as dançava nas discotecas. Enfim, ecos desse admirável artista foram (e são) ouvidos em gêneros como soul, funk, disco e hip hop.

toughObviamente também as trilhas sonoras, seja de filmes como de séries de TV, foram profundamente influenciadas pela música de Shaft. A partir dela, passou a ser inconcebível que um filme/episódio de ação ou policial não trouxesse, em sua trilha sonora, ritmos conduzidos por baixo, bateria, guitarras wah wah e azeitadas seções de metais, madeiras e cordas. Outros grandes compositores e intérpretes negros aventuraram-se nas trilhas de filmes Blaxploitation – o inesquecível Godfather of Soul James Brown, Curtis Mayfield, Marvin Gaye, J. J. Johnson, Gene Page (todos estes também já falecidos), Quincy Jones e muitos outros – mas foi a obra de Hayes que catapultou e moldou o gênero. E mais, influenciou o trabalho de muitos compositores brancos que compunham trilhas para filmes fora do gênero. Na verdade, não apenas compositores, mas até mesmo diretores de cinema. Quentin Tarantino, em seu Kill Bill (Vols. 1 e 2) resgatou temas de outras duas trilhas sonoras que Hayes compôs – Tough Guys (1973) e Truck Turner (1974). Aliás, para filmes onde nosso Black Moses iniciou sua carreira de ator bissexto.

truckTalvez hoje Hayes vá ser mais lembrado por ter emprestado sua voz para o Chef da série animada South Park (personagem que abandonou após 10 temporadas por causa de um episódio que ironizava a cientologia, da qual era adepto), mas é preciso dizer que seu papel na história do entretenimento certamente terá um espaço e significado muito maiores. À altura de sua imagem imponente no palco, nos seus bons tempos – busto nu, óculos escuros, sentado ao piano e cercado por seus músicos e belas cantoras. Infelizmente Hayes morreu só, aos 65 anos, na madrugada do dia 10 de agosto de 2008 em Memphis, no Tennesse – foi encontrado próximo a uma esteira ergométrica em sua casa, pelo que se sabe vítima de um derrame e de um enfarte sucessivos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s