kung_fu_panda_3_CDMúsica composta por Hans Zimmer. Música adicional de Lorne Balfe e Paul Mounsey
Selo: Sony Masterworks
Catálogo: 88875182862
Lançamento: 22/01/2016
Cotação: star_3_5

Terceiro capítulo (de um total de seis, a depender do CEO da DreamWorks Animation Jeffrey Katzenberg) da saga do panda Po, um urso desajeitado que se torna um mestre do kung fu, a comédia de aventura animada Kung Fu Panda 3 (idem, 2016) estreou no último fim de semana, nos cinemas brasileiros. Seguindo o cliffhanger do fim de seu predecessor, Po descobre que sua família de pandas ainda está viva, e parte para encontrá-los. Ao mesmo tempo, o taurino vilão Kai consegue escapar para o mundo dos vivos e começa a varrer a China, vencendo todos os mestres do kung fu. Assim, Po deve reunir e treinar todos os pandas de sua vila para derrotá-lo.

A dupla Hans Zimmer e John Powell assinou os scores dos dois filmes anteriores, bem na época em que o músico inglês, o mais bem sucedido das crias da Remote Control, já havia saído de debaixo das asas do seu mestre e começava a alçar voos cada vez mais altos. Desta vez, com Powell ocupado com Peter Pan (Pan, 2015) e o novo capítulo da franquia A Era do Gelo, coube ao compositor alemão escrever a trilha para o terceiro sozinho – ou melhor, tão sozinho quanto é possível numa trilha de Zimmer. Em geral, na maioria dos trabalhos recentes do músico germânico em animações (especialmente nas da DW), seu envolvimento pessoal não é tão grande como em outros longas, apesar de ser ele quem assina o score. No caso aqui, ele teve a ajuda de Lorne Balfe (que parece ter escrito a maior parte da música) e Paul Mounsey, creditados como compositores de “música adicional” no encarte. Por outro lado, o alemão conseguiu convencer alguns músicos orientais de renome mundial a emprestarem seus talentos para a trilha, como o violoncelista Jian Wang e o famoso pianista Lang Lang, que já havia colaborado com Alexandre Desplat em O Despertar de Uma Paixão (The Painted Veil, 2006), por exemplo.

Disposto a manter a coesão musical, Zimmer trouxe de volta alguns dos temas anteriores da saga, como o tema do Mestre Oogway, o tema “Zen”, e mesmo os que decididamente eram de autoria de Powell, como o tema dos Cinco Furiosos, formando a base da música de ação. Além disso, a trilha contribui com dois temas novos. O primeiro deles, dedicado a representar o vilão Kai, é na realidade uma versão orquestrada da canção I’m So Sorry, da banda de rock Imagine Dragons. Não, não é um plágio ou algo assim: na verdade, aparentemente foi uma escolha artística de Zimmer, e a banda foi creditada pelo uso de sua música no encarte do disco. O outro, escrito por Balfe, representa a relação entre Po e seu pai biológico, e é uma bonita e tocante melodia, que ganha sua própria (e ótima) suíte na faixa Father and Son.

A música se encaixa no estilo mais cômico e movimentado dos filmes da DW, o que significa que ela começa agitada e prossegue assim até o final. Porém, ao invés de representar dinamismo musical, indica justamente o contrário: de que é uma trilha exaustiva de se ouvir. O que é realmente uma pena, pois, nos momentos de respiro os resultados são soberbos: a primeira faixa, Oogway’s Legacy, traz uma bela performance do tema da sábia tartaruga (o mais memorável das três trilhas) no piano de Lang e no cello de Jian. Os dois instrumentistas, por sua vez, são ótimas adições para faixas como a sensível Portrait of Mom. Estranhamente, Lang é creditado por uma participação na faixa Po Belongs, embora aqui sua contribuição esteja soterrada em meio à ação orquestral incessante.

The Panda Village, por sua vez, traz a primeira apresentação do tema da família de Po no score, com orquestrações grandiosas e coro feminino. Ainda que a influência da recente As the Jurassic World Turns, da trilha de Michael Giacchino para o dino-thriller do ano passado, seja perceptível, por pouco mais de 2 minutos os compositores responsáveis oferecem alguns dos momentos mais vibrantes de todo o trabalho – antes, porém, de voltar a mais mickeymousing, ao fim da faixa. Mas sua melhor interpretação, porém, é em The Dragon Warrior, na qual ganha arranjos heroicos e grandiosos na orquestra, com acompanhamento de coral e percussão.

A música de ação segue o estilo estabelecido de trilhas como O Cavaleiro Solitário (The Lone Ranger, 2013) ou Piratas do Caribe, por exemplo. Nesse sentido, o tema de Kai faz com que o score ganhe um ar imponente, e a decisão de baseá-lo numa canção de rock foi fundamental para isso, pois retrata o vilão quase como um rockstar de sua época. Seja como for, não é a primeira vez que Zimmer procurou adicionar um tempero de rock à sua orquestra (ele já tinha tentado algo similar nos filmes da saga de Jack Sparrow ou em Rango, por exemplo), mas, mesmo assim, os resultados são ótimos. O tema do vilão surge interpretado num koto (espécie de cítara oriental, aqui dublando a guitarra) e tem uma presença impressionante em faixas como The Arrival of Kai, a interessante The Legend of Kai, a enérgica Po Belongs (no qual aparece num embate com o tema dos Cinco Furiosos e o do Mestre Oogway), e depois com toda a orquestra e coral na vibrante e colorida The Battle of Legends. Esta última ainda faz parte de um clímax que também inclui a excitante The Spirit Realm e a citada The Dragon Warrior, além da conclusiva Passing the Torch.

De certa forma, a falta de Powell não atrapalhou a trilha, pois Zimmer e seu (enorme) time conseguiram criar um score divertido e animado, superior ao do primeiro filme da saga e empatado com o segundo. Para os associados do músico alemão, as animações costumam ser (na maioria dos casos) um terreno mais fértil do que os filmes em live action, ao criar trilhas que se encaixam bem nos longas e ainda rendem discos divertidos e animadores. A partitura de Kung Fu Panda 3 pode não ter a carga emocional de scores dos “bons tempos” como O Rei Leão (The Lion King, 1994) e O Príncipe do Egito (The Prince of Egypt, 1998), mas ainda é um trabalho energético e bem humorado da turma da Remote Control.

Faixas:

1. Oogway’s Legacy (02:01) Featuring piano solos by Lang Lang
2. Hungry For Lunch (01:15)
3. The Power Of Chi (04:12)
4. The Arrival Of Kai (02:01)
5. A New Father (03:13)
6. The Hall Of Heroes (03:00)
7. The Legend Of Kai (04:02)
8. The Panda Village (03:40)
9. Mei Mei’s Ribbon Dance (02:05)
10. Jaded (03:54)
11. How To Be A Panda (01:54)
12. Portrait Of Mom (01:49) Featuring piano solos by Lang Lang
13. Po Belongs (02:52) Featuring piano solos by Lang Lang
14. Kai Is Closer (03:15)
15. Two Fathers (03:12)
16. The Battle Of Legends (03:32)
17. The Spirit Realm (03:18)
18. The Dragon Warrior (02:51)
19. Passing The Torch (04:15)
20. Father And Son (03:00) Theme by Lorne Balfe
21. Kung Fu Fighting (Celebration Time) (02:59) Performed by Shanghai Roxi Musical Studio Choirs and Metro Voices, London
22. Try (04:00) Performed by Patrick Brasca featuring Jay Chou
23. Kung Fu Fighting (03:05) Performed by The Vamps

Duração total: 69:25

Tiago Rangel
Anúncios