sicario_CDMúsica composta por Jóhann Jóhannsson
Selo: Varèse Sarabande
Catálogo: 302 067 369 1
Lançamento: 18/10/2015
Cotação: star_3

Atualmente em cartaz nos cinemas brasileiros, o thriller Sicario: Terra de Ninguém (Sicario, 2015) traça um panorama sombrio e realista da situação na fronteira entre os EUA e o México, com os poderosos cartéis de drogas guerreando entre si e com a polícia por mais poder e controle, sempre ao custo de vidas inocentes. Tudo isso é visto pelos olhos do imoral agente da CIA Matt Graver (Josh Brolin), do perigoso Alejandro (Benicio Del Toro), que pode ou não ajudar os agentes americanos, e da policial Kate Macer (Emily Blunt), que logo vê seu idealismo massacrado frente à violência e a corrupção de seus próprios colegas. O longa é dirigido por Denis Villeneuve, um talentoso cineasta franco-canadense que vem chamando a atenção nos últimos anos com suas obras, e com Sicario não é diferente: o filme foi aclamado pela crítica, e inclusive possui chances de concorrer a uma certa estatueta dourada no fim do ano, principalmente para o diretor de fotografia (o lendário Roger Deakins) e o compositor Jóhann Jóhannsson.

Nascido na Islândia, Jóhannsson musicou a estreia de Villeneuve no cinema americano, o suspense Os Suspeitos (Prisoners, 2013), um score minimalista, quieto, porém sombrio e misterioso. Assim como ela, Sicario é igualmente pesada (nenhum dos dois filmes é uma comédia romântica alegre e divertida), porém, ao comparar as duas, é perceptível que a abordagem de Jóhannsson foi bastante diferente. Em Os Suspeitos, sua música tinha a missão de acompanhar a ambientação fria e chuvosa dos estados mais ao norte dos EUA, além dos temas quase religiosos de culpa e pecado do longa, e para isto ele criou um tema triste para violinos, que lembrava os trabalhos mais minimalistas do currículo de James Horner, como Casa de Areia e Névoa (House of Sand and Fog, 2003) e O Menino do Pijama Listrado (The Boy in the Stripped Pajamas, 2008), além das partes mais abstratas de Coração Valente (Braveheart, 1995) e O Novo Mundo (The New World, 2005). Já para Sicario, passado no consideravelmente mais quente deserto de Sonora, era necessário acompanhar a tensão quase sufocante e a sensação de ameaça e perigo iminente que acompanha os personagens durante toda a projeção. Assim, sua música constrói uma atmosfera extremamente carregada e ameaçadora, que não oferece em momento algum alívio ao espectador. Lembra um pouco a trilha de Alexandre Desplat para A Hora mais Escura (Zero Dark Thirty, 2012), mas mesmo esta parece um passeio no parque perto do que Jóhannsson atingiu aqui.

As duas faixas iniciais, Armoured Vehicle e The Beast, já mostram como toda a trilha vai ser. A primeira traz ritmos percussivos, quase como um coração batendo repleto de adrenalina, enquanto, ao fundo, notas graves em baixos e metais contribuem para aumentar a sensação de perigo. Já a outra também segue no mesmo estilo, porém com o acréscimo de pulsos eletrônicos e acústicos progressivamente mais altos, como que sublinhando uma ameaça crescente. Boa parte das faixas seguintes são na mesma linha, com a orquestra de Jóhannsson atingindo as notas mais graves, junto à percussão quase “cardíaca” e, vez ou outra, acompanhados por violinos aterrorizantes.

Depois de tanta tensão e dissonância, é apenas na sexta faixa, Desert Music, que podemos ouvir algo que lembra uma melodia, aqui interpretada pelo cello e depois pelas cordas, e representante de toda a tragédia das pessoas que sofrem com os conflitos entre os cartéis de drogas e a polícia. Algumas faixas depois, Melancholia, que é tão alegre quanto seu título sugere, inclui tristes e etéreos violões à orquestração, junto à texturas de cordas, parecidas com as que ele utilizou em Os Suspeitos.

Porém, por mais tristes que possam ser tais faixas, acredite, elas ainda são um alívio perto do clima pesado que Jóhannsson constrói. Em faixas como The Bank, Reflections e Fausto o compositor cria texturas sintetizadas e acústicas, reminiscentes das trilhas de Hans Zimmer para A Origem (Inception, 2010) e Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge (The Dark Knight Rises, 2012). Já Convoy inova ao trazer notas tensas e secas quase raspadas em um baixo, junto à percussão e a trompetes rápidos e dissonantes, que, estranhamente, me lembraram de partes da música de John Williams para os dois filmes da franquia Jurassic Park em que trabalhou, ou da de Don Davis para a trilogia Matrix e A Casa da Colina (House on Haunted Hill, 1999).

Acompanhando o clímax da produção, a brutal Tunnel Music traz efeitos percussivos extremamente graves, novamente lembrando uma palpitação cardíaca, complementada por baixos e violoncelos. Balcony, por sua vez, com sua atmosfera carregada, mostra que qualquer esperança de que a protagonista Kate pudesse ter de acabar com o problema do narcotráfico foi esmagada pela corrupção e pela violência brutal. Assim, as duas últimas faixas, Soccer Game e Alejandro’s Song, soam quase que como uma elegia à tragédia que afeta a região.  Porém, com suas vozes melancólicas manipuladas eletronicamente para parecerem ainda mais fantasmagóricas, seu efeito não é agradável ou belo, mas sim quase excruciante aos ouvidos de quem arriscar uma audição, mostrando que não há nada de “belo” para quem vive o drama do narcotráfico na pele.

Sicario é um drama pesado, pessimista e niilista ao extremo, e a trilha de Jóhannsson reflete isso.  Tal como o longa que o acompanha, ela não oferece nenhum momento de esperança ou de alívio, e nenhuma indicação de que este quadro pode mudar e, por conta disto, no contexto do longa, ela funciona brilhantemente. Porém, ao ser ouvida separada das imagens, fica muito difícil recomendar este álbum, afinal, a música nele contida não foi feita para ser “gostada”. Assim como no score de Sob a Pele (Under the Skin, 2014), é possível apreciar a técnica envolvida e a inteligência utilizada para criar a atmosfera pedida pelo filme, mas quem está atrás de belas melodias, temas grandiosos ou orquestrações mais “agradáveis” aos ouvidos deve procurá-las em outro lugar.

Faixas:

1. Armoured Vehicle (01:41)
2. The Beast (03:13)
3. The Border (02:58)
4. Drywall (02:34)
5. Explosion (01:06)
6. Desert Music (05:07)
7. Target (02:03)
8. Convoy (02:57)
9. The Bank (02:03)
10. Surveillance (01:29)
11. Reflection (01:56)
12. Melancholia (04:38)
13. Night Vision (03:45)
14. Tunnel Music (04:40)
15. Fausto (02:18)
16. Balcony (01:36)
17. Soccer Game (04:20)
18. Alejandro’s Song (05:47)

Duração total: 54:11

Tiago Rangel
Anúncios