classicos_scifi_menu2

Resenha de DVD: CLÁSSICOS SCI-FI



classicos_scifi_dvdTHEY LIVE – IT CAME FROM OUTER SPACE – FORBIDDEN PLANET – TERRORE NELLO SPAZIO/PLANET OF THE VAMPIRES – THESE ARE THE DAMNED – LOGAN’S RUN
Produção: 1953 – 1956 – 1963 – 1965 – 1976 – 1988
Duração: 575 min.
Direção: John Carpenter, Jack ArnoldFred M. Wilcox, Mario Bava, Joseph Losey, Michael Anderson
Elenco: Roddy Piper, Keith David,  Meg Foster, Richard Carlson, Barbara Rush, Walter Pidgeon, Anne Francis, Leslie Nielsen, Barry Sullivan, Norma Bengell, Ángel ArandaMacDonald Carey, Shirley Anne Field, Oliver Reed, Michael York, Richard Jordan, Jenny Agutter, Farrah Fawcett
Vídeo: 1.33:1 – 1.85:1 – 2.35:1 – 2.40:1 (Widescreen Anamórfico)
Áudio: Inglês (Dolby Digital 5.1, Dolby Digital 3.0, Dolby Digital 2.0)
Legendas: Português
Região: 4
Distribuidora: Versátil Home Video
Discos: 3 DVD-9
Lançamento: 14/04/2015
Cotações (Médias): Som: ***½ Imagem: **** Filmes: **** Apresentação e Extras: **** Geral: ****

classicos_scifi_menu1SINOPSE
Disco 1
ELES VIVEM (1988, 94 min.) – De John Carpenter. Operário descobre um par de óculos que o permite ver que alienígenas dominaram a Terra, controlando os humanos através de propagandas subliminares.
A AMEAÇA QUE VEIO DO ESPAÇO (1953, 80 min.) – De Jack Arnold. No interior do Arizona, um astrônomo descobre que uma espaçonave caiu no deserto, mas ninguém acredita nele. Quando moradores começam a desaparecer, ele decide investigar.

Disco 2
O PLANETA PROIBIDO (1956, 99 min.) – De Fred M. Wilcox. Inspirado em “A Tempestade”, de William Shakespeare, o filme  conta a história de uma expedição enviada para verificar uma colônia de cientistas em um planeta distante.
O PLANETA DOS VAMPIROS (1965, 88 min.) – De Mario Bava. Em um futuro distante, uma missão de investigação parte em rumo ao planeta Aura. Ao chegar, a tripulação começa a lutar entre si, sem compreender o motivo.

Disco 3
OS MALDITOS (1963, 95 min.) – De Joseph Losey. Um turista americano, o jovem líder de uma gangue e sua problemática irmã acabam presos num complexo secreto que faz experiências com crianças.
FUGA NO SÉCULO 23 (1976, 119 min.) – De Michael Anderson. No século 23, a vida é perfeita e cheia de prazeres. Porém, aos 30 anos, todos devem morrer. Quando chega a sua vez, Logan resolve fugir.

classicos_scifi_menu2

COMENTÁRIOS
Hoje, quando os estúdios de Hollywood investem milhões de dólares em blockbusters de ficção científica, pode parecer estranho que o gênero, que surgiu praticamente junto com o Cinema, até meados dos anos 1950 era considerado menor, recebendo filmes de baixo orçamento feitos principalmente para preencher os programas duplos dos drive-ins. O que, obviamente, não impediu que várias dessas antigas produções sejam hoje consideradas clássicas, ou pelo menos objeto de culto. É o caso de A AMEAÇA QUE VEIO DO ESPAÇO (IT CAME FROM OUTER SPACE, 1953), primeiro longa sci-fi dirigido por Jack Arnold e que teve por base um conto do renomado escritor Ray Bradbury. É um filme barato, rodado em preto e branco mas em 3D (aparentemente os elementos tridimensionais hoje estão irremediavelmente perdidos), sem nomes importantes no elenco (Richard Carlson ficou estereotipado nesse tipo de filme, e Barbara Rush é mais lembrada por ter sido viúva de Jeffrey Hunter), e que à época do seu lançamento teve boa recepção. Nele se repete um tema comum ao gênero – alienígenas que se apossam do corpo dos habitantes de uma cidadezinha no interior dos EUA (Arizona). A diferença é que, ao contrário da maioria das produções da época, os extraterrestres não eram verdadeiramente malignos, pois só queriam consertar sua nave para retomarem sua viagem. O longa termina em tom otimista, antevendo um futuro onde também a raça humana iria aventurar-se ao espaço para encontrar novas civilizações.

Este parece ser o futuro retratado em O PLANETA PROIBIDO (FORBIDDEN PLANET, 1956), uma das raras produções de ficção científica classe A de um grande estúdio lançadas naquele período. O longa foi o precursor das grandes space operas cinematográficas e também teve grande influência na televisão, tendo inspirado JORNADA NAS ESTRELAS. Com direção de Fred M. Wilcox e baseado numa história de Irving Block e Allen Adler, que por sua vez inspirou-se em “A Tempestade” de Shakespeare, o filme possui uma trama elaborada com elementos freudianos. No entanto, também é um espetáculo visual, filmado a cores e em CinemasCope, com efeitos de ponta para a época e que também agradou às plateias mais jovens com suas visões de outro mundo, um poderoso monstro invisível e, obviamente, um dos robôs mais famosos do Cinema, Robby. Leslie Nielsen, que já na maturidade se consagrou como ator de comédias besteirol, é o galante Comandante da nave de exploração, mas dele roubam a cena o veterano Walter Pidgeon, cujos sentimentos incestuosos reprimidos em relação à sua filha (Anne Francis, sempre de minissaia) materializam-se no Monstro do Id, e, obviamente, Robby. Um clássico indiscutível.

classicos_scifi_menu3

Em outra escala e bem menos conhecida, OS MALDITOS (THESE ARE THE DAMNED, 1963) é uma produção em preto e branco da Hammer inglesa que, antes de tê-la assistido nesta antologia, desconhecia por completo. De início a confundi com A ALDEIA DOS AMALDIÇOADOS (VILLAGE OF THE DAMNED, 1960), este sim um clássico que poderia ter sido incluído em seu lugar. Fortemente influenciado pela cultura Beatnik da época e pela paranoia da Guerra Fria, é um filme irregular, que começa parecendo mais uma história de “juventude transviada”, mudando de tom a partir do momento em que os protagonistas (incluindo o então muito jovem Oliver Reed como o líder de uma gangue de motoqueiros) descobrem nove crianças radioativas sendo mantidas em isolamento numa base militar. O longa pelo menos tem o mérito de ser um dos primeiros a mostrar projetos governamentais secretos e teorias da conspiração, elementos que estariam em voga nas décadas seguintes.

Mais notório é O PLANETA DOS VAMPIROS (TERRORE NELLO SPAZIO/PLANET OF THE VAMPIRES, 1965), do diretor italiano cult Mario Bava. Com um elenco internacional que inclui o norte-americano Barry Sullivan e a brasileira Norma Bengell, esta space opera combina com boa eficácia os gêneros ficção científica e terror, tendo aparentemente sido uma das grandes influências no, este sim clássico, ALIEN – O OITAVO PASSAGEIRO (ALIEN, 1979). O nível da produção, para um filme europeu do gênero, é bom, o desenho de produção é criativo, e ao final a trama reserva uma surpresa. Mas você terá de relevar os efeitos visuais precários (em algumas cenas dá para perceber claramente que o modelo da nave espacial foi filmado dentro de um aquário, com direito a bolhas de ar e tudo) e, apesar do que sugere o equivocado título, não espere ver vampiros, já que os humanos possuídos pelos alienígenas do planeta moribundo estarem mais para zumbis.

Um tema caro à ficção científica é o futuro distópico, hoje representado por filmes baseados em sagas literárias para jovens adultos (JOGOS VORAZES, DIVERGENTE, MAZE RUNNER, etc.). Nessa linha, um dos melhores exemplares da década de 1970 é FUGA NO SÉCULO 23 (LOGAN’S RUN, 1976), dirigido por Michael Anderson e que até deu origem a uma série de TV de curta duração. Basicamente os elementos tradicionais desse tipo de filme estão lá – uma sociedade aparentemente perfeita, onde fome e guerra não mais existem mas cuja utopia cobra um alto preço, e rebeldes que se insurgem contra o sistema. É uma produção caprichada, que décadas atrás assisti no cinema em 70mm, com som multicanal (algo raro na época, especialmente no Brasil), tendo ótimos efeitos de miniaturas de L.B. Abbott (que por muitos anos foi chefe do departamento de efeitos especiais da Fox), mas com um desenho de produção datado que reflete a então nascente cultura disco. Jenny Agutter, que protagoniza o filme – também de minissaia – ao lado de Michael York, fez recentes pontas em OS VINGADORES (THE AVENGERS, 2012) e CAPITÃO AMÉRICA 2: O SOLDADO INVERNAL (CAPTAIN AMERICA: THE WINTER SOLDIER, 2014). Então famosa pelo seriado AS PANTERAS, a já falecida Farrah Fawcett fez aqui sua estreia no cinema em um pequeno papel.

classicos_scifi_menu5

E por fim chegamos aos filme mais recente desta antologia, o cultuado ELES VIVEM (THEY LIVE, 1988), do diretor John Carpenter. Tendo à frente do elenco o recentemente falecido lutador de luta-livre Roddy Piper, secundado por Keith David e Meg Foster, o longa traz um dos mais ácidos e bem humorados comentários sociais da filmografia de Carpenter. Que melhor maneira de criticar a sociedade de consumo do que mostrar alienígenas controlando a humanidade através de mensagens subliminares enviadas através da televisão e de outras mídias? Com efeitos cartunescos e a hilária aparência real dos alienígenas (que, assim como as mensagens subliminares, só pode ser revelada com o uso de óculos especiais), o filme também investe em cenas de ação macho – afinal, foi lançado em um período dominado pelos grandes astros de ação Stallone, Norris e Schwarzenegger. Mas é a crítica social, temperada por uma interessante irreverência, que lhe dá um charme todo especial. ELES VIVEM, com roteiro e direção precisos de Carpenter (que como roteirista usou o pseudônimo Frank Armitage), esbanja ironia e inteligência – algo que infelizmente faltou na maior parte da produção posterior do diretor.

SOBRE O DVD
CLÁSSICOS SCI-FI é outra das caprichadas coletâneas da independente Versátil, que coloca em nosso mercado, com ótima qualidade, filmes disponíveis no exterior mas “esquecidos” por outras distribuidoras daqui (O PLANETA PROIBIDO, por exemplo, foi lançado nos EUA pela Warner em um Blu-ray que, inclusive, possui legendas e dublagem em português). Mais uma vez, de lamentar este lançamento somente em DVD, contudo ressalvando que alguns destes títulos nem lá fora existem em alta definição. Temos três DVDs de dupla camada contendo seis filmes e extras, acondicionados em uma embalagem digistack envolta por uma caprichada luva de cartolina. Além dos discos, foram incluídos seis cards que reproduzem os cartazes originais de cinema.

Os filmes foram rodados em preto e branco ou a cores, e em diferentes formatos de tela. Exceto por A AMEAÇA QUE VEIO DO ESPAÇO, que possui aspect ratio 1.33:1, eles ganharam transferências anamórficas. Todos passaram por algum tipo de remasterização ou restauração, e a qualidade da imagem é muito boa para os padrões do DVD. Nitidez e contraste são satisfatórios, e danos e/ou sujeiras de película praticamente inexistem. De destacar o ótimo trabalho de autoração no que se refere à compressão, já que mesmo colocando dois filmes e, por vezes, vários extras em um único disco, artefatos e outras anomalias digitais, ainda que por vezes surgindo, são praticamente imperceptíveis.  Como de hábito, para poupar espaço em disco, não foram incluídas dublagens em português, apenas faixas Dolby Digital em inglês, de qualidade variável, sendo que A AMEAÇA QUE VEIO DO ESPAÇO tem uma incomum mixagem 3.0. Longas mais recentes como FUGA NO SÉCULO 23 e ELES VIVEM, que já possuíam áudio original multicanal, em Dolby Digital 5.1 levam óbvia vantagem em quesitos como fidelidade, espacialidade e graves. Temos legendas apenas em português, e os menus, estáticos mas bonitos, reproduzem imagens dos filmes.

classicos_scifi_menu4EXTRAS
O material suplementar de CLÁSSICOS SCI-FI está distribuído pelos três discos, e foi extraído das correspondentes edições em DVD ou Blu-ray disponíveis no exterior. A maior quantidade de extras é dedicada a ELES VIVEM e PLANETA PROIBIDO. Os vídeos possuem formatos de tela variados (widescreen ou standard), conforme a fonte original, e todos foram legendados em português:

Disco 1

  • Entrevista de John Carpenter (9:15 min) – Featurette de ELES VIVEM com muitas cenas de bastidores e do próprio filme, no qual o diretor Carpenter fala sobre os vários aspectos da produção, suas inspirações, influências, curiosidades, etc.;
  • Especial sobre ELES VIVEM (10:28 min.) – Originalmente intitulado Watch, Look, Listen: The Sights and Sounds of THEY LIVE, este segmento traz depoimentos da equipe e do diretor sobre os aspectos visuais (fotografia, trabalho dos dublês) e sonoros (efeitos sonoros, trilha musical), combinados com cenas de bastidores e do filme;
  • Making of de ELES VIVEM (8 min.) – Especial de divulgação produzido na época do lançamento do filme (1988), com material de bastidores e vários depoimentos. Trechos dele foram utilizados nos featurettes anteriores;
  • Comerciais de ELES VIVEM (2 min.) –  Não são os comerciais de divulgação, mas sim a íntegra daqueles que são parcialmente exibidos durante o filme;
  • Spots de TV (1;56 min.) – Agora sim, temos aqui quatro comerciais para a TV de ELES VIVEM;
  • Trailer (1:54 min.) – Trailer original de ELES VIVEM, que por um erro de autoração será repetido ad infinitum até que você aperte a tecla do menu no controle do seu reprodutor de DVD;
  • Trailer de A AMEAÇA QUE VEIO DO ESPAÇO (1:22 min.): Trailer original do filme.

classicos_scifi_menu6Disco 2

  • Making of de O PLANETA PROIBIDO (26 min.) – Com o título original Amazing! Exploring the Far Reaches of FORBIDDEN PLANET, este é um informativo documentário sobre diversos aspectos da produção (efeitos visuais, trilha sonora), a importância histórica para a ficção científica cinematográfica (sua condição de filme sci-fi classe A, etc.), e muito mais. Tudo recheado com vários depoimentos, imagens de bastidores e cenas do filme;
  • A Criação do Robô Robby (13:21 min.) – Segmento dedicado à criação e à história do famoso, polido e culto robô, que posteriormente faria outras aparições no cinema e na TV. Robert Kinoshita, o designer de Robby, também foi o criador do robô B9 da série PERDIDOS NO ESPAÇO, sendo que ambos chegaram a se enfrentar no episódio “A Guerra dos Robôs”;
  • Créditos de Abertura e Final da Versão Italiana de O PLANETA DOS VAMPIROS (2:49 min.) – Para a sua curiosidade, temos aqui os créditos (em preto e branco) da versão italiana original do filme;
  • Depoimento de Joe Dante sobre O PLANETA DOS VAMPIROS (3:46 min.) – Em um episódio da websérie Trailers From Hell, o diretor Joe Dante dá o seu depoimento sobre o filme;
  • Depoimento de Josh Olson sobre O PLANETA DOS VAMPIROS (2:27 min.) – Outro episódio de Trailers From Hell, dessa vez com Josh Olson;
  • Trailer de O PLANETA PROIBIDO (3:47 min.) – Trailer original do filme;
  • Trailer de O PLANETA DOS VAMPIROS (2:20 min.) – Trailer original do filme.

Disco 3

  • Trailer de FUGA NO SÉCULO 23 (2:40 min.) Trailer original do filme;
  • Trailer de  OS MALDITOS (2:50 min.) – Trailer original do filme.

Jorge SaldanhaEnhanced by Zemanta

5 opiniões sobre “Resenha de DVD: CLÁSSICOS SCI-FI”

  1. Jorge Saldanha e suas críticas que “pesam” em nossos bolsos (eheheh). Estava em dúvida em comprar ou não esta coleção, e após a leitura da impecável crítica fiz imediatamente o pedido. Parabéns!

    Curtir

      1. Comprei, assisti (filmes e extras) e posso dizer sem dúvida: valeu cada centavo! Imagem e som ótimos, filmes escolhidos a dedo e extras sensacionais. Preparado para comprar a segunda caixa, que já está em pré-venda. Obrigado pela dica, Jorge Saldanha!

        Curtir

  2. Muito bom o texto. Gosto muito das resenhas do site.

    Fiquei muito curioso em relação ao lançamento da Versátil com obras do Tarkovsky. The Ivan’s Childhood está disponível em blu-ray pela Criterion, porém o custo é maior que optar pelo box da Versátil. A pergunta que fico me fazendo é se é uma perda tão significativa de qualidade optar por esses boxes em DVD da Versátil.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s