spongebob_2

Resenha: THE SPONGEBOB MOVIE: SPONGE OUT OF THE WATER – John Debney (Trilha Sonora)


spongebob2_CDMúsica composta por John Debney
Selo: Varèse Sarabande
Catálogo: 302 064 224 2
Lançamento: 31/03/2015
Cotaçãostar_3

Segundo filme baseado na incrivelmente duradoura série animada Bob Esponja Calça Quadrada (Spongebob Squarepants), o divertido longa Bob Esponja: Um Herói Fora D’Água (The Spongebob Movie: Sponge Out of Water, 2015) mostra os famosos personagens criados por Stephen Hillenburg saindo do fundo do mar e ganhando superpoderes para recuperar a disputada fórmula do “hambúrguer de siri”, roubada pelo pirata Barba Burguer (Antonio Banderas, pagando o aluguel), que quer usá-la para enriquecer com seu próprio trailer de hambúrguer em forma de navio. O orçamento do longa desta vez foi bem maior do que o de seu antecessor, Bob Esponja: O Filme (The Spongebob Squarepants Movie, 2004), o que permitiu aos produtores contratar um compositor mais renomado do que o desconhecido Gregor Narholz (que realizou um trabalho até bem competente no longa, inclusive indicado ao Annie), no caso, John Debney.

Debney certamente não é estranho a filmes familiares e animações, já tendo feito dezenas deles ao longo de sua carreira, de A Nova Onda do Imperador (Emperor’s New Groove, 2000) a Zé Colmeia: O Filme (Yogi Bear, 2010), passando por Como Cães e Gatos (Cats and Dogs, 2001), Jimmy Neutron: O Menino Gênio (Jimmy Neutron: Boy Genius, 2001) e O Galinho Chicken Little (Chicken Little, 2005), além do ótimo Zathura (idem, 2005) e dois filmes da série Pequenos Espiões (Spy Kids). Ufa! Infelizmente, o lado ruim disso tudo é que quem já ouviu qualquer um desses scores já sabe mais ou menos o que esperar no novo trabalho do compositor.

A bem da verdade, o fato é que animações como essa são voltadas exclusivamente para a comédia e a paródia, com o objetivo de provocar muitas risadas por segundo. Dessa forma, os longas pedem que a música reforcem o caráter cômico da história ao invés de, por exemplo, passar direto pela comédia e, assim, satirizar a suposta “seriedade” da situação – como fazia, por exemplo, o saudoso Elmer Bernstein em sua “fase cômica”, nos anos 1980. O estilo composicional de Debney empregado aqui é mais próximo do mickeymousing, ou seja, de descrever precisamente com a música cada movimento e cada piada dos personagens, criado e empregado à perfeição nas clássicas animações da Disney e da Warner nas décadas de 1930, 1940 e 1950.

Ambas as abordagens são válidas, e o mickeymousing é uma técnica em que o compositor precisa ter domínio de várias linguagens musicais e timing preciso. Porém, ao mesmo tempo em que podemos apreciar o estilo por sua grande dificuldade técnica, ele também revela uma fraqueza: não é particularmente interessante de se ouvir em álbum, fora do filme, pelo simples fato de que a música muda o tempo todo. Há o problema também de que o disco é composto por pequenos cues colados uns nos outros para formar as dezesseis faixas, resultando numa audição incoerente e que logo se torna cansativa.

Por outro lado, isso não quer dizer que a música não possua momentos de pura diversão – obrigatória num score para um filme como esse. Claro, não é nada muito original, e, como já foi dito, qualquer um que tenha ouvido uma das trilhas de Debney para comédias e aventuras familiares já sabe o que esperar aqui. Porém, a já demonstrada excelência do compositor na escrita orquestral, aliada à sua própria experiência em animações, rendem alguns momentos bastante impressionantes. A trilha é interpretada por 85 músicos da Hollywood Studio Symphony, regida pelo próprio compositor, com foco principalmente em metais e sopros.

Muito como o filme, dá para dividir o disco em duas partes. A primeira acompanha o roubo da fórmula do hambúrguer de siri pelo pirata Barba Burguer, e o subsequente caos pós-apocalíptico em estilo Mad Max (idem, 1979) em que a Fenda do Biquíni mergulha. A música aqui abrange uma grande variedade de estilos, indo de cômicos violinos em pizzicato e notas descendentes nas madeiras (ouvidas tipicamente para indicar que algo está caindo, num claro exemplo do citado mickeymousing) a momentos de grandes crescendos dramáticos de falso suspense.

Aqui há o problema da música que varia o tempo todo que, de tão dependente da comédia mostrada na tela, não consegue ter um desenvolvimento maior. Porém, Debney compensa isso com alguma escrita de ação realmente grandiosa, como em Plankton Attack/Tank Defeat/Giant Robot/Trying To Steal Formula (sim, o título da faixa é esse) e Torturing Plankton/Refund. Aqui e ali, ele muda o tom para um jazz à la Henry Mancini, ou para a ficção científica dos anos 1950 com o teremim, para uma marcha vilanesca no estilo da The Imperial March, para os icônicos ataques de violinos de Psicose (Psycho, 1960) ou para um rock mais pesado. Temos também pequenos trechos eletrônicos (como a interessante Intro Bubbles), ao passo em que o pequeno momento de drama ao início de Going To Sleep/Inside SpongeBob’s Brain é genuinamente bonito e acolhedor. Assim, apesar da falta de foco da música, Debney demonstra conhecimento de vários estilos musicais – para parodiar algo, você deve conhecê-lo profundamente.

Barba Burguer, antagonista do longa, ganhou um tema tipicamente pirata. Porém, ao invés das grandiosas melodias heroicas que Debney compôs para sua obra-prima, a trilha de A Ilha da Garganta Cortada (Cutthroat Island, 1995), aqui seu tema está mais para o estilo “yo ho ho e uma garrafa de rum”, do tema de Hans Zimmer para Jack Sparrow. Provavelmente isso foi proposital, afinal, a música de pirataria que as crianças, público alvo do filme, conhecem hoje é a de Piratas do Caribe (Pirates of the Caribbean). O tema aparece logo na primeira faixa, Burger Beard on Island, interpretado de forma grandiosa por metais, com acompanhamento de cordas e percussão. Em seguida, ele se transforma numa típica canção pirata, com flauta, violino e acordeão, em Burger Beard Starts to Read Story, em uma cômica marcha ao início de The End/Get Him e novamente numa grandiosa fanfarra em Stealing Formula Back/Pirate Ship and Food Truck. Mais para a frente, durante o confronto entre os heróis aquáticos e o pirata, ele ganha ares mais ameaçadores (embora nunca assustadores demais) a partir do final de Beachfront Antics/Bike Path Encounters/Home of the Krabby Patty, e depois novamente nas duas últimas faixas.

Aliás, a segunda parte do disco (e do filme), que mostra os personagens no “mundo real” para recuperar a fórmula secreta do pirata, dá a oportunidade de Debney de flexionar seus músculos orquestrais e compor algumas grandiosas fanfarras heroicas para o grupo de super-heróis em que se transformam os personagens, além de muita música de ação para representar o confronto final. Novamente, a falta de direcionamento da música atrapalha um pouco, mas Debney impressiona com alguns motivos realmente nobres para os personagens e muita ação, conflitando as fanfarras heroicas com o tema do Barba Burguer, demonstrando a batalha entre eles, em especial em Story Rewrites/Invincabubble, Chasing Burger Beard/Team Worked e Not So Fast Burger Beard/Plankton/Real Teamwork.

Como dá para ver, é uma trilha que demonstra novamente o talento de Debney para escrever nos mais variados estilos, embora a necessidade de mudar o estilo musical o tempo todo possa irritar a maioria dos ouvintes. O score está repleto de bons momentos, porém, estes vem em pequenas doses, minúsculos trechos aqui e ali, que geralmente duram poucos segundos. Enfim, é uma trilha bem escrita e colorida, mas que dificilmente dá para lembrar de algo ao terminar, muito como a maioria do trabalho de Debney no gênero. Apesar disso, são cinquenta minutos relativamente divertidos, que entretêm enquanto duram.

Faixas:

1. Burger Beard On Island (03:09)
2. Burger Beard Starts To Read Story (00:35)
3. Plankton Attack / Tank Defeat / Giant Robot / Trying To Steal Formula (04:07)
4. Torturing Plankton / Refund (03:18)
5. Escaping In A Bubble (02:33)
6. The End / Get Him (05:06)
7. Going To Sleep / Inside SpongeBob’s Brain (02:09)
8. Getting The Key / Plankton Rescues Karen (01:53)
9. Intro Bubbles (02:08)
10. Stealing Formula Back / Pirate Ship And Food Truck (02:53)
11. My Very Own Food Truck / Sandy Proposes Sacrifice (01:49)
12. Bubbles To The Rescue / Beach Search For Krabby Pattys (03:56)
13. Beachfront Antics / Bike Path Encounters / Home Of The Krabby Patty (02:54)
14. Story Rewrites / Invincabubble (02:50)
15. Chasing Burger Beard / Team Worked (04:04)
16. Not So Fast Burger Beard / PlankTON / Real Teamwork (05:47)

Duração: 49:11

Tiago Rangel

Uma opinião sobre “Resenha: THE SPONGEBOB MOVIE: SPONGE OUT OF THE WATER – John Debney (Trilha Sonora)”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s