twin_peaks_cast

Resenha de Arquivo: TWIN PEAKS – Angelo Badalamenti (Trilha Sonora)


twinpeaksCDMúsica composta por Angelo Badalamenti
SeloWarner Bros. Records
Catálogo:   26136 2
Lançamento: 31/08/1990
Cotaçãostar_5

O recente anúncio de que a memorável série do cineasta David Lynch e do produtor Mark FrostTwin Peaks (1990-1991), finalmente ganhará uma continuação, é uma boa oportunidade para revisitarmos sua bela trilha sonora, composta por Angelo Badalamenti – habitual colaborador de Lynch. Este CD original norte-americano foi um dos primeiros que comprei, porém o álbum, pelo que me recordo, chegou ao Brasil somente em LP, em 1991, aproveitando a primeira exibição da série por aqui.

Como é comum na citada rede de TV, a série foi mutilada, o que colaborou para que ela não tivesse por aqui a mesma repercussão que teve nos EUA. E o horário – domingos, após o indefectível Fantástico – também não ajudou em nada. Apesar disso, mesmo aqui a sua trilha sonora, para mim a obra-prima de Badalamenti, acabou sendo um sucesso entre os apreciadores da boa música, e aqui não me refiro apenas aos Scoretrackers.

Contando com alguns temas com letras de Lynch, a música de Twin Peaks teve boa aceitação pelo público porque, além de extremamente eficiente como reforço dramático aos aspectos peculiares da trama, sendo muito mais que uma mera peça acessória no seriado, ela pode ser perfeitamente apreciada também fora do contexto para o qual foi composta. Em suma, é facilmente percebida como música da melhor qualidade, tenha você assistido ou não à série.

Badalamenti foi trazido ao projeto antes mesmo de que qualquer cena houvesse sido filmada, e para gravar a trilha tratou de arregimentar um grupo de excelentes músicos de estúdio. Lynch solicitou ao compositor que criasse um tema principal que fosse, ao mesmo tempo, dark, melódico e belo, com variações que sugerissem ao espectador o clima bucólico da cidadezinha de Twin Peaks e o suspense da trama. O resultado é o inesquecível “Twin Peaks Theme”, um dos mais belos temas de abertura já compostos para a TV. A música nos transmite a beleza e a tranqüilidade do lugar, porém possui um tom melancólico que nos sugere que este não é o paraíso que aparenta ser: seus habitantes possuem muitos e sombrios segredos.

Outra peça de resistência da trilha sonora é “Laura Palmer’s Theme”, dedicada à jovem cuja morte dá início à trama da série. A composição inicia sombria e grave, com uma abertura pesada à base de sintetizadores que é recorrente em outras faixas do CD, mas progressivamente, atinge um momento de beleza arrebatadora quando o piano interpreta uma melodia suave. Posteriormente a música volta aos tons sombrios, enfatizando a vida dupla que a personagem mantinha.

Outra personagem, a maluquete Audrey Horne, tem em “Audrey’s Dance” um tema mais do que apropriado, ouvido pela primeira vez na série quando ela, para atrair a atenção de um grupo de empresários suecos, ensaia uma lânguida dança, como se estivesse em transe. A bateria sutil de Grady Tate, os sopros de Al Regni e Eddie Daniels, complementados pelos sintetizadores de Badalamenti e Kinny Landrum marcam o clima cool jazz de “Freshly Squezed”, que sofrem acréscimo de guitarras, sempre em vibrato, em “The Bookhouse Boys”.

“Night Life in Twin Peaks” e “Love Theme from Twin Peaks” funcionam mais como música incidental tradicional em vários episódios, esta última sendo uma variação do tema de Laura Palmer. Outro tema instrumental de destaque é “Dance of The Dream Man”. Apresentando o sax tenor de Al Regni, o tema é ouvido quando, no antológico primeiro sonho do Agente do FBI Dale Cooper, o anão que fala de trás para a frente começa uma dança bizarra. A cantora Julee Cruise, que já trabalhara com Badalamenti em outros trabalhos, pode ser ouvida na bela “The Nightingale”, na qual se destacam os acordes em vibrato das guitarras de Vinnie Bell e Eddie Dixon. Ela faz o vocais também na lúgubre “Into The Night” e “Falling”, esta a versão vocal do tema principal.

Enfim, mesclando elementos de jazz e rock, a trilha sonora de Twin Peaks possui uma  beleza que cativa o ouvinte, e faz dela um dos melhores trabalhos já compostos para a televisão, em todos os tempos. Trilha, aliás, que não foi igualada nem pelo próprio Badalamenti no longa derivado Twin Peaks: Os Últimos Dias de Laura Palmer. Vamos agora torcer para que o veterano compositor retome a parceria com Lynch na minissérie de nove episódios que será exibida em 2016, e que novamente nos hipnotize com sua música atemporal.

Faixas:

1. Twin Peaks Theme (04:45)
2. Laura Palmer’s Theme (05:08)
3. Audrey’s Dance (05:15)
4. The Nightingale (04:54)
vocal by Julee Cruise
5. Freshly Squeezed (03:48)
6. The Bookhouse Boys (03:24)
7. Into The Night (04:42)
vocal by Julee Cruise
8. Night Life In Twin Peaks (03:23)
9. Dance Of The Dream Man (03:39)
10. Love Theme From Twin Peaks (04:34)
11. Falling (05:18)
vocal by Julee Cruise

Duração: 48:50

Jorge Saldanha

Uma opinião sobre “Resenha de Arquivo: TWIN PEAKS – Angelo Badalamenti (Trilha Sonora)”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s