shield_s1

Resenha: MARVEL’S AGENTS OF S.H.I.E.L.D. – THE COMPLETE FIRST SEASON (Blu-ray UK)


mas_S1_BDMARVEL’S AGENTS OF S.H.I.E.L.D. – THE COMPLETE FIRST SEASON
Produção: 2013-2014
Duração: 946 min.
Direção: Joss Whedon, Vários
Elenco: Clark GreggMing-Na WenChloe Bennet, Iain De Caestecker, Elizabeth Henstridge, Samuel L. Jackson, Cobbie Smulders, Bill Paxton, Ruth Negga, Saffron Burrows, Adrian Pasdar
Vídeo: 1.78:1 (1080p/AVC MPEG-4)
Áudio: Inglês (DTS-HD Master Audio 5.1)
Legendas: Português, Inglês, Espanhol, Tailandês, Francês
Região: A, B, C
Distribuidora: Disney / Buena Vista
Discos: 5 (50GB)
Lançamento: 15/10/2014
Cotações: Som: star_4_5 Imagem: star_4_5 Série: star_3_5 Extras & Menus: star_3 Geral: star_4 

SINOPSE
Após sua aparente morte em OS VINGADORES, o agente Phil Coulson (Clark Gregg) retorna para a S.H.I.E.L.D., a organização de execução da lei. Ali, recebe carta branca do diretor Nick Fury (Samuel L. Jackson) para montar um pequeno mas altamente treinado grupo de agentes para lidar com o estranho e o desconhecido, em casos que envolvem pessoas com poderes extraordinários e artefatos alienígenas.

AgentsOfSHield_2COMENTÁRIOS
Em 2013 a Marvel Studios decidiu dar mais um passo ousado: o de estender, para a TV, seu universo cinematográfico integrado com a série live action MARVEL’S AGENTS OF S.H.I.E.L.D. Para coordenar a missão foi escalado o produtor, diretor e roteirista Joss Whedon, recém saído do esmagador sucesso de bilheteria OS VINGADORES. Após dirigir e escrever o piloto, Whedon deixou o dia-a-dia da série a cargo dos parceiros e familiares habituais, seu irmão Jed e a cunhada Maurissa Tancharoen (DOLLHOUSE, SPARTACUS).

A série iniciou com bastante ação e lidando com as consequências do ataque alienígena a Nova York, acontecido no final de OS VINGADORES, e introduzindo o personagem que se tornaria o cibernético anti-herói Deathlok. Devido ao grande sucesso dos filmes, a expectativa com a série era enorme, e logo os fãs começaram a reclamar da predominância de personagens nunca vistos no cinema e nos quadrinhos. Também não ajudou o fato de em S.H.I.E.L.D. repetir-se algo comum nas séries que levam a assinatura de Whedon: apesar do grande potencial, custou a engrenar, com alguns “casos da semana” medíocres e atores que demoraram para entrar nos personagens e cativar os espectadores – a exceção, no caso, foi o protagonista Agente Coulson (Clark Gregg), já bem estabelecido nos filmes. Como resultado, a metade inicial da sua primeira temporada teve uma gradativa queda de audiência, com os espectadores casuais e boa parte dos fãs abandonando-a em troca de outras opções televisivas.

AgentsOfSHield_3

Mas ao contrário, por exemplo, de DOLLHOUSE, AGENTS OF S.H.I.E.L.D. tem a ela associada a marca da Marvel e um rico universo cinematográfico a ser garimpado, e no decorrer da “crise” os realizadores resolveram mudar de rumo. Como seria economicamente inviável – e até mesmo desaconselhável, dadas as dinâmicas diferentes do programa e dos filmes – introduzir nela super-heróis top como Homem de Ferro, Capitão América e Thor, personagens e atores coadjuvantes dos filmes, como os Agentes Maria Hill (Cobbie Smulders), Felix Blake (Titus Welliver) e Jasper Sitwell (Maximiliano Hernández) começaram a ter participações mais recorrentes. O diretor Nick Fury (Samuel L. Jackson), após uma pontinha no segundo episódio, retornou com destaque no season finale. A valente guerreira de Asgard e aliada de Thor, Lady Sif (Jamie Alexander) foi a convidada de um episódio. E bons personagens dos quadrinhos até então inéditos na tela, como Victoria Hand (Saffron Burrows) e John Garrett (Bill Paxton) tiveram participações relevantes.

Mas foi principalmente em decorrência dos eventos de CAPITÃO AMÉRICA 2 – O SOLDADO INVERNAL, que a primeira temporada de MARVEL’S AGENTS OF S.H.I.E.L.D., em sua metade final, deu uma reviravolta para melhor, rumando à indissociável integração com a Fase 2 dos filmes. Os episódios isolados foram deixados de lado, os personagens principais foram colocados em situações extremas (um deles, inclusive, revelou-se como vilão), e com uma trama mais vibrante e serializada garantiu sua renovação. Caso você tenha se decepcionado com a série e a tenha abandonado no início, fica a dica: assistindo-a em sequência, sem as longas pausas  durante sua exibição original televisiva, MARVEL’S AGENTS OF S.H.I.E.L.D., mesmo longe de ser perfeita, ganha outra dinâmica. Fica mais fácil perceber que, apesar de ter se perdido um tempo demasiado para firmar suas bases, sobre elas foi construído um sólido e satisfatório encerramento para o primeiro ano e abriu caminho para uma segunda temporada que, pelo que foi visto até agora, manteve esse melhor nível e servirá de prelúdio para o filme dos INUMANOS previsto para 2019.

shield_bd_box_

SOBRE O BD
A primeira temporada de MARVEL’S AGENTS OF S.H.I.E.L.D. foi lançada em home video nos EUA em setembro do ano passado, no Reino Unido no mês seguinte e está saindo no Brasil somente agora em março, estranhamente apenas em DVD – mesmo que o box Blu-ray UK já traga a opção de legendas PT-BR. Esta, aliás, parece ser a tendência das distribuidoras em nosso mercado, que estão lançando cada vez menos séries em mídia física e ainda menos no mais caro formato BD. Já os serviços de video on demand estão explorando bem esse espaço deixado pelo conteúdo em disco, tanto que a própria AGENTS OF S.H.I.E.L.D. já está disponível na Netflix brasileira, em full HD, desde o ano passado. Desse modo os colecionadores estão ficando privados de possuírem suas séries com a máxima qualidade de vídeo e áudio possível e, no caso do box limitado do Reino Unido, que serviu de base para esta resenha, em uma embalagem com acabamento diferenciado. Os cinco BDs estão acondicionados em uma embalagem digipack de ótima qualidade, e tanto ela como os discos são ilustrados com fotos dos personagens da série. Por fim, o box é envolvido por uma luva bonita e grossa, de textura aveludada e trazendo à frente, em relevo, o logo brilhante da S.H.I.E.L.D.

Os episódios são apresentados em ótimas transferências 1080p/AVC MPEG-4 que reproduzem fielmente a paleta de cores característica da série, tendente para os tons azulados e sombrios. Mesmo assim temos momentos de cores fortes e brilhantes, com saturação equilibrada e tons de pele naturais. Os pretos são fortes, ainda que não tanto em alguns momentos mais escuros. O nível de detalhes, na maior parte do tempo, é excelente (as exceções ficam por conta de algumas cenas com efeitos CGI ou de composição de fundos), com bordas livres de ringing e aliasing. Graças à distribuição dos episódios e extras em cinco BDs de camada dupla, inexistem artefatos, banding, ruídos ou outros subprodutos de compressão de vídeo.

Seria ingenuidade querer comparar o áudio de AGENTS OF S.H.I.E.L.D. com as estrondosas mixagens 7.1 dos longas da Marvel, mesmo assim as faixas originais lossless dos episódios, em inglês DTS-HD Master Audio 5.1, atendem perfeitamente às necessidades da série. O diálogo sempre é claro, e a ambientação é bem distribuída por todos os canais. Nas cenas de ação repletas de explosões e disparos de armas de fogo, os efeitos surround e os graves fornecidos pelo subwoofer são intensos. É, indiscutivelmente, uma das melhores mixagens multicanais televisivas da atualidade. Além do áudio original em inglês, não há opções de dublagens em outros idiomas, e as legendas disponíveis são português do Brasil, inglês, espanhol, tailandês e francês. Os menus animados, que reproduzem as interfaces dos computadores da S.H.I.E.L.D., estão apenas em inglês.

AgentsOfSHield_4

EXTRAS
O material suplementar desta primeira temporada de MARVEL’S AGENTS OF S.H.I.E.L.D. está longe de ser abundante, mas nos dá um insight razoável sobre a produção. Exceto pelos comentários em áudio, o restante foi legendado em português. Como os menus estão apenas em inglês, o título dos vídeos não foi traduzido:

  • Comentários em Áudio – Dois episódios receberam faixas de comentários com a participação de elenco e equipe: “FZZT”, com o co-produtor e roteirista Paul Zbyszewsky e os atores Iain de Caestecker e Elizabeth Henstridge (Fitz e Simmons); e “The Magical Place”, com os co-produtores e roteiristas Rafe Judkins e Lauren LeFranc, e os atores Clark Gregg (Coulson) e Chloe Bennet (Skye).
  • Journey Into S.D.C.C. (HD, 13 min.) – Acompanhamos a ida do elenco principal (Clark Gregg, Chloe Bennet, Ming-Na Wen, Brett Dalton, Elizabeth Henstridge e Iain de Caestecker) à Comic-Con de San Diego em 2013. Lá, participaram do painel dedicado à então estreante série, juntamente com produtores e showrunners. Pena que o próprio painel também não tenha sido incluído;
  • Field Reports (HD, 18 min.) – Cinco featurettes de bastidores sobre momentos de destaque da primeira temporada. São eles “The Malibu Jump”, “The Bridge”, “Asgardian Bar Fight”, “Classified” e “Cello Duet.”;
  • VFX Progressions (HD, 3 min.) – Duas curtas montagens de progressão de efeitos visuais: “Lola Takes Flight” e “Free Falling”;
  • Deleted Scenes (HD, 7 min.) – Temos aqui oito cenas eliminadas de sete episódios: “Debbie’s Alternate Demise” (Pilot), “A Hacker Kind of Life” (The Girl in the Flower Dress), “I Shot Someone” (The Hub), “Worried About Ward” (The Well), “Chopper Found” (The Magical Place), “Simmons Had Boyfriends” (Seeds), “The Smartest Person” (Seeds) and “Only One Person” (Providence).
  • Bloopers of S.H.I.E.L.D. (HD, 7 min.) – Erros de gravação que, além de divertir o elenco, também irão fazê-lo rir.

shield_s1

Jorge Saldanha

2 opiniões sobre “Resenha: MARVEL’S AGENTS OF S.H.I.E.L.D. – THE COMPLETE FIRST SEASON (Blu-ray UK)”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s