zhong_kui_demon

Resenha: ZHONG KUI: SNOW GIRL AND THE DARK CRYSTAL – Javier Navarrete (Trilha Sonora)


Zhong Kui CDMúsica composta por Javier Navarrete
Selo: Lakeshore Records
Catálogo: LKS 344652
Lançamento: 07/04/2015
Cotaçãostar_4

Recentemente, um fenômeno interessante tem ocorrido na Música de Cinema mundial: compositores renomados estão sendo convidados a trabalhar em grandes blockbusters chineses, com produção e atores daquele país, onde podem trabalhar com liberdade. Eles possuem um alto orçamento à sua disposição para criar scores verdadeiramente grandiosos (do tipo que está sumindo em Hollywood atualmente). No ano passado, Christopher Young compôs para The Monkey King, e recebeu ótimas críticas por parte da comunidade de trilhas sonoras, ainda que sua trilha não tenha sido oficialmente lançada em disco (ele postou algumas faixas em seu canal supostamente oficial no YouTube, para quem quiser conferir). Mais recentemente, o espanhol Javier Navarrete trabalhou em Zhong Kui: Snow Girl And The Dark Crystal, que, provavelmente, irá resgatar a sua carreira.

Apenas olhando para a capa do disco já dá para ver que o filme é uma fantasia extravagante, do tipo que inspiraria enormes scores orquestrais. Ele conta a história de Zhong Kui, uma espécie de anti-herói lendário chinês pego em meio a uma batalha entre o Céu, a Terra e o Inferno. Um filme como esse pede uma trilha de escala igualmente grande e Navarrete não decepciona, entregando uma partitura que, ainda que não cumpra com todo o seu potencial, traz enormes orquestras, grande coro e muitos eletrônicos.

O compositor surgiu para o mundo como um dos pioneiros da invasão espanhola em Hollywood quando, em 2006, foi indicado ao Oscar por seu trabalho na fantasia O Labirinto do Fauno (El Laberinto del Fauno). Após alguns trabalhos bem sucedidos no cinema norte-americano, ele recebeu a oportunidade de compor um score épico para a aventura Fúria de Titãs 2 (Wrath of the Titans, 2012). Porém, no meio do processo de composição, ele se encontrou com um certo alemão (sim, esse mesmo que você está pensando), que o instruiu a apostar numa sonoridade mais moderna e eletrônica. Como resultado, Navarrete foi muito criticado por enterrar sua orquestra por debaixo de sintetizadores e samplers.

Para trabalhar em Zhong Kui, ele chamou novamente o orquestrador e maestro Nicholas Dodd, que se tornou uma figura polêmica ao ajudar compositores não muito experientes no gênero a conseguir um som mais encorpado e grandioso em suas trilhas. A dupla parece ter aprendido a lição com a experiência de Fúria de Titãs 2, pois aqui, apesar de ainda haverem diversos eletrônicos, eles não são tão intrusivos quanto no score anterior, nem chegam a subjugar a orquestra. Entretanto, pode-se dizer que eles finalmente atingiram aqui o escopo épico pretendido.

Fortemente temática, a trilha é construída ao redor de três conjuntos de temas: para o Paraíso, o Inferno (ou Submundo) e para a Snow Girl do título. Eles serão apresentados com cuidado, e depois serão conflitados. A música relacionada ao Paraíso aparece na primeira faixa, convenientemente intitulada In Heaven. O primeiro tema a ser apresentado é uma nobre e heroica melodia, de tons apropriadamente orientais, que aparece tanto de forma lírica e poética quanto heroica e guerreira. Lembra um pouco o estilo empregado por Jerry Goldsmith em Mulan (idem, 1998). A seguir, tem a aparição de um belo e “celestial” solo de soprano e harpa, aos quais logo se juntam um coral quase religioso, finalizando com uma dissonante música repleta de suspense, com cordas e percussão.

A faixa seguinte, Underworld, como o título indica, traz o tema do Submundo. É uma melodia bastante rítmica, conduzida principalmente por baixos, percussão, coro masculino e efeitos eletrônicos aquosos, remetendo à música que Navarrete compôs para o Hades em Fúria de Titãs 2. Nothing to Fear traz um clima mais cômico, com uma melodia leve e divertida com cordas, trombone e percussão. Em seguida, Endurance é uma potente faixa de ação, que contrapõe os corais do tema do Submundo com uma interpretação nos metais do tema do Paraíso. Ao final, este recebe sua performance mais grandiosa, com coral e orquestra.

The Magic Fan e To Use Your Power são baseadas no tema principal. Na primeira, ele segue num épico crescendo, e na segunda recebe interpretações líricas e depois heroicas, com um ritmo quase militar. O disco prossegue com uma trilogia de faixas dedicadas à Snow Girl, sendo que a primeira é Little Snow, um cue belo e etéreo, com cordas, percussão metálica e sintetizadores. Snow Girl é igualmente atmosférico, e conta principalmente com instrumentos étnicos orientais, como flautas típicas, além de solos de violino e violoncelo. Por vezes, lembra um pouco os momentos mais introspectivos da trilha de Hans Zimmer para O Último Samurai (The Last Samurai, 2003). Já Snow Girl Dances tem um estilo mais orientado para o Oriente Médio, inclusive com uma vocalista-solo que já ouvimos tantas vezes em scores parecidos.

If I Were a Demon introduz um melancólico tema para a Snow Girl, uma melodia repleta de profunda tristeza, interpretada por cordas e instrumentos étnicos. To Await Someone é ameaçadora, com eletrônicos e cordas, além de ocasionais solos de violino e violoncelo, em clima de suspense. Um enorme clímax se segue, iniciado em Dark Crystal. Esta traz o tema do Submundo interpretado por orquestra, coral e percussão eletrônica. Na metade da faixa, entra um trecho marcial interpretado por percussão e sintetizadores, quase como uma versão moderna da trilha de O Tigre e o Dragão (Crouching Tiger, Hidden Dragon, 2000), entrecortada por enormes explosões orquestrais.

O tema do Submundo retorna em sua potência máxima ao início de Giant Demon King, uma faixa de ação grandiosa, contando com aparições aqui e ali dos temas dos mocinhos e dos vilões, como se estivessem num enorme conflito, num caos orquestral parecido com os dos momentos climáticos das trilhas da trilogia O Hobbit (The Hobbit, 2012-2014). Esse caos é dominante em Lifeless, que se alterna entre momentos mais atmosféricos e outros cheios de ação. É um tipo de faixa de ação mais cerebral e, por ser tão “dura”, de apreciação mais difícil do que as costumeiras melodias épicas, mas o esforço vale a pena.

Lost Soul serve como interlúdio lírico no meio de tanta ação. Ela traz belas interpretações do tema do Paraíso e da Snow Girl, com cordas e instrumentos étnicos. The Power Grows traz a ameaça de volta, com aparições do tema do Submundo e do Paraíso, numa batalha musical rumo a um final caótico. Frozen se inicia com uma nova versão dos temas principais, e logo segue num trecho dissonante com sintetizadores, até atingir seu clímax, repleto de orquestrações rápidas e violentas.

Snow Girl Vanishes é dominada pelo tema da moça e, como o título indica, recebe uma triste e tocante interpretação, primeiro em um intenso solo de violoncelo, e depois com cordas e coral. O tema do Paraíso reaparece em seguida em sua mais lírica e nobre performance. Zhongkui, porém, encerra o score em tom épico, com orquestra e coral na máxima potência, e é uma pena a faixa ser tão curta. Porém, ainda há uma canção no fim do disco, To the Flame Like a Moth (Fen Bu Gu Chen), pelos artistas orientais Liu Huan e Jike Junyi.

Zhong Kui: Snow Girl And The Dark Crystal, assim, mostra que Navarrete vem melhorando como compositor. A inteligência na disposição e apresentação dos temas é certamente uma melhora em relação aos seus trabalhos anteriores (e eu particularmente sempre achei a trilha de O Labirinto do Fauno extremamente cansativa, ainda que tenha seus momentos), com toda a grandiosidade que ele tentou e não entregou em Fúria de Titãs 2. Merece palmas também a Lakeshore Records, por perceber o potencial comercial do disco e lançá-lo para os scoretrackers ocidentais, evitando, assim, de acontecer o que houve com Christopher Young. E eu torço para que mais pessoas descubram esse bom trabalho do compositor espanhol.

Faixas:

1. In Heaven 3:26
2. Underworld 4:14
3. Nothing To Fear 1:38
4. Endurance 2:42
5. The Magic Fan 2:19
6. To Use Your Power 3:20
7. Little Snow 1:54
8. Snow Girl 5:48
9. Snow Girl Dance 1:34
10. If I Were A Demon 1:59
11. To Await Someone 3:01
12. Dark Crystal 4:45
13. Giant Demon King 6:13
14. Lifeless 7:54
15. Lost Soul 3:22
16. The Power Grows 4:30
17. Frozen 3:20
18. Snow Girl Vanishes 5:43
19. Zhongkui 0:58
20. To the Flame Like a Moth (Fen Bu Gu Shen) (Liu Huan, Jike Junyi) 3:19

Duração: 71:59

Tiago Rangel

4 opiniões sobre “Resenha: ZHONG KUI: SNOW GIRL AND THE DARK CRYSTAL – Javier Navarrete (Trilha Sonora)”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s