maleficent-james-newton-howard-score

Na Trilha: As Melhores Score Tracks de 2014


Assim como no ano passado, trago as melhores faixas individuais para você ouvir o que de melhor a Música de Cinema nos trouxe este ano. Entre épicos cues de ação, emocionantes faixas de drama e main themes marcantes, qual foi a sua preferida de 2014?

Lembrando que elas estão em ordem de lançamento:

Mark MothersbaughMy Secret WeaponThe Lego Movie

A divertida animação Uma Aventura Lego pode ser famosa pela canção-chiclete Tudo é Incrível (ou Everything is Awesome, no original), mas a melhor cena do filme é acompanhada por esta bela faixa de Mothersbaugh, que utiliza piano e cordas numa melodia atmosférica e tocante.

Do mesmo disco, ouça também: Prologue, Batman, Emmet’s Plan, Wildstyle Leads

Alexandre DesplatMr. MoustafaThe Grand Budapest Hotel

A trilha mais peculiar do ano também é uma das melhores. Para o novo filme de Wes Anderson, Alexandre Desplat utiliza influências de praticamente toda a Europa, principalmente da Oriental, utilizando uma grande variedade de instrumentos típicos. Mais um score que mostra o quando Desplat foi brilhante em 2014.

Do mesmo disco, ouça também: A Prayer for Madame D, J.G. Jopling, Private Inquiry Agent, Canto At Gabelmeister’s Peak, A Troops Barracks (Requiem For The Grand Budapest)

Junkie XLDauntless AttackDivergent

O DJ-transformado-em-compositor Junkie XL apareceu para o cinema blockbuster hollywoodiano com duas trilhas fortes e cheias de ação, para os filmes 300 – A Ascensão do Império (300 – Rise of An Empire, 2014) e Divergente (Divergent, 2014). Esta ótima faixa é um bom exemplo da escrita do compositor, cheia de violentas percussões e um padrão de notas que se repete, elevando a tensão a níveis estratosféricos.

Do mesmo disco, ouça também: Tris, Capture the Flag, Faction Before Blood, Final Test, You’re Not Gonna Like This, Fight the Dauntless

Alexandre Desplat – Godzilla!Godzilla

O francês Alexandre Desplat promoveu um verdadeiro massacre orquestral para a música de Godzilla (idem, 2014), com explosões de metais, ataques de cordas e muita percussão. Claro que, por detrás de tanta violência musical estava uma escrita complexa, inteligente e segura, que ainda mostra um domínio invejável da orquestra. Foi difícil escolher apenas uma faixa, mas eu fico com o tema principal, que aponta o caminho que o disco irá seguir.

Do mesmo disco, ouça também: Não há uma única faixa ruim no disco, então o melhor a fazer seria sugerir todas. Porém, se você estiver sem tempo, ouça Muto Hatch, The Wave, Golden Gate Chaos e Last Shot.

James Newton HowardMaleficent FliesMaleficent

O disco de Malévola (Maleficent, 2014) já começa com as ótimas Maleficent Suite e Welcome to the Moors, mas é na terceira faixa que percebemos que estamos diante da melhor trilha de James Newton Howard em anos. Com uma construção impecável e momentos de beleza e grandiosidade, a faixa vai do intimismo ao épico sem perder a direção e mostra que Howard ainda é um dos melhores trabalhando em Hollywood.

Do mesmo disco, ouça também: Maleficent Suite, The Spindle’s Power, Aurora in Faeriland, Are You Maleficent?, Maleficent is Captured, The Queen of Faeriland

John Powell – Dragon RacingHow to Train You Dragon 2

A trilha mais épica do ano (e provavelmente a melhor) começa com esta excelente faixa que, contando com gigantescas orquestra e coral, mostra porque o score do primeiro Como Treinar Seu Dragão (How to Train Your Dragon, 2010) foi tão elogiada, assim como aponta o caminho para a música do segundo filme. É simplesmente impossível não se empolgar ouvindo esta faixa.

Do mesmo disco, ouça também: Together We Map the World, Loosing Mom/Meet the Good Alpha, Battle of the Bewilderbeast, Hiccup Confronts Drago, Stoick Saves Hiccup, Two New Alphas

Joel McNeelyMain TitleA Million Ways to Die in West

Na melhor trilha de faroeste em anos (décadas?), o ultra-subestimado compositor Joel McNeely leva o ouvinte numa viagem musical ao Velho Oeste, enquanto homenageia os grandes mestres do score desse tipo de filme, como Elmer Bernstein e Jerome Moross. E daí que o filme é uma paródia e a música é puro pastiche? Os grandes mestres da Era de Ouro dos faroestes ficariam orgulhosos de McNeely.

Do mesmo disco, ouça também: Missing Louise, Salloon Brawl, The Shooting Lesson, Anna and Albert, Racing the Train, End Title Suite

Brian Tyler – ShortcutTeenage Mutant Ninja Turtles

Que Brian Tyler é um ótimo compositor de faixas de ação ninguém duvida. Porém, ele foi capaz de elevar seu próprio nível com a potente trilha de As Tartarugas Ninja (Teenage Mutant Ninja Turtles, 2014). Esta faixa é a melhor do disco, altamente energética e poderosa, com uma escrita complexa para orquestra e coral, e eleva a adrenalina de forma espetacular – além de, claro, ter a melhor utilização de dubstep que eu já vi numa trilha orquestral.

Do mesmo disco, ouça também: Teenage Mutant Ninja Turtles, Adolescent Genetically Altered Shinobi Terrapins, Splinter Vs. Shredder, Adrenaline, Buck Buck, TMNT March

Abel KorzeniowskiCloser Than SistersPenny Dreadful

A melhor trilha para séries de TV em 2014 mostra o polonês Korzeniowski em seu auge, sem medo de utilizar exuberantes e (sim) melodramáticas composições góticas para toda a orquestra. Esta faixa, em particular, é a mais bela do álbum, e mostra que a música para a TV pode ter sim o mesmo nível da de cinema.

Do mesmo disco, ouça também: Demimonde (Main Title), Street.Horse.Smell.Candle, Welcome to the Grand Guignol, Dorian Gray, Transgression, In Peace

Gustavo Dudamel – Quien puede detener la lluviaLibertador

A trilha mais surpreendente do ano não foi gravada em Hollywood ou em Londres, mas sim aqui perto, na Venezuela. Mesclando de forma inteligente instrumentos típicos sul americanos com orquestra, Dudamel fez um dos álbuns mais consistentes do ano, que começa de forma gloriosa com esta bela faixa. Se você ainda não ouviu, não perca mais tempo e procure por este incrível score.

Do mesmo disco, ouça também: El 25 de septiembre de 1828, Maria Teresa, La caida de la República, Destierro a Cartagena, El Último Viaje

Hans ZimmerWhere We’re GoingInterstellar

Amplamente discutida e amplamente divulgada na mídia, inclusive por seu próprio compositor, a trilha de Interestelar (Interstellar, 2014) teve presença marcante na cultura pop do ano. Incidentes como as caixas de som em cinemas que estragaram pelo fato da música estar mixada alta demais no longa, ou o lançamento caótico do CD (que, infelizmente, está se tornando uma constante para Zimmer, em sua incansável missão de se auto-promover), marcaram a mais nova trilha do polêmico alemão. Esta faixa traz a melhor interpretação do tema principal, e mostra que, debaixo de tanta polêmica, há realmente uma bela e inteligente trilha.

Do mesmo disco, ouça também: Cornfield Chase, Message From Home, Mountains, Coward, Detach, S.T.A.Y., First Step, Imperfect Lock, Day One Dark

Jóhann Jóhannsson – A Game of CroquetThe Theory of Everything

Na trilha mais singela do ano, e com cara de vencedora do Oscar, o islandês Jóhann Jóhannsson é capaz de emocionar quem a ouve com a pureza de suas melodias. Nesta tocante faixa, ele utiliza bela escrita para piano, com acompanhamento de violinos, mas sempre de uma forma sutil.

Do mesmo disco, ouça também: Cambridge, 1963, Domestic Pressures, The Dreams That Stuff is Made Of, A Normal Family, Coma, The Theory of Everything, London, 1988, The Whirling Ways of Stars That Pass

Howard ShoreThe Return Journey e IronfootThe Hobbit: The Battle of the Five Armies

Por mais triste que possa parecer, a trilha de O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos (The Hobbit: The Battle of the Five Armies, 2014) é a última de Howard Shore para a Terra-Média, e também a que completa sua maior obra, uma autêntica sinfonia de 18 horas para o mundo criado por J.R.R. Tolkien. Shore se despede dos personagens e reinos da Terra-Média com esta bela e emocional faixa, capaz de tocar fãs e não-fãs dos longas de Peter Jackson para as duas trilogias. Porém, quem prefere algo mais empolgante pode optar pela incrível suíte Ironfoot, que reprisa os temas do novo longa de maneira heróica e grandiosa.

Do mesmo disco, ouça também: Fire and Water, Shores of the Long Lake, Battle for the Mountain, The Darkest Hour, Sons of Durin, Ravenhill, To the Death

Outras faixas que valem a pena ser ouvidas:

Clint Mansell – Day and Night Shall Not CeaseNoah

Hans Zimmer and the Magnificent Six – You’re That Spider GuyThe Amazing Spider-Man 2

Michael Giacchino – Primates for LifeDawn of the Planet of the Apes

Marco Beltrami – This is the BeginningSnowpiercer

Fernando Velázquez – Bessi BattleHercules

Tyler Bates – Black TearsGuardians of the Galaxy

Thomas Newman – I Choose YouThe Judge

Trent Resznor e Atticus Ross – Like HomeGone Girl

Henry Jackman – First FlightBig Hero 6

Alexandre Desplat – Alan Turing’s LegacyThe Imitation Game

James Newton Howard feat. Jennifer Lawrence – The Hanging TreeThe Hunger Games: Mockingjay – Part 1

Alexandre Desplat – Torrance Tornado e Making GnocchiUnbroken

Tiago Rangel

2 opiniões sobre “Na Trilha: As Melhores Score Tracks de 2014”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s