judge

Resenha: THE JUDGE – Thomas Newman (Trilha Sonora)


judgeCDMúsica composta por Thomas Newman
SeloWaterTower Music
Catálogo: Download Digital
Lançamento: 07/10/2014
Cotação: ***½

Nos anos 1990, Thomas Newman trouxe um respiro de originalidade à música de cinema com seu estilo particular, que funcionou maravilhosamente bem em obras como Um Sonho de Liberdade (The Shawshank Redemption, 1994), O Encantador de Cavalos (The Horse Whisperer, 1998) e Encontro Marcado (Meet Joe Black, 1998), além de, claro, a famosa Beleza Americana (American Beauty, 1999). Nos últimos anos, porém, suas trilhas não tem demonstrado a mesma qualidade, justamente por ficarem presas às marcas registradas de Newman. Mesmo assim, ele continuou com suas indicações ao Oscar, e é provável que ele ganhe mais uma com o score de O Juiz (The Judge, 2014), mesmo que esta trilha em si traga alguns problemas. O filme é um drama estrelado por Robert Downey Jr. e Robert Duvall acerca de um advogado que deve defender seu pai de uma acusação de assassinato.

Não é verdade, porém, dizer que esta é uma trilha ruim. Newman ainda continua um compositor excepcional e acima da maioria dos que estão em Hollywood atualmente. Há belos momentos neste score que mostram o quanto Newman é talentoso. Na verdade, quem já ouviu alguns dos trabalhos anteriores do músico já tem uma ideia do que vai encontrar em O Juiz, e Newman não decepciona, entregando basicamente aquilo que nós já aprendemos a esperar dele: piano, cordas, flautas, percussão “diferenciada”, sintetizadores nos instantes mais dramáticos… Sim, você já ouviu isso diversas vezes.

Porém, ao comparar com as mais recentes (e indicadas ao Oscar) obras de Newman, dá para notar algumas diferenças. Se Skyfall é uma tentativa de combinar o estilo do compositor com melodias de ação mais tradicionais e Walt nos Bastidores de Mary Poppins (Saving Mr. Banks, 2013) é uma trilha mais “alegre” e mágica, O Juiz é um retorno de Newman às texturas mais dramáticas que fizeram sua fama na década de 1990. Assim, se por um lado não dá para dizer que esta trilha está no nível dos seus trabalhos mais famosos, por outro o talento do compositor para criar belos momentos de drama garante uma audição melhor que a das duas anteriores.

Um dos maiores problemas desta trilha é que a música é constantemente atmosférica, etérea, quase como se estivesse em preparação para algo, porém sem nunca chegar a lugar nenhum. Imagine um álbum composto só por faixas no estilo de Brooks Was Here, da trilha de Um Sonho de Liberdade, porém sem a mesma qualidade e sem o catártico final do disco, que Newman preparou tão bem. A música parece sem direcionamento, e não é ajudada pela mania do compositor em dividi-la em faixas curtas, que impedem de ouvirmos um desenvolvimento melhor da trilha.

Ainda assim, apesar de esse ser um score recheado com os clichês de Newman, ele entrega alguns elementos que soam relativamente surpreendentes. Em primeiro lugar, o uso de violões e guitarras acústicas junto à instrumentação típica de Newman remete à música do sul dos Estados Unidos (o que é estranho, já que o filme não se passa lá). Além disso, espalhados pelo álbum, temos outros momentos incomuns na filmografia do compositor. Em Bag of Tricks e Wooden Nickel, Newman utiliza metais, trompas no caso da primeira e trombones no da segunda. Junto a acompanhamento eletrônico e acústico, ele cria um clima atmosférico e tenso, remetendo a Skyfall, respectivamente. Já na boa Shelby Rd. ele utiliza os mesmos metais e as cordas para criar texturas melancólicas e urbanas.

Em Missing Time, a mais longa faixa do disco e uma das melhores também, Newman utiliza uma voz feminina ao final, criando um efeito bastante curioso para quem já está acostumado com a música do compositor. Na última faixa, Wabash River Float, esta voz retorna de forma mais sutil, juntamente a uma interessante paleta musical, que inclui violões, guitarras, percussão, cordas e flauta solo.

Newman também oferece alguns bons momentos, que mostram todo o seu talento para tocar o ouvinte. St. Francis possui uma beleza sutil com um motivo para piano e cordas, que retorna na igualmente bonita Carla’s Father. Já em Samantha, The Judge e Hope Stevens ele utiliza o mesmo piano em belas melodias atmosféricas, ao passo que Diamond Collapsible e Ten Speed são reminiscentes do estilo de Newman em Walt nos Bastidores de Mary Poppins. Mesmo assim, pode-se notar que o estilo etéreo que o compositor adotou para a trilha vem impedindo a música de ganhar maior desenvolvimento. Felizmente, isto muda ao final, com a já citada Missing Time, bem como as belas Trophies e I Choose You, que finalmente entregam alguma variedade.

Mesmo possuindo bons momentos, a trilha de O Juiz não consegue atingir o nível dos melhores trabalhos do compositor. Claro que, com padrões tão altos, isto significa que sua música ainda está acima da maioria de seus pares, mas Thomas Newman já entregou esta mesma trilha antes, e melhor.

Faixas:

1. Phantom Witness 1:49
2. Mercury Glass 1:52
3. Bag of Tricks 1:03
4. St. Francis 1:31
5. Indiana 2:14
6. Samantha 1:11
7. Wooden Nickel 1:50
8. The Judge 1:16
9. Reward for Dog 1:03
10. Blood Evidence 0:37
11. Shelby Rd. 1:54
12. Never on Pavement 1:06
13. Light a Match 2:46
14. Hope Stevens 1:39
15. Diamond Collapsible 1:30
16. Carla’s Father 1:08
17. Ten Speed 0:58
18. Old Room 0:51
19. Night Fit (Velvet Box) 1:31
20. Twenty Degree Bend 2:38
21. Watch and Learn 1:54
22. Tire and Rim 0:40
23. Aye of Knute 1:50
24. Missing Time 5:05
25. Trophies 1:07
26. I Choose You 2:00
27. Wabash River Float 4:19

Duração: 47:22

Tiago Rangel

5 opiniões sobre “Resenha: THE JUDGE – Thomas Newman (Trilha Sonora)”

  1. Tenho várias razões pelas quais eu gosto deste filme, um deles é a partilha e outra história. O Juiz, é um drama familiar comovente, onde o valor da dúvida e culpa será mais forte do que o amor que pode existir entre pai e filho. Tive o prazer de vê-lo, eu não posso negar que é uma saída valioso.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s