Resenha de Arquivo: STAR TREK – Michael Giacchino (Trilha Sonora)


trekCDMúsica composta por Michael Giacchino
SeloVarèse Sarabande
Catálogo:  302 066 966 2
Lançamento: 05/10/2009
Cotação: ****

Desde que foi anunciado que J.J. Abrams seria o produtor e diretor do longa que reiniciaria nos cinemas a franquia Jornada nas Estrelas (agora simplesmente Star Trek), poucos duvidavam que seu colaborador habitual, Michael Giacchino, seria o responsável pela trilha. Isso posteriormente se confirmou, e criou-se uma grande expectativa quanto à música que Giacchino, que hoje já construiu uma sólida carreira também participando de produções que não são de Abrams, criaria para este filme que marca um retorno às primeiras viagens da nave estelar Enterprise.

Bem, ouvi pela primeira vez este CD original da trilha de Star Trek (2009) antes de ver o filme, e confesso que não fiquei muito impressionado. Contudo, após assisti-lo, minha opinião tornou-se mais favorável. E inicio esta resenha fazendo referência a uma das maiores críticas que este trabalho recebeu à época – o de não utilizar em nenhum momento o tema que Jerry Goldsmith criou para Jornada nas Estrelas – O Filme, que virou uma espécie de hino da franquia. Se retrocedermos aos filmes anteriores, constataremos que este tema foi utilizado apenas por Goldsmith – as trilhas criadas por outros compositores (e destes, James Horner e Cliff Eidelman compuseram ótimas partituras) trouxeram temas próprios, lançando mão no máximo do tema da Série Clássica, de Alexander Courage. Giacchino apenas seguiu pelo mesmo caminho, e sejamos sinceros – ele não tinha obrigação nenhuma de agir de modo diverso.

Mas enfim, o compositor entregou um score que, indiscutivelmente, possui uma personalidade própria, que reflete seu estilo particular. E sim, Giacchino criou um tema muito interessante, ouvido já a partir da faixa inicial, “Star Trek”. É uma melodia pomposa, inicialmente interpretada apenas por trombone, que busca prestar homenagem à franquia a qual serve. Este  tema será utilizado de forma recorrente ao longo da trilha, normalmente ligado a Jim Kirk (Chris Pine) e à própria Enterprise.

“Labor of Love” é puro Giacchino – no filme este agridoce motivo pontua as cenas de nascimento do bebê Kirk em plena batalha, e a orquestra – com destaque para a seção de cordas – interpreta uma melodia delicada que celebra a chegada de uma nova vida, mas que ao mesmo tempo traz a melancolia da perda que também a acompanha. “Hella Bar Talk” novamente inclui o tema principal, no momento em que o Capitão da Enterprise, Christopher Pike, convence o jovem Kirk a alistar-se na Frota Estelar. Inicialmente em ritmo contemplativo, ao final ela ganha um ritmo mais intenso.

Um dos pontos altos do trabalho é “Enterprising Young Men”, ouvida quando os cadetes chegam pela primeira vez na Enterprise e que remete às épicas trilhas de filmes do Velho Oeste. Uma fanfarra grandiosa – previamente usada para acompanhar o surgimento do título Star Trek na tela – é seguida pela interpretação do tema principal com toda a orquestra, e na platéia é difícil não conter a empolgação. É um dos momentos mais inspirados de Giacchino, e extremamente adequado, uma vez que o próprio criador de Jornada nas Estrelas, Gene Roddenberry, classificara sua obra como uma “caravana no espaço”.

Em contraponto, um dos pontos fracos do filme é seu vilão, e isto se reflete no score. O material dedicado a Nero e sua nave Narada é, via de regra, restrito a faixas de ação genérica (“Nero Sighted”, “Nero Fiddles, Narada Burns” – esta, pelo menos, traz algo raramente ouvido nas trilhas da franquia: corais), que dificilmente ficarão marcadas na memória do ouvinte. Já “That New Car Smell” inicia com a sensível melodia dedicada a Spock, que apropriadamente emprega uma orquestração “etérea” que evoca o planeta e a cultura do personagem. Em seu desenvolvimento ela encontrará o tema principal do filme, como que selando a amizade que se inicia entre o vulcano e Kirk. Ressalte-se que este tema de Spock é levemente referido em “Enterprising Young Men”, uma das melhores faixas do score.

Seguem as duas faixas que concluem o álbum, onde Giacchino prepara o terreno para que a tripulação completa da Enterprise, agora sob o comando do jovem Capitão  Kirk, finalmente se reúna e parta rumo a novas aventuras. Nelas, “To Boldly Go” e a longa suíte final “End Credits”, Giacchino emprega de forma marcante o tema de Courage, sendo que na última, de forma raramente feita nos filmes, ele surge de forma completa. Esta homenagem à Série Clássica marca o encerramento digno de um trabalho que é melhor apreciado acompanhado das imagens do filme de Abrams, ou pelo menos após o ouvinte tê-lo assistido. De qualquer modo, é mais um competente score do currículo de Giacchino.

Um ano depois do lançamento do CD original desta trilha sonora, a própria Varèse Sarabande a relançou em um álbum duplo limitado, contendo quase que na íntegra toda a música ouvida no filme. Com quase noventa minutos de duração, essa edição representa uma experiência auditiva mais exaustiva, sendo recomendável principalmente para os fãs completistas.  A resenha da trilha sonora de Giacchino para a continuação Star Trek Into Darkness (2013) pode ser lida AQUI.

Faixas:

1. Star Trek (01:03)
2. Nailin’ The Kelvin (02:09)
3. Labor Of Love (02:51)
4. Hella Bar Talk (01:55)
5. Enterprising Young Men (02:39)
6. Nero Sighted (03:23)
7. Nice To Meld You (03:13)
8. Run And Shoot Offense (02:04)
9. Does It Still Mcfly? (02:03)
10. Nero Death Experience (05:38)
11. Nero Fiddles, Narada Burns (02:34)
12. Back From Black (00:59)
13. That New Car Smell (04:46)
14. To Boldly Go * (00:26)
15. End Credits * (09:11)

* = contains theme from “Star Trek” TV Series, Written by Alexander Courage & Gene Roddenberry

Duração: 44:54

Jorge Saldanha

Anúncios

7 opiniões sobre “Resenha de Arquivo: STAR TREK – Michael Giacchino (Trilha Sonora)”

  1. Particularmente, eu prefiro a edição completa da trilha dos dois Star Trek. Elas podem ser menos “eficientes” que as edições simples, porém oferecem uma visão mais ampla da música do Giacchino.

    Curtir

  2. A Deluxe Edition desse e do segundo filme são bem melhores. Essa aí foi lançado a toque de caixa e não traz a grandiosidade da trilha completa.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s