The-giver-banner

Resenha: THE GIVER – Marco Beltrami (Trilha Sonora)


giverCDMúsica composta por Marco Beltrami
SeloSony Classical
Catálogo: 88644475343
Lançamento: 16/09/2014
Cotação: ****

O filme O Doador de Memórias é mais um a se aproveitar da atual onda de adaptações literárias voltadas para adolescentes. Baseado em uma novela de Lois Lowry, o longa conta a história de uma comunidade sem doenças nem guerras, ou sentimentos. Para que estes não afetem a sociedade, uma pessoa é encarregada de ser a portadora das memórias que poderiam causar dor ou sofrimento. De tempos em tempos, o encarregado muda e agora chegou a hora do jovem Jonas passar pelo treinamento para se provar digno da tarefa.

Dirigido por Phillip Noyce (responsável por thrillers como Salt, O Americano Tranquilo e Jogos Patrióticos), sua trilha é composta por Marco Beltrami, em sua primeira colaboração com o diretor. O ítalo-americano construiu sua carreira basicamente com filmes de ação e terror, ainda que possua alguns trabalhos interessantes fora desses gêneros, como em As Sessões e Soul Surfer – Coragem de Viver. O Doador de Memórias vem se juntar a esse último grupo, pois, diferentemente do esperado, aqui Beltrami entrega um de seus scores mais belos e sensíveis.

Á primeira vista, seu trabalho neste filme nem lembra o estilo que viemos a aprender a esperar dele. Na verdade, sua música para o longa traz lembranças de algumas das trilhas mais sensíveis de compositores como Danny Elfman e James Horner (scores como Peixe Grande, do primeiro, e Íris, do segundo, me vêm à memória), sem que, entretanto, pareça uma simples cópia do estilo de outros músicos. Nesse sentido, O Doador de Memórias acaba se tornando uma trilha perfeitamente original e, dessa forma, surpreendente.

Nesse sentido, a primeira faixa, Main Titles, já introduz o ouvinte nesse novo estilo de Beltrami. Ela se inicia com sutis sintetizadores ao fundo e um coral feminino que lembra um pouco a trilha de A.I., de John Williams. Em seguida, as cordas interpretam o belo tema principal, uma melodia delicada e mágica, que culmina num crescendo ao fim da faixa. Em Jonas Gets the Gig, a orquestra reprisa o tema principal com uma incrível beleza sutil.

Color e First Memory são duas das mais belas composições de toda a carreira de Beltrami, trazendo certa semelhança com o ótimo, porém infelizmente subestimado e pouco conhecido trabalho de Antônio Pinto para outro drama adolescente, A Hospedeira (é até triste que uma trilha tão bonita tenha que ser desperdiçada com um filme tão medonho). Igualmente incrível é Tray Ride, na qual trompetes e percussão, com acompanhamento de cordas, dão certa grandiosidade à faixa, sem que ela perca a sutileza.

Porém, a música adquire tons mais sombrios a partir de então. Happiness & Pain traz um ar melancólico, temperados com momentos de suspense e dissonantes. What is Love? traz um ar de incerteza, a cargo do piano, guitarra acústica e cordas. Já War inicia e termina com sintetizadores ameaçadores, e traz uma melodia dramática com orquestra e coral no meio. A faixa seguinte, The Kiss, tem um clima triste e melancólico, interpretado pelas cordas.

Um senso de tensão e ameaça permeia Jonas Runs Away e Accelerated Training, que de fato relembram o estilo mais conhecido do compositor. Já Escape from the Nursery e Capturing Jonas são faixas de ação que contam com ostinatos a cargo das cordas e tensos metais.

Em The Mountain and Despair, uma guitarra é adicionada à orquestração, trazendo um ar moderno à música, aqui tensa e com um senso crescente de expectativa. O álbum, então, chega à sua dramática conclusão com Rosebud, uma bela e melancólica faixa. Após um início atmosférico, ela segue num ótimo desenvolvimento com orquestra, percussão (real e eletrônica) e guitarra, lembrando o estilo das melodias nobres de Patrick Doyle. Em seguida vem End Credits, em que o tema principal é interpretado de maneira belíssima por um violoncelo solo, pela orquestra completa, pelo coral e novamente pela orquestra, com arranjos sensíveis e delicados, em uma das melhores e mais sensíveis composições que eu já ouvi de Beltrami.

Muitos argumentam que o mundo da música de cinema se tornou tristemente previsível hoje em dia. Pois todos que resolverem dar uma chance a esta trilha de Marco Beltrami se surpreenderão com um belíssimo e rico score, muito diferente do que viemos a esperar dele. E, principalmente, mostra que um compositor não precisa ficar preso a um determinado gênero.

Faixas:

1. Main Titles
2. Jonas Gets the Gig
3. Color
4. Arriving at the Giver’s
5. First Memory
6. Gabriel Arrives
7. Do You See It
8. Tray Ride
9. Happiness & Pain
10. What Is Love?
11. War
12. The Kiss
13. Jonas Runs Away
14. Accelerated Training
15. Escape from the Nursery
16. Desert Ride
17. Capturing Jonas
18. The Mountain and Despair
19. Rosebud
20. End Credits

Duração: 49:11

Tiago Rangel

3 opiniões sobre “Resenha: THE GIVER – Marco Beltrami (Trilha Sonora)”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s