Legacy_collection_CDMúsica composta por Hans Zimmer. Canções por Elton John e Tim Rice
Selo: Walt Disney Records
Catálogo: D002036192
Lançamento: 24/06/2014
Cotação: ****

Lançado há duas décadas, O Rei Leão hoje é consagrado como um dos maiores clássicos animados de todos os tempos. Com seu roteiro inspirado em Hamlet, de Shakespeare, personagens cativantes e cenas tanto emocionantes quanto divertidas, o filme marcou uma geração, e até hoje continua a encantar crianças de todas as idades. Porém, uma das maiores razões para todo o sucesso da animação é a sua premiada e famosa trilha sonora.

A Disney, que no início não apostava no sucesso do longa, preferiu poupar seu compositor tradicional da época, Alan Menken, para Pocahontas (pelo qual ele receberia mais dois de seus numerosos Oscars). No lugar dele, foram contratados Elton John e Tim Rice para escrever as canções, e um jovem compositor que vinha chamando a atenção de Hollywood, Hans Zimmer, devido ao seu trabalho em filmes de temática africana como O Poder de um Jovem. Todos os três podem considerar O Rei Leão como pontos altos de suas carreiras: John e Rice receberam um Oscar pela canção Can You Feel the Love Tonight, enquanto Zimmer conseguiu seu primeiro (e, até agora, único) prêmio da Academia pelo score. Além disso, a trilha permanece como uma das mais vendidas de todos os tempos, enquanto suas músicas seguem queridas por milhões de pessoas. Afinal, quem não sabe ao menos cantar: “Isso é viver!/É aprender!/Hakuna Matata!”?

Apesar de ser uma trilha extremamente querida, seu lançamento em disco, por razões comerciais óbvias, priorizou as canções, com apenas quatro faixas do score de Zimmer. Por muito tempo, versões bootleg da partitura do alemão circularam pela internet, mas não eram oficiais. Porém, para comemorar o aniversário de vinte anos do filme, a Disney, dando prosseguimento a sua nova coleção de trilhas The Legacy Collection (que já lançou uma nova versão do álbum de Mary Poppins e terá prosseguimento com A Bela Adormecida, A Pequena Sereia, Pinóquio e várias outras soundtracks clássicas da casa), presenteou os fãs com um novo álbum. Ele contém todas as canções, incluindo algumas que não pararam no corte final do filme, e o score completo de Zimmer.

Assim, passados vinte anos, o que podemos dizer de uma trilha tão querida? Bem, comecemos pelas canções. Estas continuam tão belas e marcantes quanto na época do lançamento. Logo ao início, temos a ótima Circle of Life, que se beneficia de uma incrível performance vocal de Lebo M, acompanhado de um coro africano. Em seguida, vem I Just Can’t Wait to Be King, uma canção alegre e divertida, em que o (então) jovem Jason Weaver consegue transmitir toda a energia juvenil do jovem Simba, e sua ansiedade em assumir o trono. O vilão Scar também tem seu momento de brilho com a ameaçadora Be Prepared, onde o ator Jeremy Irons é auxiliado por um grande coral sinfônico.

Na sequência, a famosíssima (e a favorita do filme deste autor desde que ele era criança) Hakuna Matata, onde os astros são a divertida dupla Timão e Pumba, numa alegre canção sobre esquecer os problemas da vida. A bela e romântica Can You Feel the Love Tonight também é um ponto alto do disco, e serve como love theme para Simba e Nala. No segundo disco, temos The Morning Report e Warthog Rhapsody, que não chegaram a aparecer no longa, bem como versões pop, interpretadas pelo próprio Elton John, de três das canções, que acabam soando estranhas em comparação com sua versão no filme.

Já o score de Hans Zimmer permanece como um verdadeiro ponto de virada em sua carreira. Até então conhecido por suas trilhas basicamente eletrônicas ou com ritmos de rock (como Thelma e Louise e Dias de Trovão), com o filme da Disney ele estabelece as bases para o estilo que o tornaria famoso. Aqui podemos ouvir um compositor jovem, repleto de energia e boas ideias, tentando fazer o que todos fazem para entrar definitivamente em Hollywood (embora não seja a maioria que consiga): entregar um score de dimensões épicas, grandiosas. Para isso, Zimmer utiliza orquestra, coral africano (com arranjos de Lebo M) e uma grande variedade de instrumentos típicos, o que dá à sua partitura a apropriada ambientação na Savana africana. De certa forma, a grande conquista de Zimmer foi perceber que, apesar de ser um filme voltado para crianças, a música não poderia deixar de passar emoções verdadeiras e maduras – assim como seu futuro pupilo John Powell viria a fazer nos dois Como Treinar seu Dragão, por exemplo.

Em seu score, Zimmer cimenta as bases de suas futuras trilhas. Dessa forma, em faixas de ação como Stampede e o início de Nala, Is It Really You?, o compositor utiliza padrões de escrita para metais e percussão que viriam a reaparecer depois em Maré VermelhaA Rocha e O Pacificador. Observe, por exemplo, a forma como os trombones tem grande proeminência, e como uma bateria, em estilo de rock, é utilizada para fazer a percussão. Além disso, para os momentos de maior grandiosidade e dramatismo da trilha, como em We Are All Connected, é possível ouvir ecos, principalmente na forma como as cordas e o coro são utilizados, do que o compositor faria em seguida em scores como os citados logo acima, bem como O Príncipe do Egito e Gladiador. Na verdade, O Rei Leão pode ser considerado como um ponto inicial, e que o próprio compositor viria a aprimorar em Maré Vermelha, do que foi considerado como o “som Media Ventures”, presente em diversos filmes de ação da década de 1990. Ele foi largamente utilizado por Zimmer e seus associados na época (como Mark Mancina, Harry Gregson-Williams e Trevor Rabin), e sofreu diversas críticas da comunidade das trilhas sonoras – mais ou menos como acontece com o “som Remote Control” hoje em dia.

Uma diferença que podemos dizer entre a trilha da animação da Disney e a da maioria dos outros trabalhos posteriores de Zimmer é que ela é muito mais temática do que estas. Basicamente, a música é estruturada em torno de três temas, apresentados em We Are All Connected. O primeiro, ouvido ao início da faixa, é uma melodia simultaneamente grandiosa e intimista, interpretada por cordas e instrumentos de madeira típicos, para representar Simba, e seu destino como futuro rei. Também temos um tema para Mufasa, o pai do jovem herói, uma melodia nobre e imponente, em que se destacam os violoncelos (e que traz mais ecos futuros das mencionadas O Príncipe do Egito e Gladiador, além de Além da Linha Vermelha e O Último Samurai). Esse tema se desenvolve em mais um, mais dramático, um solene hino para cordas e coral que aparece à marca de 2:25 da faixa. Simba também recebe um outro tema, desenvolvido diretamente do de Mufasa, que é apresentado em 01:20 de I Was Just Trying to Be Brave, em uma épica interpretação pela orquestra e coral. A mesma faixa, logo no início, apresenta um motivo para oboé, que representa os momentos mais melancólicos da história.

Todos esses temas terão um papel importante a desempenhar no desenvolvimento da trama, conforme narram o arco de Simba. Por exemplo, na melancólica Mufasa Dies, temos uma escrita quase religiosa para o coral, além de uma triste apresentação do tema solene. Em seguida, o motivo do oboé inicia de forma ameaçadora em If You Ever Come Back We’ll Kill You, quase se impondo sobre o triste primeiro tema de Simba, que aparece na sequência. Este mesmo tema retorna inicialmente de forma tímida e triste em Kings of the Past, mas, após o retorno do nobre tema de Mufasa, ele volta de maneira épica, como se demonstrasse a conclamação de Simba a lutar pelo trono.

Os temas principais são reapresentados em Remember Who You Are (que também introduz motivos adequadamente “místicos” para Rafiki, o macaco sábio, interpretado pelo coro africano e instrumentação típica). O tom religioso do fim da faixa também dá pistas do que Zimmer viria a fazer em O Código Da Vinci e Anjos e Demônios, e, após a apresentação dos dois temas de Mufasa e do de Simba (em belíssima interpretação da orquestra e do coral), o compositor apresenta um novo leitmotif, uma épica peça para o coral africano e percussão.

Este novo tema recebe sua mais incrível apresentação ao início de This is My Home, antes da entrada de uma melodia melancólica, que descreve a triste situação do reino sob o comando de Scar. Finalizando o score, The Rightful King é um tour de force de mais de onze minutos, que inicia-se com os temas dos heróis em um duelo sutil com motivos mais ameaçadores, ficando progressivamente mais sombria, até tornar-se uma faixa de ação de estilo quase militarista (mais ou menos como Zimmer fez para as sequências de ação de Pearl Harbor). Temos outro trecho de suspense antes da ação recomeçar, com o tema de Mufasa numa interpretação militar pelas trompas. Por fim, a batalha termina, e os temas principais voltam, a cargo de orquestra, coral e flautas, culminando numa bela apresentação do tema de Simba, como que indicasse sua ascensão ao trono. O coro africano encerra a trilha, com o seu próprio tema e inclusive uma performance de Circle of Life.

Zimmer também não se esqueceu dos coadjuvantes em sua música: as hienas também recebem seu motivo, interpretado pelos violinos e violas de forma digna das faixas de ação do mestre Jerry Goldsmith. De alguma forma, o uso de cordas agudas cabe perfeitamente em animais histéricos como as hienas. Este motivo pode ser ouvido em Elephant Graveyard e ao fim de Mufasa Dies. Já Timão e Pumba também recebem seu próprio tema, uma marcha pretensamente heroica, porém bastante cômica, a cargo dos metais. Sua primeira aparição se dá ao final de If You Ever Come Back We’ll Kill You, e retorna em Bowling for Buzzards e na marca de 04:24 de The Rightful King, indicando a participação dos dois carismáticos alívios cômicos na batalha final.

Apenas com o lançamento dessa nova versão da trilha é possível admirar por completo esse belo trabalho de Hans Zimmer. É um score de ambições grandiosas, repleto de belos temas e momentos memoráveis. Uma crítica que se pode fazer é que o tom constantemente solene e dramático da trilha pode cansar o ouvinte e, pior, tirar o brilho de momentos que, por natureza, deveriam ser assim. Entretanto, não se pode negar a força que o score, bem como as canções, possuem até hoje. E, embora eu prefira o maravilhoso trabalho de Thomas Newman em Um Sonho de Liberdade entre as trilhas de 1994, os Oscars de Hans Zimmer, Elton John e Tim Rice não foi sem merecimento.

Para encerrar, um bônus: a faixa He Lives in You, tema de abertura de O Rei Leão II, e que, em minha opinião, briga de igual para igual com Circle of Life:

Faixas:

Disco 1
1. Circle of Life / Nants’ Ingonyama (03:59)
Performed by Carmen Twillie & Lebo M
2. Didn’t Your Mother Tell You Not to Play With Your Food (02:08)
3. We Are All Connected (03:02)
4. Hyenas in the Pride Land (03:51)
5. I Just Can’t Wait to Be King (02:52)
Performed by Jason Weaver, Rowan Atkinson & Laura Williams
6. Elephant Graveyard (04:48)
7. I Was Just Trying to Be Brave (02:16)
8. Be Prepared (03:40)
Performed by Jeremy Irons, Whoopi Goldberg, Cheech Marin & Jim Cummings
9. Simba, It’s To Die For (00:48)
10. Stampede (03:22)
11. Mufasa Dies (03:27)
12. If You Ever Come Back We’ll Kill You (01:38)
13. Bowling for Buzzards (00:30)
14. Hakuna Matata (04:08)
Performed by Nathan Lane, Ernie Sabella, Jason Weaver & Joseph Williams
15. We Gotta Bone to Pick With You (01:08)
16. Kings of the Past (02:48)
17. Nala, Is It Really You? (04:11)
18. Can You Feel the Love Tonight (02:52)
Performed Joseph Williams, Sally Dworsky, Nathan Lane, Ernie Sabella & Kristle Edwards
19. Remember Who You Are (07:48)
20. This Is My Home (02:45)
21. The Rightful King (11:46)
Disco 2
1. The Morning Report (01:37)
Performed by James Earl Jones, Jeff Bennett & Evan Saucedo
2. Warthog Rhapsody (03:06)
Performed by Nathan Lane & Ernie Sabella
3. We Are All Connected (Demo) (03:05)
4. I Was Just Trying to Be Brave (Demo) (02:16)
5. Stampede (Demo) (03:23)
6. Mufasa Dies (Demo) (03:27)
7. This Is My Home (Demo) (02:28)
8. The Rightful King (Demo) (11:42)
9. Circle of Life (Instumental Demo) (04:02)
10. Circle of Life (04:52)
Performed by Elton John
11. I Just Can’t Wait to Be King (03:37)
Performed by Elton John
12. Can You Feel the Love Tonight (End Title) (04:03)
Performed by Elton John

Duração: 121:25

Tiago Rangel

Anúncios