11954Música composta por Pedro Bromfman
Selo: Sony Masterworks
Catálogo: 3034022
Lançamento: 04/02/2014
Cotação: ***

O diretor José Padilha, responsável por Tropa de Elite e Tropa de Elite 2 – O Inimigo Agora é Outro, sucessos de crítica e bilheteria no Brasil, comanda o seu primeiro blockbuster Hollywoodiano com o remake de RoboCop. Padilha não abriu mão de contar com alguns de seus principais colaboradores, como o montador Daniel Rezende, o fotógrafo Lula Carvalho e o compositor Pedro Bromfman. Este último havia realizado um bom trabalho nos dois Tropa de Elite, com sua trilha tensa e roqueira que em momento nenhum era suplantada pelas canções do longa.

Para esse novo filme, Bromfman pôde contar com um orçamento maior, o que lhe permitiu contratar mais músicos. E o resultado foi uma combinação entre instrumentação eletrônica e orquestra que, se soa curiosa por ser a forma como um brasileiro compõe para um blockbuster, também é, quando analisada separadamente, extremamente genérica e sem originalidade. Este trabalho lembra mais as obras sem inspiração de compositores como Steve Jablonsky e Henry Jackman do que os trabalhos que souberam combinar com sabedoria instrumentação eletrônica e acústica.

Além disso, um outro problema que cerca esta trilha de Bromfman é a falta de um tema principal, reconhecível. Aqui e ali há alguns motivos recorrentes, mas nada que se possa dizer que é um grande tema, que ficará marcado no filme. Assim, a música parece perdida em meio a tantas faixas genéricas e parecidas umas com as outras.

Também deve-se destacar a fraca orquestração utilizada. Sem conseguir encontrar um balanço entre a porção eletrônica e orquestral, o que encontramos são tentativas pobres de emular as melodias e orquestrações dos scores da trilogia Batman, de Hans Zimmer. Bromfman, aliás, acaba se provando um discípulo fiel do compositor alemão e seus asseclas, como John Powell, utilizando seus arpejos de cordas, percussão forte e metais bombásticos, porém, sem nunca alcançar as qualidades da música de Zimmer.

Porém, o álbum oferece alguns bons momentos de inspiração, como a tensão presente em faixas como “Mattox and Reporters”, “Restaurant Shootout” e “Battling Robots”. Como destaque positivo, podemos ressaltar também o drama crescente de “Mattox is Down”, bem como em “Sellars Lies”. São momentos que mostram o talento do jovem compositor, que deveria ter sido melhor utilizado.

No geral, a trilha do novo RoboCop acaba sendo bastante esquecível. Sem um tema forte para guiar a música e com faixas que, de tão parecidas, acabam perdendo o destaque, essa se torna mais uma obra genérica, perdida em meio a tantas outras que vem aparecendo no cinema de ação americano atual. Por outro lado, se trilhas desse tipo forem a porta de entrada de mais um brasileiro em Hollywood, então, boa sorte para Pedro Bromfman e que ele obtenha mais sucesso em suas próximas trilhas.

Faixas:

1. Mattox and Reporters 1:35
2. First Day 3:23
3. Title Card 0:49
4. Restaurant Shootout 2:47
5. Omnicorp 1:40
6. Calling Home 2:45
7. Made in China 2:28
8. Fixing RoboCop 1:56
9. Uploading Data 1:35
10. Reputation on The Line 1:31
11. Explosion 1:06
12. RoboCop Presentation 1:43
13. If I Had a Pulse 2:41
14. Going After Jerry 3:12
15. Vallon’s Warehouse 2:21
16. Murphy’s Case is Filed 1:19
17. They’re Going To Kill Him 3:16
18. Rooftop 2:56
19. Mattox is Down 1:40
20. Clara and David 2:56
21. Sellars Lies 2:28
22. Code Red 2:00
23. 2.6 Billion 1:23
24. Iran Inspection 2:12
25. Battling Robots 2:47

Duração: 54:29

Tiago Rangel

Enhanced by Zemanta
Anúncios