matrix-nov2

Resenha: THE ULTIMATE MATRIX COLLECTION (Blu-ray US)


Produção: 1999, 2003
Duração: 406 min.
Direção: Larry e Andy Wachowski
Elenco: Keanu Reeves, Laurence Fishburne, Carrie-Anne Moss, Hugo Weaving, Gloria Foster, Joe Pantoliano, Marcus Chong, Paul Goddard, Monica Bellucci, Jada Pinkett-Smith, Helmut Bakaitis, Lambert Wilson, Ian Bliss
Vídeo: Widescreen Anamórfico 2.40:1 (1080p/VC1)
Áudio: Inglês (Dolby TrueHD 5.1), Português, Espanhol (Dolby Digital 2.0), Francês, Italiano (Dolby Digital 5.1)
Legendas: Português, Inglês, Espanhol, Francês, Italiano, Holandês
Nº de discos: 7
Região: A, B, C
Distribuidora: Warner
Lançamento: 14/10/2008
Cotações: Som: ****½ Imagem: **** Filme: **** Extras & Menus: ***** Geral: ****½

SINOPSE
MATRIX – Thomas Anderson (Keanu Reeves) é um jovem programador de computador atormentado por estranhos pesadelos, nos quais se vê conectado por cabos a um imenso sistema de computadores do futuro. Em um encontro com os misteriosos Morpheus (Laurence Fishburne) e Trinity (Carrie-Anne Moss), Anderson toma uma pílula vermelha e descobre que ele e a maior parte da humanidade são prisioneiros da Matrix – um sistema inteligente e artificial que manipula a mente das pessoas, criando a ilusão de um mundo real enquanto usa os cérebros e corpos dos indivíduos para produzir energia. Morpheus está convencido de que Thomas é Neo, o “Escolhido” capaz de enfrentar a Matrix e conduzir as pessoas de volta à realidade e à liberdade. Mas para que isto ocorra Neo e os rebeldes deverão enfrentar ameaças como o Agente Smith (Hugo Weaving) e as mortais Sentinelas.

MATRIX RELOADED – Nuvens de Sentinelas. Clones do agente Smith. Neo pode voar, mas talvez nem mesmo o “Escolhido”, com novos e impressionantes poderes, seja capaz de conter o avanço das máquinas. Neo, Morpheus e Trinity estão de volta, juntamente com novos aliados, batalhando contra inimigos que são clonados, evoluíram e estão cada vez mais próximos de destruir o último enclave de humanos livres do planeta, a cidade subterrânea de Zion. O que é a Matrix? A pergunta ainda não é respondida totalmente, e acaba conduzindo a outra: Quem criou a Matrix?

MATRIX REVOLUTIONS – Todo começo tem um fim, e no caso dos rebeldes que lutam contra a Matrix isso significa matar ou morrer. No episódio final da trilogia MATRIX não há outra opção para os humanos. Para Neo, isso significa ir aonde ninguém jamais ousou: o coração da Cidade das Máquinas, onde travará uma luta cataclísmica contra Smith, cada vez mais poderoso e agora um programa renegado. Porém, mesmo que Neo vença, isso fará com que as máquinas interrompam seu ataque a Zion, prestes a ser eliminada por milhões de Sentinelas? No capítulo decisivo da luta entre a humanidade e as máquinas, descubra se valeu a pena tomar a pílula vermelha.

matrix-003

COMENTÁRIOS
Realidade virtual, pessoas que desconhecem a verdadeira natureza do ambiente em que vivem… o tema não é novo na ficção científica, tendo marcado presença nos anos 1990 em bons filmes do gênero como CIDADE DAS SOMBRAS e O 13º ANDAR. Mas eles foram apenas aperitivos para MATRIX (1999), um filme que não foi concebido como um evento, mas em pleno alvorecer da internet foi saudado como uma revolução não apenas por seus efeitos visuais então inéditos (principalmente o que ficou conhecido como Bullet Time – aquele em que Neo desvia-se lentamente das balas, enquanto a câmera faz um giro de 360º em torno dele), mas principalmente pelas idéias e estética inspiradas pela literatura cyberpunk, mangás e animes japoneses, religião, filosofia e filmes de kung fu de Hong Kong. MATRIX foi o grande filme da vida dos nerds/geeks, e os jovens irmãos Andy e Larry (hoje Lana, após ter mudado de sexo) Wachowski, que até então tinham no currículo apenas um longa modesto (LIGADAS PELO DESEJO, 1996) tiveram o mérito de conseguir colocar essa mistura aparentemente indigesta numa produção de grande orçamento e torná-la um fenômeno mundial, que criou um estilo que passou a ser muito imitada. No filme, elementos aparentemente díspares são unidos para formar um conjunto harmonioso, e nisso se inclui sua ótima trilha sonora que combina a partitura orquestral de Don Davis com faixas rock e techno. E também o elenco que se revela bem afinado, liderado por Keanu Reeves – então já consagrado por longas como VELOCIDADE MÁXIMA (1994) e O ADVOGADO DO DIABO (1997), mas transformado em ícone graças ao personagem Neo. O mesmo pode se dizer de Hugo Weaving, que fez de seu ameaçador e divertido Agente Smith um dos mais memoráveis vilões do cinema. Era de se esperar que um filme que provocou uma devoção quase religiosa de tantos fãs fosse gerar continuações. Isto, porém, demorou um pouco para acontecer, porque o seguimento das aventuras de Neo veio embutido num projeto multimídia de grande escala, que levou quase quatro anos para ser concluído.

Chegamos a 2003, o “Ano Matrix”. MATRIX RELOADED, a aguardada primeira continuação, finalmente chegou aos cinemas em maio. A coletânea de animes ANIMATRIX, contendo histórias curtas inéditas (os segmentos “O Vôo Final de Osíris” e “Era Uma Vez Um Garoto” possuem relação direta com RELOADED), foi lançada diretamente em DVD simultaneamente ao game multiplataformas ENTER THE MATRIX. Em novembro RELOADED saiu em DVD, algumas semanas antes do capítulo final, MATRIX REVOLUTIONS, estrear nos cinemas. Houve toda uma estratégia de marketing da Warner em torno da franquia criada pelos Irmãos Wachowski, que se por um lado ajudou a vender os produtos, por outro até certo ponto os prejudicou. No lapso de quatro anos entre o primeiro e o segundo filme, a concorrência inundou as telas com filmes de temática e estilo visual semelhantes (quando não simplesmente copiados) a MATRIX. Isso levou a RELOADED ser anunciado como um filme que superaria o original em todos os aspectos, uma experiência excepcional com efeitos que deixariam o Bullet Time na pré-história, e outras besteiras do tipo. No cinema o que se viu foi diferente – um filme que, mesmo recheado de efeitos e cenas mirabolantes, previsivelmente não possuía a originalidade do original e estava longe de ser a nova experiência revolucionária que o marketing prometera. Não foi de admirar, portanto, que muitos saíssem do cinema bradando sua decepção com o filme, apesar de seqüências eletrizantes como a antológica perseguição na freeway. No entanto, a par destas características mais aparentes, os irmãos Wachowski deram a esta continuação um caráter mais humano e introduziram elementos que questionavam o que havíamos aprendido sobre a verdadeira natureza da Matrix. Descobrimos que definitivamente, naquele universo, as coisas podem não ser o que parecem, o que gerou inúmeras discussões, a maioria centradas no já famoso diálogo de Neo (Keanu Reeves) e o Arquiteto (Helmut Bakaitis), e nas intrigantes cenas finais. Além disso RELOADED leva vantagem pelo menos em um ponto sobre o longa original: traz no elenco Monica Bellucci, deslumbrante como Persephone, a esposa do “gângster virtual” Merovingian (Lambert Wilson). Melhor que qualquer efeito visual, ela merecia ter aparecido mais na trilogia.

Enfim, MATRIX REVOLUTIONS chegou para encerrar (pelo menos até agora) a jornada de Neo e seus aliados contra as máquinas, partindo do final totalmente em aberto de MATRIX RELOADED. E curiosamente, apesar de muitos o reconhecerem como superior ao capítulo anterior, este terceiro filme gerou uma rejeição ainda maior dos fãs. A explicação talvez esteja no fato deles terem levado demasiadamente a sério o que, no final das contas, e como REVOLUTIONS deixou bem claro, era basicamente uma nova variação do clássico confronto entre o Bem e o Mal centrado na trajetória de um Messias, o Escolhido (qualquer semelhança de Neo com Cristo NÃO é mera coincidência). Claro, não ajuda em nada o fato de a primeira hora de projeção de REVOLUTIONS ser maçante. As cenas de Neo preso na Matrix, seus diálogos intermináveis com a família hindu, a aparição da nova Oráculo, tudo parece truncado, com muita conversa que, aparentemente, não leva a nada. No entanto, passada essa fase e a partir da partida de Neo e Trinity rumo à Cidade das Máquinas, e a de Niobe (Jada Pinkett-Smith) e Morpheus de volta a Zion, o filme deslancha e torna-se uma aventura de ficção científica eletrizante, mas sem dúvida a “menos Matrix” da trilogia. Por ser a conclusão a trama teria que avançar, e tudo o que foi feito dentro da Matrix agora deveria, obrigatoriamente, refletir-se no mundo físico, onde os irmãos Wachowski colocaram a maior parte das grandes sequências: o confronto de Neo com a versão em carne e osso do Agente Smith, Bane (Ian Bliss); o impressionante ataque das Sentinelas a Zion; e a chegada de Neo e Trinity à Cidade das Máquinas. No entanto, como que em um retorno a onde tudo começou, o momento decisivo do filme fica reservado para a Matrix, onde ocorre o confronto final de Neo e o Agente Smith – que parece saído de uma versão live de DRAGONBALL (aliás, só essa sequência isolada já é bem mais fiel ao anime que sua fraca versão cinematográfica de 2009). É para este duelo final e a idílica conclusão que se segue, também passada na Matrix, que convergem todos os caminhos traçados nos dois primeiros filmes. Dificilmente seria possível chegar a um final para a saga que agradasse a todos, mas para mim ele foi adequado. Talvez porque, apesar de achar MATRIX um filme único, nunca o considerei algo mais do que ele realmente é – uma criativa, e muito boa, aventura de ficção científica.

SOBRE OS BDs
A trilogia MATRIX foi disponibilizada pela Warner em DVD em diferentes edições, sendo a principal o memorável box de 10 discos que, até hoje, é considerado um dos melhores e mais completos lançamentos do formato. Fora de catálogo no Brasil, ele passou a ser um item de coleção e seu equivalente pode ser importado dos EUA ou Europa em um box lançado por lá em outubro de 2008, que reproduz o conteúdo da caixa de DVDs mas se beneficia por trazer os filmes com imagem e vídeo de alta definição. Em nosso mercado os filmes estão disponíveis em Blu-ray, porém em edições avulsas e num box que traz apenas os filmes e os extras de cada um. Já neste box temos sete discos – quatro BDs e três DVDs (nestes incluído o da cópia digital de MATRIX) acondicionados em cinco estojos HD Case Slim, que por sua vez são envoltos, juntamente com um encarte de 24 páginas, por uma bonita luva de papelão grosso, que na frente simula o código da Matrix.

A trilogia é apresentada em transferências 1080p/VC-1 widescreen anamórficas que reproduzem seu formato original de tela 2.40:1. Estas transfers em alta definição são as mesmas que serviram de base para o box de DVDs e seu posterior equivalente no finado HD-DVD. Apesar disso, a nitidez e o nível de detalhes destacam-se na maioria das cenas, seja nos rostos e vestimentas dos atores, seja nos cenários elaborados que agora estão muito mais claros e visíveis. Dos três longas, MATRIX é o que mais demonstra os sinais da idade. Nele notamos esporádicos danos de película, porém na maior parte do tempo a imagem é limpa e nítida. As duas continuações estão em melhor condição, sem nenhuma marca digna de nota. Pixelização, ruídos ou outros artefatos digitais não foram percebidos. Há elementos visuais que são inerentes à apresentação cinematográfica, como a granulação vista em alguns momentos e a tonalidade esverdeada da imagem, e que foram fielmente preservados em alta definição. Como não é raro em BDs de catálogo da Warner, eventualmente percebemos halos típicos de edge enhancement, mas felizmente eles não chegam a ser intrusivos. A trilogia se caracteriza por suas cores um pouco esmaecidas, no entanto em determinados momentos surgem cores mais vivas, fielmente reproduzidas. Os níveis de preto são fortes, e de modo geral os filmes estão com uma qualidade de imagem que nunca tiveram em home video. A antologia ANIMATRIX, incluída no box como bônus, também recebeu uma transferência anamórfica 2.40:1 em alta definição 1080p/VC-1 com grande nitidez e cores vivas e agressivas. Contudo isto pode variar, de acordo com o estilo visual adotado em cada segmento.

matrix-bd1

Todos os longas possuem legendas e áudio em vários idiomas, incluindo o português do Brasil – pena que a nossa dublagem seja apenas Dolby 2.0. Mas o destaque indiscutível é a faixa original em inglês Dolby TrueHD 5.1, que em MATRIX justifica o porquê do filme original ter ganho os Oscars de Som e Efeitos Sonoros. Nas passagens calmas ela cria uma ambientação adequada, e nos momentos de ação os efeitos sonoros envolvem o espectador de forma agressiva. RELOADED, beneficiado por quatro anos de avanço no áudio e que traz mais, e mais longas, cenas de ação, faz um uso espetacular dos canais surround. O sound design de sequências como a de Neo cercado por múltiplos Agentes Smith, ou a da perseguição na freeway, é exemplar. REVOLUTIONS tem menos ação que o longa anterior, com sua primeira metade dominada por diálogos e som ambiental. Mas quando a segunda metade inicia, temos vários momentos onde os graves e demais canais são levados a extremos. Destaca-se a massiva batalha em Zion, com sons de baterias anti-aéreas e de nuvens de Sentinelas vindos de todas as caixas de som. Já o duelo final entre Neo e Smith apresenta uma vibrante mixagem da trilha musical, efeitos sonoros e graves potentes. Quanto a ANIMATRIX, seu variado painel sonoro explora bem os efeitos surround, de forma discreta ou, quando necessário, empolgante. Os graves são fortes, e os diálogos, sempre claros.

Enfim, caso você seja fã da trilogia, este primoroso box em Blu-ray é imperdível. Além de conter os filmes e ANIMATRIX em alta definição, ele traz todo o material suplementar anteriormente disponível em DVD e HD-DVD, que é simplesmente gigantesco. Já se você gosta apenas do filme original, uma opção interessante é a edição comemorativa dos 10 anos de MATRIX, que basicamente é o disco do box, lançado em separado e com embalagem diferenciada digibook.

OS EXTRAS
Se há uma coisa que não falta neste fantástico box da trilogia MATRIX é material suplementar. Ele é abundante, trazendo para Blu-ray tudo que já fora disponibilizado anteriormente em DVD e HD-DVD, além de um disco com a cópia digital do filme original. Mas o importante mesmo são os extensos documentários, featurettes, comentários em áudio, cenas eliminadas e bônus diversos. Os extras estão distribuídos nos três BD-50 de duas camadas dos filmes, no BD-50 de ANIMATRIX e em mais três DVDs – um deles de duas faces. Os únicos senões é que os comentários em áudio não possuem legendas em português, como a maior parte dos vídeos. E estes, exceto por ANIMATRIX (também considerado um extra), estão apenas em definição 480p/i/MPEG-2. Mas é um detalhe que dificilmente impedirá que os mais fanáticos pela franquia sejam saciados com as mais variadas abordagens sobre sua produção. Optei por não traduzir o nome dos documentários e featurettes, deixando-os como aparecem nos menus dos discos, que estão apenas em inglês. Então, prenda a respiração e mergulhe de cabeça nesse material. Para começar, os extras que são comuns aos discos dos três filmes, como segue:

MATRIX – MATRIX RELOADEDMATRIX REVOLUTIONS

  • In-Movie Experience – Cada filme pode ser assistido com comentários de voz e em vídeo PIP (exibidos em uma janela menor), com legendas em português. Cabe ressaltar que para este recurso não foi criado nenhum material inédito. Trata-se, na verdade, de uma compilação dos melhores depoimentos dos irmãos Wachowski e membros da equipe de produção e elenco. Funciona como um interessante resumo das mais de 35 horas de extras do box;
  • Introduções – Cada filme recebeu um texto (apenas em inglês) dos irmãos Wachowski, também reproduzido no encarte incluído no box;
  • Comentários em Áudio – Cada um dos três filmes recebeu um par de faixas de comentários de áudio: “Philosopher’s Commentary”, com os doutores Cornel West e Ken Wilber, e “Critics Commentary”, com os críticos Todd McCarthy, John Powers e David Thomson. Enquanto na primeira os participantes tendem a levar o significado de cada filme a níveis mais “transcendentais”, na segunda temos comentários mais realistas e até divertidos, já que os críticos tiveram a liberdade de apontar e ironizar as falhas e outros problemas das continuações.

A seguir, vamos aos extras específicos:

MATRIX

  • Cópia Digital – Na verdade o disco de MATRIX é duplo, já que além do BD a embalagem traz um DVD com a cópia digital do filme (em 480p), uma das adições nos extras em relação ao box em DVD. Para mim é totalmente dispensável, mas como hoje isto virou rotina nos lançamentos, deve haver quem goste;
  • Comentários em Áudio – Além dos comentários acima destacados, o filme original também recebeu duas faixas adicionais. A primeira foi gravada para a primeira edição em DVD e traz os técnicos em efeitos Zach Staenberg e John Gaeta e a atriz Carrie-Anne Moss (Trinity); a segunda é a trilha musical isolada (em Dolby 2.0), com comentários do compositor Don Davis nos intervalos entre as músicas (excelente!);
  • The Music Revisited – Originalmente disponível como easter egg no DVD, esta seção contém nada menos que 41 faixas musicais techno. Enquanto você ouve a(s) faixa(s) selecionada(s), o código da Matrix começa a correr sobre o menu. Faça sua própria festa rave em Zion!;
  • The Matrix Revisited (122 min.) – Originalmente lançado em um DVD à parte, este excelente documentário abrange todo o processo de produção, desde novembro de 1997 (pré-produção) a abril de 2000 (início dos preparativos para a primeira continuação). É um dos melhores making of já feitos, e traz tudo o que você necessita saber sobre os bastidores de MATRIX, incluindo depoimentos das principais pessoas envolvidas no projeto (até mesmo dos hoje pouco vistos irmãos Wachowski;
  • Take the Red Pill / Follow the White Rabbit (40 min.) – Não poderiam faltar nos extras os famosos featurettes de “Tome a Pílula Vermelha” e “Siga o Coelho Branco”, que no DVD original eram acessados, de forma pioneira, durante o filme. Aqui eles são vistos em separado, e como nas demais seções de vídeos, podem ser vistos em sequência ou isoladamente. São eles: “What is Bullet Time?” (6 min.), “What is the Concept” (11 min.); “Trinity Escapes” (1 min.), “Pod” (2 min.), “Kung Fu” (4 min.), “Wall” (2 min.), “Bathroom Fight” (2 min.), “Government Lobby” (4 min.), “Government Roof” (1 min.), “Helicopter” (1 min.) e “Subway” (4 min.);
  • Promotional Gallery – Os extras do disco se encerram com esta seção que inclui o teaser e o trailer original de cinema, oito comerciais de TV e o videoclipe de Marilyn Manson “Rock is Dead”.

MATRIX RELOADED

  • Behind The Matrix ( 47 min.) – Esta seção é composta de quatro featurettes de caráter eminentemente promocional: “The Matrix Unfolds” (5 min.), “Pre-Load” (22 min.), “Get Me an Exit” (10 min.) e “The MTV Movie Awards Reloaded” (10 min.) – este é a divertida paródia do MTV Movie Awards de 2003, com a participação de Will Ferrell, Seann William Scott e do cantor Justin Timberlake;
  • Enter the Matrix (42 min.) – Para quem não jogou o esquecível game de 2003, que se passa entre os eventos de MATRIX e MATRIX RELOADED, esta seção traz o que de melhor ele tinha – todas as cenas rodadas pelos Wachowski com alguns atores da primeira continuação. São 22 segmentos com áudio 2.0 e formato letterbox, antecedidos por uma introdução de 1 minuto do produtor Joel Silver e da atriz Jada Pinkett-Smith;
  • Car Chase (55 min.) – Nove segmentos que abordam diversos aspectos da criação da grande cena de ação de RELOADED, a perseguição na auto-estrada. São eles: “Oakland Streets and Freeway” (10 min.), “Tour of Meroinigian’s Garage” (2 min.), “Queen of the Road” (3 min.), “Arteries of the Mega-City” (12 min.), “Foresight: Preplanning the Mayhem” (6 min.), “Freeway Truck Crash: Anatomy of a Shot” (5 min.), “Fate of the Freeway” (2 min.) and “Freeway Action Match” (14 min.);
  • Unplugged (40 min.) – Esta seção aborda alguns aspectos da produção e a criação de certas sequências, como a memorável luta de Neo contra milhares de Agentes Smith. Os segmentos que a compõem são: “Creating the Burly Brawl” (17 min.), “A Conversation with Master Wo Ping” (10 min.), “Chad Stahelski: The Other Neo” (2 min.), “Burly Brawl Action Match” (6 min.) e “Spiraling Virtual Shot: Anatomy of a Shot” (5 min.);
  • Teahouse Fight (10 min.) – Aqui, de forma similar à seção anterior, temos dois segmentos mostrando detalhes da criação da cena de luta entre Neo e Seraph: “Two Equals Clash” (4 min.) e “Guardian of the Oracle: Collin Chou” (3 min.);
  • I’ll Handle Them (17 min.) – Temos quatro segmentos dedicados à sequência do Chatô de Merovingian: “The Great Hall” (5 min.), “Building the Merovingian’s Lair” (5 min.), “Tiger Style: A Day in the Life of Chen Hu” (4 min.) e “Heavy Metal: Weapons of the Great Hall” (3 min.);
  • Exiles (17 min.) – Seção composta por dois segmentos: “Big Brother is Watching: The Architect’s Office” (8 min., focado mais na discussão da criação da cena do Arquiteto, filmada diante de um fundo verde) e “The Exiles” (9 min., intérpretes dos “exilados” da Matrix falam sobre seus personagens);
  • Promotional Gallery – Aqui temos o teaser e o trailer de cinema de RELOADED, mais oito comerciais de TV e o videoclipe de P.O.D. “Sleeping Awake”.

MATRIX REVOLUTIONS

  • Behind the Matrix (24 min.)Making of que, como o restante do material suplementar de REVOLUTIONS, foi rodado simultaneamente ao de RELOADED. É composto pelos featurettes “Revolutions Recalibrated” (6 min.), “Neo Realism: The Evolution of Bullet Time” (4 min.), “CG Revolution” (2 min.), “Super Big Mini Models” (1 min.), “Super Burly Brawl” (2 min.), “Double Agent Smith” (3 min.), “Mind over Matter: The Physicality of The Matrix” (3 min.), “Future Gamer: The Matrix Online” (2 min.) e “Before the Revolution”;
  • Siege (40 min.) – Esta seção é exclusivamente dedicada à grande sequência do ataque das máquinas a Zion. Os segmentos que a compõem são: “Dig This” (10 min.), “Siege Action Match” (10 min.), “Mifune’s Last Stand: Anatomy of a Shot” (5 min.), “Building an APU” (5 min.) e “Product of Zion” (10 min., este é de interesse especial pois trata da substituição da cantora/atriz Aaliyah após sua morte em um acidente aéreo;
  • Aftermath (40 min.) – Quatro segmentos abordam a pós-produção do filme: “Revolutionary Composition” (9 min.), “The Glue” (7 min.), “Dane Tracks” (7 min.) e “Cause and Effects” (16 min.);
  • Crew (25 min.)- Seção dedicada a membros da equipe que são essenciais à produção, mas que raramente obtém reconhecimento do público. Temos aqui quatro segmentos: “Owen’s Army: The Australian Art Department” (4 min.), “2nd Unit: A World of Their Own” (6 min.), “Bill Pope: Cinematographer of The Matrix” (8 min.) e “Masters of Light and Shadow” (7 min.);
  • Hel (28 min.) – Aqui são examinados os aspectos técnicos da criação da primeira cena de ação de REVOLUTIONS, que ocorre no clube gótico. Seus segmentos são: “Coat Check” (5 min.), “Upsidedown Under” (5 min.), “Fast Break” (6 min.), “Exploding Man” (5 min.), “Gun Club” (2 min.) e “The Extras of Club Hel” (5 min.);
  • Super Burly Brawl (12 min.) – O assunto aqui é a sequência do confronto final entre Neo e o Agente Smith. Os segmentos são: “Sky Barn” (5 min.), “Crater” (5 min.), “The Egg” (3 min.) e “Anatomy of the Superpunch” (4 min.);
  • New Blue World (26 min.) – Aparentemente, todos os featurettes que não puderam ser encaixados nas outras seções de REVOLUTIONS vieram parar aqui. São eles: “Geography of Zion” (9 min.), “The Ships” (6 min.), “Tour of the Neb” (3 min.), “Logos Fight Expansion” (3 min.) e “Matrix TV” (5 min.);
  • Promotional Gallery – A seção traz o trailer original de REVOLUTIONS e seis comerciais de TV.

ANIMATRIX

Os nove animes que utilizam diferentes estilos visuais e de animação foram incluídos num BD à parte, com as mesmas especificações técnicas dos filmes (formato de tela, opções de idioma, etc. São eles: “Final Flight of the Osiris”, “Kid’s Story”, “Program”, “World Record”, “Beyond”, “Detective Story”, “Matriculated”, “The Second Renaissance Part 1” e “The Second Renaissance Part 2”. Além disso, o disco traz extras específicos da coletânea:

  • Voices – São comentários em áudio presentes em quatro curtas: Mahiro Maeda nas duas partes de “The Second Renaissance”, Yoshiaki Kawajiri em “Program” e Takeshi Koike em “World Record”. Também neles não há opção de legendas;
  • Scrolls to Screen: The History and Culture of Anime (22 min.) – Ótimo featurette que trata da influência do anime em MATRIX, narrando as origens do gênero e explicando as técnicas utilizadas;
  • Execution (55 min.) – Making of de ANIMATRIX dividido em sete partes, que trazem depoimentos dos realizadores, equipe e cenas de bastidores.

THE MATRIX EXPERIENCE

Se você a esta altura está cansado de tanto material suplementar, prepare-se: o box traz mais dois DVDs (um de duas faces) intitulados THE MATRIX EXPERIENCE, contendo montes de extras. Infelizmente nada deste material recebeu legendas em português (apenas em francês). Se isto não for obstáculo, recupere o fôlego e siga em frente, explorando o conteúdo dos últimos dois discos:

  • Return to Source: Philosophy & The Matrix (60 min.) – Este documentário apresenta depoimentos de vários professores, historiadores e especialistas/geeks em ficção científica, HQs, etc., que fazem conexões da saga de Neo com a filosofia, religião e nosso mundo real. Recomendado aos mais fanáticos por MATRIX, que certamente gostarão das “viajadas” dessa gente;
  • The Hard Problem: The Science Behind the Fiction (60 min.) – Outro documentário de uma hora de duração, onde especialistas dissertam sobre a dependência do homem nas máquinas, e o que o futuro da inteligência artificial pode nos reservar;
  • The Burly Man Chronicles (95 min.) – Longo e detalhado diário de produção das duas continuações de MATRIX, que abrange um período de aproximadamente quatro anos. Ao lado de MATRIX REVISITED, é o melhor documentário do box. E como se isto não bastasse, ele possui seu próprio recurso “Siga o Coelho Branco”: em pontos específicos, quando surge o coelho branco na tela, você aperta o botão “Enter” do controle remoto para acessar três documentários que, somados, têm 82 minutos de duração: “Pre-Production” (32 min.), “Alameda Shoot” (16 min.) e “Australia Shoot” (34 min.). Se preferir, eles podem ser vistos em separado;
  • Zion Archive – Enorme galeria de imagens, provavelmente a maior já reunida em home video. Para mim foi impossível conferir todas e, portanto, contá-las. Uns falam em mil, outros em milhares (!) de imagens distribuídas em cinco categorias:”Storyboards”, “Characters”, “Ships”, “Machines” e “Sets”. De lamentar apenas a navegação não muito amigável e o fato de as imagens não terem sido convertidas para alta definição, o que desestimula uma exploração mais profunda;
  • Rave Reel (9 min.) – Não se trata dos bastidores da polêmica festa rave em Zion, mas sim de uma montagem de cenas dos três filmes (a maioria, efeitos visuais não finalizados), feita em cima da música “Navras”, da trilha de REVOLUTIONS;
  • Matrix Online Preview (10 min.) – Prévia (!) do game online baseado no universo MATRIX, que infelizmente teve vida curta e já foi esquecido há muito tempo;
  • Promotional Gallery – Finalmente, encerrando esta verdadeira maratona de extras, temos a (desnecessária?) reprise dos teasers, trailers e comerciais de TV da trilogia, disponíveis nos discos de cada filme.

Jorge Saldanha

SINOPSE
MATRIX – Thomas Anderson (Keanu Reeves) é um jovem programador de computador atormentado por estranhos pesadelos, nos quais se vê conectado por cabos a um imenso sistema de computadores do futuro. Em um encontro com os misteriosos Morpheus (Laurence Fishburne) e Trinity (Carrie-Anne Moss), Anderson toma uma pílula vermelha e descobre que ele e a maior parte da humanidade são prisioneiros da Matrix – um sistema inteligente e artificial que manipula a mente das pessoas, criando a ilusão de um mundo real enquanto usa os cérebros e corpos dos indivíduos para produzir energia. Morpheus está convencido de que Thomas é Neo, o “Escolhido” capaz de enfrentar a Matrix e conduzir as pessoas de volta à realidade e à liberdade. Mas para que isto ocorra Neo e os rebeldes deverão enfrentar ameaças como o Agente Smith (Hugo Weaving) e as mortais Sentinelas.

MATRIX RELOADED – Nuvens de Sentinelas. Clones do agente Smith. Neo pode voar, mas talvez nem mesmo o “Escolhido”, com novos e impressionantes poderes, seja capaz de conter o avanço das máquinas. Neo, Morpheus e Trinity estão de volta, juntamente com novos aliados, batalhando contra inimigos que são clonados, evoluíram e estão cada vez mais próximos de destruir o último enclave de humanos livres do planeta, a cidade subterrânea de Zion. O que é a Matrix? A pergunta ainda não é respondida totalmente, e acaba conduzindo a outra: Quem criou a Matrix?

MATRIX REVOLUTIONS – Todo começo tem um fim, e no caso dos rebeldes que lutam contra a Matrix isso significa matar ou morrer. No episódio final da trilogia MATRIX não há outra opção para os humanos. Para Neo, isso significa ir aonde ninguém jamais ousou: o coração da Cidade das Máquinas, onde travará uma luta cataclísmica contra Smith, cada vez mais poderoso e agora um programa renegado. Porém, mesmo que Neo vença, isso fará com que as máquinas interrompam seu ataque a Zion, prestes a ser eliminada por milhões de Sentinelas? No capítulo decisivo da luta entre a humanidade e as máquinas, descubra se valeu a pena tomar a pílula vermelha.

COMENTÁRIOS
Realidade virtual, pessoas que desconhecem a verdadeira natureza do ambiente em que vivem… o tema não é novo na ficção científica, tendo marcado presença nos anos 1990 em bons filmes do gênero como CIDADE DAS SOMBRAS e O 13º ANDAR. Mas eles foram apenas aperitivos para MATRIX (1999), um filme que não foi concebido como um evento, mas em pleno alvorecer da internet foi saudado como uma revolução não apenas por seus efeitos visuais então inéditos (principalmente o que ficou conhecido como Bullet Time – aquele em que Neo desvia-se lentamente das balas, enquanto a câmera faz um giro de 360º em torno dele), mas principalmente pelas idéias e estética inspiradas pela literatura cyberpunk, mangás e animes japoneses, religião, filosofia e filmes de kung fu de Hong Kong. MATRIX foi o grande filme da vida dos nerds/geeks, e os jovens irmãos Andy e Larry (hoje Lana, após ter mudado de sexo) Wachowski, que até então tinham no currículo apenas um longa modesto (LIGADAS PELO DESEJO, 1996) tiveram o mérito de conseguir colocar essa mistura aparentemente indigesta numa produção de grande orçamento e torná-la um fenômeno mundial, que criou um estilo que passou a ser muito imitada. No filme, elementos aparentemente díspares são unidos para formar um conjunto harmonioso, e nisso se inclui sua ótima trilha sonora que combina a partitura orquestral de Don Davis com faixas rock e techno. E também o elenco que se revela bem afinado, liderado por Keanu Reeves – então já consagrado por longas como VELOCIDADE MÁXIMA (1994) e O ADVOGADO DO DIABO (1997), mas transformado em ícone graças ao personagem Neo. O mesmo pode se dizer de Hugo Weaving, que fez de seu ameaçador e divertido Agente Smith um dos mais memoráveis vilões do cinema. Era de se esperar que um filme que provocou uma devoção quase religiosa de tantos fãs fosse gerar continuações. Isto, porém, demorou um pouco para acontecer, porque o seguimento das aventuras de Neo veio embutido num projeto multimídia de grande escala, que levou quase quatro anos para ser concluído.

Chegamos a 2003, o “Ano Matrix”. MATRIX RELOADED, a aguardada primeira continuação, finalmente chegou aos cinemas em maio. A coletânea de animes ANIMATRIX, contendo histórias curtas inéditas (os segmentos “O Vôo Final de Osíris” e “Era Uma Vez Um Garoto” possuem relação direta com RELOADED), foi lançada diretamente em DVD simultaneamente ao game multiplataformas ENTER THE MATRIX. Em novembro RELOADED saiu em DVD, algumas semanas antes do capítulo final, MATRIX REVOLUTIONS, estrear nos cinemas. Houve toda uma estratégia de marketing da Warner em torno da franquia criada pelos Irmãos Wachowski, que se por um lado ajudou a vender os produtos, por outro até certo ponto os prejudicou. No lapso de quatro anos entre o primeiro e o segundo filme, a concorrência inundou as telas com filmes de temática e estilo visual semelhantes (quando não simplesmente copiados) a MATRIX. Isso levou a RELOADED ser anunciado como um filme que superaria o original em todos os aspectos, uma experiência excepcional com efeitos que deixariam o Bullet Time na pré-história, e outras besteiras do tipo. No cinema o que se viu foi diferente – um filme que, mesmo recheado de efeitos e cenas mirabolantes, previsivelmente não possuía a originalidade do original e estava longe de ser a nova experiência revolucionária que o marketing prometera. Não foi de admirar, portanto, que muitos saíssem do cinema bradando sua decepção com o filme, apesar de seqüências eletrizantes como a antológica perseguição na freeway. No entanto, a par destas características mais aparentes, os irmãos Wachowski deram a esta continuação um caráter mais humano e introduziram elementos que questionavam o que havíamos aprendido sobre a verdadeira natureza da Matrix. Descobrimos que definitivamente, naquele universo, as coisas podem não ser o que parecem, o que gerou inúmeras discussões, a maioria centradas no já famoso diálogo de Neo (Keanu Reeves) e o Arquiteto (Helmut Bakaitis), e nas intrigantes cenas finais. Além disso RELOADED leva vantagem pelo menos em um ponto sobre o longa original: traz no elenco Monica Bellucci, deslumbrante como Persephone, a esposa do “gângster virtual” Merovingian (Lambert Wilson). Melhor que qualquer efeito visual, ela merecia ter aparecido mais na trilogia.

Enfim, MATRIX REVOLUTIONS chegou para encerrar (pelo menos até agora) a jornada de Neo e seus aliados contra as máquinas, partindo do final totalmente em aberto de MATRIX RELOADED. E curiosamente, apesar de muitos o reconhecerem como superior ao capítulo anterior, este terceiro filme gerou uma rejeição ainda maior dos fãs. A explicação talvez esteja no fato deles terem levado demasiadamente a sério o que, no final das contas, e como REVOLUTIONS deixou bem claro, era basicamente uma nova variação do clássico confronto entre o Bem e o Mal centrado na trajetória de um Messias, o Escolhido (qualquer semelhança de Neo com Cristo NÃO é mera coincidência). Claro, não ajuda em nada o fato de a primeira hora de projeção de REVOLUTIONS ser maçante. As cenas de Neo preso na Matrix, seus diálogos intermináveis com a família hindu, a aparição da nova Oráculo, tudo parece truncado, com muita conversa que, aparentemente, não leva a nada. No entanto, passada essa fase e a partir da partida de Neo e Trinity rumo à Cidade das Máquinas, e a de Niobe (Jada Pinkett-Smith) e Morpheus de volta a Zion, o filme deslancha e torna-se uma aventura de ficção científica eletrizante, mas sem dúvida a “menos Matrix” da trilogia. Por ser a conclusão a trama teria que avançar, e tudo o que foi feito dentro da Matrix agora deveria, obrigatoriamente, refletir-se no mundo físico, onde os irmãos Wachowski colocaram a maior parte das grandes seqüências: o confronto de Neo com a versão em carne e osso do Agente Smith, Bane (Ian Bliss); o impressionante ataque das Sentinelas a Zion; e a chegada de Neo e Trinity à Cidade das Máquinas. No entanto, como que em um retorno a onde tudo começou, o momento decisivo do filme fica reservado para a Matrix, onde ocorre o confronto final de Neo e o Agente Smith – que parece saído de uma versão live de DRAGONBALL (aliás, só essa sequência isolada já é bem mais fiel ao anime que sua fraca versão cinematográfica de 2009). É para este duelo final e a idílica conclusão que se segue, também passada na Matrix, que convergem todos os caminhos traçados nos dois primeiros filmes. Dificilmente seria possível chegar a um final para a saga que agradasse a todos, mas para mim ele foi adequado. Talvez porque, apesar de achar MATRIX um filme único, nunca o considerei algo mais do que ele realmente é – uma criativa, e muito boa, aventura de ficção científica.

O BD
A trilogia MATRIX foi disponibilizada pela Warner em DVD em diferentes edições, sendo a principal o memorável box de 10 discos que, até hoje, é considerado um dos melhores e mais completos lançamentos do formato. Fora de catálogo no Brasil, ele passou a ser um item de coleção – e caso você já tenha aderido ao formato Blu-ray, seu equivalente pode ser importado dos EUA ou Europa em um box lançado por lá em outubro de 2008, que reproduz o conteúdo da caixa de DVDs mas se beneficia por trazer os filmes com imagem e vídeo de alta definição. São sete discos – quatro BDs e três DVDs (nestes incluído o da cópia digital de MATRIX) acondicionados em cinco estojos Amaray Slim, que por sua vez são envoltos, juntamente com um encarte de 24 páginas, por uma bonita luva de papelão grosso, que na frente simula o código da Matrix. A trilogia é apresentada em transferências 1080p/VC-1 widescreen anamórficas que reproduzem seu formato original de tela 2.40:1. Estas transfers em alta definição são as mesmas que serviram de base para o box de DVDs e seu posterior equivalente no finado HD-DVD. Não posso avaliar as diferenças entre eles, já que apenas possuía os DVDs dos lançamentos originais, em separado. Mas quanto a eles, não resta a menor dúvida – a melhoria é significativa. Nitidez e nível de detalhes destacam-se na maioria das cenas, seja nos rostos e vestimentas dos atores, seja nos cenários elaborados que agora estão muito mais claros e visíveis. Dos três longas, MATRIX é o que mais demonstra os sinais da idade. Nele notamos esporádicos danos de película, porém na maior parte do tempo a imagem é limpa e nítida. As duas continuações estão em melhor condição, sem nenhuma marca digna de nota. Pixelização, ruídos ou outros artefatos digitais não foram percebidos. Há elementos visuais que são inerentes à apresentação cinematográfica, como a granulação vista em alguns momentos e a tonalidade esverdeada da imagem, e que foram fielmente preservados em alta definição. Como não é raro em BDs da Warner, eventualmente percebemos halos típicos de edge enhancement, mas felizmente eles não chegam a ser intrusivos. A trilogia se caracteriza por suas cores um pouco esmaecidas, no entanto em determinados momentos surgem cores mais vivas, fielmente reproduzidas. Os níveis de preto são fortes, e de modo geral os filmes estão com uma qualidade de imagem que nunca tiveram em home video. A antologia ANIMATRIX, incluída no box como bônus, também recebeu uma transferência anamórfica 2.40:1 em alta definição 1080p/VC-1 (no box HD-DVD sua resolução era apenas 480p), com grande nitidez e cores vivas e agressivas. Contudo isto pode variar, de acordo com o estilo visual adotado em cada segmento.

Todos os longas possuem legendas e áudio em vários idiomas, que felizmente incluem o português do Brasil. Pena que a dublagem em português seja apenas Dolby 2.0. Mas o destaque indiscutível é a faixa original em inglês Dolby TrueHD 5.1, que em MATRIX justifica o porquê do filme original ter ganho os Oscars de Som e Efeitos Sonoros. Nas passagens calmas ela cria uma ambientação adequada, e nos momentos de ação os efeitos sonoros envolvem o espectador de forma agressiva. RELOADED, beneficiado por quatro anos de avanço no áudio e que traz mais, e mais longas, cenas de ação, faz um uso espetacular dos canais surround. O sound design de sequências como a de Neo cercado por múltiplos Agentes Smith, ou a da perseguição na freeway, é exemplar. REVOLUTIONS tem menos ação que o longa anterior, com sua primeira metade dominada por diálogos e som ambiental. Mas quando a segunda metade inicia, temos vários momentos onde os graves e demais canais são levados a extremos. Destaca-se a massiva batalha em Zion, com sons de baterias anti-aéreas e de nuvens de Sentinelas vindos de todas as caixas de som. Já o duelo final entre Neo e Smith apresenta uma vibrante mixagem da trilha musical, efeitos sonoros e graves potentes. Quanto a ANIMATRIX, seu variado painel sonoro explora bem os efeitos surround, de forma discreta ou, quando necessário, empolgante. Os graves são fortes, e os diálogos, sempre claros.

Enfim, caso você seja fã da trilogia, este primoroso box em Blu-ray, e independentemente da Warner lançá-lo aqui (até o momento não há previsão), é imperdível. Além de conter os filmes e ANIMATRIX em alta definição, ele traz todo o material suplementar anteriormente disponível em DVD e HD-DVD, que é simplesmente gigantesco. Já se você gosta apenas do filme original, opte pela edição comemorativa dos 10 anos de MATRIX, que basicamente é o disco do box, lançado em separado e com embalagem diferenciada em forma de livro.

OS EXTRAS
Se há uma coisa que não falta neste fantástico box da trilogia MATRIX é material suplementar. Ele é abundante, trazendo para Blu-ray tudo que já fora disponibilizado anteriormente em DVD e HD-DVD, além de um disco com a cópia digital do filme original. Mas o importante mesmo são os extensos documentários, featurettes, comentários em áudio, cenas eliminadas e bônus diversos. Os extras estão distribuídos nos três BD-50 de duas camadas dos filmes, no BD-50 de ANIMATRIX e em mais três DVDs – um deles de duas faces. Os únicos senões é que os comentários em áudio não possuem legendas em português, como a maior parte dos vídeos. E estes, exceto por ANIMATRIX (também considerado um extra), estão apenas em definição 480p/i/MPEG-2. Mas é um detalhe que dificilmente impedirá que os mais fanáticos pela franquia sejam saciados com as mais variadas abordagens sobre sua produção. Optei por não traduzir o nome dos documentários e featurettes, deixando-os como aparecem nos menus dos discos, que estão apenas em inglês. Então, prenda a respiração e mergulhe de cabeça nesse material. Para começar, em alguns extras que são comuns aos discos dos três filmes, como segue:

MATRIX – MATRIX RELOADEDMATRIX REVOLUTIONS

  • In-Movie ExperienceCada filme pode ser assistido com comentários de voz e em vídeo PIP (exibidos em uma janela menor), com legendas em português. Cabe ressaltar que para este recurso não foi criado nenhum material inédito. Trata-se, na verdade, de uma compilação dos melhores depoimentos dos irmãos Wachowski e membros da equipe de produção e elenco. Funciona como um interessante resumo das mais de 35 horas de extras do box;

  • IntroduçõesCada filme recebeu um texto (apenas em inglês) dos irmãos Wachowski, também reproduzido no encarte incluído no box;

  • Comentários em ÁudioCada um dos três filmes recebeu um par de faixas de comentários de áudio: “Philosopher’s Commentary”, com os doutores Cornel West e Ken Wilber, e “Critics Commentary”, com os críticos Todd McCarthy, John Powers e David Thomson. Enquanto na primeira os participantes tendem a levar o significado de cada filme a níveis mais “transcendentais”, na segunda temos comentários mais realistas e até divertidos, já que os críticos tiveram a liberdade de apontar e ironizar as falhas e outros problemas das continuações.

A seguir, vamos aos extras específicos:

MATRIX

  • Cópia Digital – Na verdade o disco de MATRIX é duplo, já que além do BD a embalagem traz um DVD com a cópia digital do filme (em 480p), uma das adições nos extras em relação ao box em DVD. Para mim é totalmente dispensável, mas como hoje isto está virando rotina nos lançamentos, deve haver quem goste;

  • Comentários em ÁudioAlém dos comentários acima destacados, o filme original também recebeu duas faixas adicionais. A primeira foi gravada para a primeira edição em DVD e traz os técnicos em efeitos Zach Staenberg e John Gaeta e a atriz Carrie-Anne Moss (Trinity); a segunda é a trilha musical isolada (em Dolby 2.0), com comentários do compositor Don Davis nos intervalos entre as músicas (excelente!);

  • The Music RevisitedOriginalmente disponível como easter egg no DVD, esta seção contém nada menos que 41 faixas musicais techno. Enquanto você ouve a(s) faixa(s) selecionada(s), o código da Matrix começa a correr sobre o menu. Faça sua própria festa rave em Zion!;

  • The Matrix Revisited (122 min.)Originalmente lançado em um DVD à parte, este excelente documentário abrange todo o processo de produção, desde novembro de 1997 (pré-produção) a abril de 2000 (início dos preparativos para a primeira continuação). É um dos melhores making of já feitos, e traz tudo o que você necessita saber sobre os bastidores de MATRIX, incluindo depoimentos das principais pessoas envolvidas no projeto (até mesmo dos hoje pouco vistos irmãos Wachowski;

  • Take the Red Pill / Follow the White Rabbit (40 min.)Não poderiam faltar nos extras os famosos featurettes de “Tome a Pílula Vermelha” e “Siga o Coelho Branco”, que no DVD original eram acessados, de forma pioneira, durante o filme. Aqui eles são vistos em separado, e como nas demais seções de vídeos, podem ser vistos em sequência ou isoladamente. São eles: “What is Bullet Time?” (6 min.), “What is the Concept” (11 min.); “Trinity Escapes” (1 min.), “Pod” (2 min.), “Kung Fu” (4 min.), “Wall” (2 min.), “Bathroom Fight” (2 min.), “Government Lobby” (4 min.), “Government Roof” (1 min.), “Helicopter” (1 min.) e “Subway” (4 min.);

  • Promotional GalleryOs extras do disco se encerram com esta seção que inclui o teaser e o trailer original de cinema, oito comerciais de TV e o videoclipe de Marilyn Manson “Rock is Dead”.

MATRIX RELOADED

  • Behind The Matrix ( 47 min.) – Esta seção é composta de quatro featurettes de caráter eminentemente promocional: “The Matrix Unfolds” (5 min.), “Pre-Load” (22 min.), “Get Me an Exit” (10 min.) e “The MTV Movie Awards Reloaded” (10 min.) – este é a divertida paródia do MTV Movie Awards de 2003, com a participação de Will Ferrell, Seann William Scott e do cantor Justin Timberlake;

  • Enter the Matrix (42 min.) – Para quem não jogou o esquecível game de 2003, que se passa entre os eventos de MATRIX e MATRIX RELOADED, esta seção traz o que de melhor ele tinha – todas as cenas rodadas pelos Wachowski com alguns atores da primeira continuação. São 22 segmentos com áudio 2.0 e formato letterbox, antecedidos por uma introdução de 1 minuto do produtor Joel Silver e da atriz Jada Pinkett-Smith;

  • Car Chase (55 min.) – Nove segmentos que abordam diversos aspectos da criação da grande cena de ação de RELOADED, a perseguição na auto-estrada. São eles: “Oakland Streets and Freeway” (10 min.), “Tour of Meroinigian’s Garage” (2 min.), “Queen of the Road” (3 min.), “Arteries of the Mega-City” (12 min.), “Foresight: Preplanning the Mayhem” (6 min.), “Freeway Truck Crash: Anatomy of a Shot” (5 min.), “Fate of the Freeway” (2 min.) and “Freeway Action Match” (14 min.);

  • Unplugged (40 min.)Esta seção aborda alguns aspectos da produção e a criação de certas sequências, como a memorável luta de Neo contra milhares de Agentes Smith. Os segmentos que a compõem são: “Creating the Burly Brawl” (17 min.), “A Conversation with Master Wo Ping” (10 min.), “Chad Stahelski: The Other Neo” (2 min.), “Burly Brawl Action Match” (6 min.) e “Spiraling Virtual Shot: Anatomy of a Shot” (5 min.);

  • Teahouse Fight (10 min.) Aqui, de forma similar à seção anterior, temos dois segmentos mostrando detalhes da criação da cena de luta entre Neo e Seraph: “Two Equals Clash” (4 min.) e “Guardian of the Oracle: Collin Chou” (3 min.);

  • I’ll Handle Them (17 min.) – Temos quatro segmentos dedicados à sequência do Chatô de Merovingian: “The Great Hall” (5 min.), “Building the Merovingian’s Lair” (5 min.), “Tiger Style: A Day in the Life of Chen Hu” (4 min.) e “Heavy Metal: Weapons of the Great Hall” (3 min.);

  • Exiles (17 min.)Seção composta por dois segmentos: “Big Brother is Watching: The Architect’s Office” (8 min., focado mais na discussão da criação da cena do Arquiteto, filmada diante de um fundo verde) e “The Exiles” (9 min., intérpretes dos “exilados” da Matrix falam sobre seus personagens);

  • Promotional GalleryAqui temos o teaser e o trailer de cinema de RELOADED, mais oito comerciais de TV e o videoclipe de P.O.D. “Sleeping Awake”.

MATRIX REVOLUTIONS

  • Behind the Matrix (24 min.)Making of que, como o restante do material suplementar de REVOLUTIONS, foi rodado simultaneamente ao de RELOADED. É composto pelos featurettes “Revolutions Recalibrated” (6 min.), “Neo Realism: The Evolution of Bullet Time” (4 min.), “CG Revolution” (2 min.), “Super Big Mini Models” (1 min.), “Super Burly Brawl” (2 min.), “Double Agent Smith” (3 min.), “Mind over Matter: The Physicality of The Matrix” (3 min.), “Future Gamer: The Matrix Online” (2 min.) e “Before the Revolution”;

  • Siege (40 min.)Esta seção é exclusivamente dedicada à grande sequência do ataque das máquinas a Zion. Os segmentos que a compõem são: “Dig This” (10 min.), “Siege Action Match” (10 min.), “Mifune’s Last Stand: Anatomy of a Shot” (5 min.), “Building an APU” (5 min.) e “Product of Zion” (10 min., este é de interesse especial pois trata da substituição da cantora/atriz Aaliyah após sua morte em um acidente aéreo;

  • Aftermath (40 min.) – Quatro segmentos abordam a pós-produção do filme:Revolutionary Composition” (9 min.), “The Glue” (7 min.), “Dane Tracks” (7 min.) e “Cause and Effects” (16 min.);

  • Crew (25 min.)- Seção dedicada a membros da equipe que são essenciais à produção, mas que raramente obtém reconhecimento do público. Temos aqui quatro segmentos: Owen’s Army: The Australian Art Department” (4 min.), “2nd Unit: A World of Their Own” (6 min.), “Bill Pope: Cinematographer of The Matrix” (8 min.) e “Masters of Light and Shadow” (7 min.);

  • Hel (28 min.) – Aqui são examinados os aspectos técnicos da criação da primeira cena de ação de REVOLUTIONS, que ocorre no clube gótico. Seus segmentos são: “Coat Check” (5 min.), “Upsidedown Under” (5 min.), “Fast Break” (6 min.), “Exploding Man” (5 min.), “Gun Club” (2 min.) e “The Extras of Club Hel” (5 min.);

  • Super Burly Brawl (12 min.) O assunto aqui é a sequência do confronto final entre Neo e o Agente Smith. Os segmentos são: “Sky Barn” (5 min.), “Crater” (5 min.), “The Egg” (3 min.) e “Anatomy of the Superpunch” (4 min.);

  • New Blue World (26 min.) – Aparentemente, todos os featurettes que não puderam ser encaixados nas outras seções de REVOLUTIONS vieram parar aqui. São eles: “Geography of Zion” (9 min.), “The Ships” (6 min.), “Tour of the Neb” (3 min.), “Logos Fight Expansion” (3 min.) e “Matrix TV” (5 min.);

  • Promotional GalleryA seção traz o trailer original de REVOLUTIONS e seis comerciais de TV.

ANIMATRIX

Os nove animes que utilizam diferentes estilos visuais e de animação foram incluídos num BD à parte, com as mesmas especificações técnicas dos filmes (formato de tela, opções de idioma, etc. São eles: “Final Flight of the Osiris”, “Kid’s Story”, “Program”, “World Record”, “Beyond”, “Detective Story”, “Matriculated”, “The Second Renaissance Part 1” e “The Second Renaissance Part 2”. Além disso, o disco traz extras específicos da coletânea:

  • Voices– São comentários em áudio presentes em quatro curtas: Mahiro Maeda nas duas partes de “The Second Renaissance”, Yoshiaki Kawajiri em “Program” e Takeshi Koike em “World Record”. Também neles não há opção de legendas;

  • Scrolls to Screen: The History and Culture of Anime(22 min.) – Ótimo featurette que trata da influência do anime em MATRIX, narrando as origens do gênero e explicando as técnicas utilizadas;

  • Execution (55 min.) – Making of de ANIMATRIX dividido em sete partes, que trazem depoimentos dos realizadores, equipe e cenas de bastidores.

THE MATRIX EXPERIENCE

Se você a esta altura está cansado de tanto material suplementar, prepare-se: o box traz mais dois DVDs (um de duas faces) intitulados THE MATRIX EXPERIENCE, contendo montes de extras. Infelizmente nada deste material recebeu legendas em português (apenas em francês). Se isto não for obstáculo, recupere o fôlego e siga em frente, explorando o conteúdo dos últimos dois discos:

  • Return to Source: Philosophy & The Matrix(60 min.) – Este documentário apresenta depoimentos de vários professores, historiadores e especialistas/geeks em ficção científica, HQs, etc., que fazem conexões da saga de Neo com a filosofia, religião e nosso mundo real. Recomendado aos mais fanáticos por MATRIX, que certamente gostarão das “viajadas” dessa gente;

  • The Hard Problem: The Science Behind the Fiction (60 min.) – Outro documentário de uma hora de duração, onde especialistas dissertam sobre a dependência do homem nas máquinas, e o que o futuro da inteligência artificial pode nos reservar;

  • The Burly Man Chronicles (95 min.)– Longo e detalhado diário de produção das duas continuações de MATRIX, que abrange um período de aproximadamente quatro anos. Ao lado de MATRIX REVISITED, é o melhor documentário do box. E como se isto não bastasse, ele possui seu próprio recurso “Siga o Coelho Branco”: em pontos específicos, quando surge o coelho branco na tela, você aperta o botão “Enter” do controle remoto para acessar três documentários que, somados, têm 82 minutos de duração: “Pre-Production” (32 min.), “Alameda Shoot” (16 min.) e “Australia Shoot” (34 min.). Se preferir, eles podem ser vistos em separado;

  • Zion Archive– Enorme galeria de imagens, provavelmente a maior já reunida em home video. Para mim foi impossível conferir todas e, portanto, contá-las. Uns falam em mil, outros em milhares (!) de imagens distribuídas em cinco categorias:”Storyboards”, “Characters”, “Ships”, “Machines” e “Sets”. De lamentar apenas a navegação não muito amigável e o fato de as imagens não terem sido convertidas para alta definição, o que desestimula uma exploração mais profunda;

  • Rave Reel (9 min.)– Não se trata dos bastidores da polêmica festa rave em Zion, mas sim de uma montagem de cenas dos três filmes (a maioria, efeitos visuais não finalizados), feita em cima da música “Navras”, da trilha de REVOLUTIONS;

  • Matrix Online Preview (10 min.)– Prévia (!) do game online baseado no universo MATRIX, que infelizmente teve vida curta e já foi esquecido há muito tempo;

  • Promotional Gallery– Finalmente, encerrando esta verdadeira maratona de extras, temos a (desnecessária?) reprise dos teasers, trailers e comerciais de TV da trilogia, disponíveis nos discos de cada filme.

Enhanced by Zemanta

7 opiniões sobre “Resenha: THE ULTIMATE MATRIX COLLECTION (Blu-ray US)”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s