Lançamentos de Trilhas Sonoras – 31/10/2013


CD

As seguintes trilhas sonoras já estão à venda nas principais lojas online internacionais:

The 25th Reich – Ricky Edwards (MMS13008/KRONCD021)

Cocoon (Expanded)James Horner (Intrada Special Collection Volume 260)

Ed Wood (Expanded) – Howard Shore (Howe 1011)

The Fifth Estate – Carter Burwell (Lakeshore 34345)

The Hunt For Red October (Expanded) – Basil Poledouris (Intrada Special Collection Volume 257)

Runner Runner – Christophe Beck (Lakeshore 34356)

Resenha: THOR – THE DARK WORLD – Brian Tyler (Trilha Sonora)


Thor_dark_world_DD001911702Música composta por Brian Tyler
Selo: Hollywood Records / Intrada
Catálogo: D001911702
Lançamento: 05/11/2013
Cotação: ****

Especialista em filmes de ação e aventura, o compositor Brian Tyler tem sido um dos mais requisitados para blockbusters atualmente. Após entregar o competente score de Homem de Ferro 3 para a Marvel Studios, ele volta a se reunir com a empresa em Thor – O Mundo Sombrio, continuação das aventuras do Deus do Trovão. Tyler foi contratado às pressas em junho, após a misteriosa dispensa de Carter Burwell, o compositor original do filme. Ele toma o lugar de Patrick Doyle, que compôs uma boa trilha para o primeiro filme do herói. E, felizmente, ele se saiu bem, nos entregando uma obra digna de um longa dessa magnitude.

Tyler é um ótimo compositor de temas principais, e aqui não foi diferente. O tema, logo introduzido na primeira faixa, é grandioso, heroico, como um bom tema de um longa de super-heróis deve ser. Utilizando orquestra e coral, fica claro que a intenção de Tyler é que Thor tenha uma assinatura musical épica e definitiva para representá-lo. Vale ressaltar a interpretação forte dos metais e o acompanhamento da percussão, além do próprio coral.

Continuar lendo Resenha: THOR – THE DARK WORLD – Brian Tyler (Trilha Sonora)

Resenha de Arquivo: BEN-HUR – Miklos Rozsa (Trilha Sonora)


benhurMúsica composta por Miklos Rozsa
Selo:  Rhino
Catálogo: 72197
Lançamento: 1996
Cotação: *****

A Rhino, que através de seu selo Turner Classic Movies relançou na década de 1990 versões definitivas para clássicos como North by Northwest, Doctor Zhivago e The Wizard of Oz, superou todas as expectativas com esta edição remasterizada de Ben-Hur, um dos maiores (se não o maior) clássicos do cinema épico e bíblico da história do cinema. O filme foi dirigido por William Wyler, que usou o à época enorme orçamento de U$ 15 milhões para criar, nos estúdios da Cinecittá de Roma, cenários grandiosos e cenas espetaculares como a da corrida de quadrigas. Foram cinco anos de produção que resultaram, apenas no seu primeiro ano de exibição, em 40 milhões de ingressos vendidos.

Continuar lendo Resenha de Arquivo: BEN-HUR – Miklos Rozsa (Trilha Sonora)

Resenha: O CONSELHEIRO DO CRIME (Filme em Destaque)


THE COUNSELOR, EUA, Reino Unido, 2013
Gênero: Suspense
Duração: 118 min.
Elenco:  Brad PittMichael FassbenderCameron Diaz, Bruno Ganz, Penélope Cruz, Dean Norris, Emma Rigby, Goran Visnjic, Javier Bardem, John Leguizamo, Natalie Dormer, Richard Cabral, Rosie Perez, Ruben Blades
Trilha Sonora Original: Daniel Pemberton
RoteiroCormac McCarthy
Direção: Ridley Scott
Cotação*****

Se um grande filme pode ser descrito como sendo a junção de grandes cenas/sequências, temos, sem dúvida, um grande filme em O CONSELHEIRO DO CRIME (2013), o mais recente e um dos mais inspirados trabalhos de Ridley Scott. A ajudinha de Cormac McCarthy, autor do romance que deu origem à obra-prima ONDE OS FRACOS NÃO TÊM VEZ (2007), dos irmãos Coen, foi inestimável. Sua tendência a criar histórias cheias de desesperança combinou perfeitamente com a direção segura de Scott, que costuma fazer filmes com pouco ou quase nenhum alívio cômico. No caso de O CONSELHEIRO DO CRIME, há um alívio cômico: a antológica cena de Cameron Diaz e o carro.

Continuar lendo Resenha: O CONSELHEIRO DO CRIME (Filme em Destaque)

Na Trilha: TIMELINE – As Duas Faces da Mesma Moeda


timelinebook
O livro

Como qualquer grande compositor do cinema, o saudoso Maestro Jerry Goldsmith teve suas “diferenças criativas” com diretores e executivos de Hollywood. Um dos casos mais notórios, até porque aconteceu já no final da vida e da carreira de Goldsmith, foi a rejeição do score que ele compusera para o filme Linha do Tempo. Este interessante artigo o levará até os bastidores da produção, e fará uma comparação do trabalho rejeitado de Goldsmith com o score que o substituiu, composto pelo então iniciante Brian Tyler

Como em outros dos seus geniais livros, em Linha do Tempo (Timeline) Michael Crichton realizou um extensivo estudo dos fenômenos científicos aplicáveis ao tema, apresentando-os ao leitor de mãos dadas com a ficção. Sejam os experimentos genéticos (Jurassic Park), os mitos e as batalhas (The 13º Warrior), a inescrupulosa prática da medicina (Coma), a aventura (Congo), o futuro tecnológico (Runaway), as ambições da diversão (Westworld) ou as investigações alienígenas (The Andromeda Strain), todas as tramas foram refletidas em seus livros com um bom arcabouço científico.

No livro Timeline, Crichton soube combinar de modo interessante as viagens no tempo com as pesquisas arqueológicas – um tema nada estranho às suas histórias – adotando uma narrativa mais amena, convertendo assim o seu livro em um dos preferidos dos leitores de ficção. Por sua parte, um dos mais reconhecidos diretores do cinema comercial norte-americano, Richard Donner, estava em busca de uma história para levar às telas, e que estivesse à altura de seus filmes mais conhecidos. O heroísmo (Superman), a aventura (Os Goonies), a ação (Máquina Mortífera), a comédia (Scrooged) e o terror (A Profecia), são as facetas com que Donner soube estabelecer-se firmemente entre o público.

Continuar lendo Na Trilha: TIMELINE – As Duas Faces da Mesma Moeda

Lançamentos de Trilhas Sonoras – 26/10/2013


CD

As seguintes trilhas sonoras já estão à venda nas principais lojas online internacionais:

Ender’s Game Steve Jablonsky (Varese Sarabande 302 067 227 8)

Fitzwilly John Williams (Music Box MBR 035)

Grimm – Seasons 1 & 2 – Richard Marvin (La-La Land LLLCD 1278)

Pet Sematary (Expanded) – Elliot Goldenthal (La-La Land LLLCD 1294)

Perfil: MIKLOS ROZSA (1907-1995)


miklosroszaNascido em 18 de abril de1907 em Budapeste, Hungria, Miklos Rozsa, um dos gigantes musicais da Era de Ouro de Hollywood, começou a estudar violino aos cinco anos de idade. Desde cedo mostrou predileção pela música folclórica de seu país,  uma influência que persistiu em muitos dos seus trabalhos posteriores. Mesmo com a insistência de seus pais para que estudasse química, em breve Rozsa estaria no Conservatório de Leipzig, cursando musicologia. Apesar de direcionar a maioria de seus primeiros trabalhos para a música clássica, tendo inclusive completado um balé com pouco mais de vinte anos de idade, Rozsa compôs as partituras dos filmes britânicos “The Squeaker” e “Knight Without Armour” (ambos em  1937) para ganhar algum dinheiro. Pouco tempo depois, o seu trabalho com os compatriotas e cineastas Zoltan e Alexander Korda lhe trariam fama mundial e muitas oportunidades.

Rozsa provou ser um artista capaz e visionário, e foi escolhido para compor a música de “O Ladrão de Bagdá” (1940), dirigido pelos não-creditados Kordas. A partitura exótica e sensual consagrou Rozsa como um compositor dinâmico e criativo, e foi a sua introdução ao cinema americano, uma mídia na qual ele trabalharia proficuamente por mais de 40 anos. Sendo versátil e confiável, Rozsa sempre foi capaz de criar uma trilha apropriada e memorável para filmes de gêneros tão diversos como romance (“That Hamilton Woman” 1941), comédia (“A Costela de Adão” 1949), grandes épicos (“Rei dos Reis”, 1961), e filmes noir (“Cidade Nua”, 1948).

Continuar lendo Perfil: MIKLOS ROZSA (1907-1995)