oblivion_SB_BDOBLIVION
Produção: 2013
Duração: 126 min.
Direção: Joseph Kosinski
Elenco: Tom Cruise, Morgan Freeman, Olga Kurylenko, Andrea Riseborough, Nikolaj Coster-Waldau, Melissa Leo
Vídeo: 2.35:1 (1080p/AVC MPEG-4)
Áudio: Inglês (DTS-HD Master Audio 7.1), Português (Dolby Digital 5.1), Alemão, Francês (DTS 5.1), Espanhol (Dolby Digital 2.0), etc.
Legendas: Português, Inglês, Espanhol, Francês, Alemão, etc.
Região: A, B, C
Distribuidora: Universal
Discos: 1 (50GB)
Lançamento: 08/08/2013
Cotações: Som: ***** Imagem: ***** Filme: **** Extras & Menus: ***½ Geral: ****½ 

SINOPSE
Em 2077, depois de décadas de guerra com alienígenas que ainda saqueiam o que restou do nosso planeta, agora deserto, Jack Harper (Tom Cruise) trabalha na manutenção de equipamentos de segurança. Parte de uma gigantesca operação para extrair recursos vitais, a missão de Jack está quase completa e, em duas semanas, ele irá se juntar aos sobreviventes da humanidade na colônia de Titã, uma das luas de Saturno. Mas a rotina de Jack e de sua companheira de equipe, Victoria (Andrea Riseborough), é abalada depois que ele resgata a astronauta Julia Rusakova (Olga Kurylenko) dos destroços de uma espaçonave caída. Surge entre Julia e seu salvador uma conexão que transcende a lógica, dando início a uma cadeia de eventos que levará Jack a questionar tudo o que sabe sobre sua missão e, inclusive, sobre ele mesmo.

COMENTÁRIOS
OBLIVION, o segundo longa-metragem do diretor Joseph Kosinski (TRON – O LEGADO) é uma raridade entre os blockbusters contemporâneos de ficção científica: não é uma continuação, possui um argumento original, não é baseado em quadrinhos de super-heróis e, ao final, conclui a história que conta e não deixa ganchos para uma sequência. Isso não evitou que boa parte da crítica apontasse a “falta de originalidade” do filme, como se elementos narrativos não fossem repetidos e reciclados pelo cinema há décadas.

É claro que em OBLIVION encontramos paralelos com muitas obras do gênero precedentes, como O PLANETA DOS MACACOS, WALL-E, INDEPENDENCE DAY e até mesmo os filmes do jovem diretor Duncan Jones. Mesmo assim Kosinski conseguiu usar essas referências para criar um filme que foge do padrão das aventuras de ficção científica que são lançadas anualmente nos cinemas e, em que pesem as opiniões contrárias, discute de forma interessante questões existenciais e tem um final que emociona e ajuda a deixar gravados na memória do espectador momentos, imagens e sons bem concatenados.

Como TRON – O LEGADO, OBLIVION é um espetáculo visualmente impressionante que é acompanhado por uma inspirada trilha incidental que combina sonoridades eletrônicas e orquestrais. Mas dessa vez, no lugar do Daft Punk, temos outro duo francês de electropop, o M83, em parceria com o compositor e arranjador Joseph Trapanese (que também participara do filme anterior).

Inserido no belo espetáculo audiovisual do longa temos um elenco claramente dominado pelo astro Tom Cruise, que está se especializando em aventuras de ficção científica – seu próximo filme será EDGE OF TOMORROW, que mais uma vez irá coloca-lo às voltas com alienígenas. Morgan Freeman é, para variar, um coadjuvante de luxo, e a interessante Andrea Riseborough rouba a cena de Olga Kurylenko. Nikolaj Coster-Waldau, o Jaime Lannister da série GAME OF THRONES, também marca presença, ainda que em papel sem relevância para a trama.

OBLIVION pode ter seus problemas, como a quebra de ritmo em sua seção intermediária e revelações que, para os mais experientes fãs do sci-fi, não serão muito surpreendentes, mas nunca chega perto de ser um mau filme. No máximo é uma obra que não atinge todas as pretensões do seu autor, que no entanto merece parabéns por sua ambição. Posso estar enganado, mas até por considerar OBLIVION uma das boas surpresas de 2013, Joseph Kosinski parece estar no caminho certo.

SOBRE O BD
Por enquanto lançado no Brasil em DVD e Blu-ray apenas para locação, OBLIVION já está disponível para venda direta no exterior, e foi da Alemanha que veio o bonito Blu-ray steelbook usado para esta resenha. O disco alemão usa a mesma autoração lançada pela Universal aqui, ou seja, já inclui opções de legendas, menus e dublagem (Dolby Digital 5.1) em nosso idioma. Em alta definição, o filme recebeu uma apresentação visual excelente graças à sua transferência 1080p/AVC MPEG-4 de demonstração. Na proporção de tela 2.35:1 (cenas em IMAX foram rodadas em 1.89:1, mas aqui não temos a alternância de ARs como nos BDs de TRON ou dos dois CAVALEIRO DAS TREVAS de Christopher Nolan), ela reproduz de forma primorosa as paisagens distópicas do filme. Na maior parte do tempo a paleta de cores é clara e fria, sem tons vibrantes, recriando interiores estéreis e exteriores desolados. Mas em algumas ocasiões, especialmente nas cenas do “oásis” onde Jack possui sua cabana escondida, as cores surgem fortes e firmes. Os pretos são sólidos, e o elevado nível de detalhes e texturas é permanente, sem bordas acentuadas que possam indicar aumento artificial da nitidez. Há uma leve granulação inerente à película  – as imagens foram captadas em filme 35mm e 70mm, esta última para as cenas IMAX – e mazelas digitais como artefatos, banding e aliasing inexistem.

Assim como o vídeo, o áudio de OBLIVION em Blu-ray impressiona. A faixa original em inglês DTS-HD Master Audio 7.1 é de referência, e fico feliz em constatar que, finalmente, as mixagens em 7.1 canais estão se tornando o padrão nos lançamentos de novos filmes. Neste caso ela proporciona efeitos direcionais precisos em qualquer direção, e uma ambientação de grande envolvimento. O som da nave-bolha de Jack é tão realista que temos a impressão de que ela está mesmo voando em nossa sala, e nas cenas de ação os canais surround possuem uma atividade frenética. O subwoofer, por sua vez, é levado ao limite com uma frequência de graves explosiva. Aliás, graças a ela, a trilha musical, sempre reproduzida com grande fidelidade, ganha um “peso” considerável. Em meio a toda essa variedade sonora, os diálogos sempre soam limpos e audíveis, mesmo quando os personagens quase sussurram. Já as demais dublagens disponíveis, inclusive a PT-BR, são lossy e obviamente bem menos recomendáveis.

EXTRAS
OBLIVION, lançado em apenas um disco BD-50 (dupla camada), não traz material adicional abundante a fim de não comprometer o bitrate do filme. Exceto pelos comentários em áudio, todos os extras estão em alta definição e com legendas em português.

  • Comentários em Áudio – O filme pode ser assistido acompanhado por uma faixa de comentários, na qual participam o diretor Joseph Kosinski e o astro Tom Cruise. Ela traz pelo menos um grande spoiler sobre a trama, o que não será problema já que: 1 – Dificilmente você assistirá o longa pela primeira vez com os comentários ativados; e 2 – Se você não entende inglês não fará a mínima diferença, já que a faixa não está legendada;
  • Cenas Excluídas (HD, 4 min.) – Temos aqui quatro curtas cenas eliminadas / alternativas, que podem ser assistidas em conjunto ou isoladamente. Como não são muito extensas, todas poderiam ter permanecido na montagem final, sendo que pelo menos duas adicionam alguns detalhes interessantes à história;
  • Promessa de Um Novo Mundo: Os Bastidores de Oblivion (HD, 48 min.) – Making of com cenas de bastidores e depoimentos do diretor, Tom Cruise e de membros da equipe, dividido em cinco segmentos: “Destino” (mostra as origens do projeto, desde o seu surgimento como uma graphic novel até o início das filmagens), “Viagem” (quem gostou da aerobolha pilotada por Cruise irá gostar deste segmento, já que ela é o seu tópico principal), “Combate” (cenas de ação e Cruise dispensando dublês), “Ilusão” (efeitos visuais CGI e práticos) e “Harmonia” (a criação da trilha musical). Assim como nos comentários, há importantes spoilers sobre a trama, portanto caso você ainda não tenha assistido o filme, não comece pelo making of;
  • Trilha Sonora do M83 – E falando na trilha musical, é possível assistir ao filme acompanhado apenas por ela (recurso que agradará aos Scoretrackers), em áudio lossy DTS 5.1.

??????????????????????????????????

Jorge Saldanha

Anúncios