Resenha: PACIFIC RIM – Ramin Djawadi (Trilha Sonora)


Pacific_rim_CDMúsica composta por Ramin Djawadi
SeloWaterTower Music
Catálogo: Download Digital / Amazon CDR
Lançamento: 25/06/2013
Cotação: ***½

A ideia de se misturar música sinfônica e rock’n’roll ainda é considerada insólita por muitos. Apesar disso, o jovem compositor Ramin Djawadi topou o desafio ao compor o score da aventura Homem de Ferro, em 2008, e se saiu razoavelmente bem sucedido. Pois sua experiência no longa produzido pela Marvel Studios certamente influenciou na decisão do diretor Guillermo Del Toro na hora de escolher o músico para trabalhar em seu Círculo de Fogo (Pacific Rim), um filme de ação de grande escala mostrando a batalha entre os kaiju (monstros gigantes que surgem de uma brecha no fundo do Oceano Pacífico) e os Jaegers (robôs enormes controlados neurologicamente por dois pilotos) pelo destino da raça humana.

Felizmente, esse novo score de Djawadi demonstra que o compositor, relativamente novo na indústria, vem aprimorando seu próprio estilo. Dessa forma, mesmo que os temas principais de Círculo de Fogo e Homem de Ferro sejam parecidos, o primeiro é melhor desenvolvido e demonstra maturidade do músico. Como todo membro da mega produtora Remote Control, ele carrega o estigma de ser apenas um “sub-Hans Zimmer”, mas, para a sorte dos apreciadores de trilhas sonoras, Djawadi mostra estar empenhado em criar um estilo próprio, pessoal e distinto de seu “mestre”, bem como o fizeram Harry Gregson-Williams e John Powell antes dele, por exemplo.

Um dos talentos de Djawadi é a composição de temas principais, que, na maioria das vezes, são marcantes e deixam uma forte impressão no ouvinte. Seus famosos temas para as séries de TV Prison Break e Game of Thrones são um ótimo exemplo disso. Para Círculo de Fogo, também há um tema principal forte, heroico e enérgico, que dá o tom nada sutil da aventura de Del Toro. Introduzido logo na primeira faixa, “Pacific Rim”, ele é inicialmente conduzido por uma guitarra no melhor estilo hard rock e percussão, até a entrada da orquestra, com destaque para os metais e as cordas, numa melodia empolgante e repleta de bravura, que mistura com habilidade a música mais erudita e orquestral e o som pesado do rock.

Um novo tema para representar os heróis é apresentado já na continuação, em “Gipsy Danger”, conduzido por sintetizador, percussão e orquestra, mantendo o mesmo ritmo enérgico da primeira faixa. Na sequência, a bela “Canceling the Apocalypse” retoma o tema principal, porém interpretado de forma progressivamente mais forte e heroica, num bom desenvolvimento da melodia. A guitarra surge primeiro, executando o tema de forma sutil, até a entrada das cordas, enquanto o tema segue num interessante crescendo.

A maior parte do álbum é composta de faixas de ação e suspense, como seria de se esperar de uma produção desse tipo. Em sua maioria, elas utilizam toda a orquestra em melodias de alta carga energética. Como seria de se esperar, a seção de metais é a que tem mais destaque, com a percussão ajudando a ressaltar o clima épico. Alguns bons exemplos são “Just a Memory”, na qual as cordas e a percussão têm destaque, “We Are the Resistence” e “Double Event”, que conta com um coro masculino junto à orquestra; e “For My Family”, que traz uma variação dramática do tema principal.

Já os kaiju são representados por um tema executado por trompas e trombones e acompanhados pela percussão, inicialmente apresentado em “2500 Tons of Awesome”. Ele também marca presença em faixas como “Category 5” (aqui acompanhado por um coral masculino) e “Deep Beneath the Pacific”.

A herança televisiva de Djawadi também marca presença em Círculo de Fogo. Faixas como “To Fight Monsters”, “We Created Monsters” e “The Breach” lembram o estilo do compositor em Prison Break e Person of Interest, com uma melodia de tensão e suspense conduzida pelas cordas e percussão, com acompanhamento eletrônico. Entretanto, em Círculo de Fogo o músico alemão de ascendência iraniana teve a sorte de contar com uma orquestra maior e mais recursos, o que certamente garantiu o som mais “encorpado” de sua obra para o longa de Del Toro. Merecem elogios, também, a qualidade de gravação do áudio do disco.

Apesar de ser um trabalho voltado para a ação, a partitura de Círculo de Fogo também traz alguns momentos de drama. Nem todos funcionam, como por exemplo a longa e pretensiosa “Mako”, porém o compositor ainda nos oferece algumas belas faixas líricas, como “Better Than New”, na qual as cordas interpretam uma melodia melancólica e a já citada elegia de “For my Family”.

Como já dito, o rock marca grande presença nessa obra de Djawadi, e com isso vale lembrar as melodias ácidas e cool criadas pelo compositor para ressaltar os aspectos heroicos dos protagonistas. Podemos citar como bons exemplos “Call me Newt”, inicialmente conduzida pela guitarra, o baixo e sintetizador; “Striker Eureka”, boa representante do estilo “rock sinfônico” do álbum, e a divertida “No Pulse”, que traz uma melodia conduzida por guitarra, baterias, sintetizadores, cordas e metais.

Muitos fãs de trilhas sonoras disseram que Del Toro, para seu ambicioso longa, devia ter escolhido um nome de mais “peso”, por assim dizer. Porém, Djawadi aqui surpreende e nos entrega uma obra igualmente ambiciosa, divertida e com um ótimo tema principal. Apesar de ter tropeçado algumas vezes em sua curta carreira, o “aprendiz” de Hans Zimmer tem demonstrado estar disposto a construir um estilo próprio para si e a evoluí-lo cada vez mais. Torçamos para que essa tendência se confirme em seus próximos trabalhos, o mundo das trilhas sonoras só tem a ganhar.

Faixas:

1. Pacific Rim (04:55)
2. Gipsy Danger (03:19)
3. Canceling the Apocalypse (03:39)
4. Just a Memory (02:08)
5. 2500 Tons of Awesome (01:05)
6. The Shatterdome (02:31)
7. Mako (04:24)
8. Call Me Newt (01:43)
9. Jaeger Tech (01:59)
10. To Fight Monsters, We Created Monsters (02:04)
11. Better Than New (01:41)
12. We Are the Resistance (01:49)
13. Double Event (02:28)
14. Striker Eureka (01:55)
15. Physical Compatibility (02:32)
16. Category 5 (02:17)
17. Pentecost (02:12)
18. Go Big or Go Extinct (02:25)
19. Hannibal Chau (01:34)
20. For My Family (01:58)
21. No Pulse (00:58)
22. Kaiju Groupie (01:15)
23. Deep Beneath the Pacific (01:55)
24. The Breach (03:15)
25. We Need a New Weapon (01:41)

Duração: 57:42

Tiago Rangel

Anúncios

13 comentários sobre “Resenha: PACIFIC RIM – Ramin Djawadi (Trilha Sonora)

  1. Trilha espetacular! ha muito tempo que não via um “main theme” tão empolgante e memorável. Já saí do cinema assobiando.

    Curtir

    • Também estou curtindo muito essa trilha (tanto no filme como depois).
      Tive essas mesmas boas impressões por conta do primeiro Iron Man (cuja trilha foi muito subestimada, a meu ver)…

      Curtir

  2. Pingback: Resenha: CÍRCULO DE FOGO (Filme em Destaque) | ScoreTrack.net

  3. Pingback: Na Trilha: As Melhores Score Tracks de 2014 | ScoreTrack.net

  4. Pingback: Resenha: CÍRCULO DE FOGO (Blu-ray 2D+3D US) | ScoreTrack.net

  5. Pingback: Resenha: DRACULA UNTOLD – Ramin Djawadi (Trilha Sonora) | ScoreTrack.net

  6. Pingback: Resenha: THE HOBBIT: THE BATTLE OF THE FIVE ARMIES SPECIAL EDITION – Howard Shore (Trilha Sonora) | ScoreTrack.net

  7. Pingback: Resenha de Trilha Sonora: CRIMSON PEAK – Fernando Velázquez | ScoreTrack.net

  8. Pingback: Resenha de Trilha Sonora: WARCRAFT – Ramin Djawadi | ScoreTrack.net

  9. Pingback: Resenha de Trilha Sonora: SUICIDE SQUAD (SCORE) – Steven Price | ScoreTrack.net

  10. Pingback: Resenha de Arquivo: PAN’S LABYRINTH – Javier Navarrete (Trilha Sonora) – ScoreTrack.net

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s