sda_extended_BDTHE LORD OF THE RINGS: THE MOTION PICTURE TRILOGY – EXTENDED EDITIONS
Produção: 2001 – 2003
Duração: 681 min.
Direção: Peter Jackson
Elenco: Elijah Wood, Ian McKellen, Viggo Mortensen, Sean Astin, John Rhys-Davies, Andy Serkis, Cate Blanchett, Miranda Otto, Bernard Hill, David Wenham, Liv Tyler, Hugo Weaving, Christopher Lee, Sean Bean, John Noble
Vídeo: Widescreen Anamórfico 2.35:1 (1080p/MPEG-4)
Áudio: Inglês (DTS-HD Master Audio 6.1), Português (Dolby Digital 5.1)
Legendas: Português, Inglês, Espanhol
Região: A, B, C
Distribuidora: Warner
Discos: 15 (6 BD50, 9 DVDs)
Lançamento: 02/08/2012
Cotações (Médias): Som: ***** Imagem: **** Filmes: ***** Extras & Menus: ***** Geral: *****

SINOPSE
O SENHOR DOS ANÉIS: A SOCIEDADE DO ANEL – Com a ajuda de uma corajosa sociedade de amigos e aliados – o mago Gandalf, o humano Aragorn, o elfo Legolas, o anão Gimli e os hobbits Sam, Pippin e Merry -, o sobrinho do hobbit Bilbo Bolseiro, Frodo, parte na arriscada missão de destruir o lendário Um Anel. À caça de Frodo estão Espectros vindos de Mordor, onde seu mestre Sauron, Senhor das Sombras e criador do Um Anel, prepara-se para conquistar a Terra-média. Vencedor de quatro Oscars.

O SENHOR DOS ANÉIS: AS DUAS TORRES – A Sociedade se rompeu, mas a saga para destruir o Um Anel continua. Frodo e Sam são obrigados a confiar na criatura Gollum para conseguirem chegar à Montanha da Perdição, em Mordor. À medida que o exército do fantoche de Sauron, Saruman, se aproxima, os membros sobreviventes da Sociedade procuram novos aliados na Terra-média para enfrentarem a batalha de suas vidas. Vencedor de dois Oscars.

O SENHOR DOS ANÉIS: O RETORNO DO REI – A batalha final pela Terra-média inicia. Frodo e Sam, guiados por Gollum, continuam sua perigosa missão em direção ao fogo de Mordor para destruir o Um Anel. Aragorn luta para completar seu legado quando lidera seus inúmeros seguidores contra o poder crescente de Sauron, dando uma pequena chance para que o portador do Um Anel possa completar sua missão. Vencedor de onze Oscars.

sda1-04

COMENTÁRIOS
Mesmo que você nunca tenha lido um livro sequer do escritor britânico (mas sul-africano de nascimento) J.R.R. Tolkien, já deve pelo menos ter ouvido falar de suas obras mais conhecidas, O HOBBIT e O SENHOR DOS ANÉIS. São clássicos da literatura de língua inglesa, e as aventuras vividas nos reinos da Terra-média serviram de inspiração para vários filmes de fantasia, entre os quais O DRAGÃO E O FEITICEIRO e WILLOW – NA TERRA DA MAGIA, e até mesmo sagas de ficção científica como STAR WARS e BABYLON 5. No entanto, foi necessário que mais de cinco décadas se passassem até que um abnegado diretor neozelandês convencesse um estúdio (a New Line) a investir US$ 300 milhões não em um, mas em três filmes rodados simultaneamente baseados na trilogia O SENHOR DOS ANÉIS, e que estivessem à altura da grandeza da obra de Tolkien. Com eles o diretor Peter Jackson conseguiu um feito raro – consagrar-se perante o público e a crítica mais exigente. Fator decisivo para isso foi o grande carinho e o cuidado que Jackson e sua equipe dedicaram ao material, realizando três filmes ímpares entre os blockbusters de Hollywood.

Há uma grande ênfase nos personagens, roteiro e diálogos são os mais fiéis possíveis ao texto do autor, e os efeitos visuais estão lá para ajudar a contar a história e não roubar a cena – e ainda assim, para a sua época, são espetaculares. Além disso, uma feliz conjunção de fatores também ajudou o projeto. Há ótimas interpretações do elenco, desde novatos à época como Elijah Wood (Frodo) e Orlando Bloom (Legolas), até os mais conhecidos Christopher Lee (Saruman), Ian Holm (Bilbo), Sean Bean (Boromir), Ian McKellen (excepcional como o mago Gandalf), Viggo Mortensen (Aragorn), Cate Blanchett (Galadriel), e por aí vai. O desenho de produção, a deslumbrante fotografia das paisagens da Nova Zelândia (onde a trilogia foi rodada) e as emocionantes e premiadas trilhas originais de Howard Shore, são alguns dos fatores que se combinaram perfeitamente para dar vida à melhor saga de fantasia de todos os tempos. Por outro lado, apesar de todo o respeito de Jackson ao texto de Tolkien, mudanças foram necessárias para tornar a trilogia um verdadeiro evento cinematográfico, e não apenas uma transposição literal dos extensos livros para o cinema – até porque, se isso fosse feito, seriam necessários mais de três filmes.

sda1-13

Boa parte da trama de A SOCIEDADE DO ANEL é colocada em um prólogo que resume a história do Um Anel até que este chega às mãos de Bilbo Bolseiro. O enfrentamento de Frodo com Laracna, que acontecia em AS DUAS TORRES, foi transferido para O RETORNO DO REI. Personagens foram omitidos ou tiveram sua participação diminuída; outros foram expandidos ou até mesmo criados para aumentar a dramaticidade em certas sequências. Trechos detalhistas dos livros e muitas canções escritas por Tolkien também foram eliminados. Mas todas foram alterações necessárias, e que se mostraram acertadas para a exibição nos cinemas. Isso, no entanto, não impediu que Jackson relançasse os filmes em versões estendidas (recentemente em Blu-ray), que a eles agregaram mais elementos dos livros, preencheram lapsos da trama ou simplesmente melhoraram o relacionamento e/ou o desenvolvimento dos personagens. Algumas adições são curtas e outras mais longas, e de modo geral se agregam perfeitamente às montagens originais de cinema.

Assim, como exemplos do que foi acrescido nas versões estendidas, temos cenas adicionais com Bilbo, Frodo e Gandal, flashbacks com a entrega dos presentes de Galadriel a todos os membros da Sociedade, não apenas a Frodo (A SOCIEDADE DO ANEL), mais cenas com Barbárvore, Merry e Pippin em Fangorn, o longo flashback com Boromir, Faramir e Denethor em Osgiliath (AS DUAS TORRES), uma introdução mais longa da história de Sméagol e o Um Anel, o destino de Saruman e Gríma, o embate via Palantír entre Aragorn e Sauron, o confronto de Gandalf com o Rei Bruxo de Angmar e o romance entre Faramir e Éowyn (O RETORNO DO REI). Apesar de muitos considerarem excessiva a duração dos cortes estendidos (por muito tempo inéditos aqui), os fãs hoje os consideram como as versões definitivas dos três filmes.

A trilogia O SENHOR DOS ANÉIS representa, acima de tudo, uma vitória pessoal de Jackson que, como um hobbit em uma jornada de dificuldades aparentemente intransponíveis, realizou o que muitos duvidavam e ainda por cima conquistou 17 Oscars – 11 deles, incluindo os de Melhor Filme e Melhor Diretor, apenas com O RETORNO DO REI, que igualou o número de prêmios da Academia de Artes e Ciências de Hollywood conquistados por BEN HUR e TITANIC. Um feito sem precedentes para uma obra de fantasia, e que dificilmente se repetirá com a nova trilogia de Jackson baseada em O HOBBIT. Mesmo assim, a julgar pelo primeiro filme já lançado, a magia, pelo menos para a maior parte dos fãs, permanece.

sda1-14

SOBRE O BD
Levou um bom tempo, mas estimulado pela chegada do primeiro filme de O HOBBIT aos cinemas, finalmente decidi escrever a resenha do box em Blu-ray das versões estendidas da trilogia O SENHOR DOS ANÉIS, cuja trajetória no nosso mercado de home video foi uma verdadeira novela – e das longas, já que durou praticamente uma década. Mesmo lançadas em DVD nos EUA pouco tempo após as versões de cinema, ou seja, a partir de 2002, devido a problemas contratuais nunca bem explicados entre a Warner Bros., que distribuiu a trilogia internacionalmente, e o finado estúdio New Line, que a produziu (detalhe: ambos pertencentes ao mesmo grupo), foi apenas em 2009 que o box com essas versões saiu no Brasil. Em 2010 a trilogia foi disponibilizada mundialmente em Blu-ray, mas apenas com as versões de cinema e, em nosso país, sem extras. Em 2011, as versões estendidas foram lançadas nos EUA em BD e alguns meses depois na Europa, sendo que no Brasil finalmente aportaram em agosto de 2012. Imagine a situação de um colecionador brasileiro fã da trilogia: depois de muitos anos de “jejum”, em um espaço de três anos foi compelido a comprar três edições diferentes dos mesmos filmes, e muitos, para a satisfação da Warner, o fizeram… Mas, apesar dos pesares, a distribuidora deve ser parabenizada por finalmente ter disponibilizado no Brasil as versões estendidas, e em edições em DVD e Blu-ray que nada ficaram devendo às internacionais.

Em Blu-ray, o box norte-americano das versões estendidas da trilogia O SENHOR DOS ANÉIS já saíra com dublagem e legendas em PT-BR, estas inclusive nos extras (exceto por alguns lotes nos quais os discos de extras não receberam nenhuma legenda – alguns infelizes importadores receberam esses). A diferença entre as edições é a embalagem (ver imagens acima): nos EUA os quinze discos (seis BDs com os filmes e nove DVDs de extras) estão acondicionados em três elegantes estojos Elite Black, que fazem um contraste interessante com o dourado das suas capas; aqui, como habitualmente faz com boxes de Blu-ray, a Warner optou por três Digiduplos em padrão (tamanho) DVD. Ambas as edições possuem luvas, sendo que a norte-americana tem material e acabamento superiores, e é menor que a nossa. No balanço geral fica difícil dizer qual tem a melhor apresentação – as duas têm seus apreciadores. A vantagem maior dos estadunidenses é que, após o box, cada versão estendida foi lançada individualmente, o que não aconteceu por aqui.

O lançamento das versões de cinema da trilogia em BD gerou polêmicas, especialmente em razão da qualidade medíocre da transferência HD de A SOCIEDADE DO ANEL. Não achei o problema tão grave assim, como fiz referência na época, mas indiscutivelmente seria de esperar que a Warner caprichasse mais nas versões estendidas, o que felizmente ocorreu. O primeiro filme recebeu uma nova transfer 1080p/MPEG-4 remasterizada, no formato de tela 2.35:1, que mostra perceptíveis avanços em termos de nitidez, contraste e cores. No entanto, a correção de cores aplicada foi alvo de muitas criticas. Nuvens e neve, que antes eram imaculadamente brancos, por vezes ganham uma aparência levemente esverdeada. Essa alteração no tom das cores é perceptível mais em algumas sequências que outras, inclusive nos tons de pele, mas de modo geral a remasterização deixou A SOCIEDADE DO ANEL com um padrão de qualidade de vídeo equivalente ao dos demais filmes, com texturas altamente detalhadas e sem artefatos ou filtros digitais perceptíveis.

sda2-18

Por sua vez, tanto AS DUAS TORRES como O RETORNO DO REI, pelo que consta, não passaram por nova remasterização. A nitidez e níveis de detalhe são bem elevados e as cores, maravilhosas, mas se você for bem detalhista notará em alguns momentos que, diferentemente da nova transfer do primeiro filme, os contornos não são tão naturais (como se tivesse havido a aplicação, ainda que leve, de Edge Enhancement), e por vezes a textura de barbas e cabelos parece perder resolução, como resultado da utilização de DNR. Mesmo assim, na minha avaliação, O RETORNO DO REI, que nas versões de cinema possuía a melhor imagem, repete a façanha aqui com sua apresentação fílmica impecável. Caso queira continuar a procurar “cabelo em ovo” certamente encontrarei probleminhas aqui e ali, mas o que escrevi sobre os BDs das versões de cinema também se aplicam às estendidas: estes são filmes lançados há uma década, e em função da tecnologia da época alguma perda em cenas de efeitos visuais, altamente processadas e com sobreposição de imagens, sempre acontecerá. Aliás, isso de certa forma é realçado pela qualidade de vídeo superior também advinda do fato de que cada filme, em razão de sua maior duração, foi dividido em dois discos; em consequência as transferências, beneficiadas pelo maior espaço disponível na mídia, ganharam maior bitrate.

Já quanto ao áudio, as versões estendidas receberam esplêndidas mixagens em inglês lossless DTS-HD MA 6.1, que se equivalem às melhores faixas de áudio em alta definição da atualidade. Todos os três filmes, em seu idioma original, possuem níveis dinâmicos perfeitos, efeitos direcionais precisos e graves agressivos. O palco sonoro é rico e envolvente, colocando o espectador no meio da saga do Anel – seja nas paisagens bucólicas do Condado, nas florestas escuras de Fangorn ou em épicas batalhas cercado de orcs, uruk-hais, olifantes e flechas cruzando os ares. A fidelidade, começando nos diálogos sempre límpidos, passando pelos ruídos de espadas e armaduras em choque e chegando às maravilhosas partituras de Howard Shore, é sempre cristalina. Temos aqui, pura e simplesmente, uma experiência auditiva perfeita, ainda que, mais uma vez, preferisse que chegasse em surround 7.1 canais – apesar de, sinceramente, não saber se meus ouvidos perceberiam plenamente o upgrade do 6.1 para o 7.1. Além da faixa em inglês DTS-HD MA, a única outra disponível é a nossa (re)dublagem no velho Dolby Digital 5.1. Os bonitos menus estão apenas em inglês, e temos legendas em português, inglês e espanhol.

sda2-35

EXTRAS
Os extras produzidos para as versões estendidas da trilogia O SENHOR DOS ANÉIS são dos mais extensos, detalhados e interessantes já produzidos para home video em todos os tempos. Esqueça o material de marketing das versões de cinema – aqui você mergulha com o diretor Peter Jackson, elenco e equipe em todas as longas fases da produção, por nada menos que três discos de suplementos por filme, sendo que em relação ao box das versões de cinema temos a bem-vinda inclusão de três documentários de bastidores em longa-metragem realizados por Costa Botes. Uma crítica recorrente a este box refere-se aos extras principais estarem em DVDs e não BDs – se empregados estes, seria possível reduzir significativamente a quantidade de discos. Em termos de qualidade seria indiferente, já que os vídeos nesses discos foram originalmente gravados em resolução SD. Pelo menos, à exceção das várias faixas de comentários em áudio (nada menos que quatro por filme!), tudo recebeu legendas em português. O Disco 1 de cada filme traz o mesmo trailer HD com dois minutos do videogame The Lord of the Rings: War in the North, e um easter egg. O trailer não merece maiores comentários, até porque pelo que li o jogo não é lá essas coisas. Quanto aos easter eggs, irei especificá-los individualmente mais adiante. Como os menus estão todos em inglês, mantive o título dos documentários em seu idioma original.

sda2-36

A SOCIEDADE DO ANEL

  • Comentários em Áudio (Discos 1 e 2) – A primeira faixa de comentários traz o diretor/co-roteirista Peter Jackson e as co-roteiristas Fran Walsh e Philippa Boyens; a segunda, o desenhista de produção Grant Major, a figurinista Ngila Dickson, o supervisor de criação da Weta Workshop Richard Taylor, os desenhistas conceituais Alan Lee e John Howe,o  supervisor de direção de arte Dan Hennah, o gerente do departamento de arte Chris Hennah e a gerente da Weta Workshop Tania Rodger; a terceira, o produtor Barrie M. Osborne, o produtor executivo Mark Ordesky, o diretor de fotografia Andrew Lesnie, o  editor John Gilbert, o co-produtor Rick Porras, o compositor Howard Shore, o supervisor de efeitos visuais Jim Rygiel, os supervisores de edição de som Ethan van der Ryn e Mike Hopkins, o desenhista e supervisor de animação da Weta Randy Cook, o diretor de arte da Weta VFX Christian Rivers, o diretor de fotografia da Weta VFX Brian Van’t Hul e o chefe da unidade de miniaturas Alex Funke; e a quarta, os atores Elijah Wood, Ian McKellen, Liv Tyler, Sean Astin, John Rhys-Davies, Billy Boyd, Dominic Monaghan, Orlando Bloom, Christopher Lee e Sean Bean. Como se vê pela extensa lista de comentaristas nessas faixas, elas não poderiam ser melhores (e isso vale para as dos demais filmes), já que vários profissionais abordam a produção sob diferentes pontos de vista – criativo, informativo, técnico, interpretativo, e muito mais. De lamentar não terem sido legendadas;
  • Easter Egg (Disco 1, SD, 3 min.) – Os vídeos ocultos de cada filme não estão propriamente escondidos, basta procurar um determinado ícone no submenu de extras para acessá-los. Aqui temos um divertido vídeo feito para o MTV Movie Awards com Jack Black e Sarah Michelle Gellar;
  • The Appendices Parts 1 & 2 Introduction (Disco 3, SD, 1 min.) – Peter Jackson apresenta os Apêndices das Versões Estendidas, que na realidade consistem de um gigantesco documentário em seis partes dedicado à produção da trilogia, espalhado pelos vários DVDs de extras;
  • J.R.R. Tolkien: Creator of Middle-earth (Disco 3, SD, 22 min.) – Nada melhor para começar os Apêndices que um capítulo dedicado ao escritor J.R.R. Tolkien. Após uma breve biografia de Tolkien, o documentário passa a explorar a gênese dos livros “O Hobbit” e, posteriormente, “O Senhor dos Anéis”;
  • From Book to Script (Disco 3, SD, 20 min.) – Peter Jackson, seus co-roteiristas e equipe de produção discutem os desafios enfrentados e a metodologia empregada para adaptar o épico de Tolkien para a tela;
  • Visualizing the Story (Disco 3, SD, 39 min.) – Aqui a ênfase é o trabalhoso processo empregado para visualizar toda a história antes mesmo de as câmeras começarem a rodar. Inclui “Storyboards and Pre-Viz, Making Words Into Images”, três rolos de storyboards, dois animáticos de pré-visualização, dois “Animatic to Film Comparisons” e o vídeo de teste “Bag End Set Test”;
  • Designing and Building Middle-earth (Disco 3, SD, 96 min.) – Documentário dividido em várias partes, que incluem um featurettes dedicados à arte conceitual, uma visita à Weta Workshop, a criação do figurino e duas extensas galerias de imagens – “The People of Middle-earth” e “The Realms of Middle-earth”;
  • New Zealand as Middle-earth (Disco 3, SD, 10 min.) – conjunto de pequenos featurettes que acompanham Jackson e sua equipe na procura de locações na Nova Zelândia;
  • Middle-earth Atlas (Disco 3, SD) – Mapa interativo que traça a jornada de Frodo a partir do Condado, ou a de Gandalf para descobrir a verdadeira natureza do Anel (inclui cenas do filme);
  • Filming The Fellowship of the Ring (Disco 4, SD, 88 min.) – Outro documentário em várias partes, agora dedicado às filmagens principais. Inclui “The Fellowship of the Cast” (acompanha a história do elenco principal, a amizade que se desenvolveu entre eles, como isso se refletiu em seus personagens, etc.), “A Day in the Life of a Hobbit” (filmagens no Condado), “Cameras in Middle-earth” (o uso de múltiplas equipes filmando simultaneamente em diferentes locais) e galeria de fotos de produção;
  • Visual Effects (Disco 4, SD, 57 min.) – Este documentário dedica-se a explorar as várias técnicas empregadas para criar a inovadora magia visual de Peter Jackson (perspectiva forçada, composição em escala, o uso de dublês pequenos, construção de objetos em escala e, obviamente os efeitos CGI da Weta Digital). Também inclui galerias de fotos e imagens;
  • Post Production: Putting It All Together (Disco 4, SD, 14 min.) – Seção dedicada à edição do filme. Inclui “Assembling an Epic” (com a participação do editor John Gilbert) e o vídeo de demonstração do processo de edição “Editorial Demonstration”;
  • Digital Grading (Disco 4, SD, 12 min.) – Esse conjunto de extras é tão abrangente que até o processo de graduação digital de cores empregado por Jackson e sua equipe ganhou um segmento. Dada a polêmica que se criou com a tonalidade esverdeada da nova transferência remasterizada de A SOCIEDADE DO ANEL, torna-se curioso vermos, à determinada altura, um técnico manipulando os tons de verde em uma determinada cena;
  • Sound and Music (Disco 4, SD, 15 min.) – Seção que inclui “The Soundscapes of Middle-earth” (design de som, mixagem, efeitos sonoros e sonoplastia) e “Music for Middle-earth” (a trilha sonora de Howard Shore);
  • The Road Goes Ever On… (Disco 4, SD, 7 min.) – Reflexões de Jackson sobre A SOCIEDADE DO ANEL, estreias, lançamento mundial e recepção;
  • Costa Botes’ Fellowship of the Ring Documentary (Disco 5, SD, 85 min.) – O último disco de extras de cada filme traz unicamente os making ofs de bastidores que o documentarista Costa Botes criou sobre as respectivas filmagens. É uma visão diferente, mais contemplativa e passiva sobre a produção, sendo um bom complemento aos Apêndices. Esses documentários, ao contrário dos demais, que possuem vídeo 16:9 anamórfico, estão em formato 4:3;

sda3-07

AS DUAS TORRES

  • Comentários em Áudio (Discos 1 e 2) – A primeira faixa de comentários traz o diretor/co-roteirista Peter Jackson e as co-roteiristas Fran Walsh e Philippa Boyens; a segunda, o desenhista de produção Grant Major, o supervisor de criação da Weta Workshop Richard Taylor, os desenhistas conceituais Alan Lee e John Howe, o supervisor de direção de arte Dan Hennah, o gerente do departamento de arte Chris Hennah e a gerente da Weta Workshop Tania Rodger; a terceira, o produtor Barrie M. Osborne, o produtor executivo Mark Ordesky, o diretor de fotografia Andrew Lesnie, o editor Mike Horton, o editor adicional Jabez Olssen, o co-produtor Rick Porras, o compositor Howard Shore, os supervisores de efeitos visuais Jim Rygiel e Joe Letteri, os supervisores de edição de som Ethan van der Ryn e Mike Hopkins, o desenhista de animação e supervisor da Weta Randy Cook, o diretor de arte da Weta VFX Christian Rivers, o diretor de fotografia da Weta VFX Brian Van’t Hul e o chefe da unidade de miniaturas Alex Funke; a quarta, os atores Elijah Wood, Sean Astin, John Rhys-Davies, Billy Boyd, Dominic Monaghan, Orlando Bloom, Christopher Lee, Sean Bean, Bernard Hill, Miranda Otto, David Wenham, Brad Dourif, Karl Urban, John Noble, Craig Parker e Andy Serkis;
  • Easter Egg (Disco 1, SD, 3 min.) – Outro vídeo divertido feito para o MTV Movie Awards. Dessa vez Gollum disputa com Andy Serkis o prêmio de “Melhor Interpretação Virtual”. A coisa esquenta quando Gollum começa a soltar palavrões;
  • The Appendices Partes 3 & 4 Introduction (Disco 3, SD, 2 min.) – Peter Jackson apresenta os próximos segmentos dos Apêndices;
  • J.R.R. Tolkien: Origins of Middle-earth (Disco 3, SD, 29 min.) – Segundo documentário dedicado a Tolkien, tratando de sua amizade com o colega escritor C.S. Lewis (As Crônicas de Nárnia), suas experiências durante a guerra, sua paixão pela escrita, os temas, personagens e relevância duradoura de sua obra, etc.;
  • From Book to Script: Finding the Story (Disco 3, SD, 21 min.) – Descobrimos aqui que a adaptação de AS DUAS TORRES foi a que apresentou mais dificuldades para Jackson e suas co-roteiristas. Os reralizadores, o elenco e a equipe explicam as várias mudanças feitas e a dedicação em reter o espírito do livro, entre outros tópicos;
  • Designing and Building Middle-earth (Disco 3, SD, 89 min.) – Seção com dois documentários, “Designing Middle-earth” e “Weta Workshop”, dedicados à criação de imagens, locais, criaturas, armaduras, arquitetura, armas e culturas, e duas galerias de imagens: “The Peoples of Middle-earth” e “The Realms of Middle-earth”;
  • Gollum (Disco 3, SD, 44:40 min.) – O documentário dedicado à criação do personagem digital mais importante da trilogia está dividido em quatro segmentos: “The Taming of Smeagol” (desenho, esculturas, maquetes, captura de movimentos), “Andy Serkis Animation Reference” (comparação “antes” e “depois”), “Gollum’s Stand In” (a equipe relembra o trabalho do co-produtor Rick Porras como Gollum por um dia) e uma galeria de imagens;
  • New Zealand as Middle-earth (Disco 3, SD, 14 min.) – Coleção de quatro featurettes sobre a busca de Peter Jackson e sua equipe por locações na Nova Zelândia para AS DUAS TORRES;
  • Middle-earth Atlas (Disco 3, SD) – Mapa interativo que permite traçar as trajetórias separadas de Frodo e Sam, Gandalf, Merry e Pippin, e Aragorn, Legolas e Gimli. Inclui trechos do filme;
  • Elijah Wood Introduction (Disco 4, SD, 1 min.) – O intérprete de Frodo faz a introdução do quarto disco de extras de AS DUAS TORRES;
  • Filming The Two Towers (Disco 4, SD, 89 min.) – O documentário que cobre as filmagens principais do segundo capítulo da trilogia está dividido em dois segmentos, “Warriors of the Third Age” (dublês, lutas de espadas, treinamento dos atores, a batalha de Helm’s Deep, etc.) e “Cameras in Middle-earth” (os desafios das filmagens, que duraram 15 meses, a separação de atores/personagens, o uso de múltiplas equipes de filmagem, e muito mais). A seção também inclui uma galeria de fotos de produção;
  • Visual Effects (Disco 4, SD, 54 min.) – Temos um documentário dedicado aos efeitos visuais, composto por três segmentos: “Miniatures”, “Weta Digital” e “Abandoned Concepts” (aqui, duas sequências que não foram realizadas, “Slime Balrog” e “Endless Stair”, mostradas em artes conceituais com comentários). Completam a seção dedicada aos efeitos visuais mais galerias de imagens;
  • Editorial: Refining the Story (Disco 4, SD, 22 min.) – Featurette dedicado aos cortes realizados no processo de edição do filme;
  • Music and Sound (Disco 4, SD, 48 min.) – A seção dedicada ao som de AS DUAS TORRES é composta pelos documentários “Music for Middle-earth”(a trilha sonora de Howard Shore), “The Soundscapes of Middle-earth” (design de som) e “Sound Demonstration” (mixagem de som interativa: você poderá ouvir sete faixas isoladas de uma cena, e por fim a mixagem final);
  • The Battle for Helm’s Deep is Over… (Disco 4, SD, 9 min.) – Featurette que trata da pós-produção de AS DUAS TORRES, já prenunciando O RETORNO DO REI;
  • Costa Botes’ Two Towers Documentary (Disco 5, SD, 106 min.) – Segundo documentário de Costa Botes, realizado durante as filmagens de AS DUAS TORRES. Como fez em A SOCIEDADE DO ANEL, Botes acompanha a rotina diária da produção do segundo filme de forma não-intrusiva;

sda3-09

O RETORNO DO REI

  • Comentários em Áudio (Discos 1 & 2) – Na primeira faixa de comentários temos o diretor/co-roteirista Peter Jackson e as co-roteiristas Fran Walsh e Philippa Boyens; na segunda, o desenhista de produção Grant Major, o supervisor de criação da Weta Workshop Richard Taylor, os artistas conceituais Alan Lee e John Howe, o supervisor de direção de arte Dan Hennah, o gerente do departamento de arte Chris Hennah, a gerente da Weta Workshop Tania Rodger e a figurinista Ngila Dickson; na terceira, o produtor Barrie M. Osborne, o produtor executivo Mark Ordesky, o diretor de fotografia Andrew Lesnie, a editora Jamie Selkirk, a assistente de edição Annie Collins, o co-produtor Rick Porras, o compositor Howard Shore, os supervisors de efeitos visuais Jim Rygiel e Joe Letteri, os supervisores de edição de som Ethan van der Ryn e Mike Hopkins, o desenhista de animação e supervisor da Weta Randy Cook, o diretor de arte da Weta VFX Christian Rivers, o cinematógrafo da Weta VFX Brian Van’t Hul e o supervisor de efeitos de miniaturas Alex Funke; e na quarta, os atores Elijah Wood, Sean Astin, Billy Boyd, Dominic Monaghan, Ian McKellen, John Rhys-Davies, Orlando Bloom, Christopher Lee, Bernard Hill, Hugo Weaving, Miranda Otto, David Wenham, Karl Urban, John Noble, Liv Tyler, Andy Serkis e Lawrence Makoare;
  • Easter Egg (Disco 1, SD, 9 min.) – Dessa vez temos um vídeo envolvendo os atores Elijah Wood e Dominic Monaghan;
  • The Appendices Parts 5 & 6Introduction (Disco 3, SD, 2 min.) – Peter Jackson faz a introdução das partes finais dos Apêndices das Versões Estendidas;
  • J.R.R. Tolkien: The Legacy of Middle-earth (Disco 3, SD, 30 min.) – Documentário final sobre Tolkien, tratando das suas intenções literárias, as alegorias de O SENHOR DOS ANÉIS, e até mesmo de aspectos pessoais da vida do escritor, como seu domínio linguístico e relacionamento com a esposa;
  • From Book to Script (Disco 3, SD, 30 min.) – Jackson, Boyens e outros realizadores falam sobre a adaptação da obra que Tolkien considerava infilmável. Eles defendem as mudanças feitas, algumas necessárias, outras decorrentes alterações anteriores, e reconhecem que algumas foram difíceis. Também temos um conceito abandonado no qual Aragorn enfrenta Sauron;
  • Designing and Building Middle-earth (Disco 3, SD, 118 min.) – Mais um documentário dedicado à criação de imagens, locais, criaturas, maquetes, figurinos. etc. Inclui os segmentos “Designing Middle-earth”, “Big-atures”, “Weta Workshop”, “Costume Design”e três galerias de arte e fotos – “The Peoples of Middle-earth”, “The Realms of Middle-earth” e “Miniatures”;
  • Home of the Horse Lords (Disco 3, SD, 30 min.) – Documentário centrado nos cavalos, cavaleiros e treinamento de montaria;
  • New Zealand as Middle-earth (Disco 3, SD, 16 min.) – Outro featurette acompanhando Jackson e equipe em busca de locações na Nova Zelândia;
  • Middle-earth Atlas (Disco 3, SD) – Mapa interativo que traça os caminhos percorridos, no filme, por Frodo e Sam, Gandalf e Pippin, Merry e Aragorn, Legolas e Gimli;
  • Elijah Wood and Billy Boyd Introduction (Disco 4, SD, 1 min.) – Os atores Wood e Boyd dão início ao quarto disco de informações especiais de O RETORNO DO REI;
  • Filming The Return of the King (Disco 4, SD, 73 min.) – Documentário dedicado às filmagens principais. Com o final dos trabalhos, a equipe e o elenco falam sobre suas despedidas. Aqui também temos uma galeria de fotos de produção;
  • Visual Effects (Disco 4, SD, 43 min.) – Os técnicos da Weta comentam os desafios de realizar o triplo de tomadas de efeitos visuais sob a pressão de Jackson, dos produtores e da cada vez mais próxima data de estreia. Inclui uma curta cena de batalha, dividida em vários componentes;
  • Post-Production: Journey’s End (Disco 4, SD, 89 min.) – O documentário dedicado à pós produção está dividido em quatro partes: “Editorial: Completing the Trilogy” (com Jackson e a editora Jamie Selkirk) “Music for Middle-earth” (a trilha sonora de Howard Shore), “The Soundscapes of Middle-Earth” (design de som) e “The End of All Things” (a corrida para completar O RETORNO DO REI a tempo de sua estreia);
  • The Passing of an Age (Disco 4, SD, 25 min.) – Documentário dedicado à premiére do filme, seu lançamento internacional, recepção e premiações no Oscar;
  • Cameron Duncan: The Inspiration for Into the West (Disco 4, SD, 32 min.) – Este extra é dedicado a Cameron Duncan, um adolescente em estado terminal que visitou a produção de O RETORNO DO REI várias vezes antes de sua morte;
  • Costa Botes’ Return of the King Documentary (Disco 5, SD, 113 min.) – O terceiro documentário de Botes, acompanhando as filmagens de O RETORNO DO REI, encerra o extenso material suplementar do box das Versões Estendidas da trilogia O SENHOR DO ANÉIS, e também uma das resenhas mais longas que já escrevi…

sda3-25

Jorge Saldanha

Anúncios