Resenha: LALO SCHIFRIN: MY LIFE IN MUSIC – Lalo Schifrin (Trilha Sonora)


mlim_laloCDMúsica composta e regida por Lalo Schifrin
Selo: Aleph Records
Catálogo: ALEPH0047
Lançamento: 13/11/2012
Cotação: ****½

O argentino Lalo Schifrin é uma verdadeira lenda viva da Silver Age das trilhas sonoras, possuindo uma rica e brilhante carreira que iniciou no jazz, após ter sido descoberto pelo lendário trompetista Dizzy Gilliespie, de quem passou a ser pianista e arranjador. No início dos anos 1960 ele colaborou com outros grandes nomes do jazz como Stan Getz e Quincy Jones, e foi também nesse período que ele passou a compor trilhas sonoras, iniciando com o filme Les Felins e passando pelas séries de TV Mission: Impossible, cujo tema principal e a faixa “The Plot” tornaram-se seus maiores e duradouros sucessos, e Mannix.

Seguiram-se scores para filmes estrelados por grandes astros do período, como The Cincinnatti Kid e Bullit (ambos com Steve McQueen), Cool Hand Luke (Paul Newman) e Coogan’s Bluff e Kelly’s Heroes, estes com Clint Eastwood, ator com o qual Schifrin manteve uma longa parceria que teve seu ponto alto na década seguinte, com os filmes da cinessérie policial Dirty Harry, The Beguiled e Joe Kidd. Paralelamente à sua carreira no jazz, nessa profícua década ele compôs outro de seus trabalhos antológicos, a trilha de Enter The Dragon (último filme do lendário artista marcial Bruce Lee), além de obras variadas como Voyage of the Damned, Charley Varrick, The Manitou, Telefon, The Eagle Has Landed e The Amityville Horror.

A partir dos anos 1980 Schifrin dedicou-se mais à composição e regência de concertos clássicos e jazz, mas eventualmente voltava a compor trilhas sonoras, como Caveman, Class of 1984, The Mean Season e os dois títulos finais da série Dirty Harry. Nos anos 1990 ele dedicou-se a combinar jazz e música clássica no projeto premiado com o Grammy “Jazz Meets The Symphony“, que deu origem a sete álbuns. Coube ao diretor Brett Ratner a tarefa de levar Schifrin de volta aos filmes, com seus longas Money Talks e Rush Hour – sendo que este originou uma trilogia, com todos os filmes musicados pelo argentino. Entre seus últimos trabalhos para o cinema estão Tango, Bringing Down The House e Abominable, este um filme de horror que marcou a estreia de seu filho Ryan na direção.

É uma pena que a obra cinematográfica de Schifrin, pela qual recebeu seis indicações ao Oscar, seja tão pouco representada em disco. Exceto por seus scores mais conhecidos, poucos tiveram lançamentos em LP, e com o advento do CD mesmo esses demoraram anos até receberem edições oficiais, cuja maioria hoje encontra-se fora de catálogo. Isso levou o compositor a, em parceria com sua esposa Donna, criar seu próprio selo, Aleph Records, a fim de resgatar para as novas gerações (e antigos fãs) boa parte dos seus trabalhos. Mesmo assim muita coisa ainda permanece inédita, em virtude das difíceis – e caras – negociações pelos direitos autorais. Esta presente coletânea com quatro CDs, lançada para comemorar os 80 anos de Schifrin, é repleta de destaques de sua carreira e prova que ele, além do pleno domínio da música clássica, do jazz e do pop, é capaz de compor excelentes trilhas sonoras para qualquer gênero.

A coletânea traz temas e um pouco de underscore de seus filmes mais memoráveis (Enter The Dragon, The Amityville Horror, Bullitt, Rush HourDirty Harry, Cool Hand Luke, Magnum ForceKelly’s Heroes, etc.), temas de TV (Mannix, Mission: Impossible), faixas de alguns dos seus discos de jazz (Metamorphosis, Kaleidoscope e Jazz Goes Hollywood, entre outros) e clássicos (Letters From Argentina). Mas além de tudo isso, a antologia oferece material até agora inédito das trilhas sonoras Fast-Walking, The Beguiled, Coogan’s Bluff, Joe Kidd, Concord: Airport 79 e Charley Varrick (algumas delas nunca lançadas em qualquer formato) e outras há muito fora de catálogo, como Brubaker e The Fourth Protocol. Ainda assim, ela omite muitos trabalhos de Schifrin como The Seduction, The Manitou, Class of 1984, F/X2, The Beverly Hillbillies e até mesmo a anteriormente mencionada Money Talks.

A coletânea Lalo Schifrin: My Life in Music, apesar das omissões (e seria difícil que fosse completa, dada a diversidade da obra do artista) é altamente recomendada ao fã de longa data de Schifrin, e também àqueles que recém o estão descobrindo, ou ainda para quem quer se aprofundar em sua extraordinária e premiada carreira fora das telas. Além da excelente música com qualidade sonora muito boa (apesar da variedade de fontes, inclusive interpretações ao vivo), o box inclui um livreto de 48 páginas repleto de fotos, notas e curiosidades. E que venham mais lançamentos da obra de Schifrin, que apesar de octagenário continua muito ativo.

Faixas:

Disco 1:
1. Main Title – Enter The Dragon 2:21
2. Samba Para Dos 5:30
3. Main Title – The Fox 5:05
4. Eagle Falls In Love – The Eagle Has Landed 5:17
5. Transporting Rhino – Rhino! 1:47
6. Main Title – Fast-Walking­ 3:05
7. Burning Bridges – Kelly’s Heroes (Vocals: The Mike Curb Congregation) 2:43
8. Invisible City 5:52
9. Main Title – Dirty Harry 3:30
10. New Orleans Procession – The Cincinnati Kid 4:04
11. End Title – Caveman 3:04
12. There Is Something Out There – Abominable 4:25
13. Main Title – Cool Hand Luke 2:06
14. Main Title – Telefon 3:08
15. The Pier, The Bridge, and The City – The Dead Pool 3:43
16. Love Poem For Donna 5:04
17. Bank Robbery – Charley Varrick 3:10
18. Main Title – Bullitt 3:08
19. Main Title* – Coogan’s Bluff 4:38
20. End Title – Rush Hour 3:25
Duração do Disco: 75:05
Disco 2:
1. Main Title – Joe Kidd 3:09
2. Tar Sequence – Cool Hand Luke 3:11
3. The Face of Love – The Osterman Weekend 3:40
4. Calliope Of Death – Rollercoaster 2:06
5. All For The Love Of Sunshine – Kelly’s Heroes 3:48
6. Venice After Dark – The Venetian Affair 2:08
7. Scorpio’s View – Dirty Harry 2:35
8. The Statue Of Liberty March 3:28
9. Theme – Brubaker 3:33
10. The Cincinnati Kid (Instrumental) (Lalo Schifrin, piano) 5:25
11. The Miracle – Something to Believe In 2:33
12. Amputation Aftermath – The Beguiled 4:30
13. Che – Che! 2:19
14. El Dorado 6:58
15. Main Title – Sudden Impact 2:50
16. Pablito / Guitarra / Padre Van Horne – The Wrath Of God 5:32
17. Magnum Force 1:59
18. Main Title – The Amityville Horror 2:25
19. Take Me to Ringerman – Coogan’s Bluff 3:34
20. Justine 5:41
21. The Plot – Mission: Impossible 2:56
Duração do Disco: 74:20
Disco 3:
1. The Cincinnati Kid (Vocals: Ray Charles) 2:10
2. Arletta Blues – Cool Hand Luke 2:53
3. Main Title – Les Felins 3:21
4. Main Title – The Fourth Protocol 3:40
5. The Forces Of Darkness 1:54
6. Finding McB – The Beguilded 2:42
7. Theme – Mannix 4:17
8. Ice Pick Mike – Bullitt 3:09
9. Bach to the Blues 5:25
10. Main Title – Magnum Force 2:11
11. Tango del Atardecer 4:51
12. Chama* – Joe Kidd 2:52
13. Movement From String Quartette – Rollercoaster 2:34
14. Summer Dance 6:26
15. My Lord Don Quixote / End Title – El Quijote de Miguel de Cervantes 3:12
16. Main Title – Rage 3:55
17. Let Us Leave Some Songs 10:15
18. Tema D’Amore – La Pelle 3:03
19. Last Of The Independents – Charley Varrick 2:41
20. Robbery Suspect – Sudden Impact 2:12
21. Main Title – Rush Hour 2:01
Duração do Disco: 75:44
Disco 4:
1. Suite – Concorde: Airport 79 5:53
2. Paraphrase 5:12
3. Panamericana 5:22
4. Once a Thief 6:28
5. Resonances 10:51
6. Montuno 7:27
7. People Alone – The Competition 3:19
8. Intersections 4:50
9. Agnus Dei 5:12
10. Toccata 14:37
11. Mission: Impossible 4:22
Duração do Disco: 73:33

Duração Total: 298:42

Jorge Saldanha
Anúncios

Uma opinião sobre “Resenha: LALO SCHIFRIN: MY LIFE IN MUSIC – Lalo Schifrin (Trilha Sonora)”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s