Resenha: HITCHCOCK – Danny Elfman (Trilha Sonora)


HitchcockCDMúsica composta por Danny Elfman
Selo: Sony Masterworks
Catálogo: 541707
Lançamento: 27/11/2012
Cotação: ***½

Faz muito tempo desde que os grandes projetos de Danny Elfman mostraram quaisquer sinais de grandeza, fora a presença da muralha de metais. Elfman é reconhecido por seu estilo exuberante, mas em Hitchcock ele teve de trabalhar mais nas margens – ou nas linhas interiores, se você preferir. Hithcock é um drama, mas não apenas um drama; é um drama sobre a vida do mestre do suspense. Com isso em mente, Elfman teve de arregaçar suas mangas para tentar criar um conjunto que fizesse sentido em um drama situado na década de 1960, o que foge do seu padrão comum.

As escolhas óbvias para criar uma atmosfera verossímil foram o piano e o forte uso das cordas, para expor o aspecto clássico; pois aí é que está a dificuldade. E estranhamente é onde as coisas ficam mais interessantes, já que esta é uma trilha sonora de Danny Elfman. Ele tratou o score como uma combinação de filme de mistério e drama, e no final seu trabalho transformou-se em uma ode aos momentos mais brilhantes de Bernard Herrmann, prestando homenagem a toda a categoria de compositores clássicos da história do cinema.

A incursão de Elfman pelo minimalismo em “Celery”, com pianos sobrepostos que lembram o trabalho de Michael Nyman em O Piano, e uma atmosfera por demais definida, demonstram claramente que ele necessita ousar um pouco mais, ao invés de recorrer às suas cores habituais. Adicionalmente, para ser um compositor melhor, ele precisa exercitar-se mais em dramas do que em comédias, para que possa trabalhar em níveis diferentes e buscar modos diversos de musicar filmes, que não sejam staccatos para representar altos espíritos.

Na trilha sonora também é possível encontrar um certo tipo de humor/sarcasmo nessa atmosfera mortalmente séria, em “Funeral March For a Marionette”, de Gounod, e na jazzística/sexy “Selling Psycho”, do próprio Elfman. A lição final paraElfman é que cinza, preto e bege também são cores bonitas, e que elas também combinam com as demais. Então, vamos experimentá-las!

Faixas:

1. Logos
2. Theme From “Hitchcock”
3. The Premiere
4. Paramount And Out The Gate
5. Mommy Dearest
6. In Bed
7. Impulses
8. The Censor
9. The Swim
10. Peeping
11. Sacrifices
12. Walk With Hitch
13. Celery
14. Telephone
15. Suspicion
16. Explosion
17. Selling Psycho
18. Fantasy Smashed
19. The Sand
20. It’s A Wrap
21. Busted
22. Saving The House
23. Finally
24. Home At Last
25. End Credits (Version I)
26. End Credits (Version II)
27. Funeral March For A Marionette

Duração: 38:38

Atila Paton

2 opiniões sobre “Resenha: HITCHCOCK – Danny Elfman (Trilha Sonora)”

  1. “ou nas linhas interiores, se você preferir.”

    Pra mim, é por isso que essa trilha é tão boa: remete os antigos trabalhos dele, lá do final da década de 80 e início dos anos 90. Tem muito daquela estilização de Batman.

    “Adicionalmente, para ser um compositor melhor, ele precisa exercitar-se mais em dramas”

    De fato, ele não é de fazer muitos dramas, mas as poucas vezes em que passou por esse gênero, nos deu as trilhas de Edward Scissorhands, Hulk, Big Fish, Milk e, mais recentemente, a lindíssima trilha de Frankenweenie. Mão, nesse gênero, é o que não falta para ele…

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s