Resenha: RESIDENT EVIL 5: RETRIBUIÇÃO (Filme em Destaque)


RESIDENT EVIL 5: RETRIBUIÇÃO (Resident Evil: Retribution, Alemanha / EUA, 2012)
Gênero: Ficção Científica
Duração: 97 min.
Elenco: Milla Jovovich, Sienna Guillory, Michelle Rodriguez, Aryana Engineer, Bingbing Li, Boris Kodkoe, Johann Urb, Robin Kasyanov, Kevin Durand, Ofilio Portillo, Oded Fehr, Colin Salmon, Shawn Roberts
Trilha Sonora Original: Tomandandy
Roteiro:  Paul W. S. Anderson
Direção: Paul W. S. Anderson
Cotação***

Devemos a Paul W.S. Anderson a primeira adaptação bem sucedida de um videogame para o cinema. No caso, MORTAL KOMBAT (1995). Isso abriu as portas para que ele fosse o homem ideal para dirigir RESIDENT EVIL: O HÓSPEDE MALDITO (2002), que até algum tempo atrás ficou com o título de melhor adaptação para o cinema de um game. Título esse só tirado alguns anos depois com TERROR EM SILENT HILL. As duas primeiras continuações do primeiro filme da série estrelada por Milla Jovovich não fizeram jus ao primeiro, mas o retorno do cineasta ao roteiro e direção no quarto título, RESIDENT EVIL 4: RECOMEÇO (2010), deu novo fôlego à cinessérie.

Isso se deveu muito à utilização da tecnologia 3D, a mesma utilizada por James Cameron em AVATAR, acabando por tornar o quarto filme uma experiência sensorial muito agradável e cheia de efeitos, monstros assustadores e algumas surpresas. E um dos méritos do quarto filme foi não entrar em detalhes sobre a história envolvendo a Umbrella Corporation, a empresa que desenvolveu um vírus que transformou as pessoas em zumbis. Na verdade, a trama é bem mais complexa do que isso, mas é possível se divertir com esses filmes sem saber muito a respeito. Afinal, o que interessa mesmo são as cenas de ação e horror, além, claro, das belas atrizes em cena.

E assim chegamos a este quinto filme, que também foi produzido em 3D, mas com uma tecnologia supostamente mais avançada e câmeras mais leves do que as usadas no anterior. Na verdade, o resultado não chega a ser tão empolgante quanto no quarto filme no que concerne à utilização da tecnologia, mas RESIDENT EVIL 5: RETRIBUIÇÃO (2012) não decepciona ao apresentar algumas novidades, como a utilização dos clones na trama. O começo do filme, com Alice (Milla Jovovich) em uma casa aparentemente normal, com um marido e uma filha pequena, é uma bela maneira de trazer estranheza para a franquia, que nunca teve tempo para momentos de “banalidades familiares”.

Uma vez que o filme retorna à velha luta de Alice contra a corporação que a persegue, tudo volta a ser como antes, com a vantagem que as cenas de luta estão mais elaboradas. O fato de contar com mulheres bonitas com roupas colantes e empunhando armas torna a franquia cada vez mais fetichista. Não só Alice se veste assim, mas também a personagem de Sienna Guillory, que reprisa o papel de Jill Valentine, mas desta vez sob domínio mental da Umbrella e, portanto, do lado dos inimigos. Outra atriz que retorna é Michelle Rodriguez, que esteve no primeiro filme e já guarda o arquétipo de mulher durona em praticamente todos os seus trabalhos.

Um detalhe curioso deste quinto filme é que ele é o que mais se aproxima da linguagem dos videogames. Diferente dos anteriores que podem ser vistos independentes de suas origens, RESIDENT EVIL 5: RETRIBUIÇÃO não oferece nenhum momento em que não haja uma missão para a personagem. A diferença entre uma mídia e outra é que no cinema não existe a possibilidade de interatividade. Mas as características dos jogos estão todas lá, cada vez mais explícitas. Para o bem e para o mal.

Ailton Monteiro

4 opiniões sobre “Resenha: RESIDENT EVIL 5: RETRIBUIÇÃO (Filme em Destaque)”

  1. Tem gente que ainda acha que um dia Resident Evil filmes vai ser semelhante ao jogo. Então não perca seu tempo comparando o filme com o jogo, se não vai perder um filme fantástico, de uma franquia fantástica, que nenhuma refilmagem vai superar. Pelo amor de Deus parem de comparar os filmes com os jogos, é por isso fracasso de critica, querem ver um video game nos filmes, é ridicúlo.

    Curtir

  2. bom, muitas pessoas dizem que o filme tem que ser como o video game, por favor se o fime fosse pra ser como o jogo eles ja mais teriam feito o fime.Se encherguem eesas pessoas lunaticas que não sabem apreciar um bom filme o melhor um otimo fime, resident evil é um filme fantástico, então aos que não entendem nada do filme, pare de comparar o fime com o jogo, o jogo é o jogo e o fime é o filme.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s