Resenha: PROMETHEUS – Marc Streitenfeld (Trilha Sonora)


Música composta por Marc Streitenfeld
Selo: Sony Masterworks
Catálogo: 197834
Lançamento: 05/06/2012
Cotação: ****

Normalmente não gosto de comentar uma trilha sonora antes de ouvi-la em seu respectivo filme, já que ela, em princípio, foi criada para acompanhar as imagens que vemos na tela e sua audição em separado pode gerar uma avaliação desconexa com as intenções do compositor e até mesmo do realizador. O melhor de dois mundos são aqueles scores que cumprem bem sua missão de dar o adequado suporte ao filme e, ao mesmo tempo, em álbum revelam ser uma audição atraente – algo, hoje em dia, raro de acontecer. De qualquer maneira, com o hype e a excelente campanha de marketing que antecede o lançamento de Prometheus, que marca o retorno do diretor Ridley Scott ao universo sci fi por ele introduzido no antológico Alien – O Oitavo Passageiro (1979), me vi tentado a não só ouvir, mas também a comentar a trilha sonora que será lançada em CD daqui a algumas semanas (por volta da mesma época do filme), mas que já está disponível para download no iTunes.

Como quem está lendo esta resenha deve saber, o filme de 1979 recebeu um estimado score de Jerry Goldsmith que, em virtude de diferenças criativas entre o compositor e o diretor, na montagem final foi recortado e, em determinadas sequências, até mesmo substituído por peças eruditas ou por trechos de um antigo score de Goldsmith, Freud. Como ainda não assisti a Prometheus não posso afirmar que isso não se repetiu, mas o fato é que Scott adora mexer com as partituras que os compositores lhe entregam. Em Cruzada, substituiu trechos da música original de Harry Gregson-Williams por trilhas de outros filmes (ironicamente até por uma composição de Goldsmith), e no caso presente temos o “reforço” ao score de Marc Streitenfeld de duas faixas de… Harry Gregson-Williams. Mas independentemente do que possamos ouvir (ou não) no filme, achei promissor este trabalho do alemão Streitenfeld, que de integrante da equipe de Hans Zimmer alçou carreira solo e tornou-se o colaborador habitual de Scott em seus últimos filmes.

Este ano Streitenfeld já teve um trabalho digno de nota com A Perseguição, uma interessante trilha sonora que soube traduzir e complementar a atmosfera inóspita e a luta pela sobrevivência retratadas pelo filme. Já Prometheus situa-se em outra categoria por ser um score forte, com grandiosas orquestrações, corais e que por vezes remete à música de Jerry Goldsmith. A trilha de Streitenfeld nos passa a sensação de que estamos diante de um filme de escala épica, ambiciosa (já que lida com, nada menos, a origem da vida em nosso planeta) e certamente assustador, como constatamos em determinadas faixas. Por exemplo, o medo e o deslumbramento podem ser “ouvidos” em “Space Jockey”, uma das faixas cujo título é capaz de deixar os fãs do filme de 1979 cheios de expectativa.

Certamente o score faz referências a Alien, muitas vezes sutis, e na faixa “Friend From The Past” a sutileza é completamente deixada de lado para que seja empregado diretamente o tema original de Goldsmith, em uma interpretação diria que mais “etérea”. Contudo, referências à parte, Streitenfeld soube dar identidade própria a este trabalho, ainda que o material temático seja esparso e o maior esforço concentre-se em transmitir sensações de deslumbre e ameaça. Entre os poucos letmotivs, os que mais me chamaram a atenção foi o introduzido em “Life” (o mais assemelhado a um tema principal) e “David”, o dedicado ao andróide interpretado por Michael Fassbender. A música parece refletir a curiosidade quase que infantil da forma de vida artificial diante das descobertas que faz, mas em sua essência também traz perigo – o que certamente se coaduna com o papel ambíguo que os andróides sempre tiveram nos filmes da franquia.

O compositor também se mostra competente em faixas como “Hammerpede” (dissonante e intensa), “A Planet” (épica e lírica) “Infected” (sinistra), e “Planting The Seed”, que com esse título soa como algo que qualquer um poderia esperar ouvir em um filme de Alien. Por fim o álbum encerra com a sinistramente evocativa “Birth” que, deduzo, acompanha a conclusão do filme e que provavelmente fará um gancho para uma continuação. Ridley Scott afirmou que o projeto de Prometheus foi iniciado como um prelúdio de Alien e posteriormente tornou-se algo maior e mais ambicioso, ainda que nele seja perceptível o “DNA” de seu antigo filme. Afirmação que, pelo que ouvimos da trilha sonora de Marc Streitenfeld, parece estar correta.

Em tempo: a música ouvida nos trailers, que não é de Streitenfeld e remete ao trailer original de Alien, não está no CD.

Faixas:

1. A Planet
2. Going In
3. Engineers
4. Life (Harry Gregson-Williams)
5. Weyland
6. Discovery
7. Not Human
8. Too Close
9. Try Harder
10. David
11. Hammerpede
12. We Were Right (Harry Gregson-Williams)
13. Earth
14. Infected
15. Hyper Sleep
16. Small Beginnings
17. Hello Mommy
18. Friend From The Past
19. Dazed
20. Space Jockey
21. Collision
22. Debris
23. Planting the Seed
24. Invitation
25. Birth

Duração: 56:55

Jorge Saldanha

7 opiniões sobre “Resenha: PROMETHEUS – Marc Streitenfeld (Trilha Sonora)”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s