PROJETO X – UMA FESTA FORA DE CONTROLE (Project X, EUA, 2012)
Gênero: Comédia
Duração: 88 min.
Elenco: Thomas Mann, Jonathan Daniel Brown, Oliver Cooper, Dax Flame, Nichole Bloom, Martin Klebba, Miles Teller, Sam Lant
Roteiro: Matt Drake, Michael Bacall
Direção: Nima Nourizadeh
Cotação: ***½

Para uma produção classificada como sendo proibida para menores de 18 anos, até que PROJETO X – UMA FESTA FORA DE CONTROLE (2012) oferece poucas ousadias. Na década de 1980, PORKY’S e outros filmes do gênero foram mais ousados no quesito sexual e esses filmes foram vistos na televisão por toda uma geração de adolescentes. No caso de PROJETO X, dá para entender que isso se deve ao uso de muitos palavrões e ao consumo de drogas por menores de idade. Além do mais, vivemos um momento diferente, mais politicamente correto. Ainda assim, não dá para negar a diversão e as risadas que o filme de estreia de Nima Nourizadeh proporciona.

Um elemento bem característico desses tempos atuais e que é empregado no filme é o chamado estilo “found footage”, usado à exaustão nos dias de hoje. Na época de CANNIBAL HOLOCAUST e de A BRUXA DE BLAIR, esse elemento era uma novidade. Os reality shows ainda não existiam ou pelo menos não eram tão populares. E se o estilo ganhou fama primeiro no gênero horror e depois nos pornôs, agora ele chega também em filmes sobre superpoderes (PODER SEM LIMITES) e agora nesta divertida comédia sobre três amigos que querem planejar uma festa de aniversário para um deles, aproveitando que os pais do rapaz vão passar o final de semana fora, deixando a casa livre para uma pequena festinha.

E apesar de o rapaz não ser exatamente popular, seus amigos fazem com que a festa se torne atraente o suficiente para chamar a atenção de muita gente. E, consequentemente, deixar os vizinhos loucos, a ponto de chamar a polícia. O termo “festa de arromba”, embora seja de uma geração bem anterior, nunca foi tão apropriado. Em vez de pensar que o filme valoriza a banalidade, por que não se divertir imaginando-se na idade daqueles rapazes que ainda não atingiram a maioridade, mas que estão loucos por sexo e sedentos por aventuras?

Há quem diga que o filme é idiota, mas há toda uma tradição de filmes de garotos que só pensam em sexo produzidos nos Estados Unidos. Portanto, não chega a ser uma inverdade dizer que isso não esteja no cerne da sociedade americana. PROJETO X não chega a ser totalmente fiel ao estilo falso documentário, já que lá pelo final uma canção do Metallica (“Battery”) ajuda a impor um clima de delicioso caos à trama. Mas quem liga pra esse detalhe quando se tem uma hora e meia de pura diversão?

Ailton Monteiro

Anúncios