Resenha: A HORA DA ESCURIDÃO (Filme em Destaque)


A HORA DA ESCURIDÃO (The Darkest Hour, EUA, Rússia, 2011)
Gênero: Ficção Científica
Duração: 92 min.
ElencoEmile Hirsch, Olivia Thirlby, Rachael Taylor, Joel Kinnaman, Max Minghella, Veronika Ozerova, Dato Bakhtadze, Yuriy Kutsenko, Nikolay Efremov, Vladimir Jaglich
RoteiroLeslie Bohem, M.T. Ahern, Jon Spaihts
Trilha Sonora: Tyler Bates
Direção: Chris Gorak
Cotação: ***

Com gostinho das boas produções de terror e ficção científica da década de 1950, A HORA DA ESCURIDÃO (2011), de Chris Gorak, é também uma espécie de reconciliação entre americanos e russos. Em quase todos os filmes americanos, vemos as duas nacionalidades como rivais, mesmo depois de a Guerra Fria ter terminado há muito tempo. Trata-se de uma diversão descompromissada, mas bem eficiente. Apesar de ser vendido como um filme de horror, são poucos os momentos em que há uma atmosfera de medo. O que há é um leve suspense e uma agradável sensação de aventura temperada com tom apocalíptico.

Em A HORA DA ESCURIDÃO, dois rapazes (Emile Hirsh e Max Minghella) viajam a Moscou para apresentar um software a um grupo de executivos. Chegando lá, descobrem que foram traídos por seu “amigo” (Joel Kinnaman, conhecido de quem viu a série THE KILLING). Não restando muito a fazer, eles vão conhecer a “night” de Moscou. Num bar, eles conhecem uma dupla de simpáticas garotas americanas. Até que de repente acontece um blecaute geral, inclusive de aparelhos eletrônicos e carros. A cidade está sendo invadida por estranhos seres alienígenas, que aos poucos começam um massacre geral na população.

Por ser um inimigo invisível, lutar contra eles é ainda mais difícil. O fato de o filme apresentar os E.T.s como invisíveis é uma inteligente maneira de torná-lo mais barato, já que os gastos com efeitos especiais são praticamente todos feitos com computação gráfica. Inclusive, há um tom retrô oitentista com o tipo de efeito usado para mostrar os alienígenas tentando pegar os humanos. Em alguns momentos, A HORA DA ESCURIDÃO lembra também um filme de guerra, com os nossos jovens heróis com armas esquisitas na mão, prontos para enfrentar bravamente o inimigo. Devido à sua curta duração, o filme fica parecendo um piloto de uma série de televisão. Mas um bom piloto, eu diria.

Ailton Monteiro

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s