Resenha: PLANETA DOS MACACOS – A ORIGEM (Blu-ray+DVD)


Produção: 2011
Duração: 104 min.
Direção: Rupert Wyatt
Elenco: James Franco, Freida Pinto, John Lithgow, Andy Serkis, Brian Cox, Tom Felton, David Oyelowo, Tyler Labine, Jamie Harris, David Hewlett
Vídeo: Widescreen Anamórfico 2.35:1 (1080p/AVC MPEG-4)
Áudio: Inglês (DTS-HD Master Audio 5.1), Português (Dolby Digital 5.1), Espanhol, Francês, Alemão (DTS 5.1)
Legendas: Português, Inglês, Espanhol, Alemão, Francês
Região: A, B, C
Distribuidora: Fox
Discos: 2 (1 BD 50Gb, 1 DVD)
Lançamento: 13/12/2011
Cotações: Som: ****½ Imagem: ****½ Filme: ****  Extras & Menus: **** Geral: **** 

SINOPSE
Nossa maior descoberta tornar-se-á a maior ameaça para a humanidade quando um cientista, na iminência de um grande avanço da medicina, começa a fazer testes num jovem chimpanzé chamado César. Quando o chimpanzé desenvolve inteligência e emoções semelhantes às dos humanos, nasce uma batalha épica para determinar a espécie dominante no planeta.

COMENTÁRIOS
Dificilmente alguém que tenha acompanhado a saga PLANETA DOS MACACOS, a partir do antológico longa de Franklin J. Schaffner, não gostará deste PLANETA DOS MACACOS – A ORIGEM (2011), dirigido com louvor pelo pouco conhecido inglês Rupert Wyatt, de THE ESCAPIST (2008). O que de início salta aos olhos é que, pela primeira vez na história da franquia, os macacos foram totalmente criados em computação gráfica, pela WETA Digital. E o fato é que eles, ainda que por vezes tenham uma inevitável aparência digital (principalmente na alta definição do Blu-ray), roubam a cena dos protagonistas humanos – principalmente Andy Serkis, que via captura de movimentos interpreta o chimpanzé César. Serkis já foi o Gollum da trilogia O SENHOR DOS ANÉIS (e voltará a sê-lo em O HOBBIT, atualmente em filmagem na Nova Zelândia) e o KING KONG da refilmagem de 2005, e a Fox está fazendo campanha para que, de forma inédita, ele seja indicado ao Oscar por esta nova interpretação digital.

Mas os acertos do filme não estão restritos apenas à sua parte técnica, já que ele é uma inteligente reinvenção da franquia, atualizando-a para os tempos atuais mas sempre respeitando e homenageando os filmes originais. O roteiro segue a linha de A CONQUISTA DO PLANETA DOS MACACOS (1972), e mostra a insurreição símia que será o primeiro passo para a dominação da Terra. James Franco interpreta Will, um cientista que, com os recursos de uma grande corporação farmacêutica, trabalha para encontrar uma cura para o Mal de Alzheimer, doença que afeta seu pai (o ótimo John Lithgow). Como resultado ele cria um composto virótico que não apenas propicia a regeneração dos neurônios, mas também aumenta o QI dos chimpanzés utilizados como cobaias. César nasce de uma das macacas de laboratório inoculadas com a substância, e dela herda uma inteligência superior.

Will leva César para casa, onde passa a viver até que, após um incidente envolvendo seu pai, o chimpanzé ataca um vizinho (David Hewlett, da série STARGATE ATLANTIS) e por determinação judicial é levado para um abrigo de primatas de São Francisco. A partir daí temos uma espécie de “filme de prisão”, que culminará na rebelião liderada por César. Os fãs certamente não deixarão de notar as homenagens e referências aos antigos longas: por exemplo, boa parte dos personagens (humanos e símios) foi batizada com os nomes de pessoas envolvidas na realização dos filmes originais; a célebre frase “Tire as patas sujas de mim, seu maldito macaco imundo”, dita por Charlton Heston no primeiro filme da série, é repetida por um dos personagens humanos; uma epidemia em escala mundial será crucial para a ascensão dos macacos; e não menos importantes são as sutis referências a uma missão tripulada à Marte que foi dada como perdida – o que poderá ser o ponto de partida para um futuro filme, caso decidam utilizar como base o original de 1968.

Apesar de perder um pouco da força por ter recebido um corte “familiar” (a violência, principalmente no confronto final da ponte Golden Gate, foi claramente atenuada), PLANETA DOS MACACOS – A ORIGEM é certamente um dos melhores blockbusters do ano. É um filme que diverte e traz um rico conteúdo, herdado de uma das mais célebres franquias de ficção científica da história do cinema.

SOBRE O BD
De forma similar ao que fez no exterior, a Fox lançou no Brasil em Blu-ray PLANETA DOS MACACOS – A ORIGEM como um “combo” que também inclui um DVD que traz o filme em resolução standard, parte dos extras do BD e uma cópia digital para ser assistida no computador ou em dispositivos móveis. O estojo plástico que contém os dois discos é padrão, e não possui luva. Vou concentrar a resenha no Blu-ray, porque ele é o que realmente interessa para quem já aderiu ao disco de alta definição. A transferência anamórfica 1080p do filme, que emprega o encode MPEG-4 e preserva a proporção original de tela 2.35:1, só não leva nota máxima por causa, principalmente, de uma pequena perda de resolução em algumas cenas carregadas de CGI, que adicionalmente trazem uma leve camada de granulação claramente artificial. Além disso, o mais atento perceberá alguma variação nos tons de pele. De resto, os níveis de detalhe são elevados, com as tomadas mais próximas dos macacos revelando em minúcias suas características faciais e de pelagem. As cores são vibrantes, e aliadas ao alto nível de detalhes finos criam belas sequências nas florestas próximas a São Francisco. Os pretos são fortes, e criam uma perfeita delineação das sombras. Ruídos e artefatos digitais inexistem.

Já o áudio sem perdas DTS-HD Master Audio 5.1 original em inglês possui uma mixagem muito equilibrada, e também chega perto da perfeição. O sound design é exemplarmente reproduzido tanto em momentos de drama como de ação. A trilha sonora burocrática de Patrick Doyle é ouvida com grande fidelidade, assim como os diálogos. Nas sequências de ação os efeitos sonoros fazem uso eficaz dos canais surround, tornando-as mais envolventes e reais. Sem dúvida é uma ótima faixa de áudio, que seria ainda melhor com um pouco mais de potência nos graves e uma mixagem em 7.1 canais. Aliás, as distribuidoras deveriam adotar logo como padrão, para os novos lançamentos em Blu-ray, o áudio lossless 7.1, deixando os 5.1 canais para títulos de catálogo ou para os formatos comprimidos do DVD. As demais opções de áudio incluem dublagem em português Dolby Digital 5.1, e entre as várias legendas disponíveis também temos o nosso português. Os menus, principal (animado) e pop-up, estão em português.

EXTRAS
O Blu-ray de PLANETA DOS MACACOS – A ORIGEM traz um interessante conjunto de extras, ainda que boa parte deles tenda mais para a divulgação do que para a informação. Em compensação praticamente todos os suplementos, inclusive os normalmente esquecidos comentários em áudio, possuem opções de legendas em português (parabéns Fox!). Todos os vídeos estão em alta definição.

  • Comentários em Áudio – Podemos assistir ao filme acompanhado por duas faixas de comentários, uma com o diretor Rupert Wyatt (ênfase os aspectos técnicos), e outra com os roteiristas/produtores Rick Jaffa e Amanda Silver. Ambas são bem informativas quanto à produção, sendo que a dos roteiristas, obviamente, enfatiza a parte narrativa – argumento, temas, personagens, etc. Legendadas em português, ambas são recomendadas;
  • Cenas Excluídas (12 min.) – Coleção de cenas eliminadas do filme, sendo que na maioria delas vemos Andy Serkis em seu traje de captura de movimentos. Foram omitidas algumas partes violentas ou que poderiam gerar polêmica – como a de César mordendo e arrancando o dedo do vizinho de Will (na versão do filme ele apenas o morde); onde César, e não Koba, empurra o helicóptero de Jacobs da Ponte; e aquela onde Koba pega uma espingarda, aponta para a câmera e dispara;
  • Mitologia dos Macacos (7 min.) – O diretor e integrantes da equipe e do elenco falam do legado dos filmes anteriores (o malfadado reboot de 2001 é convenientemente omitido), e as ideias empregadas para mostrar uma nova origem para a saga dos macacos;
  • A Genialidade de Andy Serkis (8 min.) – Como o nome indica, este featurette é dedicado à atuação de Serkis como César, e sua condição de maior ator de captura de movimentos do Cinema. Inclui depoimentos do elenco, da equipe e do próprio Serkis, bem como os bastidores de algumas cenas de captura de movimentos;
  • Uma Nova Geração de Macacos (10 min.) – A ênfase aqui é a opção por criar totalmente em computador, com o emprego da captura de movimentos, os macacos do filme. Temos depoimentos do supervisor de efeitos visuais da Weta, e cenas da “Escola de Macacos” onde os extras aprenderam a se movimentar como perfeitos símios;
  • Composição de Cena (2 min.) – Assista a uma cena alternando entre três estágios: com captura de movimentos (default/botão vermelho do controle), com animação inacabada (botão verde) e em versão final (botão amarelo);
  • Galeria de Arte Conceitual dos Personagens – Imagens conceituais de sete personagens símios;
  • Ultrapassando os Limites na Captura de Movimento (2 min.) – Tendo como pano de fundo os bastidores da sequência da ponte Golden Gate, rodada no maior cenário de captura de movimentos ao ar livre já construído, este curto featurette mostra como o longa realizou um significativo avanço neste tipo de tecnologia de efeitos visuais;
  • A Composição da Trilha Sonora (8 min.) – O bem-humorado Patrick Doyle fala sobre a composição da trilha sonora, e acompanhamos os bastidores das gravações. Mas por mais interessante que seja a explanação do compositor sobre como se inspirou nas vocalizações dos chimpanzés para criar o tema principal, o fato é que sou incapaz de gostar de suas trilhas sonoras, via de regra genéricas e imediatamente esquecíveis assim que o filme termina. Que saudades de Jerry Goldsmith!;
  • Os Grandes Macacos (23 min.) – Conheça melhor os chimpanzés, gorilas e orangotangos, através de informações em texto e três pequenos featurettes, cada um deles dedicado a uma espécie;
  • Trailers (6 min.) – Três trailers de cinema do filme, com áudio Dolby 5.1 e sem legendas.

Jorge Saldanha

Anúncios

3 comentários sobre “Resenha: PLANETA DOS MACACOS – A ORIGEM (Blu-ray+DVD)

  1. Pingback: Resenha: PLANETA DOS MACACOS – A ORIGEM (Blu-ray+DVD … | iComentários

  2. Muito boa a resenha. Entrei no site via google apenas para me ajudar a saber o quê encontraria de extras no BD e, antes de chegar lá, nos comentários sobre o disco em si, você me convenceu a comprar-lo. Espero visita-los e recomenda-los mais vezes!

    Parabéns!

    Curtir

  3. Pingback: Resenha: PLANETA DOS MACACOS – O CONFRONTO (Filme em Destaque) | ScoreTrack.net

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s