Resenha: THOR (Filme em Destaque)


THOR (Thor, EUA, 2011)
Gênero: Aventura, Ficção Científica
Duração: 114 min.
ElencoChris HemsworthNatalie PortmanAnthony HopkinsStellan Skarsgård, Ray Stevenson, Jaimie AlexanderKat DenningsTom Hiddleston, Iris Elba, Rene Russo, Clark Gregg, Colm Feore, Jeremy Renner
Compositor: Patrick Doyle
Roteiristas: Ashley Miller, Don Payne
DiretorKenneth Branagh
Cotação***½

Kenneth Branagh foi o sujeito que fez duas adaptações de tragédias shakesperianas que disputam pau a pau com as dirigidas e protagonizadas por Laurence Olivier: sua estreia com HENRIQUE V (1989) e a versão com elenco estelar e com cerca de quatro horas de duração de HAMLET (1996). Por uma razão ou outra, Branagh foi saindo de cena aos poucos, coincidentemente depois de sua separação com Emma Thompson. Por isso, a notícia de que ele havia sido o diretor escolhido para dirigir THOR (2011) pegou muita gente de surpresa. Não que ele não tenha nada a ver com o herói mitológico, mas por ele estar um pouco fora da grande mídia mesmo.

De qualquer maneira, o importante é que THOR é bem sucedido dentro do ambicioso projeto da Marvel de construir uma linha de filmes baseados nos quadrinhos e que sejam interligados, assim como é o universo Marvel. Assim, os dois filmes com o Homem de Ferro e com o Hulk já traziam elementos para juntar o quebra-cabeças necessário para o tão aguardado filme dos Vingadores. Tanto é que já se cria a expectativa de saber o que aparece no final dos créditos. Quase como um presente para aqueles que ficam até o finalzinho, mesmo quando a direção do cinema insiste em manter as luzes ligadas. Não vou dizer o que aparece nesse easter egg, mas já adianto que lá pelo meio do filme, vemos uma breve participação de Clint Barton, o futuro Gavião Arqueiro, vivido por Jeremy Renner.  Continuar lendo “Resenha: THOR (Filme em Destaque)”

Anúncios

Resenha: SOURCE CODE – Chris Bacon (Trilha Sonora)


Música composta por Chris Bacon
Selo: Lakeshore Records
Catálogo: LKS 342152
Lançamento: 29/03/2011
Cotação***½

Source Code (no Brasil, Contra o Tempo) é o segundo longa-metragem do jovem diretor Duncan Jones, filho do astro pop David Bowie. Duncan estreou com o independente e elogiadíssimo – mas pouco visto – Lunar (Moon), uma ficção científica intimista que contou com uma interessante e, até certo ponto, atípica, trilha incidental de Clint Mansell.

Em seu segundo longa, e o primeiro para um grande estúdio, Duncan optou por uma abordagem musical mais tradicional, e optou pelo compositor Chris Bacon para encarregar-se do score de seu novo filme. Bacon é colaborador de longa data e discípulo de James Newton Howard, para quem vem atuando como arranjador, orquestrador e mesmo compositor de músicas adicionais. Inclusive, recentemente Bacon dividiu com Howard os créditos da simpática trilha da animação Gnomeu & Julieta. Continuar lendo “Resenha: SOURCE CODE – Chris Bacon (Trilha Sonora)”

Lançamentos de Trilhas Sonoras – 28/04/2011


As seguintes trilhas sonoras chegaram às lojas online internacionais: Black Sunday (1960) – Les Baxter (Kritzerland KR 20018-7) It! The Terror From Beyond Space – Paul Sawtell & Bert Shefter (Monstrous Movie Music MMM 1959) – 36:19 The Monster That Challenged The World – Heinz Roemheld (Monstrous Movie Music MMM 1961) -45:49 Project Moon Base / Open Secret – Hershel Burke Gilbert (Monstrous Movie Music MMM 1960) – 71:58 Continuar lendo Lançamentos de Trilhas Sonoras – 28/04/2011

Na Trilha de Gustavo Santaolalla – Parte 2


Guadalajara, Jalisco Marzo 7 de 2008 El Musico...
Gustavo Santaolalla

Como ecos longos que à distância se matizam
Numa vertiginosa e lúgubre unidade,
Tão vasta quanto a noite e a claridade,
Os sons, as cores, e os perfumes se harmonizam
(Charles Baudelaire)

A composição para cinema não pode ser entendida da mesma maneira que compreendemos a música pura (como muitos pesquisadores a denominam), ou seja, aquela produzida exclusivamente para ser ouvida. A música para cinema é apenas mais uma das vozes que compõem a rica e imbricada trama de uma obra visual (pelo menos no que se refere às que se pautam por uma linguagem mais artística e autoral). Desse modo, a música de cinema não é autônoma nem deve ser auto-referente. Isto é, não cabe a ela se esgotar em um universo conceitual que se volte para sua própria construção. Discutir sobre essa forma particular de música sem também tratarmos das concepções cênicas e visuais da obra cinematográfica, sem dúvida, é um exercício estéril.

Eisenstein, um dos primeiros a teorizar sobre a complexa relação entre o som e a imagem, já demonstrava bastante preocupação com as questões relativas ao discurso musical. Em sua conhecida teoria sobre a montagem cinematográfica, o cineasta russo utiliza termos da linguagem musical (como montagem tonal, montagem atonal) para explicar este processo[1]. O autor do famoso “Encouraçado Potenkim” defendia o uso do som de uma forma “polifônica”, como podemos ver em sua “Declaração sobre o futuro do cinema sonoro” [2], escrito no ano de 1928 em parceria com os cineastas-teóricos Pudovkin e Alexandrov. Ou seja, para ele e seus companheiros russos, o som do filme deveria ser uma voz independente, uma espécie de “contraponto orquestral” em que cada voz sucede em ritmos diferentes, mas sem perder a harmonia com o todo (o sentido vertical da pauta). Parece que há em Eisenstein, a partir dessas idéias, um desejo de abarcar a totalidade das sensações – como Baudelaire em seu poema “Correspondências” [3] – através do uso das imagens visuais e sonoras. Continuar lendo “Na Trilha de Gustavo Santaolalla – Parte 2”

Resenha: SOBRENATURAL (Filme em Destaque)


SOBRENATURAL (Insidious, EUA, 2010)
Gênero: Terror
Duração: 102 min.
Elenco:  Patrick Wilson, Rose Byrne, Barbara Hershey, Angus Sampson, Ty Simpkins, Andrew Astor, J. LaRose
Compositor: Joseph Bishara
Roteirista: Leigh Whannell
Diretor: James Wan
Cotação: ****

Surge a primeira boa surpresa de 2011 no circuito brasileiro. E ela partiu do homem por trás do primeiro JOGOS MORTAIS (2004), James Wan. O diretor trabalha com maestria os clichês de filmes de casas assombradas e cria uma obra realmente assustadora, coisa que não se vê no cinema contemporâneo há muito tempo. Quem vê só o trailer ou a sinopse de SOBRENATURAL (2010) não tem ideia do quanto o filme evolui. Continuar lendo “Resenha: SOBRENATURAL (Filme em Destaque)”

Resenha: HARRY POTTER E AS RELÍQUIAS DA MORTE – PARTE 1 (Blu-ray)


Produção: 2010
Duração: 146 min.
Direção: David Yates
Elenco: Daniel Radcliffe, Emma Watson, Rupert Grint, Richard Griffiths, Bonnie Wright, Jason Isaacs, Helena Bonham Carter, Ralph Fiennes, Maggie Smith, Tom Felton, John Hurt, Toby Jones
Vídeo: Widescreen Anamórfico 2.40:1 (1080p/MPEG-4)
Áudio: Inglês (DTS-HD Master Audio 7.1), Português, Espanhol, Francês (Dolby Digital 5.1)
Legendas: Português, Inglês, Espanhol, Francês
Região: A, B, C
Distribuidora: Warner
Discos: 2 (50GB)
Lançamento: 18/04/2011
Cotações: Som: ***** Imagem: **** Filme: **** Extras & Menus: ****½ Geral: ****½ 

SINOPSE
Harry, Ron e Hermione estão determinados em sua missão de descobrir e acabar com o segredo da imortalidade e do poder de destruição de Voldemort – as Horcruxes. Fugitivos e sozinhos, os três amigos devem apenas contar uns com os outros, agora mais do que nunca… Mas as Forças das Trevas ameaçam separá-los para sempre.

COMENTÁRIOS
Acho difícil que algum dia a saga de fantasia HARRY POTTER alcance o status de que, tanto na literatura como no cinema, desfruta a trilogia O SENHOR DOS ANÉIS. Mas é inegável que, para um produto de massas, a série possui qualidades que a colocam vários pontos acima da concorrência atual. J. K. Rowling, a partir de seu livro de estreia, criou e desenvolveu uma mitologia fascinante povoada por personagens inesquecíveis – e são os personagens, principalmente aqueles que acompanhamos desde a sua infância e que estão prestes a se tornar adultos, que estão no centro do que há de melhor nas aventuras mágicas e progressivamente mais sombrias de Hogwarts.

Continuar lendo “Resenha: HARRY POTTER E AS RELÍQUIAS DA MORTE – PARTE 1 (Blu-ray)”

Lançamentos de Trilhas Sonoras – 18/04/2011


As seguintes trilhas sonoras chegaram às lojas online internacionais: DC Showcase – The Track Team (La-La Land LLLCD 1172) First Knight –Jerry Goldsmith (La-La Land LLLCD 1168, 2 CDs) – 146:43 Hop  – Christopher Lennertz (Varèse Sarabande 302 067 082 2) Ravagers – Fred Karlin (Intrada Special Collection Volume 164) – 46:13 Rio – John Powell (Varèse Sarabande 302 067 084 2) Scream 4 – Marco Beltrami (Varèse Sarabande 302 067 083 2) Stay Tuned – Bruce Broughton (Intrada Special Collection Volume 167) – 52:01 Water For Elephants – James Newton Howard (Sony 872662) Continuar lendo Lançamentos de Trilhas Sonoras – 18/04/2011

Na Trilha de Gustavo Santaolalla – Parte 1


A música é, tal como a iluminação, transfiguradora; fazendo incidir uma luz diferente sobre a mesma cena, esta ganha outro significado; da mesma maneira, ligada a um determinado acompanhamento, uma seqüência pode colorir-se de uma tonalidade  mais penetrante. (Henri Agel).

Santaolalla no Música em Cena (2007)

Durante muito tempo predominaram na composição de música para cinema elementos da tradição orquestral européia.  Desde as tradicionais trilhas musicais de Max Steiner às atuais composições do aclamado John Williams, observa-se uma forte inclinação dos compositores para a música sinfônica de caráter mais reforçador da narrativa fílmica. Uma música que guia o espectador e explicita certos pontos da narrativa, além de nos transmitir a sensação de continuidade do fluxo de imagens. É evidente que houve inúmeras experiências de uma construção musical menos presa a esse caráter enfático e apoiador do conteúdo fílmico. Sabemos que muitos músicos procuraram construir uma trilha ligada aos aspectos mais latentes do filme. Para que se conseguisse um discurso sonoro mais experimental – na visão de alguns desses “trilhistas” – era necessário quebrar a ideia de continuidade, romper com o naturalismo sonoro e se voltar para os momentos de pura poesia cinematográfica.  Porém, como sabemos, o discurso sonoro predominante foi o da composição sinfônica tradicional.

Gustavo Santaolalla, músico e produtor argentino, figura como um dos principais compositores de cinema da atualidade.  Suas composições, de uma forma geral, buscam um caminho bem diferente das trilhas orquestrais hollywoodianas. Não queremos, com tal afirmativa, julgar que o modus operandi do argentino seja superior ou inferior ao modelo acadêmico hollywoodiano. Sabe-se que o resultado musical de uma trilha não depende apenas da sua constituição formal, mas também de como ela se articula com os outros componentes do discurso fílmico (fotografia, montagem, cenário, décor, dentre outros). Continuar lendo “Na Trilha de Gustavo Santaolalla – Parte 1”

Resenha: SE7EN – OS SETE CRIMES CAPITAIS (Blu-ray UK)


Produção: 1995
Duração: 127 min.
Direção: David Fincher
Elenco: Morgan Freeman, Brad Pitt, Andrew Kevin Walker, Daniel Zacapa, Gwyneth Paltrow, John Cassini, Bob Mack, Peter Crombie, Reg E. Cathey, R. Lee Ermey
Vídeo: Widescreen Anamórfico 2.40:1 (1080p/VC-1)
Áudio: Inglês (DTS-HD Master Audio 7.1), Português, Alemão, Espanhol (Dolby Digital 5.1)
Legendas: Português, Inglês, Espanhol, Alemão, Coreano, Mandarin, Tailandês, Turco
Região: A, B, C
Distribuidora: New Line / Warner
Discos: 1 (50GB)
Lançamento: 30/12/2010
Cotações: Som: ***** Imagem: ****½ Filme: ***** Extras & Menus: **** Geral: ****½

SINOPSE
Brad Pitt e Morgan Freeman estrelam este thriller psicológico empolgante sobre dois detetives na trilha de um assassino serial que escolhe suas vítimas de acordo com os Sete Pecados Capitais. Também estrelado por Gwyneth Paltrow e é dirigido por David Fincher (O QUARTO DO PÂNICO, CLUBE DA LUTA).

COMENTÁRIOS
O diretor David Fincher hoje é lembrado por filmes consagrados pelo público e pela crítica como O CLUBE DA LUTA, ZODÍACO, O CURIOSO CASO DE BENJAMIN BUTTON e um dos grandes concorrentes do último Oscar, A REDE SOCIAL. Mas nem sempre foi assim, pois sua estreia na direção de um longa-metragem (o conturbado ALIEN³) foi um grande fracasso. Mas demonstrando que a traumatizante experiência com a Fox não arrefeceu sua determinação, ele deu a volta por cima três anos depois em seu segundo filme, SE7EN (rebatizado aqui com o subtítulo OS SETE CRIMES CAPITAIS), que se tornou ao lado de O SILÊNCIO DOS INOCENTES uma referência para os filmes de serial killers.

Continuar lendo “Resenha: SE7EN – OS SETE CRIMES CAPITAIS (Blu-ray UK)”

Lançamentos de Trilhas Sonoras: 13/04/2011


As seguintes trilhas sonoras chegaram às principais lojas online internacionais: Beware Of Darkness – Fabio Frizzi (Beat CDF 081) Come Un Delfino – Ennio Morricone (Sony 88697887602) Doctor Who Series 5 – Murray Gold (Silva 1345, 2 CDs) Doctor Who: A Christmas Carol – Murray Gold (Silva 1360) Grace Quigley – John Addison (Quartet QRSCE025) Hawk – Stuart Hancock (MMS11007) The Knack … And How To Get It – John Barry (Quartet QRSCE024) La Disubbidienza – Ennio Morricone (GDM Club 7071) More Than A Miracle / Kenner – Piero Piccioni (FSMCD Vol.14 No.7, 3 CDs) Moses The Lawgiver – Ennio Morricone (Legend CD 38 DLX) Tall Ships: The Privateer Lynx – David James Nielsen (MMS11008) Testament – James Horner (FSMCD Vol.14 No.4) – … Continuar lendo Lançamentos de Trilhas Sonoras: 13/04/2011

Resenha: BASTARDOS INGLÓRIOS (Blu-ray)


Produção: 2009
Duração: 153 min.
Direção: Quentin Tarantino
Elenco: Brad Pitt, Eli Roth, Til Schweiger, Daniel Brühl, Christoph Waltz, Melanie Laurent, B.J. Novak, Michael Fassbender, Jacky Ido, Mike Myers, Rod Taylor, Diane Kruger
Vídeo: Widescreen Anamórfico 2.35:1 (1080p/AVC MPEG4)
Áudio: Inglês (DTS-HD Master Audio 5.1), Português, Russo, Checo, Húngaro, Espanhol, Polonês, Tailandês (DTS 5.1)
Legendas: Português, Inglês, Búlgaro, Croata, Checo, Grego, Hebraico, Húngaro, Islandês, Espanhol, Polonês, Romeno, Tailandês
Região: A, B, C
Distribuidora: Universal
Discos: 1 (50GB)
Lançamento: 31/12/2010
Cotações: Som: ****½ Imagem: ****½ Filme: **** Extras & Menus: ***½ Geral: ****

SINOPSE
Durante a Segunda Guerra Mundial, um grupo de soldados norte-americanos de sangue judeu, conhecido como “Os Bastardos”, é selecionado para espalhar medo entre aqueles que impuseram as duras regras do Terceiro Reich. A missão do grupo, liderado pelo visceral tenente Aldo Raine (Brad Pitt), é escalpelar e exterminar brutalmente os nazistas, sem medir consequências. Dirigido por Quentin Tarantino (KILL BILL, PULP FICTION), BASTARDOS INGLÓRIOS remonta ao intempestivo período do nazismo alemão sob o ponto de vista de um grupo de soldados um pouco diferente dos demais. Eles são sanguinolentos, frios, pragmáticos, expressivos – enfim, personagens típicos de Tarantino.

Continuar lendo “Resenha: BASTARDOS INGLÓRIOS (Blu-ray)”

Lançamentos de Trilhas Sonoras – 05/04/2011


As seguintes trilhas sonoras chegaram às lojas online internacionais: The Eagle -Atli Örvarsson (Silva 1359) Kidco -Michael Small (Intrada Signature Edition ISE1044) – 46:50 The Lincoln Lawyer – Cliff Martinez (Lakeshore 34211) Patagonia – Joseph LoDuca & Vários (Decca 815313) Paul – David Arnold & Vários (Hip-O 1549602) Princess Of Montpensier – Philippe Sarde (Varèse Sarabande 302 067 079 2) Pushing Daises Season 2 – Jim Dooley (Varèse Sarabande 302 067 060 2, TV) Slipstream – Elmer Bernstein (Perseverance PRD 039) Two Flags West / North To Alaska – Hugo Friedhofer / Lionel Newman (Intrada Special Collection Volume 168) – 58:30 Your Highness – Steve Jablonsky (Varèse Sarabande … Continuar lendo Lançamentos de Trilhas Sonoras – 05/04/2011

BD NEWS: ORGULHO E PRECONCEITO


Minissérie britânica de sucesso retrata valores da sociedade dentro de uma história romântica de época 

Ganhadora de diversos prêmios importantes e produção de época recordista de audiência na Grã-Bretanha, Orgulho e Preconceito é uma adaptação de um clássico livro de Jane Austen sobre uma jovem à frente de seu tempo que não concorda com o casamento sem o amor. A personagem Lizzy Bennet, interpretada por Jennifer Ehle, vive com os pais e as irmãs, mas pensa diferente da maioria das pessoas: para ela, o casamento deve ser ato único entre duas pessoas, e as mulheres não devem se submeter ao matrimônio por interesses familiares e busca pelo poder, como era de costume.  Continuar lendo “BD NEWS: ORGULHO E PRECONCEITO”

Resenha: AS MÃES DE CHICO XAVIER (Filme em Destaque)


AS MÃES DE CHICO XAVIER (Brasil, 2011)
Gênero: Drama
Duração: 108 min.
Elenco: Via Negromonte, Vanessa Gerbelli, Gabriel Pontes, Tainá Müller, Nelson Xavier, Herson Capri, Neusa Borges, Joelson Medeiros, Caio Blat
Compositor: Flávio Venturini
Roteiristas: Glauber Filho, Emmanuel Nogueira
Diretores: Glauber Filho, Halder Gomes
Cotação: ***

Uma boa surpresa este AS MÃES DE CHICO XAVIER (2011), mais uma produção da Estação da Luz, a mesma que trouxe CHICO XAVIER e NOSSO LAR e que bem ou mal tem capitalizado em cima da onda espírita. Porém, embora se questione a qualidade desses filmes e o fato de eles virem com a intenção de propagar a fé espírita, todos eles trazem algo de muito interessante e atraente para o espectador comum. No caso de NOSSO LAR, a produção mais cara do cinema brasileiro, havia um problema de direção de atores que incomodava. O mesmo se repete em AS MÃES DE CHICO XAVIER, mas a sorte dessa vez é que alguns dos atores incorporam tão bem seus personagens que, em determinado momento, a emoção vem com força.

É o caso, principalmente, da atriz Vanessa Gerbelli, que está muito bem no papel da mãe que perdeu seu filho de cinco anos de idade e que vê em Chico Xavier uma chance de entrar em contato com a criança. A cena em que Vanessa está no banco de uma praça com Tainá Müller é a primeira a pegar o espectador de jeito e a mostrar que para ver o filme é preciso estar preparado para derramar algumas lágrimas. A conversa gira em torno de uma pessoa ser capaz de se doar por outra e é a partir dessa sequência que o filme se mostra abertamente contra o aborto, o que é explicitado ainda mais na dedicatória final.  Continuar lendo “Resenha: AS MÃES DE CHICO XAVIER (Filme em Destaque)”

Resenha: FRINGE – A SEGUNDA TEMPORADA COMPLETA (Blu-ray US)


Produção: 2010
Duração: 1012 min.
Direção: Vários
Elenco: Anna Torv, Joshua Jackson, Lance Reddick, Blair Brown, Jasika Nicole, John Noble, Kirk Acevedo, Sebastian Roché, Leonard Nimoy
Vídeo: Widescreen Anamórfico 1.78:1 (1080p/VC-1)
Áudio: Inglês (Dolby Digital 5.1), Português (Dolby Digital 2.0)
Legendas: Português, Inglês, Espanhol, Francês
Região: A, B, C
Distribuidora: Warner
Discos: 4 (50GB)
Lançamento: 20/09/2010
Cotações: Som: ***½ Imagem: **** Série: ***½ Extras & Menus: *** Geral: ***½

SINOPSE
Volte a explorar os limites da misteriosa mitologia que têm mantido milhões de espectadores em um verdadeiro transe hipnótico. Este lançamento reunindo os 22 episódios da Segunda Temporada de FRINGE contém mundos (e mundos alternativos) repletos de agitação e com direito a seres que mudam de forma, cabeças congeladas criogenicamente, bestas que habitam as entranhas e pessoas que se transformam em cinzas bem na sua frente. Mas a narrativa global que caracteriza o seriado leva a equipe do FBI formada por Olivia Dunham, Peter Bishop e Walter Bishop a uma investigação épica, em uma realidade paralela que ameaça destruir a deles.

Continuar lendo “Resenha: FRINGE – A SEGUNDA TEMPORADA COMPLETA (Blu-ray US)”