Os vencedores do Oscar 2011


Os prêmios foram entregues na 83ª cerimônia de entrega do Oscar apresentada por James Franco e Anne Hathaway, ocorrida ontem, 27 de fevereiro:

Melhor filme: O Discurso do Rei

Melhor diretor: Tom Hooper (O Discurso do Rei)

Melhor ator: Colin Firth (O Discurso do Rei)

Melhor atriz: Natalie Portman (Cisne Negro)

Melhor ator coadjuvante: Christian Bale (O Vencedor)

Melhor atriz coadjuvante: Melissa Leo (O Vencedor)

Melhor roteiro original: O Discurso do Rei

Melhor roteiro adaptado: A Rede Social Continuar lendo “Os vencedores do Oscar 2011”

Anúncios

CD NEWS: FSM, Kritzerland, La-La Land, Varèse Sarabande, Buysoundtrax


Film Score Monthly – I SPY, VOL. 2: THE LP’S ( Earle Hagen, Hugo Friedhofer, 28/02/2011) Kritzerland – AUDREY ROSE (Michael Small, 1º/03/2011) La-La Land – 1º/03/2011: MONEY TRAIN (Mark Mancina), COPERNICUS’ STAR (Abel Korzeniowsi) Varèse Sarabande – HOP (Christopher Lennnertz, 04/04/2011) Buysoundtrax – 1º/03/2011: MEGAFORCE (Jerrold Immel), PERKINS’ 14 (Kostas Christides) Continuar lendo CD NEWS: FSM, Kritzerland, La-La Land, Varèse Sarabande, Buysoundtrax

Resenha: O BESOURO VERDE (Filme em Destaque)


O BESOURO VERDE (The Green Hornet, EUA, 2010)
Gênero: Comédia, Aventura
Duração: 119 min.
ElencoSeth RogenCameron Diaz, Christoph Waltz, Jay Chou, Edward Furlong, Tom Wilkinson, Edward James Olmos, Chad Coleman, Joe O’Connor.
Compositor: James Newton Howard
RoteiristasEvan Goldberg, Seth Rogen
DiretorMichel Gondry
Cotação**½

Para ver como são as ironias do destino. Em 1966, para aproveitar o sucesso da irreverente série BATMAN, estrelada por Adam West e Burt Ward, a Fox resolveu lançar outro programa de TV baseado em um personagem mascarado – O BESOURO VERDE (THE GREEN HORNET), que surgira como programa de rádio e já fora levado ao cinema em um seriado dos anos 1940. A diferença é que as aventuras do herói fora da lei Besouro Verde (Van Williams) e seu ajudante Kato (papel que revelou o astro das artes marciais Bruce Lee) eram mais sérias que as do morcego de colant, com a dupla combatendo vilões mais realistas (gângsters, máfia chinesa, etc.). Mesmo assim, em um memorável episódio de BATMAN, houve um crossover das duas séries, o que não impediu que a do Besouro fosse cancelada com apenas uma temporada. O irônico é que, em pleno século 21, Batman está mais sério do que nunca graças aos sombrios filmes de Christopher Nolan, enquanto o Besouro Verde virou uma comédia de ação trazida pelas mãos do seu protagonista, o também co-roteirista e co-produtor Seth Rogen. Continuar lendo “Resenha: O BESOURO VERDE (Filme em Destaque)”

Resenha: TROPA DE ELITE 2 – O INIMIGO AGORA É OUTRO (Blu-ray)


Produção: 2010
Duração: 115 min.
Direção: José Padilha
Elenco: Wagner Moura, Maria Ribeiro, Irandhir Santos, André Ramiro, Seu Jorge, Milhem Cortaz, Sandro Rocha, Emilio Orciollo Netto
Vídeo: Widescreen Anamórfico 1.85:1 (1080p/VC-1)
Áudio: Português (DTS-HD Master Audio 5.1, Dolby Digital 5.1)
Legendas: Português
Região: A, B, C
Distribuidora: Vinny Filmes
Discos: 1
Lançamento: 12/02/2011

Cotações: Som: ****½ Imagem: ****½ Filme: ***** Extras & Menus: **½ Geral: **** Continuar lendo “Resenha: TROPA DE ELITE 2 – O INIMIGO AGORA É OUTRO (Blu-ray)”

Lançamentos de Trilhas Sonoras: 21/02/2011


Boccaccio ’70 – Nino Rota, Armando Trovaioli, Piero Umiliani (GDM 4201) Cliffhanger –  Trevor Jones (Intrada Special Collection Volume 156, 2 CDs) – 92:52 The Kremlin Letter – Robert Drasnin (Intrada Special Collection Volume 160) – 42:12 Rich And Famous / One Is A Lonely Number – Georges Delerue / Michel Legrand (FSMCD Vol.14 No.2) Roma A Mano Armata – Franco Micalizzi  (Beat BCM 9502) Continuar lendo Lançamentos de Trilhas Sonoras: 21/02/2011

Lançamentos de Trilhas Sonoras – 17/02/2011


Guy De Maupassant – Georges Delerue (Disques Cinemusique DCM 127) – 47:58 Harry & Son – Henry Mancini (Quartet QRSCE023) Il Peccato – Antonio Perez Olea (Quartet QRSCE022) La Herencia Valdemar II: La Sombra Prohibida – Arnau Bataller (MMS11003) La Notte – Giorgio Gaslini (Quartet QRSCE021) Monster Mutt – Chris Walden (MMS11002) Tambien La Lluvia (Even The Rain) – Alberto Iglesias (Quartet QR006) Continuar lendo Lançamentos de Trilhas Sonoras – 17/02/2011

Os vencedores do BAFTA 2010


Melhor filme: O Discurso do Rei

Melhor diretor: David Fincher (A Rede Social)

Melhor ator: Colin Firth (O Discurso do Rei)

Melhor atriz: Natalie Portman (Cisne Negro) Continuar lendo “Os vencedores do BAFTA 2010”

Os Indicados ao IFMCA – The International Film Music Critics Association Awards 2011


A International Film Music Critics Association divulgou os indicados à sétima edição de sua premiação, cujos vencedores serão conhecidos dia 25 de fevereiro nas seguintes categorias:

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL DO ANO

COMPOSITOR DO ANO

COMPOSITOR REVELAÇÃO DO ANO

  • Óscar Araujo
  • Arnau Bataller
  • Daft Punk
  • Herbert Grönemeyer
  • Nuno Malo

Continuar lendo “Os Indicados ao IFMCA – The International Film Music Critics Association Awards 2011”

CD NEWS: La-La Land, Varèse Sarabande, Sony Masterworks


La-La Land – 16/02/2011: BROKEN ARROW (Hans Zimmer, 2 CDs), YESTERDAY WAS A LIE (Kristopher Carter) Varèse Sarabande – 05/04/2011: PUSHING DAISIES (Jim Dooley, TV), YOUR HIGHNESS (Steve Jablonsky), LARGO WINCH II (Alexandre Desplat) Sony Masterworks – CLASSIC FILM SCORES (Charles Gerhardt): 01/03/2011: CITIZEN KANE – The Classic Film Scores of Bernard Herrmann, SUNSET BOULEVARD – The Classic Film Scores of Franz Waxman, ELIZABETH AND ESSEX – The Classic Film Scores of Erich Wolfgang Korngold, SPELLBOUND – The Classic Film Scores of Miklós Rózsa, NOW, VOYAGER – The Classic Film Scores of Max Steiner, CLASSIC FILM SCORES for Bette Davis, … Continuar lendo CD NEWS: La-La Land, Varèse Sarabande, Sony Masterworks

Resenha: RESIDENT EVIL 4: RECOMEÇO (Blu-ray US)


Produção: 2010
Duração: 97 min.
Direção: Paul W. S. Anderson
Elenco: Milla Jovovich, Ali Larter, Wentworth Miller, Kim Coates, Shawn Roberts, Sergio Peris-Mencheta, Spencer Locke, Boris Kodjoe, Sienna Guillory
Vídeo: Widescreen Anamórfico 2.35:1 (1080p/AVC MPEG-4)
Áudio: Inglês, Português (DTS-HD Master Audio 5.1), Francês, Espanhol (Dolby Digital 5.1)
Legendas: Português, Inglês, Espanhol, Francês
Região: A, B, C
Distribuidora: Sony
Discos: 1
Lançamento: 05/01/2011
Cotações: Som: ***** Imagem: ****½ Filme: **½ Extras & Menus: **** Geral: ****

SINOPSE
Em um mundo devastado pelo Vírus-T, que transforma suas vítimas em mortos-vivos, Alice (Milla Jovovich) continua a sua busca por sobreviventes. Sua batalha mortal contra a Umbrella Corporation fica cada vez mais dura, mas Alice recebe a inesperada ajuda de uma antiga amiga e uma nova pista que promete um refúgio seguro para se proteger dos mortos-vivos as leva para Los Angeles. Mas ao chegarem, descobrem que a cidade foi tomada por milhares de mortos-vivos – e a heroína e seus companheiros estão prestes a cair em uma armadilha mortal.

COMENTÁRIOS
É difícil analisar criticamente os filmes da franquia RESIDENT EVIL, baseados na famosa série de games da Capcom. Basicamente ela é uma propriedade do diretor/roteirista Paul W. S. Anderson e de sua “patroa” Milla Jovovich, que fazem neles o que bem quiserem. Nada contra Milla, que acabou se consagrando como heroína de ação nesses filmes. O grande problema desde o início foi Anderson, que atraiu a ira da maioria dos fãs dos games por se afastar da mitologia e cronologia neles estabelecidas. Para começar tornou a personagem de Milla, Alice – que não existe nos jogos -, a protagonista da série; e a partir do filme anterior a este, RESIDENT EVIL 3: A EXTINÇÃO, dissociou de vez os filmes dos jogos ao criar um apocalipse-zumbi que neles nunca ocorreu. Continuar lendo “Resenha: RESIDENT EVIL 4: RECOMEÇO (Blu-ray US)”

Resenha: CISNE NEGRO (Filme em Destaque)


CISNE NEGRO (Black Swan, EUA, 2010)
Gênero: Suspense
Duração: 113 min.
Elenco: Natalie Portman, Mila Kunis, Barbara Hershey, Winona Ryder, Vincent Cassel, Sebastian Stan, Janet Montgomery, Barbara Hershey, Toby Hemingway, Christopher Gartin, Kristina Anapau, Ksenia Solo, Adriene Couvillion, Marty Krzywonos, Shaun O’Hagan
Compositor: Clint Mansell
Roteiristas: Mark Heyman, John McLaughlin, Andres Heinz
DiretorDarren Aronofsky
Cotação: ****

Dez anos depois de RÉQUIEM PARA UM SONHO (2000), Darren Aronofsky deixa o espectador novamente saindo do cinema totalmente desnorteado, quase com náuseas. E essa não é a única semelhança do filme de dez anos atrás em relação ao novo e aclamado CISNE NEGRO (2010). De lá para cá, muita coisa aconteceu. Aronofsky passou de piada (com FONTE DA VIDA, 2006) a cineasta prestigiado e premiado (com O LUTADOR, 2009). E é com o respeito que ganhou com a bela história de um homem decadente que Aronofsky parte para um mergulho mais ousado, fazendo um terror psicológico a partir da história de uma garota (Natalie Portman) e sua obsessão por conseguir o papel principal em “O Lago dos Cisnes”, de Tchaikovsky.

E assim como a personagem de Ellen Bustyn em RÉQUIEM PARA UM SONHO ficou obcecada para emagrecer e começou a ter alucinações com a ajuda das pílulas receitadas pelo médico, a jovem Nina (Portman) também chega a confundir a realidade com seus piores pesadelos. Uma das coisas que mais incomodam em CISNE NEGRO – e quando uso o verbo ‘incomodar’ não é para depor contra o filme – é o fato de Nina aparecer sempre em dor, com uma expressão de angústia que parece não ter fim. A perfeição que ela quer chegar através da técnica não é suficiente para que alcance o que é requerido para o papel. Principalmente porque ela deve desempenhar duas personas e a que corresponde a seu lado negro requer mais sensualidade e visceralidade, coisa que ela tem dificuldade em obter, e ainda vê em sua colega Lily (Mila Kunis) uma rival capaz de tomar o seu tão cobiçado papel. Continuar lendo “Resenha: CISNE NEGRO (Filme em Destaque)”

BLUE VALENTINE – Grizzly Bear (Trilha Sonora)


Música composta e interpretada por Grizzly Bear, Vários
Selo: Lakeshore Records
Catálogo: LKS342072
Lançamento: 15/02/2011
Cotação: ****

O ultimo filme de Derek Ciafrance, Namorados Para Sempre (Blue Valentine, 2010) conta a história de um casal em crise no relacionamento, repassando todos os momentos importantes vividos pelos dois. Para um filme com tal temática, era necessário uma trilha que fosse original, triste, diferente e única. Para isso Derek encontrou na banda folk americana Grizzly Bear, a principal fonte para narrar musicalmente esta triste história.

Esta é a primeira trilha sonora da banda, que coloca aqui toda sua inspiração musical para compor um score que se encaixasse exatamente na temática do filme, propondo uma trilha diferente do comum, mostrando que não é necessária uma melodia clássica para pontuar uma narrativa de tamanha profundidade. Continuar lendo “BLUE VALENTINE – Grizzly Bear (Trilha Sonora)”

NO STRINGS ATTACHED – John Debney (Trilha Sonora)


Música composta por John Debney
Selo: Lakeshore Records
Catálogo: 342062
Lançamento: 15/02/2011
Cotação: ****

John Debney é um compositor versátil – consegue compor trilhas mais dramáticas, como A Paixão de Cristo e O Apedrejamento de Soraya M., bem como comédias românticas como O Diário da Princesa e Idas e Vindas do Amor. Colaborador usual de cineastas como Garry Marshall e Robert Rodriguez, em Sexo Sem Compromisso (No Strings Attached, 2011) ele embarca em uma parceria com o lendário diretor de comédias Ivan Reitman, no seu retorno à direção.

O filme, protagonizado por Natalie Portman e Ashton Kutcher, conta a história de Emma e Adam, melhores amigos que acabam se envolvendo sexualmente quando Adam descobre que sua ex-namorada irá se casar com o pai dele (vivido por Kevin Kline). Mas será que eles conseguirão transar sem envolver seus próprios sentimentos? É mais uma comédia romântica no mercado, que tem o diferencial de ter um elenco muito bom e a direção de um ótimo cineasta. E para isso a trilha também teria que ser eficiente, contando com a competência de Debney. Continuar lendo “NO STRINGS ATTACHED – John Debney (Trilha Sonora)”

Na Trilha: Versão Original ou Regravação? (Atualizado)


Por Crom, que dúvida cruel...

Como muitos colecionadores de trilhas sonoras, em especial de trilhas incidentais (scores), normalmente me arrepiava ao ouvir a palavra “regravação”. Reação curiosa, já que em outros gêneros musicais diferentes gravações e interpretações de uma mesma composição são bem aceitas – e muitas vezes, até desejadas. Na música clássica e no jazz, por exemplo, reinterpretações são corriqueiras, e fora o aspecto composicional são muito valorizados os que se referem à qualidade da interpretação e da gravação. Mas então porque se nota, entre grande parte dos fãs da música do cinema, essa reação intrínseca, contrária à regravação de seus trabalhos favoritos? Isso se deve, provavelmente, ao desejo do ouvinte de recriar em casa a mesma experiência musical experimentada na sala de projeção. O que, verdade seja dita, muitas vezes é simplesmente impossível com o que consta em catálogo.

O fato é que desde o início dos lançamentos fonográficos de trilhas sonoras, as regravações sempre foram mais regra do que exceção. Além das famigeradas coletâneas de regravações de temas famosos do cinema (nessas, talvez minha experiência mais traumática tenha sido ouvir uma versão em sintetizador do tema de O Predador, algo mais medonho que a cara do próprio…) uma infinidade de álbuns de trilhas sonoras ditas “originais” não trazem as mesmas gravações ouvidas nos filmes. Isso se nota principalmente a partir dos anos 1950 e nos 30 anos seguintes, quando se tornou prática comum os próprios compositores dos scores lançarem em disco gravações mais “amigáveis à audição”, selecionando da trilha as composições que teriam mais apelo comercial e, muitas vezes, orquestrando-as e arranjando-as de modo bem diferente de suas partituras originais.  Continuar lendo “Na Trilha: Versão Original ou Regravação? (Atualizado)”

Resenha: AMOR & OUTRAS DROGAS (Filme em Destaque)


AMOR & OUTRAS DROGAS (Love & Other Drugs, EUA, 2010)
Gênero: Comédia
Duração: 115 min.
Elenco: Jake Gyllenhaal, Anne Hathaway, Oliver Platt, Hank Azaria, Josh Gad, Gabriel Macht
CompositorJames Newton Howard
RoteiristasEdward Zwick, Charles Randolph, Marshall Herskovitz, Jamie Reidy
Diretor: Edward Zwick
Cotação: ***

Uma das coisas que mais chama atenção nessa comédia dramática é o fato de se passar na segunda metade dos anos 1990, e isso ser mostrado também através de canções que marcaram o período. Assim, quando o filme começa em 1996, a música que toca é “Two Princes”, dos Spin Doctors; depois “Cannoball”, dos Breeders; mais na frente, “Praise you”, do Fatboy Slim; e “Jack-Ass”, do Beck. Canções-chave de uma década que está começando a se tornar História no cinema – A REDE SOCIAL, aproxima ainda mais com o início dos anos 2000. Quer dizer, a História recente já pode ser vista com distanciamento e em alguns casos com um pouco de saudosismo.

AMOR & OUTRAS DROGAS (2010) tem uma proposta relativamente original: mostrar o relacionamento entre um galanteador representante de remédios e uma jovem diagnosticada precocemente com o Mal de Parkinson, mas que adora um bom sexo casual. Jake Gyllenhaal e Anne Hathaway fazem um belo par e todas as cenas em que os dois estão juntos são boas. O diretor Edward Zwick teve sorte na escolha de seus protagonistas. Só não teve muita sorte no final, que, depois de um bom desenvolvimento agridoce, procura seguir a fórmula das comédias românticas mais manjadas. Agrada ao público que quer sair um pouco mais feliz do cinema, mas acaba criando um pastel de vento com isso. Continuar lendo “Resenha: AMOR & OUTRAS DROGAS (Filme em Destaque)”