Lançamentos de Trilhas Sonoras – 28/12/2010


Albert E L’Uomo Nero – Franco Micalizzi (Digitmovies SPDM 005 Cuckoo – Andrew Hewitt (MMS10026) Cyrano De Bergerac – Dimitri Tiomkin (SAE-CRS-022, 2 CDs) La Colt E La Mia Legge – Carlo Savina (Digitmovies CDDM 177) La Signora Gioca Bene A Scopa? / L’Infermiera – Alessandro Alessandroni / Gianfranco Plenizio (Digitmovies CDDM 173) Continuar lendo Lançamentos de Trilhas Sonoras – 28/12/2010

Resenha: TRON – O LEGADO (Filme em Destaque)


TRON: O LEGADO (Tron Legacy, EUA, 2010)
Gênero: Ficção Científica
Duração: 127 min.
Elenco: Jeff Bridges, Olivia WildeGarrett Hedlund, Michael Sheen, Serinda Swan, James Frain, Bruce Boxleitner
Compositores: Daft Punk
Roteiristas: Edward Kitsis, Adam Horowitz
Diretor: Joseph Kosinski
Cotação: ****

Finalmente, aproveitando a calmaria provocada pela ressaca pós-Natal, pude conferir TRON: O LEGADO (TRON: LEGACY, 2010), da maneira como ele foi concebido para ser visto: numa sala 3D, com áudio original em inglês. E considerando alguns “tratados” que estão sendo escritos na internet, com páginas e páginas despejando o quão clássico o filme original de 1982 é, e de como é decepcionante esta tardia continuação, saí do cinema espantado, na verdade positivamente, com esta estreia do diretor Joseph Kosinski. Sim, porque sob qualquer aspecto, TRON: O LEGADO representa uma experiência cinematográfica muito superior à do seu predecessor.

Claro, não posso negar que TRON: UMA ODISSEIA ELETRÔNICA (TRON, 1982), de Steven Lisberger, foi um filme à frente de seu tempo, com o emprego então inédito de computação gráfica e o conceito de um mundo virtual, 17 anos antes de MATRIX (1999). Contudo, como outros filmes da Disney do período, TRON foi o típico caso de um grande potencial desperdiçado, com seu roteiro simplório e personagens unidimensionais, e que mesmo assim, passou a ser cultuado por muitos fãs de ficção científica por seu caráter vanguardista e visionário. Continuar lendo “Resenha: TRON – O LEGADO (Filme em Destaque)”

Resenha: 72 HORAS (Filme em Destaque)


72 HORAS (The Next Three Days, EUA, 2010)
Gênero: Suspense
Duração: 113 min.
Elenco:  Liam Neeson, Olivia Wilde, Russell Crowe, Elizabeth Banks, Brian Dennehy,
Jonathan Tucker, RZA, Lennie James, Cristina Aloe, Jason Beghe, Sean Huze, Moran
Atias
Compositores: Danny Elfman, Alberto Iglesias
Roteiristas: Paul Haggis, Fred Cavayé, Guillaume Lemans
Diretor: Paul Haggis
Cotação: ***½

E Paul Haggis está de volta à cadeira de diretor. Já não mais tão odiado como na época de CRASH – NO LIMITE (2005), já que seu drama de pós-guerra NO VALE DAS SOMBRAS (2007) até que foi bem recebido, embora não exatamente ovacionado. 72 HORAS (2010) não é um filme tão sóbrio quanto o anterior, já que Haggis não hesita em usar clichês tanto de melodramas quanto de filmes de suspense. É a história de um homem que planeja tirar a esposa da prisão. Lembra PRISON BREAK, nesse sentido, mas Russell Crowe não é nenhum supergênio, como na série, mas um homem comum, um professor de Literatura, que procura meios de agir como um fora da lei porque sabe que se não o fizer, sua esposa tentará novamente o suicídio na penitenciária. Continuar lendo “Resenha: 72 HORAS (Filme em Destaque)”

Resenha: A ORIGEM (Blu-ray)


Produção: 2010
Duração: 148 min.
Direção: Christopher Nolan
Elenco: Leonardo DiCaprio, Ken Watanabe, Joseph Gordon-Levitt, Marion Cotillard, Ellen Page, Tom Hardy, Cillian Murphy
Vídeo: Widescreen Anamórfico 2.40:1 (1080p/VC-1)
Áudio: Inglês (DTS-HD Master Audio 5.1), Português, Francês, Espanhol (Dolby Digital 5.1)
Legendas: Português, Inglês, Espanhol, Francês
Região: A, B, C
Distribuidora: Warner
Discos: 2
Lançamento: 09/12/2010
Cotações: Som: ****½ Imagem: ****½ Filme: ***** Extras & Menus: **** Geral: ****½

SINOPSE
Cobb (Leonado DiCaprio) é um “extrator”, pessoa que utiliza ilegalmente uma tecnologia que permite a ele e sua equipe entrarem nos sonhos das pessoas, a fim de manipulá-los e extraírem informações confidenciais que serão vendidas a peso de ouro. Injustamente acusado nos EUA pela morte da esposa (Marion Cotillard) e desesperado para rever seus filhos, Cobb recebe a proposta de um último golpe, cuja recompensa será a retirada das acusações que pesam sobre ele: mas ao invés de extrair algo da mente de alguém, ele terá de fazer a inserção de uma ideia. Algo considerado impossível, exceto por Cobb – que sabe qual foi a verdadeira causa do suicídio de sua esposa, cuja presença é uma ameaça constante em seus sonhos e poderá inviabilizar a missão.

COMENTÁRIOS
Um sonho, dentro de um sonho que está dentro de um sonho… ou uma laranja com várias cascas. Creio que assim pode ser definido A ORIGEM (INCEPTION, 2010), o mais recente exemplar da consistente filmografia do diretor britânico Christopher Nolan, que vem conseguindo aliar o entretenimento à melhor arte cinematográfica – algo raro hoje em dia.  Continuar lendo “Resenha: A ORIGEM (Blu-ray)”

Lançamentos de Trilhas Sonoras – 23/12/2010


20th Century Fox: 75 Years Of Great Film Music – Vários (Varèse Sarabande 302 067 059 2, 3 CDs) Gulliver’s Travels (2010) – Henry Jackman (Varèse Sarabande 302 067 076 2) The Next Three Days – Danny Elfman (Silva 1352) – 71:27 The Tourist – James Newton Howard (Varèse Sarabande 302 067 058 2) True Grit (2010) – Carter Burwell (Nonesuch 526752) – 35:36   Continuar lendo Lançamentos de Trilhas Sonoras – 23/12/2010

Desplat: O DISCURSO DO REI em suas próprias palavras


Quando assisti à primeira montagem de O Discurso do Rei (The King’s Speech), fiquei impressionado com o incrível talento de Tom Hooper e seu dom em empregar a melhor linguagem cinemática para a trama. O modo com que ele enquadra os atores, Bertie no canto da tela, como se estivesse na beirada da realidade, seu uso de lentes “wide” e “olho-de-peixe” mostrando Bertie como um homem distorcido, o desenho de produção e um elenco prodigioso e muito bem dirigido, fazem de seu filme um puro deleite cinematográfico.

Agora, isto foi um grande desafio para mim. Como eu seria capaz de de me encaixar no filme e melhorá-lo? Um filme onde um homem está lutando para se expressar através das palavras, para mostrar suas emoções e lidar com sua infância difícil…. um homem que não consegue falar. Um homem com longos e silenciosos momentos. Continuar lendo “Desplat: O DISCURSO DO REI em suas próprias palavras”

As Top 10 Trilhas Sonoras de 2010


Saiba quais foram, na opinião da “ScoreGirl” Viviana, as 10 novas trilhas sonoras que se destacaram em 2010. Quando disponível, clique no link para informações adicionais.

1. Clint MansellCisne Negro: Clint Mansell é um dos maiores compositores da atualidade, e seus melhores trabalhos são os feitos em parceria com Darren Aronofosky. Em Cisne Negro Mansell consegue o impossível – adaptar uma peça tão importante para a música clássica como “O Lago dos Cisnes”, e mesmo assim impor a sua própria marca, compondo um suspense carregado de nostalgia, lirismo e paixão. Na narrativa de Cisne Negro a trilha sonora não apenas ajuda a desenvolver os laços da historia, mas também é o olhar do espectador perante a obra que nos é exposta. Todos os sentimentos de Nina são transcritos pela melodia que chora e encanta, neste que é o principal trabalho ja feito por Mansell.

2. John AdamsI Am Love: O filme de Luca Guadagnino tem muitas qualidades, e uma delas com certeza é a trilha sonora poderosa de John Adams, o importantíssimo compositor americano, que trata este projeto cinematográfico como uma triste ópera que narra os acontecimentos da poderosa família Recchi, e principalmente da protagonista Emma (Tilda Swinton) – uma estranha dentro da sua própria família, zelosa como mãe e apaixonada como amante. O trabalho de Adams é tão primoroso que toda a trilha é impecável… um dos trabalhos mais bonitos do cinema dos últimos anos.

3. Alexandre DesplatO Escritor Fantasma: O que seria de O Escritor Fantasma sem a trilha sonora impactante de Alexandre Desplat? Seu trabalho no assustador longa de Roman Polanski é pura maestria, e sem ele, grande parte do efeito que o filme tem sobre seu público se perderia. Desplat traduz o olhar do protagonista em suas melodias, frio como o ambiente que se encontra, misterioso como as pessoas que o cercam. Um dos grandes trabalhos do compositor francês, que mais uma vez se consolida com o seu talento.

4. Herbert Gronemeyer – Um Homem Misterioso: Esta belíssima trilha sonora passou despercebida para muita gente, que ela é uma das melhores do ano, isso não há duvida. Composta pelo novato Gronemeyer, em um trabalho assustador, a trilha nos transporta para a quebra do silêncio sob o qual vive o personagem de George Clooney, transmitindo o classicismo de uma tragédia de modo único e soberbo. Uma trilha que consegue ser tão grande quanto seu filme, feita por um compositor que com certeza terá um futuro brilhante.

Continuar lendo “As Top 10 Trilhas Sonoras de 2010”

Resenha: TRON: LEGACY – Daft Punk (Trilha Sonora)


Música composta por Daft Punk
Selo: Walt Disney Records
Catálogo: D000567202
Lançamento: 07/12/2010
Cotação: ****

Tron: O Legado tem pipocado nas bases de dados da cultura pop, sem um pingo de sutileza, por todo o ano de 2010. Por trás dessa estratégia, a máquina de marketing da Disney garantiu uma enorme divulgação da refulgente continuação, e por tabela também de sua trilha sonora original, composta pelo duo eletrônico Daft Punk – uma contratação muito badalada que vem impactando o mundo da música de cinema desde a sua divulgação inicial. De modo geral, os fãs das trilhas sonoras adotaram uma atitude “esperar para ver” em relação ao que o Daft iria criar, afinal Tron não é o tipo de filme que gera uma expectativa musical tão grande a ponto de agitar os fãs de scores mais puristas. Assim, de mente aberta e com as facilidades do acesso digital, a exploração agora pode começar.

Primeiro, deve ser referido que há lançamentos diferenciados da trilha sonora de Legacy, e tenho certeza de que vocês já estão sabendo disso. Não é das estratégias mais astutas para comercializar uma trilha tão aguardada como esta, mas o fato é que a Disney com ela pretende maximizar suas vendas (o que provavelmente terá efeito inverso). Vou comentar apenas a edição comum, sem referir as faixas bônus encontradas em outras fontes (iTunes, Amazon, etc.). Segundo, a música em si é o que necessita um filme de Tron, especialmente levando em conta todo o aparato tecnológico oferecido por essa nova produção. A tecnologia incorporada à música é de ponta, e em nenhum momento você achará que um sampler barato ou efeito inadequado foi empregado. Continuar lendo “Resenha: TRON: LEGACY – Daft Punk (Trilha Sonora)”

Os indicados ao Globo de Ouro 2011


Melhor filme de Drama
“Cisne Negro”, “O Vencedor”, “A Origem”, “O Discurso do Rei”, “A Rede Social”

Melhor performance de uma atriz em drama
Halle Berry – “Frankie e Alice”,  Nicole Kidman – “Rabbit Hole”, Jennifer Lawrence – “Winter’s Bone”, Natalie Portman – “Cisne Negro”, Michelle Williams – “Blue Valentine”

Melhor performance para ator em drama
Jesse Eisenberg – “A Rede Social”, Colin Firth – “O Discurso do Rei”, James Franco – “127 Horas”, Ryan Gosling – “Blue Valentine”, Mark Wahlberg – “O Vencedor”

Melhor filme de comédia ou musical
“Alice no País das Maravilhas”, “Burlesque”, “Minhas Mães e Meu Pai”, “Red – Aposentados e Perigosos”, “O Turista”

Melhor atriz em comédia ou musical
Annette Bening – “Minhas Mães e Meu Pai”, Anne Hathaway – “Amor e Outras Drogas”, Angelina Jolie – “O Turista”, Julianne Moore – “Minhas Mães e Meu Pai”, Emma Stone – “Easy A” Continuar lendo “Os indicados ao Globo de Ouro 2011”

Lançamentos de Trilhas Sonoras – 14/12/2010


Amalia – Nuno Maló (MMS10024 Bruc – Xavier Capellas (MMS10025) Clash Of The Titans (1981) – Laurence Rosenthal (Intrada Special Collection Volume 150, 2 CDs) – 103:41 Family Plot – John Williams (Varèse Sarabande VCL 1110 1115) Flesh+Blood – Basil Poledouris (Intrada Special Collection Volume 153) – 73:50 Happy Now – Dario Marianelli (MMS10023) Karate Kid (1984) – Bill Conti (Varese Sarabande VCL 1110 1117) A Man Called Horse – Leonard Rosenman (FSMCD Vol.13 No.19) – 62:38 Navy Seals – Sylvester Levay (Intrada Special Collection Volume 151) – 55:56 On The Threshold Of Space / The Hunters – Lyn Murray / Paul Sawtell (Intrada … Continuar lendo Lançamentos de Trilhas Sonoras – 14/12/2010

Resenha: O EXTERMINADOR DO FUTURO 2 – O JULGAMENTO FINAL (Blu-ray)


Produção: 1991
Duração: 156 min.
Direção: James Cameron
Elenco: Arnold Schwarzenegger, Linda Hamilton, Edward Furlong, Robert Patrick, Joe Morton
Vídeo: Widescreen Anamórfico 2.40:1 (1080p/VC-1)
Áudio: Inglês (DTS-HD Master Audio 6.1), Português (DTS 5.1), Espanhol, Italiano (DTS-HD 5.1), Castelhano (Dolby Digital 2.0)
Legendas: Português, Inglês, Espanhol, Italiano, Castelhano, Alemão, Norueguês, Finlandês
Região: A, B, C
Distribuidora: Universal
Discos: 1
Lançamento: 22/11/2010
Cotações: Som: **** Imagem: **** Filme: **** Extras & Menus: ***½ Geral: ****

SINOPSE
Anos após ter sobrevivido ao ataque do cyborg vindo do futuro, que tinha por missão matar a mãe daquele que será o líder da rebelião dos humanos contra as máquinas, Sarah Connor (Linda Hamilton) está internada numa clínica psiquiátrica. Agora, é seu filho John (Edward Furlong ) que está em perigo: um novo modelo de Exterminador, capaz de assumir a forma de qualquer objeto ou ser vivo, veio do futuro com a missão de matá-lo. Contudo, ao descobrir que outra máquina foi enviada ao passado, desta vez para matá-lo, o John do futuro envia o Exterminador série T-800 (Arnold Schwarzenegger), para que seja seu protetor contra o letal T-1000 (Robert Patrick). John e o T-800 resgatam Sarah da clínica, e passam a fugir dos ataques do T-1000. Sarah decide matar o cientista que está desenvolvendo o chip que dará origem à rede de computadores que, em poucos anos, provocará o devastador ataque das máquinas contra a humanidade.

COMENTÁRIOS
Digam o que disserem de James Cameron, mas “O Rei do Mundo” tem o dom de inovar e fazer história em Hollywood. Este O EXTERMINADOR DO FUTURO 2: O JULGAMENTO FINAL (TERMINATOR 2: JUDGMENT DAY, 1991), dadas as devidas proporções, foi à época do seu lançamento tão (ou quase) impactante tecnicamente como AVATAR o foi em 2009. Com um orçamento de Us$ 100 milhões, o filme de Cameron foi o primeiro em que a pós-produção digital foi largamente empregada. Os elaborados e à época inovadores efeitos visuais pavimentaram o caminho para a criação de personagens realistas totalmente gerados em computador, dos quais o Gollum da trilogia O SENHOR DOS ANÉIS e os próprios Na’vis de AVATAR são hoje os maiores exemplos. E graças às transformações do T-1000, o efeito morphing virou uma febre que contaminou desde videoclipes até outros filmes e séries de TV, que passaram a mostrar transmorfos e shapeshifters de todos os tipos.

Continuar lendo “Resenha: O EXTERMINADOR DO FUTURO 2 – O JULGAMENTO FINAL (Blu-ray)”

Lançamentos de Trilhas Sonoras – 09/12/2010


As seguintes trilhas sonoras chegaram às principais lojas online internacionais: Batman Returns –  Danny Elfman (La-La Land LLLCD 1153, 2 CDs) Black Swan (2010) – Clint Mansell (Sony 81356) The Bounty – Vangelis (BSXCD 8881) – 68:03 Bruce Lee: The Big Boss – Peter Thomas (CSC 008) Chronicles Of Narnia: Voyage Of The Dawn Treader – David Arnold (Sony 81142) – 72:05 Get Low – Jan A.P. Kaczmarek (Varèse Sarabande 302 067 051 2) Gunning: Film & TV Music – Christopher Gunning (Chandos 10625) – 74:59 Haunted Honeymoon – John Morris (La-La Land LLLCD 1156) Home Alone – John Williams (La-La Land LLLCD 1158) Jade – James Horner (La-La Land LLLCD 1146) Jesus Of Nazareth … Continuar lendo Lançamentos de Trilhas Sonoras – 09/12/2010

Resenha: A REDE SOCIAL (FIlme em Destaque)


A REDE SOCIAL (The Social Network, EUA, 2010)
Gênero: Drama
Duração: 117 min.
Elenco: Jesse Eisenberg, Andrew Garfield, Rashida Jones, Brenda Song, Justin Timberlake, John Getz, Dakota Johnson, Mark Saul, Brian Palermo
CompositoresTrent Reznor, Atticus Ross
RoteiristaJoe Penhall, baseado em livro de Cormac McCarthy
Direção:  David Fincher
Cotação: ****½

As comparações entre CIDADÃO KANE, de Orson Welles, e A REDE SOCIAL (2010), novo trabalho de David Fincher, que surgem em várias críticas sobre o filme, têm a sua razão de ser. Há muitos pontos em comum entre as duas obras e provavelmente essa tenha sido a intenção de Fincher, quase sempre um cineasta pretensioso. Mas quando falo pretensioso, falo no bom sentido. Suas ambições são louváveis na maioria das vezes. Mas em A REDE SOCIAL até que ele se mostra bastante contido nos aspectos formais, sem o uso de efeitos especiais tão explícitos, como em O CURIOSO CASO DE BENJAMIN BUTTON (2008) e O QUARTO DO PÂNICO (2002), aproximando-se, assim, mais da discrição de ZODÍACO (2007).

Mas talvez o que mais cause interesse em A REDE SOCIAL seja sua temática, principalmente para quem testemunhou há cerca de dez anos o surgimento e a popularização do Napster, o programa de compartilhamento de arquivos que veio para derrubar a indústria fonográfica. De lá pra cá, as coisas nunca mais foram as mesmas. E ainda que o criador do programa apareça no filme em papel de destaque na pele de Justin Timberlake, o filme é mesmo de Mark Zuckerberg (Jesse Eisenberg), criador do Facebook, o programa de relacionamentos mais poderoso do mundo.  Continuar lendo “Resenha: A REDE SOCIAL (FIlme em Destaque)”

Resenha: THE KING’S SPEECH – Alexandre Desplat (Trilha Sonora)


Música composta por Alexandre Desplat
Selo: Decca
Catálogo
: 755 286
Lançamento: 22/11/2010
Cotação*****

2010   foi mais um grande ano para o incrível francês Alexandre Desplat, que mostrou mais uma vez o porquê de ser o grande compositor da atualidade. Seus trabalhos em O Escritor Fantasma, Tamara Drewe, The Special Relationship, Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 1 e The King’s Speech, figuram mais uma vez dentre os melhores do ano. Desplat, desta vez, nos mostrou a sua versatilidade, fugindo um pouco de seu estilo e criando belíssimas melodias. 2011 provavelmente será o seu grande ano, já que finalmente The Tree Of Life será lançado e, pelo que vimos no trailer do filme, com certeza esta será a sua obra-prima. Mas, enquanto The Tree Of Life não chega, nada melhor do que analisar a ultima trilha lançada do francês, criada para o filme mais importante no qual colaborou este ano – The King’s Speech, um dos grandes favoritos ao Oscar 2011.

A produção narra a história verdadeira do Rei George VI da Inglaterra, pai de Elizabeth, que teve de assumir o trono quando seu irmão abdicou para casar-se com a socialite Wallis Simpson. Bertie, como era mais conhecido, virou rei em pelo estopim da Segunda Guerra Mundial, e além disso, ele tinha um pequeno probleminha – não conseguia falar em público, tendo pânico do mesmo. Para ajudá-lo, sua esposa encontra uma pessoa muito especial que não só o ensinará a conseguir falar em público, mas também mudará toda a sua vida. Para um filme tão sensível e marcante, uma trilha do mesmo estilo é necessária. E Desplat, mais uma vez, acertou, desta vez apostando no piano como trunfo principal do score. Continuar lendo “Resenha: THE KING’S SPEECH – Alexandre Desplat (Trilha Sonora)”