Resenha: LET ME IN – Michael Giacchino (Trilha Sonora)


Música composta por Michael Giacchino
Selo
Varèse Sarabande
Catálogo
: 302 067 053 2
Lançamento: 12/10/2010
Cotação: *****

É complicado falar de uma trilha sonora que faz parte da releitura de um dos melhores filmes de horror da história – o incrível Deixa Ela Entrar (Let The Right One In), cujo score é um dos mais belos já compostos para o gênero. Michael Giacchino então teve a difícil tarefa de compor uma partitura que fosse tão convincente quanto a original, e no final das contas ele foi bem sucedido à sua maneira, já que a trilha consegue ser tocante mas bem diferente da escrita por Johan Söderqvist.

A história deste Let Me In é clássica – Owen é um garoto de 12 anos que sofre de bullying e que tem a sua vida modificada quando conhece Abby, sua nova e misteriosa vizinha que na verdade é uma menina vampira de mais de 200 anos. Nasce entre os dois uma verdadeira amizade, que passará por cima de todas as suas diferenças. Este é um outro olhar sobre o livro de sucesso que deu origem ao longa original sueco, já que revela não ser uma refilmagem e sim um outro ponto de vista da história. Assim também ocorre na trilha, que é forte, nostálgica e extremamente eficiente em 28 faixas intensas e calorosas.

“Hammertime” soa como uma introdução: apenas com voz e violão, é obscura e marca extremamente o início da história. “Los Alamos” é feita de silêncio, cellos, órgãos e cordas, perfeita para a atmosfera de horror que envolve a narrativa. “Sins Of The Father” é extremamente nostálgica e triste. Aliás, isso é algo que podemos notar em muitos scores de terror / horror – há sempre melancolia, tristeza, saudosismo, pelo menos em algum momento da trilha. Esta faixa é um ótimo exemplo disso e consegue ser bela, mas é uma beleza triste, murcha. Já “Peeping Owen” é mais suave, com cordas em pianinho misturadas a um piano onde os instrumentos vão se sobrepondo e criando uma linda melodia. Após, Giacchino adiciona vozes infantis de coral que dão um toque mais refinado à faixa. Já “Bully Thy Name” tem sua força nos violinos e nos trompetes.

Outras faixas que se destacam são “The Back Seat Killer”, extremamente sombria, “The Asphalt Jungle Gym”, extremamente melódica e angelical, “At Your Disposal”, poderosa e melancólica que dedilha através do piano parte da melodia principal da trilha, e “Neighbors Of Love”, uma belíssima faixa onde o violino ganha voz ao narrar a história de amor e amizade dos dois protagonistas.

“First Date Jitters” é bem delicada e sutil, com sua melodia encantadora e saudosista. “Killer In-Stinks” é uma faixa clássica de filmes de horror, misturando todos os elementos importantes para o gênero, incluindo a utilização poderosa do cello combinado aos violinos em som agudo, assim como “Acid Test Dummy”, que explora mais os violinos criando essa desarmonia proposital para o efeito da faixa. “Visitation Rights” é um pouco longa demais, e talvez caia até no exagero, mas é salva a partir da utilização da voz de um jovem menino mais ao final da faixa. “New Day On An Old Lake” é ótima, bem delicada e foge da atmosfera obscura das outras faixas. Já “Polling For Owen” é um autêntico exemplar de trilhas de horror e observo que nesse score Giacchino usa e abusa de todos os instrumentos do gênero que possam dar um ar mais obscuro à obra, como que seguindo extremamente os passos do magnífico Jerry Goldsmith.

Nesse padrão as faixas vão se alternando: “Owen Remember Thy Swashing blow” é poética, a seguinte, “Blood By Any Other Name” é extremamente pesada e sombria. E isso se mantém em toda a trilha – há uma alternância de estilos nas melodias, assim como há uma alternância de sentimentos do protagonista da trama. Talvez por isso este trabalho seja tão eficiente, já que temos aqui a transcrição musical da alma de Owen, e sua reação aos acontecimentos que narram sua triste saga. É o retrato de um jovem que se apaixona por um ser completamente diferente, que o tira de sua vida comum e sofrível.

As melhores faixas da trilha chegam realmente por último: “Trained and Steady”, seja na versão do filme ou na original de Giacchino, nada mais é que a alma do score, a explosão da história através do violino e das cordas da orquestra. Mas é “End Credits” a única faixa que consegue duelar, digamos assim, com o tema da trilha de Deixa Ela Entrar – “Eli’s Theme”. A diferença é que “Eli’s Theme” toca no ápice do filme, enquanto “End Credits”, como seu título indica, é ouvida no final da trama. Mas ambas são apaixonantes, belas e nostálgicas, embora eu acredite que em “End Credits” haja muito mais obscuridade e melancolia. Aliás, a trilha de Giacchino é mais sombria e por ela podemos ter uma idéia de como será o filme, talvez mais sombrio e triste que o original.

Mas Giacchino merece aplausos. Claro que o fato dele ter trabalhado nas trilhas incidentais da série Lost o torna muito bem preparado para a tarefa, mas aqui é diferente. Temos uma autêntica tragédia, um conto de amor trágico que é bem diferente dos outros filmes e séries de vampiros que existem por aí… É mais forte, melancólico, apaixonante, intenso, e, claro, inocente – já que mesmo Abby tendo 200 anos, ela na verdade nunca deixou de ser jovem e desejar o amor de alguém. Let Me In é uma das melhores trilhas do ano justamente por conseguir o que eu julgava quase impossível: lançar um outro olhar sobre esta linda e fatídica história de amor.

Faixas

1. Hammertime
2. Los Alamos
3. Sins Of The Father
4. Peeping Owen
5. Bully Thy Name
6. The Back Seat Killer
7. The Blood Flood
8. The Asphalt Jungle Gym
9. At Your Disposal
10. Neighbors Of Love
11. First Date Jitters
12. Killer In-Stinks
13. Acid Test Dummy
14. Visitation Rights
15. New Day On An Old Lake
16. Polling For Owen
17. Owen Remember Thy Swashing Blow
18. Blood By Any Other Name
19. Regarding Evil
20. Let Me Out
21. Virginia Territory
22. Invitation Only
23. Dread On Arrival
24. Parting Sorrows
25. The Weakest Goes To The Pool
26. Trained And Steady (Film Version)
27. End Credits
28. Trained And Steady (Original Track)

Duração: 78:35

Viviana Ferreira

Anúncios

6 comentários sobre “Resenha: LET ME IN – Michael Giacchino (Trilha Sonora)

  1. Pingback: As Top 10 Trilhas Sonoras de 2010 | ScoreTrack.net

  2. Pingback: Resenha: DAWN OF THE PLANET OF THE APES – Michael Giacchino (Trilha Sonora) | ScoreTrack.net

  3. Pingback: Resenha: DAWN OF THE PLANET OF THE APES – Michael Giacchino (Trilha Sonora) | SCI FI do Brasil

  4. Pingback: Resenha de Trilha Sonora: WAR FOR THE PLANET OF THE APES – Michael Giacchino – ScoreTrack.net

  5. Pingback: Resenha de Trilha Sonora: WAR FOR THE PLANET OF THE APES – Michael Giacchino – SCI FI do Brasil – O Portal da Ficção Científica em Português

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s