Resenha: TAMARA DREWE – Alexandre Desplat (Trilha Sonora)


Música composta por Alexandre Desplat
Selo: Silva Screen Records
Catálogo: SILCD1344
Lançamento: 20/09/2010
Cotação*****
  
Em sua terceira parceria com o diretor Stephen Frears, Alexandre Desplat está em um território firme. E de tão acostumado com o ritmo inglês de grande parte das obras para as quais compõe, em Tamara Drewe o adorado compositor francês utiliza a acidez e perspicácia para compor uma trilha que mistura comédia e sátira, mas, claro, deixando sua referencia de estilo.

Tamara Drewe é baseado no clássico de Thomas Hardy Far From The Madding Crowd e conta a historia da personagem título, que após uma cirurgia no nariz volta à pequena vila na qual foi criada, causando alvoroço no local. Em uma comédia tipicamente inglesa a trilha sonora é elemento forte, já que deve engrandecer o resultado final no ponto certo. E Desplat, claramente, consegue mais uma vez.

Em “Opening Title” temos o tema inicial do filme, que mais ou menos delineia o que está por vir – uma comédia interessante e inteligente com ares de clássico, onde Desplat mistura estilos e contrapõe cordas, piano e a utilização de liras para formar o pano de fundo que dará ares ao filme e à trilha. Em “Going To Nadia” temos cordas e flautas, onde muitos staccatos aparecem dando um aspecto de mistério à faixa. “I Need A Dump” também é basicamente composta de cordas/piano/lira, com uma melodia lúdica, simples, mas extremamente eficaz. Já “Alarm At Winnards” é mais ágil e a lira se destaca, dando o tom ácido necessário para o score, onde após um dado momento as cordas brilham em ritmo allegreto onde a faixa ao longo de sua duração vai se reinventando.

“Tamara” começa em pianinho e após se torna mais precisa, com a mistura de instrumentos. “A Good Time” tem cordas brilhando, e mais uma vez a utilização da fórmula de instrumentos principais da trilha agindo de modo genial e bem concluso. Nesta faixa, tem-se novamente o tema principal da trilha através do piano, onde após temos uma melodia dramática e bela. Já em “Biggest Shagging” tem-se novamente o tema bem exposto, com a utilização eficaz da flauta. “Mushrooms” é mais clássica, onde o clima andante é sensato e especificamente meticuloso.

“Jody And Ben” chega a ser lúdico de tão bem preparado, enquanto “Dog And Cows” é mais atrevida e vívida, em uma explosão de cordas onde os violinos se sobressaem através de uma excelente melodia que é seguida de percussão (seria a influência de Carlinhos Brown na carreira de Desplat?), onde os instrumentos juntos soam extremamente ácidos e debochadamente perfeitos.

“Beth’s Monologue” é mais contida, mas não menos inteligente, e “Winnards Farm” é extremamente bela e suave. “Nicholas And Tamara” retoma novamente o tema, mas agora de modo mais forte e intenso. “Spring” é extremamente otimista através das cordas e do oboé, em uma sonoridade até mesmo um pouco oriental, enquanto “Is She Dead?” soa excelente através do falso suspense feito pela utilização do piano. No andamento da faixa há uma explosão de sonoridade, onde a mesma ganha um corpo mais dramático, onde os violinos novamente brilham e a faixa ganha aspecto satírico novamente com a mistura do piano e cordas.

“Packing And Closing” é a grande faixa do score, misturando todos os sentimentos através de seus instrumentos, que gritam pela conclusão da história, através de suas nuances bem delineadas através das notas. A belíssima faixa consegue ter uma atmosfera bela, triste, nostálgica, viva e inteligente, ao misturar sonoridades de diferentes emoções. Excelente, sendo que é concluída com o uso final do tema.

O CD se completa com as canções “Where Are You Now?”, “This Is A Low” e “Jail Bait Body”, todas escritas para o filme e executadas por Dominic Cooper e seu irmão, Nathan (sendo que este compôs as canções), que no filme interpretam personagens roqueiros. Das três canções destaco a ótima “Where Are You Now?” com ótima letra e arranjo.

Pode-se que dizer que, mais uma vez, o francês tirou um coelho da cartola, mostrando o porquê de ser o compositor de cinema mais importante do mundo na atualidade. O fato de se reinventar, tanto quanto atores em seus filmes, faz de Desplat único, mais esperto, e claro, um diamante raro.

Faixas:

1. Opening Title
2. Going To Nadia
3. I Need A Dump
4. Alarm At Winnards
5. Tamara
6. A Good Time
7. Biggest Shagging
8. Mushrooms
9. Jody And Ben
10. Dogs And Cows
11. Beth’s Monologue
12. Winnards Farm
13. Nicholas And Tamara
14. Spring
15. Is She Dead?
16. Packing And Closing
17. Where Are You Now? (Swipe)
18. This Is A Low (Swipe)
19. Jail-bait Jody (Dominic Cooper)

Duração: 48:07

Viviana Ferreira

Anúncios

2 comentários sobre “Resenha: TAMARA DREWE – Alexandre Desplat (Trilha Sonora)

  1. Pingback: Resenha: THE KING’S SPEECH – Alexandre Desplat (Trilha Sonora) | ScoreTrack.net

  2. Pingback: Os vencedores do WORLD SOUNDTRACK AWARDS 2011 | ScoreTrack.net

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s