Resenha: MINORITY REPORT – A NOVA LEI (Blu-ray)


Produção: 2002
Duração: 148 min.
Direção: Steven Spielberg
Elenco: Tom Cruise, Colin Farrell, Max von Sydow, Samantha Morton, Steve Harris
Vídeo: Widescreen Anamórfico 2.40:1 (1080p/AVC MPEG-4)
Áudio: Inglês (DTS-HD Master Audio 5.1), Português, Espanhol (Dolby Digital 5.1)
Legendas: Português, Inglês, Espanhol
Região: A, B,C
Distribuidora: Fox
Discos: 1
Lançamento: 27/07/2010
Cotações: Som: ****½ Imagem: ****½ Filme: ***½ Extras & Menus: ****½ Geral: ****

SINOPSE
Estamos no ano de 2054, onde por seis anos, na cidade de Washington, inexistiram assassinatos graças à atuação da unidade policial Pré-Crime, que se utiliza de três paranormais (Precogs) para prender o assassino antes mesmo que ele cometa o crime. O comandante da unidade, John Anderton (Tom Cruise), é um ardoroso defensor do sistema (que está prestes a ser implantado nacionalmente) até que um dos Precogs o aponta como um futuro assassino. Em fuga e sendo caçado pelo agente do FBI Danny Witwer (Colin Farrell), Anderton tem apenas 36 horas para descobrir quem tramou contra ele e porque, antes que ocorra o assassinato previsto.

COMENTÁRIOS
MINORITY REPORT – A NOVA LEI (MINORITY REPORT, 2002) reuniu pela primeira vez o astro Tom Cruise e o mega diretor/produtor Steven Spielberg (que retornaram em 2005 com uma nova versão do livro de H. G. Wells GUERRA DOS MUNDOS), e pode até não ter tido a bilheteria esperada. Mas esta adaptação cinematográfica de mais um conto do escritor Philip K. Dick (BLADE RUNNER, O VINGADOR DO FUTURO) foi melhor recebido pela crítica que sua ficção científica imediatamente anterior, A. I. – INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL. Misturando elementos característicos de sua filmografia com outros típicos de filmes noir, Spielberg criou um mundo futurista cheio de contrastes, que nada mais é do que uma projeção das tecnologias atuais.

Com a assessoria de técnicos e cientistas na concepção, e da ILM de George Lucas na realização dos efeitos em computação gráfica, vemos na tela interfaces interativas de computador, hologramas, automóveis movidos por levitação magnética, armas sônicas, hoverpacks, aranhas artificiais e estruturas arquitetônicas imensas, tudo fotografado em um tom frio, azulado, pelo colaborador habitual de Spielberg desde A LISTA DE SCHINDLER, Janusz Kaminski. Neste cenário incomum desenrolam-se cenas de ação eletrizantes, um mistério envolvente e um final por demais otimista e luminoso, em contraponto à trama noir e à própria frieza estampada na maior parte do filme. Mas, segundo o próprio Spielberg, MINORITY REPORT foi um filme quase experimental para ele, no qual lançou mão de alguns elementos até então inéditos em sua carreira – como o humor negro decorrente de determinadas situações insólitas vividas por Anderton (o olho! o olho!).

Algumas coisas funcionam bem, outras não, como o forçado final feliz. Mas de qualquer forma os deslizes não chegam a comprometer em demasia, e além disso ajudam – e muito – a partitura funcional do maestro John Williams e o sólido desempenho do elenco, em especial de Cruise, do veterano Max Von Sydow e de Samantha Morton, esta como a Precog Agatha. Se não temos aqui uma realização destinada a tornar-se um clássico do cinema ou da ficção científica, pelo menos MINORITY REPORT foi um dos melhores filmes comerciais norte-americanos que foram lançados em 2002.

SOBRE O BD
A Fox lança no Brasil MINORITY REPORT – A NOVA LEI em uma replicação da Microservice (com direito à já afamada impressão “crespinha e perfumada” do rótulo do disco), com o BD acondicionado no conhecido estojo azul, envolto por uma luva de cartolina plastificada. Basicamente temos aqui um espelho da edição disponibilizada na Europa, com o filme e os extras dividindo o espaço de um único Blu-ray de dupla camada – 50Gb. Mesmo assim não percebemos indícios de problemas de compressão no vídeo e no áudio. Há de ser ressaltado que o visual do filme, como aliás o de praticamente todas as colaborações de Spielberg e Kaminski, é altamente estilizado. A diferença dele em relação a outras “estilizações” que hoje envolvem principalmente um pesado processamento digital da imagem na pós-produção, é de que o processo esteve nas mãos de profissionais diferenciados, e foi concebido antes mesmo de um único frame sequer ter sido rodado.

O método de Spielberg e Kaminski normalmente resulta em uma imagem com contraste forçado, granulação onipresente e balanço de cores esmaecido / azulado. Além disso, a dupla supervisionou esta nova transferência em alta definição, e numa comparação com o DVD prévio percebe-se que foi mantida a concepção visual original, porém agora com o nível de detalhes bem superior propiciado pela alta definição. Como outros filmes de Spielberg fotografados por Kaminski já lançados em Blu-ray (O RESGATE DO SOLDADO RYAN, GUERRA DOS MUNDOS), MINORITY REPORT não possui uma imagem que irá deslumbrar por suas cores vivas e imagem cristalina, porém a transfer anamórfica 1080p/AVC MPEG-4, na proporção de tela original 2.40:1, reproduz com fidelidade e alta nitidez a concepção visual idealizada por seus criadores.

Mais simples e direta em sua eficácia, a faixa de áudio original em inglês DTS-HD Master Audio 5.1 é potente, dinâmica e envolvente, não deixando a desejar em relação ao som de filmes mais recentes. A fidelidade é elevada, os graves são sólidos e o score de John Williams soa espetacular em áudio multicanal lossless. Os canais surround são constantemente empregados para envolver o ouvinte em um campo sonoro imersivo. Também estão disponíveis dublagens em Dolby Digital 5.1 em português e espanhol, e legendas neste mesmo idioma. Os menus, animados, estão em português.

EXTRAS
O Blu-ray de MINORITY REPORT, além de trazer material suplementar inédito em 1080p (HD), também inclui todos os featurettes do DVD duplo lançado em 2003 (em resolução 480p), tudo com opção de legendas em português (exceto trailers). Antes do menu são exibidas prévias de outros lançamentos da Fox em alta definição (sem legendas), sendo que a do box da ANTOLOGIA ALIEN, que será lançado dia 27 de outubro, é de babar. Mas vamos aos extras propriamente ditos:

  1. O Futuro Segundo Steven Spielberg: Um Guia Interativo para Minority Report (HD, 34 min.) – Steven Spielberg, que eu saiba, até hoje nunca gravou uma faixa de comentários em áudio. Em compensação, quando do lançamento de MINORITY REPORT nos cinemas, produziu esta completa entrevista em 18 partes (que podem ser vistas em sequência ou isoladamente) cujos trechos foram utilizados nos documentários do DVD original, onde ele discute as origens do projeto, seu visual futurista e as decisões estilísticas tomadas. Adicionalmente, através de ícones em uma barra lateral, é possível acessar durante a entrevista a depoimentos, desenhos de produção e outros tópicos retirados dos featurettes. Apesar da quebra do fluxo do bate-papo com o diretor, é um recurso interessante que enriquece este extra;
  2. Dentro do Mundo do Pré-crime (HD, 10 min.) – “Infomercial” falso que se propõe a explicar os propósitos da unidade Pré-Crime, e como ela funciona. No entanto o emprego de desenhos de produção e cenas do filme estraga o senso de “realidade” pretendido;
  3. Philip K. Dick, Steven Spielberg e Minority Report (HD, 14 min.) – A filha de Philip K. Dick e um biógrafo dão seus depoimentos sobre a vida e o trabalho do escritor. Integrantes da equipe do filme comentam o conto original e as mudanças que foram feitas em sua transposição para o cinema;
  4. Minority Report: Futuro Concretizado (HD, 6 min.) – Um consultor científico que trabalhou na produção fala sobre suas tentativas de transformar as interfaces interativas dos computadores vistas no filme em um produto comercial;
  5. Minority Report: Peças do Futuro (HD, 10 min.) – O desenhista de produção do filme fala sobre alguns dos mais interessantes objetos de cena vistos no filme, os quais são guardados pelo próprio Spielberg;
  6. Destaques do Set de Filmagem (HD, 9 min.) – Cenas de bastidores das filmagens das cenas da perseguição do Hoverpack e da fábrica de carros;
  7. Minority Report: Comerciais do Futuro (HD, 4 min.) – faz uma análise do conceito e da criação dos comerciais futuristas, muitos criados com a colaboração de verdadeiros publicitários;
  8. Pré-Visualização (HD, 4 min.) – Comparações lado a lado de animatics (toscos storyboards animados feitos em computador) com as cenas finais da perseguição do Hoverpack e da fuga no Maglev;
  9. Featurettes de 2002 – Aqui inicia o material trazido do DVD original duplo, em vídeo não anamórfico e resolução 480p (SD):
  • Minority Report: Da História às Telas (SD, 20 min.) – Este primeiro featurette divide-se em duas partes. “A História / O Debate” apresenta Cruise e Spielberg comentando como há tempos ambos gostariam de trabalhar juntos, até que o projeto de MINORITY REPORT foi levado pelo ator até o diretor. Também inclui comentários dos roteiristas Jon Cohen e Scott Frank sobre como foi adaptar o conto de Dick para o cinema. A segunda parte, “Os Participantes”, mostra Cruise, Colin Farrell, Kathryn Morris e Max Von Sydow dando suas próprias visões dos personagens que interpretam;
  • Desconstruindo Minority Report (SD, 32 min.) – Este aqui nos mostra como a tecnologia e o mundo futurista do filme foram criados, ao longo de cinco capítulos. Em “O Mundo de Minority Report (Uma Introdução)” temos o diretor discutindo como ele reuniu cientistas de vários países para saber como o mundo seria daqui a 50 anos, para depois classificar MINORITY REPORT como um filme noir clássico. “A Divisão Pré-Crime e os Precogs” nos dá uma visão detalhada dos impressionantes figurinos e cenários, enquanto “A Seqüência das Aranhas” mostra alguns detalhes da cena na qual os pequenos aparatos procuram por Anderton. O penúltimo capítulo deste segmento é “As Visões dos Precogs”, no qual Spielberg conta como gostou do trabalho da empresa Imaginary Force nos créditos de abertura de SE7EN, tendo escolhido a mesma equipe para elaborar as visões dos Precogs. O último capítulo, “Veículos do Futuro”, discute superficialmente, entre outras coisas, o sistema Mag-Lev (levitação magnética);
  • As Proezas de Minority Report (SD, 9 min.) – As três partes desta seção basicamente destacam a participação do próprio Tom Cruise em algumas cenas de ação arriscadas: “A Fuga do Maglev”, “A Perseguição do Hoverpack” e “A Fábrica de Carros”;
  • ILM e Minority Report (SD, 19 min.) – esta seção em várias partes destaca o trabalho da empresa de efeitos de George Lucas em cenas que apresentam tecnologia futurista. Após uma introdução de Tom Cruise, na qual ele fala sobre como foi trabalhar com a ILM e na frente de uma tela azul, vamos para cinco áreas específicas: “Hologramas”, “Sala de Detenção”, “Maglev”, “Hovercraft & Hovepacks” e “Sala Cibernética”;
  • Relatório Final: Steven Spielberg & Tom Cruise (SD, 4 min.) – Nesta conclusão, essencialmente ouvimos Spielberg e Cruise, tomados pela modéstia, elogiando um ao outro…
  • Arquivo – Completando os extras, temos “Galeria de Conceitos da Produção” (com mais de 200 imagens), “Sequência de Storyboards” (algumas cenas de ação vistas apenas com storyboards) e “Trailers” (três trailers de cinema).

Jorge Saldanha

Anúncios

2 comentários sobre “Resenha: MINORITY REPORT – A NOVA LEI (Blu-ray)

  1. Pingback: Resenha: O VINGADOR DO FUTURO – ULTIMATE REKALL EDITION (Blu-ray) | ScoreTrack.net

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s