Cinema Musical: O Ouro para o Oscar 2011


Sim, pode-se dizer que a temporada do ouro já começou, e começam também as especulações referentes às categorias técnicas. E como não posso deixar de analisar as trilhas, escolhi 15 compositores que são os favoritos do ano ao tão sonhado careca dourado… analisei aqui as chances de cada um, versus os seus respectivos filmes. Então, eis a lista:
 
Alexandre Desplat
 
Claro que eu não poderia começar de outra forma, já que além de Alexandre Desplat ser o meu compositor favorito (ao lado de Alan Menken) ele, mais uma vez, é o compositor do ano em termos de trabalho, sendo que nada menos que 8 filmes deste ano terão trilha sonora do francês. São eles: La fille du Puisatier, The Army of Crime (estreou ano passado na França mas apenas este ano nos EUA), O Escritor Fantasma, Tamara Drewe, The Special Relantionship (este feito para a TV), Harry Potter e as Relíquias da Morte, The King’s Speech e The Tree of Life, sendo que estes dois últimos são os trabalhos que mais darão chance a Desplat de ser indicado novamente ao Oscar (mas espera-se muito também de seu trabalho em Harry Potter). Desde 2007, Desplat tem tido uma relação bem amorosa com a academia, pois desde então ele já foi indicado 3 vezes ao Oscar (por A Rainha, O Curioso Caso de Benjamin Button e O Fantástico Senhor Raposo). O fato é que Desplat já deu declarações firmes de que ele não vai parar de compor interruptamente enquanto não ganhar um Oscar… Será que esse ano finalmente ele ganha? Bem, é esperar pra ver!!!

Hans Zimmer

Hans Zimmer tem tido anos formidáveis, e este ano, depois de 8 anos sem ser indicado ao Oscar, ele voltou a ser indicado com a ótima trilha de Sherlock Holmes. Com 4 scores neste ano de 2010 – Henry IV, The Pacific (com o qual foi indicado ao Emmy), o novo longa de James L. Brooks How Do You Know? e, é claro, A Origem – trilha sonora ovacionada pela crítica que desde já o colocou como um dos favoritos ao Oscar 2011. O que pode pesar contra Hans é o fato dele já ter um Oscar (sendo que vários veteranos ainda não têm). E de que maneira a academia vai receber A Origem, já que sabemos que Batman – O Cavaleiro das Trevas apareceu em milhares de listas de contenders durante todo o ano de 2008 mas acabou sendo esnobado nas categorias principais no Oscar 2009? De qualquer modo, aposto muito em uma indicação de Hans.


Rachel Portman

Rachel, absolutamente, está no rol dos meus compositores favoritos, e principalmente é um modelo do que eu sonho em ser no futuro. A primeira mulher a vencer o Oscar de trilha sonora, é para mim uma grandiosa compositora. Rachel, que não é indicada ao Oscar desde 2001 (quando foi indicada ao Oscar com o score incrivel de Chocolate) veio, ao longo dos últimos anos, compondo grandes trilhas, como Revelações, Sorriso de Mona Lisa, Oliver Twist, Grey Gardens e, claro, A Duquesa, que considero sua melhor trilha e que injustamente foi esnobada no Oscar 2009. Mas este ano Rachel vem com tudo e está presente em dois projetos – o novo longa de Nicolas Hytner London Assurance (que talvez fique para 2011) e o já comentadíssimo em Telluride Never Let Me Go, cuja trilha de Rachel está recebendo elogios rasgados da crítica. Realmente acho que finalmente Rachel será indicada novamente aos Academy Awards. E com toda a justiça, já que seu score de Never Let Me Go é uma pequena obra prima.

Alan Menken

“That’s how you knoww… he loves youuuu… that’s how you knowww… it’s trueee”. Sim, cá estou falando de meu compositor favorito de todos os tempos, o magnifico Alan Menken, que dominou o Oscar na década de 1990 vencendo 8 estatuetas, e elevou os clássicos da Disney para um nível ainda mais alto – o de clássicos musicais da Broadway! Alan, que não tem muitos trabalhos no cinema porque tem um contrato de exclusividade com a Disney (e fora o trabalho dele em musicais como “Sister Act” e “Leap Faith”) volta este ano com a trilha sonora de Tangled/Rapunzel. Sabemos que a Academia ama Alan, e que, mesmo que sua trilha não seja indicada, ele é presença indispensável na categoria de canção. Será que desta vez ele ganha o seu tão sonhado nono Oscar? Bem, eu torço muito que sim!

John Adams

 Aqui trata-se de artilharia pesada: John Adams, um dos maiores compositores e condutores de orquestra americano, veio este ano com uma trilha clássica, etérea e chique, no já aguardadíssimo I Am Love, novo longa do italiano Luca Guadagnino, protagonizado por Tilda Swinton. Adams é um simbolo de qualidade musical nos EUA, um compositor complexo e clássico, e à exemplo de John Corigliano com a trilha de O Violino Vermelho, pode acabar sendo indicado e vencer a categoria com a belissima trilha de I Am Love.


Carter Burwell

 Carter Burwell, colaborador habitual dos irmãos Coen, vem brilhando nos ultimos anos com suas belas trilhas sonoras. Este ano não é diferente. Ele compõe para 3 filmes, mas o 3 já foram comentados. Tratam-se de Howl, longa protagonizado por James Franco, e The Kids Are All Right, filme com as atrizes Annete Benning e Julianne Moore que vem sido elogiadíssimo por onde passa. Mas é com True Grit, novo filme dos irmãos Coen, é que penso que Carter tem mais chances, já que é a refilmagem de um clássico western. Depois de tantas injustiças (Onde Vivem os Monstros e Na Mira do Chefe são exemplos), espero que este ano Carter finalmente possa ser lembrado pela Academia.


Elliot Goldenthal

 Elliot Goldenthal é um excelente compositor. Ele, que já ganhou o Oscar pela trilha de Frida, é sempre uma ótima pedida, já que suas parcerias com Julie Taymor sempre dão bons frutos (que o diga Frida e Across The Universe). Este ano, Elliot faz a trilha do novo filme de Taymor- The Tempest, e dizem alguns qu se trata de um score sensacional. De qualquer forma Elliot Goldenthal é, com certeza, um dos maiores compositores do mundo em atividade.

 
Randy Newman

O veterano Randy Newman é um compositor dedicado e com grandes trabalhos. Indicado este ano ao Oscar pelas canções de A Princesa e o Sapo, Randy tem a chance de mais indicações pela trilha e canção de Toy Story 3. Todos sabem que quando se trata da saga de Woody e sua turma, Randy capricha no trabalho e se destaca com alguma canção inédita. Este ano não foi diferente. “We Belong Together” é a canção em questão, e sua trilha para a terceira parte da trilogia é muito bem feita. Acredito aqui em uma indicação à categoria de canção, muito mais do que a de trilha, mas como o filme foi ovacionado pela crítica, pode surpreender.
 
Gustavo Santaolalla

 Se existe um compositor admirado pela Academia, este é Gustavo Santaolalla. Vencedor de dois prêmios seguidos do Oscar de Melhor Trilha (!!!), ele é adorado por onde passa e se destaca por suas músicas calmas e minimalistas. Em 2010 ele vem com quatro projetos: o filme francês Le Yeux De Sa Mere, o alemão Nanga Parbat, o documentário The Sun Behind The Clouds, e claro, Biutiful, sua parceria com Alejandro Gonzalez Inarritu que pode lhe valer mais uma indicação ao Oscar… ou quem sabe um terceiro careca dourado?


Clint Mansell
 
Claro que não poderia deixar de citar o sempre competente Clint Mansell, que este ano vem com as trilhas de Black Swan e Date Night. Mas é Black Swan a grande aposta, onde Clint mistura seu score com as peças orquestradas de Tchaikovsky. O filme, já ovacionado em Veneza, pode dar a Natalie Portman uma indicação ao Oscar de Melhor Atriz, e uma indicação a Clint não é descartada, depois dele ser esnobado por Réquiem Para um Sonho e claro, Fonte da Vida, que é uma das melhores trilhas desse novo século. Mas indicado ou não, Clint é sempre sinônimo de qualidade e dedicação.
 

John Powell
John Powell vem se destacando há muito tempo nas trilhas sonoras, principalmente em filmes de ação (como a trilogia Bourne) e filmes de animação (como a quadrilogia Shrek). Em 2010 Powell esteve presente em 4 filmes – Como Treinar o Seu Dragão, Encontro Explosivo, Zona Verde e Fair Game, sendo que este ainda não foi lançado. A trilha de Como Treinar o seu Dragão realmente é a que se destaca, mas Fair Game também é um projeto importante, protagonizado por Naomi Watts e Sean Penn. Outro grande compositor que pode ter sua chance este ano.


A.R. Rahman

Sim, você não está lendo errado – A.R.Rahman pode ser indicado novamente ao Oscar, pois ele é o compositor do novo filme de Danny Boyle 127 Hours. Pois é, aqui veremos como Rahman se sai com um filme que alterna aventura e momentos de tensão. Como ele é o John Williams de Bollywood, não duvido nada de sua indicação, e talvez até vença a categoria.


James Newton Howard

James Newton Howard é, com certeza, um dos compositores mais injustiçados da história do Oscar. Com 8 indicações mas sem nenhuma estatueta em mãos, James é um compositor aclamado e querido em todo o mundo, mas infelizmente suas belíssimas trilhas nunca lhe renderam o tão sonhado Academy Award. Este ano ele vem com 5 trilhas – Nanny Mc Phee Returns, O Último Mestre do Ar, Salt, Inhale e Love and Other Drugs, onde esta é a aposta mais alta já que trata-se do comentado novo filme de Edward Zwick, que é um diretor que fecha ótimas parcerias com Newton Howard. Não se assustem se ele for indicado e novamente perder, já que acredito que James só ganhará seu sonhado Oscar daqui a algum tempo… mas também acredito que não tardará. Este ano? Talvez.


Thomas Newman

Mais um grande injustiçado. Thomas tem 10 indicações ao Oscar, e nem quando era o favorito como em Beleza Americana levou a estatueta. Mas isso não deixa ele triste. Muito pelo contrário, o filho de Alfred Newman, assim como James Newton Howard, é respeitadíssimo e muito querido no ramo, e sempre nos entrega belos scores. Esse ano, ele compõe para o o romance/suspense/ficção cientifica The Adjustment Bureau, e The Debt, longa dirigido por John Madden que traz grande elenco e pode ser à volta do diretor para a temporada de ouro (e consequentemente dar a Newman sua 11ª indicação). De qualquer maneira, Thomas é sempre cuidadoso e eficiente no que faz, então, esperam-se trabalhos de alto nivel vindo de sua parte. 


Jan A. P. Kaczmarek

Por ultimo mas não menos importante, Jan A. P. Kaczamarek é outro maravilhoso compositor que pode ser indicado novamente este ano, provavelmente por Get Low, longa que está sendo muito elogiado, principalmente pelo seu elenco (Robert Duvall, Bill Murray, Sissy Spacek). Jan já venceu o Oscar pela maravilhosa trilha de Em Busca da Terra do Nunca e desde então tem feito trabalhos incriveis (Ao Entardecer, O Visitante, Sempre ao Seu Lado). Aqui, temos um drama-comédia que pode dar a Jan grande destaque na corrida aos prêmios. Talvez tenha algum outro grande projeto escondido na manga, mas vamos ver o que se segue no ano. De qualquer maneira, é um brilhante compositor.

Bem gente, por hoje é só e espero que tenham gostado da prévia.

Viviana Ferreira

5 comentários sobre “Cinema Musical: O Ouro para o Oscar 2011

  1. Gostei da lista dos possíveis indicados, mas acho que faltou Howard Shore nesta lista, ele fez um belo trabalho para a continuação do filme Crepúsculo (Eclipse) deste ano, alem disso ele é um excelente compositor.

    Curtir

  2. Por enquanto só coloca fé nas indicações de Desplat (torço muito para que ele faça em Harry Potter o que Howard Shore fez em Senhor dos Anéis) e Zimmer com A Origem. O resto ainda tenho que esperar e escutar, apesar de amar Thomas Newman e torcer muito para que venha seu merecido Oscar.

    Curtir

  3. Não se pode deixar de fora o vencedor do oscar de 2010: MICHAEL GIACCHINO! Este ano fez pouca coisa mas pode surpreender com “Let me in”. Não vejo a hora do maestro John Williams voltar às listas de maiores trabalhos do ano.

    Curtir

  4. Não coloquei Giachinno na lista justamente porque independente do trabalho que ele fizer em “Let me in” provavelmente seu score será subestimado, já que a trilha original de Johan Söderqvist é provavelmente uma das melhores do gênero, se você não conhece, procure ouvir “eli´s theme” que é simplesmente uma obra prima.

    Fora de que ele ganhou no ano passado, eles tão devendo oscar pra tanta gente que seria estranho darem um oscar consecutivo pro giachinno (lembrando que santolalla ganhou seu segundo oscar por um filme que tinha todo o buzz, o que não é o caso aqui).

    Curtir

  5. Desplat merece muito! Tb tem sido um dos meus compositores favoritos.

    Não esquecendo de Danny Elfman. A trilha de Alice ficou fantástica.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s