Filmes e séries de TV/Resenhas - DVD e Blu-ray

Resenha: O RESGATE DO SOLDADO RYAN (Blu-ray)

Produção: 1998
Duração: 169 min.
Direção: Steven Spielberg
Elenco: Tom Hanks, Edward Burns, Tom Sizemore, Matt Damon, Jeremy Davies, Adam Goldberg, Barry Pepper, Giovanni Ribisi, Vin Diesel, Ted Danson, Paul Giamatti, Dennis Farina, Harve Presnell
Vídeo: Widescreen Anamórfico 1.85:1 (1080p/AVC MPEG-4)
Áudio: Inglês (DTS-HD Master Audio 5.1), Português, Espanhol, Francês (Dolby Digital 5.1)
Legendas: Português, Inglês, Espanhol, Francês
Região: A, B, C
Distribuidora: Paramount
Discos: 2
Lançamento: 24/06/2010
Cotações: Som: ***** Imagem:****½ Filme: ***** Extras & Menus: ****½ Geral: ****½

SINOPSE
Após o desembarque dos soldados norte-americanos na Normandia no Dia D, na Praia de Omaha, descobre-se que três irmãos Ryan morreram em combate. Ao capitão John Miller (Tom Hanks) e seus homens é designada a missão de resgatar o último filho, James Francis Ryan (Matt Damon), integrante do pelotão de paraquedistas que pode estar em qualquer lugar da França. O objetivo dos militares é devolver à mãe pelo menos um dos seus filhos, custe o que custar.

COMENTÁRIOS
Se algum problema há em O RESGATE DO SOLDADO RYAN (SAVING PRIVATE RYAN, 1998) é o pieguismo da situação-base do roteiro de Robert Rodat, onde um pelotão de soldados é enviado para a missão praticamente suicida de localizar na França ocupada pelos nazistas um paraquedista perdido, a fim de evitar que sua mãe sofra com a perda do último dos seus filhos. Superado isto, contudo, temos quase três horas nas quais o diretor Steven Spielberg, no auge de sua perícia como cineasta, realiza o que é para muitos o melhor filme de guerra já feito. Opiniões à parte os 20 minutos iniciais do longa são antológicos, ainda hoje atingindo o espectador de forma raramente vista. Esbanjando virtuosismo técnico e filmando de forma ao mesmo tempo crua, realista e estilizada, o diretor nos coloca no meio do desembarque das tropas ianques na Praia Omaha, com a câmera de Janusz Kaminski captando de forma praticamente documental imagens chocantes que mostram a verdadeira – e brutal – face da guerra.

Passada essa arrasadora introdução o filme entra em um terreno mais convencional, exaltando a retidão e o senso de cumprimento de dever do Capitão Miller (uma das melhores atuações de Tom Hanks), enquanto ele leva a cabo sua missão mesmo sob o protesto de seus comandados. O filme atinge seu ápice dramático quando Miller e o que restou do seu pelotão finalmente encontra Ryan que, juntamente com outros paraquedistas, está posicionado para defender uma ponte prestes a ser atacada por um grande contingente alemão. Mesmo depois de ser informado da morte dos irmãos, Ryan se recusa a abandonar seu posto, e Miller vê-se obrigado a escolher entre retornar sem cumprir sua missão, ou ficar e ajudar os paraquedistas. Ele obviamente opta pela segunda opção, e horas depois de montarem uma estratégia de defesa eles se encontram sob o pesado ataque de vários blindados alemães e de soldados da infantaria.

Secundando Hanks no elenco estão alguns veteranos (Tom Sizemore, Ted Danson) e novatos cujos rostos posteriormente tornaram-se conhecidos tanto no cinema como na TV – Matt Damon, Vin Diesel, Edward Burns, Barry Pepper, Adam Goldberg, Giovanni Ribisi e Jeremy Davis. O filme conquistou cinco Oscars, inclusive o de Melhor Diretor, e forma com os dramas da Segunda Guerra Mundial IMPÉRIO DO SOL (EMPIRE OF THE SUN, 1987) e A LISTA DE SCHINDLER (SCHINDLER’S LIST, 1993) uma admirável trilogia onde o diretor expressa seu grande interesse pelo tema. Para a TV Spielberg co-produziu com Tom Hanks para a HBO a excelente minissérie BAND OF BROTHERS (2001) e a recente THE PACIFIC (2011), que seguem a trilha aberta por O RESGATE DO SOLDADO RYAN – filme indispensável para quem aprecia a obra do diretor e os grandes filmes do gênero.

SOBRE O BD
O RESGATE DO SOLDADO RYAN chega em Blu-ray ao Brasil em uma edição com dois discos praticamente idêntica à que a Paramount lançou nos EUA. A principal diferença é a qualidade inferior de impressão do rótulo dos BDs, replicados aqui pela Videolar. O resto, a começar pelos menus em inglês, é igual. Quanto à qualidade do vídeo, o filme recebeu uma transferência 1080p AVC MPEG-4, que está no primeiro disco – um BD-50 de dupla camada – que impressiona pelo alto nível de detalhe e pretos sólidos. O longa foi filmado em 35mm na proporção de tela 1.85:1, com uma paleta de cores esmaecida em determinados momentos (provavelmente para diminuir o impacto nas cenas de sangue e mutilação), porém em outros elas surgem fortes e firmes, como quando os soldados cruzam os verdes campos da França. Apesar de notarmos clara e ocasionalmente a granulação e pontos brancos inerentes à película de 35mm, isso não chega a ser um problema. Até que venha uma nova edição totalmente restaurada, e considerando que o filme já possui 12 anos, está é sem dúvida uma exuberante apresentação visual de O RESGATE DO SOLDADO RYAN que compensa o upgrade em relação às versões anteriores em DVD.

Quanto ao áudio, merece menção honrosa o fato de que este é o primeiro Blu-ray da Paramount que traz uma dublagem em português, ainda que “apenas” Dolby Digital 5.1. Muitos preferem assistir a filmes dublados, e essa era uma das principais críticas aos lançamentos em alta definição da distribuidora. Contudo, para quem quer de fato apreciar a potência sonora do filme, a opção tem de ser a faixa lossless original em inglês DTS-HD 5.1 Master Audio. Muito superior à mixagem Dolby Digital 5.1 dos DVDs anteriores, ela é de fato material de demonstração, estando à altura das faixas DTS em alta definição de títulos recentes. Seu poder de fogo é demonstrado já na sequência inicial de 20 minutos, onde o som engolfa o ouvinte com graves arrasadores e efeitos surround agressivos, que aliados às imagens impactantes e violentas nos dá a impressão de estarmos na Praia Omaha, em pleno Dia D. Quando as coisas acalmam ouvimos os diálogos de forma cristalina vindos do canal central. Os sons ambientais, como trovões ouvidos de fundo, mantém o senso de imersão no filme. Isso até chegarmos à batalha final, onde o som dos tanques se aproximando, vindos do subwoofer, voltam a fazer sua sala tremer e dão uma ideia do que ainda está para vir em termos de impacto sonoro. E a propósito, não notei o erro de sincronia sonora que havia a partir do capítulo 15 nos primeiros BDs de RYAN que foram lançados nos EUA, que obrigaram a Paramount a fazer um programa de troca de discos por lá. As legendas HD, brancas, estão disponíveis nos mesmos idiomas das opções de áudio – português, inglês, espanhol e francês.

EXTRAS
Os extras de O RESGATE DO SOLDADO RYAN consistem, basicamente daqueles que já estavam no DVD duplo, em resolução standard (SD, 480p, áudio em inglês 2.0), mais um documentário do History Channel (também em SD) e dois trailers em alta definição (HD, 1080p, áudio em inglês 5.1). Todos os featurettes e documentários foram legendados em português.

  • An Introduction (SD, 2:35 min.) – Spielberg fala sobre seu interesse na Segunda Guerra Mundial e suas liogações familiares com o conflito;
  • Looking Into the Past (SD, 4:40 min.) – Spielberg retorna para falar sobre a pesquisa histórica feita para criar a história do filme, e as emoções que que ele queria provocar;
  • Miller and His Platoon (SD, 8:23min.) – Com a participação do diretor e elenco, este curta aborda o desenvolvimento dos personagens;
  • Boot Camp - (SD, 7:37 min.) – Os atores falam sobre a preparação militar que receberam para melhor encarnarem seus personagens;
  • Making ‘Saving Private Ryan‘ (SD, 22:05 min.) – Membros da equipe falam sobre a criação dos uniformes, cenários, objetos de cenas, etc.;
  • Re-creating Omaha Beach (SD, 17:58 min.) – Making of da forte sequência da Praia Omaha;
  • Music and Sound (SD, 15:59 min.) – Entrevistas com os responsáveis pela indispensável parte sonora do filme (sound design e trilha musical), destacando o compositor John Williams;
  • Parting Thoughts (SD, 3:43 min.) – Spielberg e Tom Hanks falam da experiência que foi filmar O RESGATE DO SOLDADO RYAN;
  • Into the Breach: ‘Saving Private Ryan‘ (SD, 25:01 min.) – Making of da produção com entrevistas e comentários dos envolvidos;
  • Shooting War (SD, 1:28:05) – Documentário do History Channel apresentado / narrado por Tom Hanks, dedicado aos cinegrafistas que arriscavam suas vidas ao acompanhar os soldados em batalhas, e cujas imagens influenciaram em muito o visual do filme;
  • Trailers (HD, 4:21 min.) – Temos dois trailers em alta definição de O RESGATE DO SOLDADO RYAN: o original de cinema (2:16 min.) e o de relançamento (2:05 min.).

Jorge Saldanha

About these ads

14 comentários sobre “Resenha: O RESGATE DO SOLDADO RYAN (Blu-ray)

  1. Pingback: Resenha: GUERRA DOS MUNDOS (Blu-ray) « ScoreTrack.net

  2. Pingback: Resenha: MINORITY REPORT – A NOVA LEI (Blu-ray) « ScoreTrack.net

  3. Obrigado pela excelente descrição do conteudo e propiedades deste BD
    foi de grande valia.
    Comprei ele ontem e assisti porem não vi uma garnde diferença na qualidade da imagem.
    nas cenas com zoom ou a grande distancia principalmente

  4. Pingback: Diretores: Steven Spielberg | SCI FI do Brasil

  5. Pingback: Resenha: BAND OF BROTHERS (Blu-ray) | ScoreTrack.net

    • DTS é um padrão de áudio superior ao Dolby Digital. Apesar de ambos serem comprimidos, o DTS sofre menos compressão e portanto tem maior bitrate. Mas como isso faz com que ocupe maior espaço em disco, isso levou ao predomínio do Dolby Digital no DVD.

  6. Então, mesmo nos filmes de longa duração, como em um do 007 – que não me lembro o nome agora – que tem as faixas DTS ES, DOLBY DIGITAL EX e Estéreo com mais de 2 horas, o DTS ainda é melhor que as demais faixas?

  7. Já li em algumas resenhas em que você comenta sobre erros técnicos, no qual os estúdio e/ou distribuidoras tiveram que lançar outro blu-ray com as devidas correções. Como podemos saber qual versão temos em mãos, se é a com erro ou a sem o erro?

    • Boa pergunta. No caso do Exterminador do Futuro, só temos à venda aqui a nova edição. Já O Vingador do Futuro ainda se encontra a versão inferior antiga também para venda. Nesses casos deve se procurar identificar a nova edição, no caso a “Ultimate Rekall Edition”.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s